Publicado: 20/04/2018 - 09:46 | Atualizado: 23/04/2018 - 11:23

Concurso PF: publicada portaria que autoriza 500 vagas

Portaria divulgada nesta sexta-feira (20) estabelece prazo para realização do novo concurso da Polícia Federal e também oficializa a distribuição dos cargos

Editais até junho

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

Foi publicada, no Diário Oficial da União desta sexta-feira (20), a portaria de autorização para o concurso da Polícia Federal (PF) destinado a preencher 500 vagas.

O documento estipula prazo de até seis meses para publicação do edital de abertura da seleção e também estabelece a distribuição dos postos: serão 150 para delegado, 60 para perito criminal, 80 para escrivão, 30 para papiloscopista e 180 para agente

Embora a portaria estipule um prazo de seis meses, ou seja, até outubro, para a publicação dos editais do concurso da Polícia Federal, o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann anunciou, nesta semana, que a liberação deve ocorer antes, ainda neste semestre.

Ainda segundo o ministro, o orçamento da pasta para 2018 será de R$ 2,7 bilhões e não haverá contingenciamento das verbas do órgão, conforme ficou decidido após reunião com o Ministério do Planejamento.

A liberação para o novo concurso da PF está relacionada ao principal objetivo do novo ministério, criado por Medida Provisória em 27 de fevereiro. No entendimento do governo, a pasta será responsável por coordenar e promover o combate à criminalidade em parceria com os Estados.

Jungmann responde pelo comando da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal (que também teve concurso autorizado para 500 vagas), Força Nacional e pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), antes vinculados ao Ministério da Justiça.

Em 18 de janeiro, o então diretor-geral da PF, Fernando Segóvia, já havia antecipado que o presidente Michel Temer garantiu o aval para o certame. 

CURSO CONCURSO POLÍCIA FEDERAL - PF 2018 - AGENTE
CURSO CONCURSO POLÍCIA FEDERAL - PF 2018 - DELEGADO
CURSO CONCURSO POLÍCIA FEDERAL - PF 2018 - PERITO
CURSO CONCURSO POLÍCIA FEDERAL - PF 2018 - ESCRIVÃO

 

Vale lembrar que, de acordo com o decreto presidencial 8.326, de 2014, a PF pode iniciar novo concurso para seus quadros sempre que constatada uma defasagem de pelo menos 5% dos servidores, sem necessidade de autorização prévia do MPDG para realizar o certame. Ainda assim o órgão precisa de confirmação do Planejamento de que dispõe de verbas para as contratações.                     

 


Ads

Polícia Federal - Acreditamos no seu sonho e temos as ferramentas para você mudar de vida

O material certo, feito por um time de profissionais especializados. Confira.

Para concorrer aos cargos de agente, papiloscopista e escrivão basta possuir curso de nível superior em qualquer área de formação. Para perito, nível superior em áreas específicas, e para delegado, superior em direito, com pelo menos três anos de atividade jurídica ou policial, comprovados na data da posse. Para todos os cargos, os aprovados também deverão possuir carteira de habilitação a partir da categoria “B”, quando da posse.

Normalmente, a lotação do concurso da PF é feita preferencialmente nos postos de fronteira e nos Estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia e Roraima, permitindo a remoção de pessoal nestas localidades. Obedecidas estas condições, o preenchimento pode ser feito em todos os estados, de acordo com as necessidades.

APOSTILAS CONCURSO PF 2018 - DELEGADO / ESCRIVÃO

A aplicação das provas da PF costuma ser feita em todas as capitais, exceto o exame oral, que ocorre somente em Brasília. 

Para os cargos de agente, papiloscopista e escrivão, a remuneração atual é de R$ 12.441, 26, já considerando o auxílio-alimentação de R$ 458. Além disso, as duas categorias contarão com reajuste em janeiro de 2019, subindo para R$ 12.980,50.

Para perito e delegado, o inicial atualmente é de R$ 23.130,48, mas contará com reajuste em janeiro de 2019, quando passará para R$ 24.150,74.

Para todos os cargos, a jornada de trabalho é de 40 horas semanais.

Videoaulas para Polícia 

Provas Anteriores da Polícia 
APOSTILA CONCURSO POLÍCIA FEDERAL PF - AGENTE

Progressão na PF

Para os agentes, papiloscopistas e escrivães, na segunda classe, as remunerações, com o benefício, são de R$ 12.940,69 em 2018, indo para R$ 13.502,41 em janeiro de 2019. Para a primeira classe, R$ 15.067,83 em 2018, indo para R$ 15.725,27 em 2019. Na classe especial, R$ 18.306,60 em 2018, mudando para R$ 19.109,79 em 2019.

Para perito e delegado, na segunda categoria, R$ 23.710,07 em 2018, indo para R$ 24.756,42 em 2019. Na primeira, R$ 27.105,60 em 2018, indo para  R$ 28.304,74 em 2019. Finalmente, na classe especial, R$ 30.062,70 em 2018, indo para  R$ 31.394,91 em 2019.

Mudanças na carreira

Além da possibilidade de reestruturação na carreira, já  tramita, na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado Federal, a proposta de emenda à constituição 73/2013, que prevê a união das atividades dos cargos de perito, escrivão, papiloscopista e delegado dentro de uma nova carreira, chamada de servidor policial federal. De acordo com a proposta, caso aprovada, os candidatos passarão a prestar concurso público unificado e seriam lotados nas unidades da PF de acordo com suas habilidades e áreas de formação. 

O texto prevê a possibilidade de crescimento dentro da carreira unificada, por meio de promoção e progressão funcional, a serem estabelecidas por lei.

De acordo com o senador Randolfe Rodrigues (Rede/AP), relator da matéria, a carreira única é a forma em que estão estruturadas as instituições policiais de referência no mundo, como o Federal Bureau of Investigation (FBI) e a própria Polícia Rodoviária Federal (PRF). Caso aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça, a proposta já poderá ser encaminhada para votação em plenário, em dois turnos.

Carência de servidores na PF


Mesmo com a perspectiva de novos concursos, a carência de pessoal da PF é considerada muito grande que a perspectiva de vagas. De acordo com dados apontados pelo presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Luis Antônio de Araújo Boudens, durante o Fórum Nacional dos Concursos Públicos, realizado em 2017, a corporação conta com uma necessidade de nada menos do que 13.300 servidores. Além disso, segundo ele, caso o concurso para delegados não seja realizado o quanto antes, a carência de pessoal para o cargo pode chegar a 800 servidores nos próximos anos em decorrência de 400 aposentadorias previstas.  

Prepare-se para o concurso da Polícia Federal

O presidente do Fenapref reforça que a maior necessidade na PF é para o cargo de agente que, conta com nada menos do que 6.400 postos em aberto, seguido da área administrativa, com necessidade de 5.300 servidores. Além disso, para escrivães são necessárias 1.200 contratações, além de 400 para papiloscopistas.

De acordo com o sindicalista, o governo cobra a proteção das fronteiras, o que se torna impossível sem que haja um quantitativo de pessoal adequado, bem como investimentos em tecnologia, o que considera impossível com um orçamento decrescente. Além disso, ressalta que o órgão não tem como abrir outras unidades de policiamento pela falta de pessoal para ocupar os respectivos postos. Explica que a PF não abre novas unidades há cinco anos, período no qual apenas foram reformados prédios. “Nenhum gestor tem coragem de abrir novas unidades da Polícia Federal em nenhum local do país, pois não temos efetivos, policiais e servidores administrativos para trabalhar nestas unidades”, diz. "As consequências disso são a não proteção da fronteira e o impedimento do órgão de oferecer um serviço com qualidade".             

Além disso, diz que muitas vezes tem sido divulgado que a Polícia Federal tem feito mais do que fazia antes, o que considera uma mentira. “Nós fazemos menos operações do que fazíamos, mas começamos a chamar de operação aquilo que realmente não é”, diz. “Antes havia um conjunto de ações contra o crime organizado que costumávamos chamar de ações, sempre com uma média de 150 a 200. Hoje qualquer intimação já é chamada de operação. Qualquer ação ordinária é chamada de operação para mascarar a realidade e mostrar que fazemos mais operações do que antes”, diz.

Delegado da Polícia Federal

Boudens aponta que, somente para o cargo de delegado existem, atualmente, 491 vagas em aberto, que a PF tem tentado suprir com a realização do novo concurso. “Isto representa 28% do nosso efetivo, ou seja, um terço do nosso efetivo vago e a consequência é evidente. Como cada delegado poderia fazer umas duas operações por ano, esta realidade representa, no mínimo, 800 operações a menos a cada ano”. Além disso, de acordo com ele, com a reforma da previdência e a possibilidade da extinção do abono de permanência, todo mundo que está com abono de permanência irá se aposentar, bem como aqueles que já possuem condições de pedir aposentadoria. Com isto, de acordo com ele, a perspectiva é de que, em um período de dois ou três anos, mais 400 delegados se aposentem.

A Polícia Federal, de acordo com ele, possui atualmente 180 mil investigações em andamento. “Nem todas as investigações viram ações. Precisamos delimitar as prioridades, mas dentro desta realidade de defasagem de pessoal, nem isto é possível. Por isto, a PF acaba mascarando números e de um total de duas mil por ano, acabamos fazendo aproximadamente 300”.

