Edital do INSS será publicado nos próximos dias

Órgão divulga graduações que serão exigidas no concurso para analista que apresenta remuneração de R$ 7.142. JC&E ouve especialistas sobre opção pela Funrio como banca

Reinaldo Matheus Glioche
Publicado em 07/08/2013, às 11h13

Uma das particularidades marcantes dessa fase de preparação para a abertura do novo concurso ara os quadros do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) é a surpresa com que certas novidades se apresentam. Depois de estourados sucessivos prazos para a liberação do edital de abertura para o cargo de analista do seguro social, da redução do número de vagas, da ampliação do prazo para a abertura da seleção e da consequente e imprevista divulgação da Fundação de Apoio à Pesquisa, Ensino e Assistência à Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro (Funrio) como organizadora, o INSS liberou as especialidades que serão cobradas no concurso. A medida contraria posição reiterada pelo órgão previamente de que somente seria de conhecimento público quais áreas seriam contempladas na ocasião da divulgação do edital.

                                               

As oportunidades

Serão 300 vagas para o cargo que exige nível superior e apresenta remuneração inicial bruta de R$ 7.142,12. Esse valor atualizado em conformidade com dispositivos acordados entre o governo federal e a categoria já considera reajustes escalonados previstos para este ano e foi divulgado pelo próprio órgão.

As ofertas serão distribuídas entre as seguintes formações: administração, ciências atuariais, ciências contábeis, direito, engenharia civil, engenharia mecânica, engenharia elétrica, engenharia de telecomunicações, engenharia com especialização em segurança do trabalho, arquitetura, tecnologia da informação, terapia ocupacional, pedagogia, psicologia, comunicação social (jornalismo), comunicação social (publicidade e propaganda), fisioterapia e letras (língua portuguesa).

A proporção de especialidade por vaga, porém, não foi repassada à imprensa. As oportunidades serão distribuídas de acordo com as cinco superintendências regionais do INSS no país (sudeste I, sudeste II, sul, nordeste e norte/centro-oeste).

Fim da espera

A expectativa pelo edital se sobressaltou muitas vezes ao longo do ano, mas tudo indica que está realmente próxima do fim agora. A começar pela própria declaração do INSS de que o edital sai até o fim da primeira quinzena de agosto. Apesar do órgão, sempre seguindo manifestação do ministro da previdência Garibaldi Alves Filho, já ter furado as próprias previsões, não havia o contexto disponível hoje com organizadora definida e especialidades divulgadas. A expectativa é de que o edital seja divulgado ainda nesta semana.

Funrio desagrada candidatos, mas pode ser boa notícia

A escolha da Fundação de Apoio à Pesquisa, Ensino e Assistência à Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro (Funrio) como organizadora, gerou certo desapontamento entre candidatos que se preparam para a seleção de analista do seguro social do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

A apreensão destes é justificada pelo envolvimento da Funrio em uma tumultuada seleção para os quadros da PRF iniciada em 2009 que foi cercada de fraudes. A banca voltou a ocupar posição desprivilegiada no noticiário de concursos públicos nesta última semana em virtude da suspeita de plágio em prova gerida pela banca aplicada no último domingo como parte do concurso para o Ministério do Planejamento.

Para Francisco Fontenele, diretor pedagógico da Rede de Ensino LFG, os candidatos não devem se deixar tomar por essa apreensão. “É claro que a expectativa era pela escolha do Cespe, mas o candidato não pode se prender a essa questão e sim focar em estudo. Aquele que ficar preso nessa questão da escolha ter sido a Funrio não conseguirá focar nos estudos e aí sim sairá prejudicado”.

Sobre a nova polêmica envolvendo a Funrio, Fontenele prega prudência. “Ainda não há nada comprovado e até que venha alguma confirmação de irregularidade o candidato deve deixar essas questões polemicas que só podem atrapalhar e focar no que a banca exige em suas provas”.  

Verdade relativa

Em meio a toda a consternação pela escolha da Funrio, o que poucos parecem se dar conta é que a empresa já organizou concurso para o INSS e foi justamente para o cargo de analista. Na seleção em questão, as oportunidades eram apenas para graduados em serviço social. Não houve qualquer problema com a seleção e, segundo o especialista consultado pela reportagem – o professor de direito previdenciário Ítalo Romano, a banca costuma ser tranquila para um concurso com o perfil do INSS. “Enquanto o Cespe aprofunda um pouco mais o conteúdo programático das disciplinas e usa muita jurisprudência e doutrina, a Funrio é mais simples e direta; chegando a literalidade de passagens das leis”.

Para Romano, é importante o candidato ter em mente que se trata de um concurso em que o conhecimento não precisa ser o mais aprofundado. “Sempre tomando por base concursos já realizados pela referida banca, posso afirmar que as questões são de nível intermediário. Nem tanto ao mar nem tanto a terra! É o tipo de prova que o candidato se sente bem fazendo, pois vai se deparar com questões fáceis e possíveis. No entanto, a atenção deve ser redobrada; pois com qualquer vacilo, vários outros candidatos passarão a frente”.

Antes de encerrar, Romano ressalva que essa preparação não tem lá muitos segredos. “Em um estudo vitorioso para concursos, sempre se deve inicialmente estudar a parte teórica e intercalar com muitas questões de provas anteriores. Somente fazendo questões de concursos anteriores que o candidato bem direciona seus estudos”.

Comentários

Mais Lidas