Correios voltam a garantir concurso em 2013

Empresa informa que política de contratações temporárias não influencia em efetivação de servidores e corrige informação referente ao número de vagas liberadas pelo MPOG para provimento em seus quadros

Reinaldo Matheus Glioche
Publicado em 03/07/2013, às 10h55

AEmpresa Brasileira de Correios e Telégrafos enviou nota à redação do JC&E paraesclarecer alguns dos pontos abordados na matéria sob título “Ação judicialpode atrasar edital dos Correios”, publicada no site em 28 de junho último. Emprimeiro lugar, um esclarecimento que se faz imperativo diz respeito ao número devagas liberadas pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) paraprovimento pelos Correios. “A empresa foi autorizada pelo MPOG a ampliar o seuquadro de pessoal próprio, de forma escalonada nos meses de outubro (2012),janeiro e abril de 2013, compreendendo um total de mais 9.904 vagas, e não de13.727, conforme divulgado equivocadamente em reportagem do JC& E. Para opreenchimento dessas vagas foi utilizado o cadastro reserva do concursorealizado em 2011, ainda restando vagas para localidades desprovidas decadastro, o que, entretanto, será atendido com o novo concurso”, diz a nota dosCorreios.

Areportagem se baseou no quantitativo solicitado pelos Correios ao MPOG eignorou o fato do ministério comandado por Miriam Belchior ter autorizado umquantitativo inferior.

Osegundo ponto defendido pelos Correios na nota reforça o que já havia sido repassadoà reportagem quando do questionamento a respeito do processo judicial movidocontra a empresa. A empresa alega serem as contratações temporárias restritas acasos de maior necessidade como à época do Enem (Exame Nacional do EnsinoMédio), quando os Correios são responsáveis pela logística do envio das provaspara todo o país.

Aempresa informa que de 2011 para cá “foram contratados mais de 16,5 miltrabalhadores, o que já coloca os Correios como um dos maiores empregadores dopaís”. Ainda segundo a empresa, “estes números se referem unicamente àcontratação de empregados efetivos, uma vez que os Correios não terceirizam suaatividade-fim. A contratação de mão de obra temporária é realizada apenas paraatender ao aumento de trabalho sazonal em datas específicas, tais como dia dasmães, dia da criança, Natal e em operações especiais como o Enem ou adistribuição de livros didáticos”.

Arespeito da ação judicial, os Correios informam que ela não deve repercutir, oumesmo influenciar, na seleção que segue confirmada para 2013 nas localidadesdesatendidas pelo cadastro reserva do concurso de 2011. A validade desteúltimo, convém lembrar, finda em 27 de julho. Não há informações oficiais arespeito de sua prorrogação. As localidades contempladas pelo próximo concurso,porém, ainda são desconhecidas.


APOSTILA ESPECÍFICA CORREIOS - CLIQUE AQUI

Comentários

Mais Lidas