Dentro de um contexto histórico, diz que em 1978, a PF contava com 500 delegados. Já em 1995, os mesmos 500 delegados. Em 2000, eram 700 delegados no país. “Até então, as principais atividades eram o combate às drogas e garimpo. Mas era uma atividade bastante limitada e uma atuação muito aquém do que poderia ser feito. Em 2001 foi realizado um concurso para 500 delegados, quase dobrando o efetivo. Do concurso até aposse são quase três anos. Isso preocupa, pois como temos quase 400 que podem se aposentar nos próximos anos, se abrir um concurso hoje,ficaríamos com 800 vagas em aberto. Hoje temos 1.717 delegados em atividade. Tivemos concurso em 2001 e 2004 para mais 500 cada, dobrando o efetivo. Mas em 2009, o quadro foi congelado, quando estava com 1.852. Agora estamos em um processo de desmonte”, diz. “Em 2018 devemos voltar ater o efetivo que possuíamos em 2003”, reforça.

Administrativos

Já no quadro administrativo, diz que em 2004 o efetivo foi aumentado. “No FBI, por exemplo, para cada policial existem de seis a sete administrativos. No Brasil é o contrário. Em 2004 o efetivo cresceu, mas depois não foram feitos novos concursos e a PF passou a terceirizar as ações em aeroportos, o que não deu certo. Acabaram as terceirizações,mas não foram repostos os administrativos. Hoje, nosso quadro de administrativos é menor do que o de 2004, ao passo que as atribuições da PF aumentaram”. De acordo com ele, em 2014 aumentou um pouco pela substituição de alguns terceirizados.

Autonomia

O sindicalista ressalta, ainda, que a Polícia Federal conta com decreto de 2014 que permite a realização de concurso sem autorização do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) sempre que a carência de pessoal chegar a 5% do quadro. Porém, diz que, na prática, o decreto não está funcionando, uma vez que para isto é preciso ter orçamento, atestado pelo MPOG. “Não adianta ter autorização para fazer o concurso se não há orçamento para isto”. A solução, segundo ele, seria conquistar a autonomia do órgão. Para isto, já existe, segundo ele, uma campanha neste sentido, desde dezembro de 2015. “Sem a autonomia, não conseguimos avançar. Nós sabemos que, muitas vezes, a Polícia Federal tem por ação investigar atos de desvios praticados por membros do governo. Por isto existe, sim, resistência por parte de grupos no poder, no sentido de controlar as atividades da Polícia Federal e não existe, em nenhum lugar no mundo, uma instituição que tenha por finalidade investigar os atos do governo que não possua autonomia".

Ressalta, ainda, que um avanço foi a lei 13.047, que determina que a direção da Polícia Federal compete aos delegados. “Com isto, conseguimos evitar que alguém de fora da instituição fosse nomeado para a direção geral e das atividades da PF. Até 2014, qualquer pessoa poderia ser nomeada como diretor da corporação. Mas ainda não conseguimos avançar com o fim dos cargos comissionados, que buscamos trocar por funções comissionadas, ou seja,exclusivas para preenchimentos por funcionários concursados de carreira”.

Últimos concursos da Polícia Federal

Com relação aos novos concursos previstos, para agente o último concurso ocorreu em 2014, quando foram registrados 98.101 inscritos para a oferta de 600 vagas. Para escrivão, a última seleção ocorreu em 2012, com 83.619 inscritos para 350 vagas. Para perito e delegado, os últimos certames ocorreram em 2012, com 35.800 inscritos para a oferta de 100 vagas de perito e 46.633 participantes para 150 postos de delegado.Para todos os cargos, a organizadora foi o Cespe/UnB. Para perito, o concurso da Polícia Federal contou com provas objetivas e discursiva, testes de aptidão física, exame médico, avaliação psicológica e análise de títulos. A parte objetiva teve 120 itens, sendo 50 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos. Os aprovados em todas as fases foram submetidos a um curso de formação profissional.
No caso de delegado, o Cespe/UnB formulou provas objetiva e discursiva, exames de aptidão física, exame médico,avaliação psicológica, análise de títulos e prova oral, além do curso deformação. A parte objetiva contou com 120 questões e a discursiva, com três questões dissertativas e elaboração de peça profissional.
Para perito, as opções foram para áreas de ciências contábeis ou econômicas, engenharia em diversas especialidades, ciências da computação, geologia, química, biomedicina, medicina, odontologia e farmácia.  

5 dicas de processo penal para delegado da PF

1. Estude,desde já, para a prova oral. O concurso conta com prova objetiva, prova discursiva e prova oral. É certo que a prova oral é a última delas,porém, para que você esteja bem preparado para uma prova oral, é necessário controle total da matéria. Logo, foque no controle total, lá na prova oral mesmo. Prepare o material, fale sozinho pela casa, ensine tudo sobre tentativa para seu cachorro. Vá por mim: além de estar mirando acima da maçã, você ainda estará fazendo uso de um dos melhores métodos de estudo.    2. A prova da PF provavelmente será feita pelo Cespe, que merece muitos elogios, pois monta as questões com base nas atribuições do cargo a ser provido – quem dera todas as bancas fizessem assim! Considerando que estamos falando de prova para delegado da Polícia Federal, é óbvio que vão despencar questões sobre inquérito policial, visto que a vida do delegado é tocar inquérito para frente. Para você ter uma ideia, no último concurso para delegado da PF, das 26 questões de processo penal, 15 eram sobre inquérito policial. Essas você não pode errar!   3. Ainda com relação às atribuições do cargo, cuidado com o tema “provas”, principalmente a interceptação telefônica, um meio de prova que é recorrente em concursos públicos.    4. A Operação Lava Jato está na mídia há um bom tempo e uma de suas características mais marcantes é a presença de acordos de delação premiada. Estude este tema!   5. Existem duas “polícias” essencialmente judiciárias no Brasil: Polícia Federal e Polícia Civil. Você sabe que as atribuições da Polícia Civil (estadual)são residuais, mas gigantescas, enquanto as atribuições da Polícia Federal são especiais e bem menores. Isto segue o padrão de todos os órgãos que têm paralelos na seara estadual e federal. Tal padrão se reflete no concurso de um modo muito simples: nas provas de órgãos federais, sempre caem questões sobre suas atribuições/competências. No último concurso, foram quatro questões que tangenciaram este tema.   Rodrigo Sengik, professor de processo penal no AlfaCon Concursos Públicos

 

Vídeos Polícia Federal

Atualizado: 23/04/2018 - 11:21

PM/ES: escolhida banca para cargo de nível superior

Seleção contará com 310 postos, sendo 290 para cargos com exigência de ensino médio e 20 para quem possui formação de nível superior.

Iniciais até R$ 6,9 mil

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves


Após divulgar, em 5 de abril, o nome da banca organizadora do seu novo concurso público para os cargos de soldado, músicos e oficiais combatentes, de nível médio, a Polícia Militar do Espírito Santo (PM/ES) confirmou, por meio de publicação em diário oficial, no último dia 20, o nome da banca para as carreiras de nível superior, para oficiais médicos. Assim como para os cargos de ensino médio, para nível superior a escolhida é o Institutro AOCP. Com isto, o próximo passo é a assinatura do contrato, para que todos os editais possam ser liberados em seguida.     Os concursos da corporação são  aguardados desde 9 de novembro, quando autorizados pelo governador Paulo Hartung, para o preenchimento de 310 vagas, sendo 290 para cargos com exigência de ensino médio e 20 para quem possui graduação de nível superior, com remunerações iniciais de até R$ 6.971,84.  

Além da escolaridade, para concorrer aos cargos será necessário possuir idade de 18 a 28 anos, contando até o primeiro dia de inscrição, altura mínima de 1,65m para homens e 1,60m para mulheres e carteira de habilitação a partir da categoria “B”. A expectativa é de que o concurso seja realizado no decorrer do primeiro semestre de 2018.



A comissão do concurso para soldados, formada em 18 de dezembro, é presidida por Vinicius Xavier Teixeira e conta, ainda, com os seguintes membros: cel.Altiere de Carlo da Silva Machado, maj. Alexandre Moreto da Silva; cel. Félix Gomes Martins, ten.cor. Rodrigo Nascimento Ribeiro Alves e maj Alexandre Loureiro de Souza.

As vagas da área de saúde também possuem comissão formada, também presidida por Vinicius Xavier Teixeira, contando, ainda, com o cel Altiere de Carlo da Silva Machado, ten. cel. Adriano Guetti Franco e maj. Alexandre Moreto da Silva. 
 
   

Ensino Médio

Das 290 vagas destinadas a quem possui ensino médio, 250 são para a carreira de soldado. Neste caso, os aprovados serão submetidos ao Curso de Formação de Soldados (CFSd), com duração aproximada de dois anos e carga horária mínima de 1.800 horas-aula. Durante este período, o aluno soldado receberá R$ 1.162,19. Após ser promovido a soldado passará a receber R$ 2.646,12, podendo chegar a R$ 3.052,06, caso concorra às escalas de serviço extra.
Ainda para ensino médio haverá dez vagas para soldado músico, sendo cinco para clarineta, uma para trompa, duas para trombone, uma para tuba e uma para percussão, . Os interessados deverão passar por uma prova de conhecimentos específicos, além de prova prática de música, aplicada por banca designada pelo comandante geral. Durante o curso de formação, também com duração de dois anos e 1.800 horas aula, receberão R$ 1.162,19, passando para R$ 2.646,12 após ser aprovado, com possibilidade de chegar a R$ 3.052,06, em caso de escalas de serviço extra.
Também serão oferecidas 30 vagas para o curso de formação de oficiais combatentes, ainda destinado para quem possui ensino médio. A duração do curso é de três anos, com uma carga horária de 3.700 horas/aula. A remuneração é de R$ 2.461,10 no primeiro ano, chegando a R$ 3.281,48 no terceiro. Após a formação, o aspirante a oficial chega a ganhar R$ 6.396,56.  
     

