MenuJC Concursos
Busca
Últimas Notícias | | Empregos | Sociedade | youtube jc | WEBSTORIES

Revogação da reforma trabalhista e mínimo de R$ 1.342. Veja pedidos de sindicalistas a Lula

Presidente Lula realizou encontro nesta quarta-feira (18) com centrais sindicais; dentre os pedidos, a revogação da reforma trabalhista. Saiba mais

Presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) realiza encontro com centrais sindicais
Presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) realiza encontro com centrais sindicais - Reprodução Youtube - Reforma trabalhista
Jean Albuquerque

Jean Albuquerque

redacao@jcconcursos.com.br

Publicado em 18/01/2023, às 13h58

WhatsAppFacebookTwitterLinkedinGmailGoogle News

Durante encontro de dirigentes sindicais com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), nesta quarta-feira (18), os sindicalistas defenderam a revogação dareforma trabalhista e o debate sobre a política de valorização do salário mínimo. 

Durante a fala, os dirigentes defenderam o piso de R$ 1.342, diante do valor de R$ 1.320, que foi aprovado pelo congresso nacional ano passado, mas ainda não passou a valer no país. 

+ Reforma tributária: conheça os principais interesses do Haddad com o avanço

Veja o que diz os sindicalistas 

O presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Adilson Araújo, afirmou que "o debate do salário mínimo não pode ser pautado pelo deus mercado". 

O presidente da Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST), Moacyr Roberto Tesch Auersvald, solicitou ainda que o terceiro governo do petista realize o reajuste da tabela do Imposto de Renda (IR). Promessa essa que o presidente Lula afirmou que irá cumprir durante o seu mandato.  

"Queremos uma reforma tributária atingindo somente quem ganha mais e as grandes fortunas. Ao mesmo tempo, pedimos a desoneração dos mais humildes e também das pequenas empresas", destacou Auersvald.

O presidente da Força Sindical, Miguel Torres, durante sua fala, explicou que as centrais sindicais não desejam a volta do imposto sindical, mas a valorização da negociação entre patrões e sindicatos. Além de pedir a revogação de trechos da reforma. 

"Se por um lado, o ex-presidente Bolsonaro desprezou duramente a representação dos trabalhadores, por outro lado abrigou os interesses empresariais e de políticos. É fundamental reverter este quadro, indispensável em um país desigual como o Brasil. Tais mudanças somente se darão a partir de mudança legislativa democrática", pontuou. 

Sindicalista defende revogaço 

"O ideal seria fazer um revogaço, uma MP de quatro linhas, para revogar três leis: a terceirização indiscriminada, a lei da reforma trabalhista e a lei da liberdade econômica. Esta é a esperança de todos os que aqui estão", disse o presidente da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), Antonio Neto. 

Também foi mencionada a situação dos trabalhadores por aplicativo pelo presidente da União Geral de Trabalhadores (UGT), Ricardo Patah. Ele afirma que esses "trabalhadores do aplicativo representam os miseráveis, representam uma precariedade do trabalho".

+++ Acompanhe as principais informações sobre Sociedade e Brasil no JC Concursos

Siga o JC Concursos no Google NewsSociedadeBrasil

JC Concursos - Jornal dos Concursos. Imparcial, independente, completo.