Senado avaliará pedido de 500 cargos em breve

O projeto de lei deverá ser um dos primeiros a passar por análise quando o Congresso Nacional voltar às atividades, no dia 1/02

Redação
Publicado em 12/01/2011, às 15h32

A Agência Senado, responsável pela divulgação de notícias sobre o Senado Federal, informou que o projeto de lei nº 5.914/09, cujo conteúdo sugere a criação de 500 cargos de perito médico previdenciário no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), poderá ser analisado muito em breve. Os postos deverão ser preenchidos por meio de concurso. A expectativa é de que o PL seja um dos primeiros a passar por avaliação após o recesso do Congresso Nacional, que volta às atividades no dia 1º de fevereiro.

A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados aprovou o projeto em caráter conclusivo em junho de 2010, porém, a redação final do texto só recebeu aprovação no mês de novembro, quando foi encaminhada ao Senado. Depois da análise, o PL será enviado à presidente da República para sanção ou veto. Além das vagas de perito médico previdenciário, o documento pede que sejam implementados cargos de confiança e comissionados para atender ao plano de expansão do órgão.

A última seleção realizada pelo instituto ocorreu em janeiro do ano passado. Foram disponibilizadas 500 chances de perito em todo o Brasil. Para concorrer era necessário comprovar o nível superior completo em medicina e registro no Conselho Regional de Medicina (CRM). À época, a remuneração oferecida aos profissionais era de R$ 4.149,89.

O Cespe/UnB organizou o processo seletivo e a taxa de participação custou R$ 60. No total, 9.971 pessoas se inscreveram no concurso, o que deu uma média de 19,94 candidatos por oportunidade.

Os concorrentes realizaram um exame objetivo com 50 questões de conhecimentos básicos e 70 de conhecimento específicos.

Analista e técnico – O INSS também solicitou ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) o aval para promover uma seleção com 2.500 vagas. O órgão pretende abrir duas mil chances de técnico e 500 de analista. A previsão é de que o Planejamento autorize o processo seletivo em breve para que o instituto defina o cronograma, escolha a organizadora do concurso e publique o edital.

A função de técnico exigirá o nível médio completo. Já o posto de analista será destinado a profissionais com o nível superior completo. Normalmente, o INSS abre ofertas para graduados em qualquer curso e para formados em áreas específicas, como psicólogos, engenheiros e terapeutas ocupacionais.

De acordo com a assessoria de imprensa do órgão, os salários iniciais pagos aos colaboradores giram em torno de R$ 4,6 mil para os analistas e R$ 2,6 mil para os técnicos.

Em 2008, o instituto lançou uma seleção para preencher duas mil oportunidades, sendo 1.400 de técnico e 600 de analista.

O cargo de analista, além de vagas para formados em qualquer curso de nível superior, tinha chances nas áreas de arquitetura, arquivologia, biblioteconomia, ciências da computação, ciências atuariais, comunicação social, direito, engenharia (civil, segurança do trabalho, telecomunicações, elétrica e mecânica), estatística, pedagogia, psicologia e terapia ocupacional.

Os vencimentos iniciais correspondiam a R$ 1.989,87 (técnico) e R$ 2.243,78 (analista). O processo seletivo também ficou sob a responsabilidade do Cespe/UnB e as taxas de inscrição tiveram valores de R$ 47 e R$ 56. A prova objetiva, aplicada para todos os concorrentes, consistiu em 150 questões de conhecimentos básicos, complementares e específicos.

Segundo o INSS, os técnicos são responsáveis por prestar atendimento na rede de agências da Previdência Social (APS) e os analistas atuam nas superintendências, nas gerências executivas e na direção central do órgão, localizada em Brasília (DF).

Flávio Fernandes/SP

Veja também:

PM/SP: edital previsto para sair até o fim deste mês

PGFN: Procuradoria aguarda aval para 300 vagas

Comentários

Mais Lidas