Nível Superior

Para fim, para nível superior, a seleção terá 20 vagas para o curso de adaptação de oficiais de saúde - médicos.   Neste caso, do total de oportunidades, três serão para a área de cardiologia, uma para dermatologia, uma para infectologia, uma para medicina do trabalho, uma para medicina física e reabilitação, uma para neurologia, três para oftalmologia, três para ortopedia, uma para urologia e cinco para psiquiatria.   Os interessados devem possuir registro no conselho de medicina, certificado de conclusão de residência médica na especialidade pretendida ou título de especialista emitido pela Associação Médica Brasileira (AMB). Neste caso, além de provas específica, haverá curso de adaptação, com mínimo de três meses de duração em regime integral e dedicação exclusiva. O inicial é de R$ 6.971,84.

Atualizado: 20/04/2018 - 15:40

Polícia Civil/GO: governador confirma novo concurso

A autorização do concurso para a Polícia Civil de Goiás contempla oportunidades para os cargos de delegado, agente e escrivão. Exigência de nível superior completo

650 vagas

Por JCConcursos - Camila Diodato e Fernando Cezar Alves

O governador de Goías, José Eliton, reforçou, na última quinta-feira, 19 de abril, a realização do novo concurso público da Polícia Civil de Goiás (PC/GO), durante um pacote de medidas que serão adotadas a curto e médio prazos, no sentido de diminuir os índices de criminalidade do estado. A seleção contará com uma oferta de  650 oportunidades.
A banca organizadora do certame já está  definida e será  a UEG (Universidade Estadual de Goiás). O próximo passo será a assinatura do contrato de prestação de serviços para que finalmente seja publicado o edital.

A comissão do concurso, constituída  em 1º de março, é presidida pela superintendente de escola de governo Liliane Morais Batista de Sá, tendo como vice-presidente o delegado Gustavo Carlos Ferreira. A comissão conta, ainda, com o coordenador técnico João Francisco Alves; os delegados Eraldo José Augusto, Tatyane Gonçalves Cruvinel e Gustavo José Borges de Araujo; o escrivão Marcelo Aires Medeiros e os servidores da gerência de recrutamento e seleção do governo Dogmar Mendes Rocha de Souza e Daniel Soares Porto.
Vale lembrar que a autorização deste certame foi liberada no dia 31 de outubro do ano passado pelo então governador de Goiás, Marconi Perillo, durante a solenidade de formatura de 400 policiais civis.
No aval concedido pelo governador consta que o concurso da Polícia Civil/GO 2018 terá 100 vagas para a carreira de delegado e 550 distribuídas entre as funções de agente e escrivão. 
Todos os cargos liberados são destinados a profissionais com ensino superior completo em diversas áreas de atuação - vale ressaltar que para delegado será exigido bacharelado em direito.

Atribuições dos cargos do concurso da Polícia Civil/GO 2018


Agente - Efetuar diligências a fim de prender criminosos; apreender objetos furtados e localizar pessoas; fazer investigações, realizar rondas noturnas e diurnas; policiar zonas impróprias para menores; dar plantão; seguir elementos suspeitos da prática de infração penal; fazer coletas de informações; prender infratores em flagrante ou em virtude de mandado da autoridade competente; conduzir pessoas à presença da autoridade de polícia judiciária, quando necessário ao esclarecimento de fatos delituosos; elaborar relatório das investigações realizadas; entre outras atividades.
Escrivão - Reduzir a termos ocorrências, declarações e depoimentos; expedir intimações, citações e notificações; redigir portarias, ofícios, mandados, termos, autos, ordens de serviço, editais, circulares, boletins, etc.; preencher guias para identificação, recolhimento e soltura de presos; protocolar ofícios, requerimentos e representações; catalogar e arquivar em pastas próprias todos os documentos relativos ao serviço; organizar os livros de cargas e descargas de remessa de autos, de conclusões de inquéritos e de ofícios, documentos e demais papeis dos cartórios policiais; entre outras atividades.
Delegado - instaurar e presidir, com exclusividade, inquéritos policiais, termos circunstanciados de ocorrência e outros procedimentos policiais legais para a apuração de infração penal ou ato infracional; exercer atribuições previstas na legislação processual penal de competência da autoridade policial; dirigir, coordenar, supervisionar e fiscalizar as atividades logísticas e finalísticas da unidade sob sua direção; determinar intimações e, em caso de não comparecimento injustificado, condução coercitiva; requisitar a realização de exames periciais e complementares, destinados a colher e resguardar indícios ou provas da ocorrência de infrações penais ou de quaisquer outros exames que julgar imprescindíveis à elucidação do fato investigado; entre outras atividades.

Último concurso da Polícia Civil/GO


Em 2016, a Polícia Civil de Goiás lançou dois editais de concurso: um com 36 vagas para delegado e o outro 280 chances para agente e 220 para escrivão.
A banca organizadora, na ocasião, foi o Cespe/UnB e a triagem constou de provas objetivas, provas discursivas, avaliação médica, teste de aptidão física, exame psicotécnico, avaliação de vida pregressa e investigação social, curso de formação profissional, análise de títulos e/ou prova prática de digitação, dependendo da função.

Atualizado: 20/04/2018 - 15:25

PC/SP: edital com 1.100 vagas sai no decorrer da semana

Oportunidades serão para agentes de polícia, telecomunicações, papiloscopista e auxiliar de papiloscopista. Nível médio, com até R$ 4,2 mil

Cargos de nível médio

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

Quem possui ensino médio e pretende ingressar no quadro de servidores da Polícia Civil do Estado de São Paulo (PC/SP) já deve intensificar os estudos. Acontece que, de acordo com as últimas informações obtidas junto a responsáveis pelo setor de concursos da Academia de Polícia (Acadepol), a corporação deve publicar, no decorrer da semana, todos os editais que ainda restam ser liberados da autorização de novos concursos divulgada pelo então governador Geraldo Alckmin em 2 de novembro. Desta forma, serão oferecidas mais 1.100 vagas, todas destinadas a cargos com este nível de escolaridade, com remunerações iniciais de até R$ 4.281,51.


Vale ressaltar que todas as carreiras da corporação contarão com melhorias salariais, instituídas pelo governador no último dia 22 de março, por meio da lei complementar 1.317, que define aumento de salários para o funcionalismo público estadual. O documento determina um aumento de 3,5% a 7%, variando de acordo com a área. No caso específico da Polícia Civil, o reajuste é de 4%. Além disso, a partir do último dia 1º de março, a categoria também contou com reajuste de 2,27% no adicional de insalubridade, que passou de R$ 634,78 para R$ 691,64. Com as melhorias, as remunerações dos próximos concursos devem variar de R$ 3.596,98 a R$ 4.281,51.


As oportunidades serão para os cargos de agente de telecomunicações (com 300 vagas), agente de polícia  (400), papiloscopista policial (200) e auxiliar de papiloscopista, também com 200.


Para os cargos de agente policial e auxiliar de papilosocpista, a nova remuneração é de R$ 3.596,98, incluindo salário básico de R$ 2.905,34 e adicional de insalubridade de R$ 691,64. Para papiloscopista e agente de telecomunicações, iniciais de R$ 4.281,51, incluindo salário básico de R$ 3.589,87 e os R$ 691,64.


A diferença salarial entre os cargos de agente policial e auxiliar de papiloscopista para os papiloscopistas e agente de telecomunicações se deve à lei complementar 1.249, de 3 de junho de 2014, que alterou de ensino fundamental para médio a exigência de ingresso para os cargos de agente, atendente de necrotério e auxiliar de papiloscopista, sem compatível alteração salarial.  


Assim que iniciadas, as inscrições poderão ser feitas somente pela internet, na página eletrônica da organizadora, a Fundação Vunesp, que é www.vunesp.com.br.

Últimos concursos
Nos últimos concursos para agente, papiloscopista e auxiliar de papiloscopista, realizados em 2013, a prova objetiva contou com 80 questões, sendo 24 de língua portuguesa, 24 de noções de direito, dez de noções de criminologia, dez de noções de lógica e 12 de noções de informática. A banca também foi a Fundação Vunesp.


Para agente de telecomunicações, o último foi em 2011 e aprova contou com 30 de língua portuguesa, dez de noções de direito, dez de noções de criminologia, dez de lógica e 20 de informática, organizada pela própria Acadepol.


Além da prova objetiva, os candidatos ainda devem ser submetidos a mais três fases, incluindo provas de aptidão psicológica, testes de aptidão física e comprovação de idoneidade e conduta ilibada, por meio de investigação social.  
 

 

 

 

 

Atualizado: 20/04/2018 - 15:07

Monte Sião/MG prepara concurso para 314 vagas

A seleção será para 223 vagas para preenchimento imediato e 91 para cadastro reserva de pessoal, com iniciais de até R$ 11,5 mil

Todos os níveis

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

A Prefeitura de Monte Sião, em Minas Gerais, realizará concurso público para o preenchimento de 314 vagas, sendo 210 para preenchimento imediato por meio de concurso público, 89 para formar cadastro reserva de pessoal, 13 para preenchimento em processo seletivo e duas para cadastro no processo seletivo. Os cargos que contarão com oportunidades já estão definidos, com respectiva ofertas. Porém, as exigências de cada carreira ainda serão confirmadas. De qualquer forma já está certo que haverá opções para níveis fundamental, médio e superior, com remunerações iniciais de até R$ 11.583,55.


