Tudo Sobre

Empregos A vida em parágrafos

Um boa dedicação nos estudos para concursos

Confira a história de Helton Santiago, que consegue ingressar no funcionalismo público como analista do Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE/AC)



Camila Diodato
Publicado em 25/07/2016, às 11h10

“Lembre-se de que cada dia que você deixa de treinar, ou de se dedicar ao treinamento significa um dia mais distante da realização de seus sonhos”. Esta frase do treinador de voleibol Bernardinho serve para milhares de concurseiros que almejam ingressar em um órgão público.
O jovem Helton Santiago é a prova de que com muito esforço pode se tornar possível o sonho de ser um servidor público. Como ele mesmodisse, o treinamento foi fundamental para que conseguisse a aprovação em segundo lugar para analista judiciário (área judiciária) do Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE/AC).
A jornada neste mundo dos concursos não foi nada fácil para Helton, que no início não sabia nem por onde começar. “Inicialmente, tive muitas dificuldades com o que considero ser o mais difícil no estudo para concurso, o ‘método de estudo’. Não conseguia me decidir exatamente entre estudar ou não a doutrina, bem como não tinha o costume de resolver questões e de fazer anotações”, contou.
Depois de pesquisar sobre como estudar para processos seletivos, ele chegou até o site Qconcursos.com. Lá, o jovem agregou algo à sua rotina: resolver questões de seleções anteriores.
Ele falou que foi primordial aliar os estudos com a resolução de perguntas. “No auge dos meus estudos, resolvia cerca de 50 a 100 questões por dia, e hoje posso dizer com absoluta certeza que resolver questões de concursos anteriores é fundamental”, enfatizou.
Com a rotina de estudos definida, Helton conseguiu se preparar melhor para o concurso do TRE do Acre. Ele estudava as matérias do conteúdo programático e depois ia solucionar perguntas para fixar o que tinha acabado de estudar. Por conta disso, ele conseguia perceber em quais partes não tinha compreendido o assunto direito e ainda pegava a “malícia” para possíveis pegadinhas nas provas.
Helton detalhou sua rotina: “Eu aprendi a identificar possíveis pegadinhas e decifrar o que o examinador buscava saber com determinadas questões. Diante disso, eu assistia às videoaulas e anotava tudo. Após, resolvia diversas questões da matéria no QC e, por fim, revisava a matéria, com enfoque naquilo que eu mais errava. Infalível!”.
O resultado do seu esforço foi extremamente positivo. Em apenas cinco meses de estudo, ele descobriu que era possível passar em um concurso público. Depois de realizar a prova e aguardar com expectativa o resultado final, lá estava o seu nome na segunda colocação.
Natural do Acre e analista do TRE, o jovem disse que agora seu próximo objetivo é ingressar na magistratura. Portanto, ao contrário de muitos que ao entrarem em um órgão público não estudam mais, ele continuará a mesma rotina até conquistar a posição.
Para finalizar, ele deixa uma dica para todos aqueles que têm o desejo de se tornarem funcionários públicos: “resolva diversas questões de cada matéria, até com nível de dificuldade mais elevado, pois se o treinamento é árduo, a guerra será fácil”.

+ Resumo Empregos A vida em parágrafos

A vida em parágrafos
Vagas: Não definido
Taxa de inscrição: Não definido
Cargos: Não definido
Áreas de Atuação: Não definido
Escolaridade: Não definido
Faixa de salário:
Organizadora: O próprio órgão
Estados com Vagas: AC, AL, AM, AP, BA, CE, DF, ES, GO, MA, MG, MS, MT, PA, PB, PE, PI, PR, RJ, RN, RO, RR, RS, SC, SE, SP, TO

+ Agenda

25/07/2017 Divulgação do Resultado Adicionar no Google Agenda

Comentários

Mais Lidas