Desvios da norma culta

Aguns desvios gramaticais podem ser classificados como bárbaros, denominados cacoépia, silabada, cacografia, deslize, entre outros

Redação
Publicado em 23/10/2012, às 15h44

Sandra Ceraldi Carrasco

Confira algumas regras sobre os desvios da norma culta e obtenha sucesso em seus estudos!

Em relação aos desvios gramaticais, vamos classificar alguns deles como bárbaros, denominados cacoépia, silabada, cacografia, deslize, entre outros.

Coépia é a péssimapronúncia de uma palavra, isto é, sua forma errônea: “cadalço” no lugar de “cadarço”, “carderneta” em vez de “caderneta”, “mortandela” no lugar de “mortadela”, “Antártida” em vez de “Antártica” e “aspiral” no lugar de “espiral”. 

Silabada ocorre quando há troca de acentuação prosódica de uma palavra, ou seja, deslocamento da sílaba tônica, como nos seguintes casos: “rúbrica” (rubrica), “récorde” (recorde) e “gratuíta” (gratuita).

Cacografia é a má grafia ou a má flexão de uma palavra. Exemplos: “aniz” (anis),“cidadões” (cidadãos) e “maizena” (maisena).

Deslize é o mau emprego de uma palavra, ou melhor, quando se troca uma palavra por outra erroneamente, comprometendo o sentido do contexto: o “mandado” do deputado acabou (mandato); a guerra está “eminente” (“iminente”, ou seja, prestes a ocorrer).

Estrangeirismos também são classificados como barbarismos, pois quem abusa desses vocábulos utiliza palavras que não existem em nosso idioma, como boate (boîte), coquetel (cocktail), checape (check-up) e xampu (shampoo).

Cacofonia é o som desagradável oriundo da união das sílabas de palavras contíguas. Por isso muitas vezes são usadas de propósito em certas piadas, trocadilhos e "pegadinhas": “Ele beijou a boca dela"; “Paguei cinco mil reais por cada”; “Na vez passada, comi naquele restaurante”.

Eco vem a ser a própria rima que ocorre quando há na frase terminações iguais ou semelhantes, provocando dissonância:"Falar em desenvolvimento é pensar em alimento, saúde e educação";  "O aluno repetente mente alegremente"; “O presidente tinha dor de dente constantemente.

Colisão ocorre quando usamos a mesma vogal ou consoante em várias palavras. A esse processo denominamos aliteração (recurso estilístico usado com a intenção de se atingir efeito literário ou para atrair a atenção do receptor). Entretanto, quando seus usos não são intencionais ou quando causam um efeito estilístico ruim ao receptor da mensagem, a aliteração torna-se um vício de linguagem e recebe, nesse contexto, o nome de colisão: “Eram comunidades camponesas com cultivos coletivos"; "O papa Paulo VI pediu a paz".

Bons estudos!

Professora Sandra Ceraldi Carrasco, consultora e especialista em língua portuguesa, autora de livros e periódicos na área. Há mais de 20 anos ministra cursos e palestras, com índice recorde de aprovação. Seu mais recente trabalho aborda de forma prática o Acordo Ortográfico. Atualmente é coordenadora do curso preparatório IPA. Contato: professora.sandracarrasco@uol.com.br.

Comentários

Mais Lidas