O processo está em fase de licitação para a escolha da banca e somente após a contratação da empresa poderá ser definida a data de publicação do edital. Assim que iniciadas, as inscrições serão recebidas pelo período de 30 dias.


As oportunidades para o concurso serão as seguintes: advogado creas (1 vaga, com inicial de R$ 2.424,24), agente administrativo I (1 vaga e 2 cadastros reserva, R$ 957,32), agente administrativo IV (1 + 2, R$ 1.651,80), agente de saúde (4, R$ 1.063,21), agente social CRAS (2CR, R$ 1.305,71), assistente social de promoção de assistência social (1 CR, R$ 2.424,24), assistente social (1, R$ 2.107,82), assistente social CRAS (1, R$ 2.424,24), assistente social CREAS (1, R$ 2.424,24),  auxiliar de serviço escolar I (7, R$ 957,32), auxiliar de serviço escolar II (5, 3 CR, R$ 957,32), auxiliar de serviço escolar III (2 CR, R$ 1.219,17), auxiliar de serviço infantil (22 + 13, R$ 957,32), auxiliar de serviços gerais CRAS (1 CR, R$ 957,32), auxiliar de serviço interno/externo (30 + 2 CR, R$ 957,32), auxiliar administrativo I (3 CR, R$ 957,32), auxiliar de enfermagem (3 + 3, R$ 1.219,17), auxiliar de enfermagem PA (1 , R$ 1.443,80), auxiliar de enfermagem II (2, R$ 1.443,80), auxiliar de laboratório (1 CR, R$ 1.305,71), auxiliar maternal (1, R$ 957,32), auxiliar de serviços de promoção de assistência social (1 CR, R$ 957,32), contador (1 CR, R$ 4.480,50), dentista (1 CR, R$ 2.107,82), educador social CREAS (1, R$ 1.305,71), enfermeiro I (1, R$ 2.107,82), enfermeiro II (1 + 1, R$ 5.664,09), enfermeiro III (1, R$ 2.605,14),  enfermeiro de pronto atendimento (1, R$ 2.107,82), farmacêutico (2, R$ 2.107,82), fiscal de obras (2 CR, R$ 1.443,80), fiscal tributário (2, R4 1.443,80), fonoaudiólogo (1, R$ 2.065,07), inspetor de alunos (1 + 1, R$ 1.063,21), médico (5 CR, R$ 2.424,24), médico cardiologista (1 CR, R$ 3.707,84), médico II (3 + 1, R$ 11.583,55),, médico endoscopista (1 CR, R$ 3.707,84), médico plantonista (1 CR, R$ 95,57 a hora), médico psiquiatra (1, R$ 3.707,84), médico radiologista (1CR, R$ 2.424,24), monitor de creche escolar (15, R$ 1.651,80), motorista escolar (4 + 11, R$ 1.219,77), motorista I (1 + 1, R$ 1.063,21), motorista II (1 CR, R$ 1.219,77), motorista de serviços de promoção social (2, R$ 1.219,77), nutricionista (1, R$ 2.107,82), nutricionista II (1, R$ 2.605,14), oficial especializado I (4 CR, R$ 957,32), oficial especializado II (1 + 1, R$ 1.063,21), oficial especializado III (2, R$ 1.305,71), operador de máquinas I (1 CR, R$ 957,32), operador de máquinas II (5 CR, R$ 1.305,71), operário I (32 + 10, R$ 957,32), operário II (3, R$ 957,32), professor de educação básica em letras (1, R$ 1.841,49), professor de educação básica em música (1, R$ 1.841,89), professor de educação física (4, R$ 2.025,66), professor municipal (15, R$ 1.841,49), professor municipal II (28, R$ 2.025,66), psicólogo (1, R$ 2.107,82), psicólogo CREAS (1, R$ 2.424,24), recepcionista PA (1, R$ 1.219,77), supervisor escolar (2 CR, R$ 2.381,44) e visitador domiciliar e cadas PFB ( 1 CR, R$ 1.305,71).

Já no processo seletivo: agente comunitário de saúde (7, R$ 1.103,909), agente de controle de epidemiologia e doenças (5 + 1, R$ 1.103,09), padeiro (1 CR, R$ 1.305,71) e psicólogo do CRAS (1, R$ 2.424,24) .

 

Taxas
As taxas já estão definidas e serão de R$ 50 para cargos com exigência de nível fundamental, R$ 75 para ensino médio e técnico e R$ 90 para superior, exceto para médicos, que será de R$ 140     

 

Provas
A seleção contará com provas objetivas, com questões de conhecimentos gerais e específicos; análise de títulos e provas práticas, somente para os cargos de operário I e II, operador de máquina I e II,  motorista escolar, motorista I e II e motorista de serviço de saúde e promoção social.
        

 

Atualizado: 20/04/2018 - 14:05

Concurso em Carapicuíba/SP inscreve para 53 vagas

Com oportunidades em diversos cargos, Prefeitura Municipal de Carapicuíba mantém as inscrições abertas até o dia 18 de maio. Os salários iniciais oferecidos chegam a R$ 3,1 mil

Todos os níveis

Por JCConcursos - Patricia Lavezzo

Encontram-se abertas as inscrições dos dois editais de concurso público da Prefeitura Municipal de Carapicuíba, situada na Região Metropolitana de São Paulo, a apenas 28 km da capital. Ao todo, a seleção preencherá 23 vagas do seu quadro de pessoal.  

 

Candidatos alfabetizados podem se inscrever para a função de artífice nas especialidades de jardineiro (1 vaga), operador de motosserra (1) e pedreiro (5). O salário inicial é de R$ 976,14.

 

Já para quem tem o ensino fundamental, as chances são para os empregos de eletricista de auto e máquinas (1) e motorista (5). Os respectivos vencimentos são de R$ 1.040,85 e R$ 1.162,27.

 

O cargo de guarda civil municipal (30) exige ensino médio completo, altura mínima de 1,60m para as mulheres e 1,65m para os homens e carteira de habilitação nas categorias “A” e “B”. O inicial é de R$ 978,18.

 

Curso técnico específico é requisito no concurso da Prefeitura de Carapicuíba para o posto de técnico em infraestrutura de rede e telefonia (2), cujo ganho é de R$ 1.612,22.

 

Aqueles que têm o nível superior estão aptos às carreiras de arquiteto (1), dentista (1), engenheiro civil (1), farmacêutico (1), fisioterapeuta (1), fonoaudiólogo (1) e terapeuta ocupacional (2). As remunerações variam de R$ 1.782,24 a R$ 3.145,69.

 

 

Etapas do concurso da Prefeitura de Carapicuíba/SP

 

 

As inscrições deverão ser realizadas no endereço eletrônico da RBO Assessoria Pública e Projetos Municipais (www.rboconcursos.com.br) até as 15h do dia 18 de maio. O valor da taxa de participação, para todos os cargos, é de R$ 23, 70.

 

O concurso da Prefeitura de Carapicuíba será constituídos das seguintes etapas: prova objetiva para todos os empregos; avaliação prática para os níveis alfabetizado, fundamental, médio e técnico; e aferição de altura, teste de aptidão física e avaliação psicológica para guarda civil municipal.

 

A prova objetiva será composta por questões de múltipla escolha que versarão sobre as disciplinas de língua portuguesa, matemática, conhecimentos em informática e/ou conhecimentos específicos.

 

A avaliação será aplicada na cidade de Carapicuíba/SP no dia 24 de junho para a função de guarda civil municipal e dia 1º de julho para todos os demais postos. As informações sobre os locais e horários de realização dos exames serão divulgadas no edital de convocação, a ser publicado, oportunamente, no site da RBO. 

Atualizado: 20/04/2018 - 09:46

Concurso PF: publicada portaria que autoriza 500 vagas

Portaria divulgada nesta sexta-feira (20) estabelece prazo para realização do novo concurso da Polícia Federal e também oficializa a distribuição dos cargos

Editais até junho

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

Foi publicada, no Diário Oficial da União desta sexta-feira (20), a portaria de autorização para o concurso da Polícia Federal (PF) destinado a preencher 500 vagas.

O documento estipula prazo de até seis meses para publicação do edital de abertura da seleção e também estabelece a distribuição dos postos: serão 150 para delegado, 60 para perito criminal, 80 para escrivão, 30 para papiloscopista e 180 para agente

Embora a portaria estipule um prazo de seis meses, ou seja, até outubro, para a publicação dos editais do concurso da Polícia Federal, o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann anunciou, nesta semana, que a liberação deve ocorer antes, ainda neste semestre.

Ainda segundo o ministro, o orçamento da pasta para 2018 será de R$ 2,7 bilhões e não haverá contingenciamento das verbas do órgão, conforme ficou decidido após reunião com o Ministério do Planejamento.

A liberação para o novo concurso da PF está relacionada ao principal objetivo do novo ministério, criado por Medida Provisória em 27 de fevereiro. No entendimento do governo, a pasta será responsável por coordenar e promover o combate à criminalidade em parceria com os Estados.

Jungmann responde pelo comando da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal (que também teve concurso autorizado para 500 vagas), Força Nacional e pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), antes vinculados ao Ministério da Justiça.

Em 18 de janeiro, o então diretor-geral da PF, Fernando Segóvia, já havia antecipado que o presidente Michel Temer garantiu o aval para o certame. 

