MenuJC Concursos
Busca
Últimas Notícias | | Empregos | Sociedade | youtube jc | WEBSTORIES

São Paulo: trabalhadores do Metrô e da Sabesp anunciam greve contra privatização

A paralisação faz parte de uma ação conjunta com outras categorias de trabalhadores. Outras preocupações incluem a insalubridade e sobrecarga nos locais de trabalho

Trabalhadores acreditam que o governo visa aumentar lucros por meio de privatizações
Trabalhadores acreditam que o governo visa aumentar lucros por meio de privatizações - Divulgação/JC Concursos
Pedro Miranda

Pedro Miranda

redacao@jcconcursos.com.br

Publicado em 28/09/2023, às 15h10 - Atualizado às 15h36

WhatsAppFacebookTwitterLinkedinGmailGoogle News

O sindicato que representa os trabalhadores do transporte em São Paulo anunciou uma greve programada para o dia 3 de outubro em quatro linhas do Metrô da cidade. A paralisação faz parte de uma ação conjunta com outras categorias de trabalhadores e pretende marcar posição contra a privatização de serviços no estado e reivindicar melhores condições de trabalho.

As linhas do Metrô de São Paulo que devem aderir à greve são a 1-Azul, a 2-Verde, a 3-Vermelha e a 15-Prata. Além dos trabalhadores do Metrô, ferroviários e funcionários da Sabesp também planejam aderir à paralisação.

A presidente do Sindicato dos Metroviários e Metroviárias de São Paulo, Camila Duarte Lisboa, destacou que o movimento é tanto reivindicatório quanto de protesto. Ela explicou que a adesão dos trabalhadores do Metrô não foi total devido à pressão dos empregadores em algumas linhas, o que gerou receio entre os trabalhadores de realizar protestos. No entanto, todos compartilham o desejo de melhorar salários e as condições de trabalho.

+++ Banco Central eleva projeção de crescimento econômico do Brasil para 2023

Trabalhadores acreditam que o governo visa aumentar lucros por meio de privatizações

Os sindicalistas estão preocupados com as privatizações propostas pelo governo do estado, pois temem que isso leve a aumentos nas tarifas de transporte e de água. Eles citam como exemplos negativos as linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda do trem de São Paulo, que agora são operadas por empresas privadas e frequentemente enfrentam problemas que afetam os passageiros.

Outras preocupações incluem a insalubridade nos locais de trabalho e a sobrecarga de tarefas. Além disso, mencionam um processo de terceirização dos funcionários da bilheteria do Metrô, o que poderia resultar em salários mais baixos.

Os representantes dos trabalhadores acreditam que o governo busca aumentar seus lucros por meio de privatizações, e eles estão se mobilizando para se opor a essa tendência. Movimentos sociais já haviam organizado um plebiscito contra as privatizações no início do mês durante o Grito dos Excluídos.

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) também se unirá à greve, com o compromisso de manter o abastecimento de água e atender a emergências. Os trabalhadores do saneamento alertam que a privatização desse serviço representa um risco para a saúde da população, uma vez que o saneamento adequado é fundamental para a saúde pública.

+ Acompanhe as principais informações sobre Sociedade e Brasil no JC Concursos

Siga o JC Concursos no Google NewsSociedadeBrasil

JC Concursos - Jornal dos Concursos. Imparcial, independente, completo.