CURSO CONCURSO POLÍCIA FEDERAL - PF 2018 - AGENTE
CURSO CONCURSO POLÍCIA FEDERAL - PF 2018 - DELEGADO
CURSO CONCURSO POLÍCIA FEDERAL - PF 2018 - PERITO
CURSO CONCURSO POLÍCIA FEDERAL - PF 2018 - ESCRIVÃO

 

Vale lembrar que, de acordo com o decreto presidencial 8.326, de 2014, a PF pode iniciar novo concurso para seus quadros sempre que constatada uma defasagem de pelo menos 5% dos servidores, sem necessidade de autorização prévia do MPDG para realizar o certame. Ainda assim o órgão precisa de confirmação do Planejamento de que dispõe de verbas para as contratações.                     

 


Ads

Polícia Federal - Acreditamos no seu sonho e temos as ferramentas para você mudar de vida

O material certo, feito por um time de profissionais especializados. Confira.

 

Para concorrer aos cargos de agente, papiloscopista e escrivão basta possuir curso de nível superior em qualquer área de formação. Para perito, nível superior em áreas específicas, e para delegado, superior em direito, com pelo menos três anos de atividade jurídica ou policial, comprovados na data da posse. Para todos os cargos, os aprovados também deverão possuir carteira de habilitação a partir da categoria “B”, quando da posse.

Normalmente, a lotação do concurso da PF é feita preferencialmente nos postos de fronteira e nos Estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia e Roraima, permitindo a remoção de pessoal nestas localidades. Obedecidas estas condições, o preenchimento pode ser feito em todos os estados, de acordo com as necessidades.

APOSTILAS CONCURSO PF 2018 - DELEGADO / ESCRIVÃO

A aplicação das provas da PF costuma ser feita em todas as capitais, exceto o exame oral, que ocorre somente em Brasília. 

Para os cargos de agente, papiloscopista e escrivão, a remuneração atual é de R$ 12.441, 26, já considerando o auxílio-alimentação de R$ 458. Além disso, as duas categorias contarão com reajuste em janeiro de 2019, subindo para R$ 12.980,50.

Para perito e delegado, o inicial atualmente é de R$ 23.130,48, mas contará com reajuste em janeiro de 2019, quando passará para R$ 24.150,74.

Para todos os cargos, a jornada de trabalho é de 40 horas semanais.

Videoaulas para Polícia 

Provas Anteriores da Polícia 
APOSTILA CONCURSO POLÍCIA FEDERAL PF - AGENTE

 

Progressão na PF

Para os agentes, papiloscopistas e escrivães, na segunda classe, as remunerações, com o benefício, são de R$ 12.940,69 em 2018, indo para R$ 13.502,41 em janeiro de 2019. Para a primeira classe, R$ 15.067,83 em 2018, indo para R$ 15.725,27 em 2019. Na classe especial, R$ 18.306,60 em 2018, mudando para R$ 19.109,79 em 2019.

Para perito e delegado, na segunda categoria, R$ 23.710,07 em 2018, indo para R$ 24.756,42 em 2019. Na primeira, R$ 27.105,60 em 2018, indo para  R$ 28.304,74 em 2019. Finalmente, na classe especial, R$ 30.062,70 em 2018, indo para  R$ 31.394,91 em 2019.

 

Mudanças na carreira

Além da possibilidade de reestruturação na carreira, já  tramita, na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado Federal, a proposta de emenda à constituição 73/2013, que prevê a união das atividades dos cargos de perito, escrivão, papiloscopista e delegado dentro de uma nova carreira, chamada de servidor policial federal. De acordo com a proposta, caso aprovada, os candidatos passarão a prestar concurso público unificado e seriam lotados nas unidades da PF de acordo com suas habilidades e áreas de formação. 

O texto prevê a possibilidade de crescimento dentro da carreira unificada, por meio de promoção e progressão funcional, a serem estabelecidas por lei.

De acordo com o senador Randolfe Rodrigues (Rede/AP), relator da matéria, a carreira única é a forma em que estão estruturadas as instituições policiais de referência no mundo, como o Federal Bureau of Investigation (FBI) e a própria Polícia Rodoviária Federal (PRF). Caso aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça, a proposta já poderá ser encaminhada para votação em plenário, em dois turnos.

 

Carência de servidores na PF


Mesmo com a perspectiva de novos concursos, a carência de pessoal da PF é considerada muito grande que a perspectiva de vagas. De acordo com dados apontados pelo presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Luis Antônio de Araújo Boudens, durante o Fórum Nacional dos Concursos Públicos, realizado em 2017, a corporação conta com uma necessidade de nada menos do que 13.300 servidores. Além disso, segundo ele, caso o concurso para delegados não seja realizado o quanto antes, a carência de pessoal para o cargo pode chegar a 800 servidores nos próximos anos em decorrência de 400 aposentadorias previstas.  

Prepare-se para o concurso da Polícia Federal

O presidente do Fenapref reforça que a maior necessidade na PF é para o cargo de agente que, conta com nada menos do que 6.400 postos em aberto, seguido da área administrativa, com necessidade de 5.300 servidores. Além disso, para escrivães são necessárias 1.200 contratações, além de 400 para papiloscopistas.

De acordo com o sindicalista, o governo cobra a proteção das fronteiras, o que se torna impossível sem que haja um quantitativo de pessoal adequado, bem como investimentos em tecnologia, o que considera impossível com um orçamento decrescente. Além disso, ressalta que o órgão não tem como abrir outras unidades de policiamento pela falta de pessoal para ocupar os respectivos postos. Explica que a PF não abre novas unidades há cinco anos, período no qual apenas foram reformados prédios. “Nenhum gestor tem coragem de abrir novas unidades da Polícia Federal em nenhum local do país, pois não temos efetivos, policiais e servidores administrativos para trabalhar nestas unidades”, diz. "As consequências disso são a não proteção da fronteira e o impedimento do órgão de oferecer um serviço com qualidade".             

Além disso, diz que muitas vezes tem sido divulgado que a Polícia Federal tem feito mais do que fazia antes, o que considera uma mentira. “Nós fazemos menos operações do que fazíamos, mas começamos a chamar de operação aquilo que realmente não é”, diz. “Antes havia um conjunto de ações contra o crime organizado que costumávamos chamar de ações, sempre com uma média de 150 a 200. Hoje qualquer intimação já é chamada de operação. Qualquer ação ordinária é chamada de operação para mascarar a realidade e mostrar que fazemos mais operações do que antes”, diz.

Delegado da Polícia Federal

Boudens aponta que, somente para o cargo de delegado existem, atualmente, 491 vagas em aberto, que a PF tem tentado suprir com a realização do novo concurso. “Isto representa 28% do nosso efetivo, ou seja, um terço do nosso efetivo vago e a consequência é evidente. Como cada delegado poderia fazer umas duas operações por ano, esta realidade representa, no mínimo, 800 operações a menos a cada ano”. Além disso, de acordo com ele, com a reforma da previdência e a possibilidade da extinção do abono de permanência, todo mundo que está com abono de permanência irá se aposentar, bem como aqueles que já possuem condições de pedir aposentadoria. Com isto, de acordo com ele, a perspectiva é de que, em um período de dois ou três anos, mais 400 delegados se aposentem.

A Polícia Federal, de acordo com ele, possui atualmente 180 mil investigações em andamento. “Nem todas as investigações viram ações. Precisamos delimitar as prioridades, mas dentro desta realidade de defasagem de pessoal, nem isto é possível. Por isto, a PF acaba mascarando números e de um total de duas mil por ano, acabamos fazendo aproximadamente 300”.

Dentro de um contexto histórico, diz que em 1978, a PF contava com 500 delegados. Já em 1995, os mesmos 500 delegados. Em 2000, eram 700 delegados no país. “Até então, as principais atividades eram o combate às drogas e garimpo. Mas era uma atividade bastante limitada e uma atuação muito aquém do que poderia ser feito. Em 2001 foi realizado um concurso para 500 delegados, quase dobrando o efetivo. Do concurso até aposse são quase três anos. Isso preocupa, pois como temos quase 400 que podem se aposentar nos próximos anos, se abrir um concurso hoje,ficaríamos com 800 vagas em aberto. Hoje temos 1.717 delegados em atividade. Tivemos concurso em 2001 e 2004 para mais 500 cada, dobrando o efetivo. Mas em 2009, o quadro foi congelado, quando estava com 1.852. Agora estamos em um processo de desmonte”, diz. “Em 2018 devemos voltar ater o efetivo que possuíamos em 2003”, reforça.

Administrativos

Já no quadro administrativo, diz que em 2004 o efetivo foi aumentado. “No FBI, por exemplo, para cada policial existem de seis a sete administrativos. No Brasil é o contrário. Em 2004 o efetivo cresceu, mas depois não foram feitos novos concursos e a PF passou a terceirizar as ações em aeroportos, o que não deu certo. Acabaram as terceirizações,mas não foram repostos os administrativos. Hoje, nosso quadro de administrativos é menor do que o de 2004, ao passo que as atribuições da PF aumentaram”. De acordo com ele, em 2014 aumentou um pouco pela substituição de alguns terceirizados.

Autonomia

O sindicalista ressalta, ainda, que a Polícia Federal conta com decreto de 2014 que permite a realização de concurso sem autorização do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) sempre que a carência de pessoal chegar a 5% do quadro. Porém, diz que, na prática, o decreto não está funcionando, uma vez que para isto é preciso ter orçamento, atestado pelo MPOG. “Não adianta ter autorização para fazer o concurso se não há orçamento para isto”. A solução, segundo ele, seria conquistar a autonomia do órgão. Para isto, já existe, segundo ele, uma campanha neste sentido, desde dezembro de 2015. “Sem a autonomia, não conseguimos avançar. Nós sabemos que, muitas vezes, a Polícia Federal tem por ação investigar atos de desvios praticados por membros do governo. Por isto existe, sim, resistência por parte de grupos no poder, no sentido de controlar as atividades da Polícia Federal e não existe, em nenhum lugar no mundo, uma instituição que tenha por finalidade investigar os atos do governo que não possua autonomia".

Ressalta, ainda, que um avanço foi a lei 13.047, que determina que a direção da Polícia Federal compete aos delegados. “Com isto, conseguimos evitar que alguém de fora da instituição fosse nomeado para a direção geral e das atividades da PF. Até 2014, qualquer pessoa poderia ser nomeada como diretor da corporação. Mas ainda não conseguimos avançar com o fim dos cargos comissionados, que buscamos trocar por funções comissionadas, ou seja,exclusivas para preenchimentos por funcionários concursados de carreira”.

Últimos concursos da Polícia Federal

Com relação aos novos concursos previstos, para agente o último concurso ocorreu em 2014, quando foram registrados 98.101 inscritos para a oferta de 600 vagas. Para escrivão, a última seleção ocorreu em 2012, com 83.619 inscritos para 350 vagas. Para perito e delegado, os últimos certames ocorreram em 2012, com 35.800 inscritos para a oferta de 100 vagas de perito e 46.633 participantes para 150 postos de delegado.Para todos os cargos, a organizadora foi o Cespe/UnB.

 

Para perito, o concurso da Polícia Federal contou com provas objetivas e discursiva, testes de aptidão física, exame médico, avaliação psicológica e análise de títulos. A parte objetiva teve 120 itens, sendo 50 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos. Os aprovados em todas as fases foram submetidos a um curso de formação profissional.
No caso de delegado, o Cespe/UnB formulou provas objetiva e discursiva, exames de aptidão física, exame médico,avaliação psicológica, análise de títulos e prova oral, além do curso deformação. A parte objetiva contou com 120 questões e a discursiva, com três questões dissertativas e elaboração de peça profissional.
Para perito, as opções foram para áreas de ciências contábeis ou econômicas, engenharia em diversas especialidades, ciências da computação, geologia, química, biomedicina, medicina, odontologia e farmácia.  

5 dicas de processo penal para delegado da PF

1. Estude,desde já, para a prova oral. O concurso conta com prova objetiva, prova discursiva e prova oral. É certo que a prova oral é a última delas,porém, para que você esteja bem preparado para uma prova oral, é necessário controle total da matéria. Logo, foque no controle total, lá na prova oral mesmo. Prepare o material, fale sozinho pela casa, ensine tudo sobre tentativa para seu cachorro. Vá por mim: além de estar mirando acima da maçã, você ainda estará fazendo uso de um dos melhores métodos de estudo.    2. A prova da PF provavelmente será feita pelo Cespe, que merece muitos elogios, pois monta as questões com base nas atribuições do cargo a ser provido – quem dera todas as bancas fizessem assim! Considerando que estamos falando de prova para delegado da Polícia Federal, é óbvio que vão despencar questões sobre inquérito policial, visto que a vida do delegado é tocar inquérito para frente. Para você ter uma ideia, no último concurso para delegado da PF, das 26 questões de processo penal, 15 eram sobre inquérito policial. Essas você não pode errar!   3. Ainda com relação às atribuições do cargo, cuidado com o tema “provas”, principalmente a interceptação telefônica, um meio de prova que é recorrente em concursos públicos.    4. A Operação Lava Jato está na mídia há um bom tempo e uma de suas características mais marcantes é a presença de acordos de delação premiada. Estude este tema!   5. Existem duas “polícias” essencialmente judiciárias no Brasil: Polícia Federal e Polícia Civil. Você sabe que as atribuições da Polícia Civil (estadual)são residuais, mas gigantescas, enquanto as atribuições da Polícia Federal são especiais e bem menores. Isto segue o padrão de todos os órgãos que têm paralelos na seara estadual e federal. Tal padrão se reflete no concurso de um modo muito simples: nas provas de órgãos federais, sempre caem questões sobre suas atribuições/competências. No último concurso, foram quatro questões que tangenciaram este tema.   Rodrigo Sengik, professor de processo penal no AlfaCon Concursos Públicos

 

Atualizado: 18/04/2018 - 16:11

PC/PR: banca deve ser confirmada em breve

Seleção deverá contar com 100 vagas imediatas, além de servir para formar cadastro reserva de pessoal. Nível superior e inicial de R$ 5,1 mil

Escrivão

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

A Polícia Civil do Estado do Paraná (PC/PR) deve confirmar, em breve, o nome da banca organizadora do seu  novo concurso público para a carreira de escrivão de polícia. A seleção é aguardada desde 1º de fevereiro, quando foi divulgado um comunicado, por parte do Sindicato das Classes Policiais Civis do Estado do Paraná (Sinclapol), que o governador Beto Richa havia autorizado o novo concurso público 2018 para a carreira, com uma oferta inicial de 100 vagas, além de formar cadastro reserva de pessoal.   A comissão, já formada, desde 27 de março, trabalha na elaboração do edital. Somente então poderá ser anunciada a data de publicação do edital de abertura de inscirções.

Para concorrer ao cargo é necessário possuir formação de nível superior, idade mínima de 21 anos e carteira de habilitação a partir da categoria “B”, com remuneração inicial de R$ 5.197.  

De acordo com nota do sindicato, a falta de escrivães é uma das situações mais graves registradas pela corporação. As últimas nomeações para o cargo, segundo ele, foram realizadas em 2014 e, desde então, um novo certame vem sendo cobrado.

A comissão é presidida pela dra Luciana de Novaes, tendo como suplente a dra. Daniele de Oliveira Serighelle. Conta, ainda, com os seguintes membros: dr. Sebastião Ramos dos Santos Neto e dr. Jairo Amódio Estorílio, tendo como suplentes dr Eduardo Marcelo Castella e dr. Alexandre Rorato Maciel. Também foram indicados os seguintes servidores, responsáveis por secretariar os trabalhos: Silvio Romero Rodrigues Carvalho, Ivone Cândida  Oliveira Laurentino, Raquel Silva de Andrade e Luis Gustavo Oribka. 
 

Último Concurso

No último concurso para o cargo, realizado em 2009, foram oferecidas 90 vagas. A banca foi a Coordenadoria de Processos Seletivos da Universidade Estadual de Londrina e a seleção foi composta de cinco fases, contando com provas objetivas de conhecimentos gerais  na primeira, prova de conhecimentos específicos na segunda, prova de higidez física na terceira, testes de aptidão física na quarta e, finalmente, investigação de conduta na última. A parte de conhecimentos gerais teve 25 questões, sendo dez de língua portuguesa, sete de economia e demografia paranaense, quatro de noções de informática e quatro de raciocínio lógicos. Em conhecimentos específicos foram mais 25, sendo cinco de noções do estatuto da Polícia Civil, quatro de noções de direito penal, quatro de noções de direito constitucional, quatro de direito administrativo, quatro de direito processual penal e quatro de noções de legislação específica.     

Atualizado: 18/04/2018 - 15:24

Cosmópolis/SP prepara novo concurso para diversos cargos

Número de vagas ainda não foi divulgado, mas cargos que serão oferecidos na seleção já estão definidos. Em processo de licitação para a escolha da banca

Todos os níveis

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

A Prefeitura de Cosmópolis, no interior paulista, a 130 km da capital e próxima a Campinas, realizará novo concurso público para o preenchimento de vagas em diversos cargos, com opções para quem possuí níveis fundamental, médio e superior. O número de vagas ainda não foi divulgado pela prefeitura. Porém, as carreiras que serão oferecidas na seleção já foram antecipadas.


No momento, o processo está em fase de licitação para a escolha da banca organizadora, que está sendo feito pelo critério de pregão presencial, com abertura das propostas marcada para o próximo dia 25 de abril. Somente após a confirmação do nome da empresa poderá ser definida a data de publicação do edital de abertura de inscrições.


Os cargos que contarão com oportunidades na seleção serão os seguintes: agente fiscal tributário II - fiscal de posturas, agente fiscal tributário II  - fiscal tributário, agente comunitário de saúde, inspetor de alunos feminino e masculino, motorista, motorista escolar, nutricionista – clínica, assistente social , psicólogo, recepcionista, secretário de escola, técnico de enfermagem do trabalho, auxiliar operacional, operador de ETA e ETE e guarda municipal I masculino e feminino.


De acordo com o edital de licitação, as taxas já estão definidas e deverão ser de R$ 38 para cargos com exigência de ensino fundamental, R$ 43 para ensino médio e R$ 60 para nível superior.


O prazo para a realização de todos os procedimentos da seleção será de seis meses, contando da data de assinatura do contrato com a banca.
 
   

 

Atualizado: 18/04/2018 - 11:24

Careiro da Várzea/AM abre concurso para 263 vagas

Presenciais e gratuitas, inscrições para o concurso da Prefeitura de Careiro da Várzea serão recebidas até 24 de abril. Salários chegam a R$ 5,5 mil

Todos os níveis

Por JCConcursos - Samuel Peressin

A Prefeitura de Careiro da Várzea, no Amazonas, recebe entre hoje (18) e a próxima terça-feira (24) as inscrições para o processo seletivo que disponibiliza 263 vagas temporárias, com salários entre R$ 954 e R$ 5.538,06.

 

Há cargos de nível fundamental para auxiliar de serviços gerais (36 postos), guarda municipal (12), auxiliar administrativo (12), artífice (2), marinheiro de convés (13), operador de máquinas pesadas (6), eletricista (3), bombeiro hidráulico (4), artífice (5), auxiliar de mecânico (2), auxiliar de serviços gerais (3), auxiliar de limpeza pública (25), soldador (1), carpinteiro (2), marinheiro de máquina (2), merendeiro (11) e guarda municipal (13).       

 

Ensino médio é requisito do concurso da Prefeitura de Careiro da Várzea para facilitador de oficina (7), orientador social (7), cadastrador/digitador do PBF (2), visitador do programa Criança Feliz (3), desenhista cadista (1), topógrafo (1), mecânico de máquinas pesadas (2), agente administrativo (2), agente de defesa civil (3), contramestre (1) secretário de escola (7).

 

Em nível superior há chances para psicólogo (2), assistente social (3), turismólogo (1), engenheiro ambiental (1), engenheiro agrônomo (1), veterinário (1) e nutricionista (1).    

 

Também serão selecionados 65 professores para atuação em ensino fundamental - anos iniciais, educação fundamental - anos finais, educação infantil, educação de jovens e adultos (EJA) e educação indígena.   

 

Concurso Prefeitura Careiro da Várzea 2018: inscrições e avaliação

 

Os interessados devem se inscrever pessoalmente na Biblioteca Professora Luzia Isabel Monteiro Sales (rua Marechal Rondon, s/nº), das 8h30 às 14h30. Não há cobrança de taxa. 

 

Os candidatos serão selecionados por meio de análise curricular - o documento deve ser entregue durante o registro da inscrição. O resultado final sairá em 10 de maio.

 

A validade do concurso da Prefeitura de Careiro da Várzea será de um ano, prorrogável por mais um, a critério do governo municipal, conforme estabelece o edital.

Atualizado: 18/04/2018 - 11:17

Veja dicas para o concurso público da Polícia Civil/SP

Preparamos um especial com diversas dicas de estudos para você conquistar a tão sonhada vaga de escrivão ou investigador da PC/SP

Escrivão e investigador

Por JCConcursos - Douglas Terenciano

O concurso público da Polícia Civil do Estado de São Paulo (PC/SP) para as carreiras de escrivão e investigador de polícia está deixando muito concurseiro preocupado com a previsão de forte concorrência por uma vaga no órgão. Afinal de contas, foram dois editais publicados com um total de 1.400 vagas, sendo 70 reservadas às pessoas com deficiência.  

Do total de ofertas, 800 são destinadas ao cargo de escrivão de polícia e as outras 600 são para investigador de polícia. Interessados em concorrer a uma das vagas devem possuir diploma de conclusão de curso de nível superior em qualquer área de conhecimento, carteira de habilitação na categoria “B” e ter conduta irrepreensível na vida pública e privada.

A remuneração inicial dos postos de escrivão e investigador de polícia é de R$ 4.435,62, incluindo o salário de R$ 3.743,98 (correspondente à soma dos valores do salário-base e da gratificação pelo Regime Especial de Trabalho Policial - RETP) e o adicional de insalubridade de R$ 691,64.

Pensando em auxiliar nossos leitores na busca da tão sonhada vaga nas carreiras de escrivão e investigador da Polícia Civil do Estado de São Paulo, o JC Concursos, em parceria com o CERS Cursos Online, preparou um especial com diversos vídeos e dicas para você alcançar seu objetivo. Confira!

5 dicas para o cargo de Investigador

 

5 dicas para o cargo de Escrivão

 

Dicas sobre Estatuto da Criança e do Adolescente para o cargo de Investigador

 

Dicas sobre Estatuto da Criança e do Adolescente para o cargo de Escrivão

 

Dicas sobre atualidades para o cargo de escrivão

 

Dicas sobre atualidades para o cargo de investigador

 

Dicas sobre direito processual penal para o cargo de escrivão

 

Dicas sobre direito processual penal para o cargo de investigador

 

Dicas sobre direito penal para o cargo de Escrivão

 

Dicas sobre direito penal para o cargo de Investigador

 

Dicas sobre legislação para o cargo de Escrivão

 

Dicas sobre legislação para o cargo de Investigador

Atualizado: 17/04/2018 - 10:59

São Bernardo do Campo/SP: 782 vagas em ajustes finais

Oportunidades serão para diversos cargos, em todos os níveis de escolaridade, com destaque para 325 vagas de professores de educação básica. Iniciais de até R$ 9.348,71

Banca já está definida

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

A Prefeitura de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, deve publicar, nas próximas semanas, o  edital do seu novo concurso público, que contará com uma oferta de nada menos do que 782 vagas, distribuídas por diversos cargos. A seleção contará com oportunidades para 12 secretarias municipais, com opções em vários níveis de escolaridade, incluindo áreas de educação, serviços urbanos e para a Guarda Civil Metropolitana (GCM). As remunerações iniciais devem variar de R$ 1.675,86 a R$ 9.348,71. A banca organizadora já está definida e será a Fundação Vunesp, escolhida por meio de dispensa de licitação.

Outro ponto já confirmado é que a maior parte das vagas será para cargos na área de educação, incluindo 325 vagas para o cargo de professor de educação básica, 50 para diretor de escola, 35 para coordenador pedagógico e dez para professor de educação especial.


Para a Guarda Civil Metropolitana serão oferecidas 100 oportunidades, mas ainda será confirmado quantas serão para homens e quantas para mulheres.


As demais oportunidades serão para as secretarias de Administração, Desenvolvimento Social, Finanças, Gestão Ambiental, Habitação, Obras, Planejamento Urbano, Serviços Urbanos e Transportes.


Segundo declaração do secretário de administração e modernização administrativa, Pedro Pinheiro, além da reposição de cargos técnicos e complemento em secretarias estratégicas, a seleção também contará com uma oferta de 100 vagas para o cargo de oficial administrativo, cargo que deverá contar com oportunidades para todas as pastas da administração municipal.


Outra novidade do concurso é a oferta para as carreiras de agentes de controladoria, analista tributário e analista de transportes. Para estas funções esta será a primeira vez que a prefeitura realiza concurso. Até então, o preenchimento era feito por meio de contratação de funcionários comissionados.

 

Veja cargos, vagas e salários

A distribuição completa de vagas por cargos é a seguinte: agente contábil (5 vagas, com inicial de R$ 4.586,94), agente de controladoria I (2, R$ 4.586,64), agente de tesouraria I (3, R$ 4.586,94), analista de transportes (3, R$ 3.837,96), analista tributário financeiro I (1, R$ 7.687,20), arquiteto (10, R$ 7.867,20), assistente jurídico (1, R$ 5.434,17), assistente social (1, R$ 5.045,63), auxiliar de serviços de agrimensura (1, R$ 2.732,83), contato I (3, R$ 7.687,20), coordenador pedagógico (35, R$ 5.245,85), desenhista (1, R$ 4.967,61), diretor de escola (50, R$ 5.464,36), engenheiro (11, R$ 7.687,20), fiscal de cadastro tributário (5, R$ 4.586,94), fiscal I (62, R$ 4.586,94), fisioterapeuta I (1, R$ 3.784,28), fonoaudiólogo (1, R$ 5.045,63), geólogo (1, R$ 5.783,97), guarda civil metropolitano 3ª classe (100, R$ 1.675,86), oficial administrativo I (100, R$ 1.675,86), orientador pedagógico (5, R$ 5.486,36), procurador (9, R$ 9.348,71), professor de educação especial – audiocomunicação (1, R$ 3.014,40), professora de educação especial – deficiência mental (8, R$ 3.014,40), professor de educação especial – deficiência visual (1, R$ 3.014,40), professor de educação básica (300, R$ 2.710,52), professor de educação básica 2 – artes (10, R$ 2.873,15), professor de educação básica 2 – educação artística (15, R$ 2.873,15), psicólogo (9, R$ 5.783,97), psicólogo (1, R$ 5.045,63), técnico em agrimensura (9, R$ 6.355,02), técnico em licitações (13, R$ 4.206,41), técnico em meio ambiente (3, R$ 4.586,94) e terapeuta ocupacional (1, R$ 3.784,28).   

 

 

 

Atualizado: 16/04/2018 - 10:55

PM/GO: contratada banca do concurso para 2 mil vagas

Para concorrer ao cargo de soldado da PM de Goiás 2018 é necessário possuir formação superior em qualquer área de formação, com inicial de R$ 1,5 mil

Soldados e cadetes

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

A publicação do edital do novo concurso público que será realizado pela  Polícia Militar do Estado de Goiás (PM/GO) 2018 está cada vez mais próxima. Acontece que foi publicada em diário oficial, nesta segunda-feira, 16 de abril, a contratação da banca organizadora, que será a Assessoria de Organização em Concursos Públicos (AOCP),  confirmada por meio da programação de desembolso financeiro, em agosto do ano passado.  Ao todo serão oferecidas 2 mil vagas, sendo 1.920 para  soldados  e 80 para a carreira de cadete PM. Com isto, a publicação do edital de abertura de inscrições pode ocorrer já nas próximas semanas.

A seleção vem sendo aguardada desde 10 de maio de 2017, quando anunciada pelo governador Marconi Perillo, após uma reunião com os secretários da Fazenda, Fernando Navarett, Planejamento, Joaquim Mesquita; Segurança Pública e Administração Penitenciária, Ricardo Balestreri; e da Casa Civil, João Furtado. 

A comissão do certame, constituída em 4 de julho, é formada pelo coronel Silvio Vasconcelos Nunes e tenentes coronéis Walter Caetano Pereira e  Clives Pereira Sanches.

Para concorrer ao cargo de soldado é necessário possuir curso de nível superior em qualquer área de formação, com remuneração inicial de R$ 1.500.

O objetivo do governo é reforçar o quadro de segurança, uma vez que, somados com mais 2.500 soldados de outro concurso em andamento, o quadro contará com um reforço de 4.500 policiais. “Isso vai ser muito importante para garantir segurança pública na capital e em todas as cidades do interior”, disse o governador.


De acordo com o comandante da PM/GO, coronel Divino Alves, a decisão de realizar mais um concurso público “significa que o governo está com a atenção voltada para a Segurança Pública”. Segundo ele “o aporte de 4.500 novos homens na Polícia Militar vai permitir prestar um melhor serviço à população”. Na ocasião, ressaltou que “cuidaremos para que a formação desses novos policiais seja feita de forma descentralizada, nas cidades menores, onde a população anseia pela presença dos policiais”.

Seleção

Quem pretende participar do concurso já pode dar início aos estudos, tendo como base o conteúdo programático da última seleção, iniciada no final de 2016.

O concurso de soldado é composto de provas objetivas e discursivas, testes de aptidão física, avaliações médica e psicológica, análise de vida pregressa e investigação social.
No concurso anterior, a prova objetiva contou com 50 questões, sendo 15 de conhecimentos gerais, com peso um, e 35 de conhecimentos específicos, com peso dois. Em conhecimentos gerais foram abordados temas sobre língua portuguesa e realidade étnica, social, histórica, geográfica, cultural, política e econômica do estado de Goiás.
Já em conhecimentos específicos, sobre noções de direito penal, constitucional, processual penal, administrativo, direito penal militar e legislação extravagante. 

Atualizado: 16/04/2018 - 10:07

PC/SP abre concurso para investigador e escrivão

As chances no concurso da Polícia Civil de São Paulo são destinadas a candidatos de nível superior em qualquer área de conhecimento, com remunerações de R$ 4,4 mil

1.400 vagas

Por JCConcursos - Patricia Lavezzo

Entra em vigor nesta segunda-feira (16) o prazo de inscrição dos editais de concurso público da Polícia Civil do Estado de São Paulo (PC/SP) para as carreiras de escrivão e investigador de polícia. Ao todo, a seleção visa o provimento de 1.400 vagas, sendo 70 reservadas às pessoas com deficiência.  

 

Do total de ofertas, 800 são destinadas ao cargo de escrivão de polícia e as outras 600 são para investigador de polícia. Interessados em concorrer a uma das vagas devem possuir diploma de conclusão de curso de nível superior em qualquer área de conhecimento, carteira de habilitação na categoria “B” e ter conduta irrepreensível na vida pública e privada.

CURSO CONCURSO PC/SP 2018 - INVESTIGADOR , ESCRIVÃO
APOSTILAS CONCURSO PC/SP 2018 - DIVERSOS CARGOS
APOSTILA CONCURSO PC/SP 2018 - INVESTIGADOR

 

A remuneração inicial dos postos de escrivão e investigador de polícia é de R$ 4.435,62,incluindo o salário de R$ 3.743,98 (correspondente à soma dos valores do salário-base e da gratificação pelo Regime Especial de Trabalho Policial - RETP) e o adicional de insalubridade de R$ 691,64.

A empresa responsável pela organização e execução do processo de seleção é a Fundação Vunesp. As inscrições deverão ser realizadas até o dia 15 de maio, exclusivamente pela internet, através do endereço eletrônico www.vunesp.com.br.

CURSO CONCURSO PC/SP 2018 -  ESCRIVÃO E INVESTIGADOR
APOSTILA COCURSO PC/SP 2018 - ESCRIVÃO

Será cobrada uma taxa de participação do concurso da Polícia Civil/SP 2018, no valor de R$ 84,81 para ambas as funções. O pagamento do boleto bancário deverá ser efetuado até a data limite do prazo, observado o horário de funcionamento do banco.

 

 

Provas do concurso da PC/SP 2018 para escrivão e investigador

 

 

A primeira etapa a ser disputada pelos candidatos será a prova preambular, de caráter eliminatório e classificatório. Constituída de 100 questões de múltipla escolha, ela será aplicada no dia 10 de junho nas cidades de Araçatuba, Bauru, Campinas, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Santos, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo (capital e região metropolitana), Piracicaba e Sorocaba.


Ads

Seja aprovado no concurso PC/SP 2018

Tenha uma preparação completa no Concurso de Investigador e Escrivão da PC/SP. Materiais de acordo com o Edital. Confira.

Para escrivão de polícia, a prova preambular contará com 36 questões de língua portuguesa, 30 de noções de direito, 16 de noções de informática e 18 de noções de criminologia, noções de lógica e atualidades.

 

Já para investigador de polícia serão 30 questões de língua portuguesa, 30 de noções de direito, 10 de noções de criminologia, 10 de noções de lógica, 10 de noções de informática e 10 de atualidades.

 

Serão convocados para a prova escrita, eliminatória e classificatória, os candidatos habilitados na prova preambular, no total de 1.200 para o cargo de escrivão e em número de duas vezes o de vagas postas em disputa para investigador.

 

O concurso da Polícia Civil/SP 2018 para escrivão e investigador ainda contará com as seguintes etapas: comprovação de idoneidade e conduta escorreita mediante investigação social, de caráter unicamente eliminatório; prova oral, eliminatória e classificatória; e análise de títulos, de apenas classificatória.

 

 

Atribuições dos cargos da Polícia Civil/SP

 

 

Escrivão de polícia - elaboração de registros digitais de ocorrência - RDO; termos circunstanciados; inquéritos policiais - em todas as suas formas de instauração; processos administrativos; sindicâncias; apurações e demais peças e documentos policiais, tendo ainda como atribuição a organização cartorária, sob a presidência direta do Delegado de Polícia), além das funções previstas na Portaria DGP nº 30/12 e na Lei nº 207, de 5 de janeiro de 1979 (Lei Orgânica da Polícia do Estado de São Paulo).

 

Investigador de polícia - realizar diligências investigatórias e de policiamento preventivo especializado; cumprir requisições escritas ou verbais atinentes ao trabalho de polícia judiciária, emanadas pela autoridade policial; cumprir mandados; elaborar documentos de polícia judiciária e relatórios circunstanciais; escoltar presos; realizar prisões e apreensões; manter a segurança de locais onde se desenvolve a atividade policial civil; atender ao público interno e externo, no desempenho da atividade policial; intervir, a qualquer tempo, em ocorrências de natureza criminal; conduzir viaturas policiais; transportar pessoas e coisas vinculadas a ocorrências policiais, conservar, manusear e empregar armas de fogo e equipamentos menos letais; portar arma de fogo e atuar em campo com possibilidade de exposição a situações de conflito armado; executar demais atos compatíveis com a atividade de polícia judiciária e administrativa.

 

Saiu o edital para delegado da PC/SP 2018. Confira aqui!

Atualizado: 16/04/2018 - 09:25

Concurso Polícia Civil/PI abre inscrição para 350 vagas

Com prazo para registro de candidaturas até 15 de maio, concurso da Polícia Civil do Piauí preencherá postos em cargos de agente (250), delegado (50) e perito (50). Salários chegam a R$ 16,3 mil

Nível superior

Por JCConcursos - Samuel Peressin

A Polícia Civil do Piauí (PC/PI) abriu nesta segunda-feira (16) as inscrições do concurso com oferta de 350 vagas para formação de cadastro reserva. Distribuídas entre três editais, as chances são para agente (250 postos), delegado (50) e perito (50).

 

Destinadas a profissionais com curso superior, as carreiras apresentam vencimentos iniciais de R$ 5.736,88 para agente, R$ 9.834,65 para perito e R$ 16.391,11 para delegado. Todas as funções têm jornada semanal de 44 horas.

APOSTILAS CONCURSO PC/PI 2018 - DELEGADO / PERITO / AGENTE

No caso das oportunidades para perito, há chances em 15 áreas: médico legista (9), médico legista - patologia (1), médico legista - psiquiatria (1), criminal - biologia (6), criminal - contabilidade (1), criminal - engenharia agronômica (3), criminal - engenharia civil (5), criminal - engenharia elétrica (2), criminal - engenharia florestal (3), criminal - engenharia mecânica (1), criminal - farmácia (6), criminal - física (5), criminal - informática (1), criminal - medicinal veterinária (2) e criminal - química (4).

 

Como se inscrever no concurso da Polícia Civil/PI 2018

 

O concurso da Polícia Civil/PI é organizado pelo Núcleo de Concurso e Promoção de Eventos (Nucepe). A banca recebe inscrições até as 23h59 de 15 de maio (horário do Piauí).

APOSTILA CONCURSO PC/PI 2018 - AGENTE / PERITO /  DELEGADO

As candidaturas deverão ser registradas mediante o preenchimento de formulário disponível no site http://nucepe.uespi.br. As taxas custam R$ 150 para agente e perito e R$ 200 para delegado. 

 

Sobre as provas do concurso da Polícia Civil do Piauí 2018

 

A prova objetiva será realizada em 10 de junho para delegado e agente e 1 de julho para perito. Na mesma data do teste objetivo, os concorrentes a agente e perito farão avaliação dissertativa, enquanto para delegado a aplicação está agendada para 8 de julho.

 


Ads

Cursos Online para Concurso PC-PI 2018

Estude para o concurso da Polícia Civil-PI com cursos online em PDF + Videoaulas, 100% focados no Edital. Confira!.

 

Para as demais etapas, o processo seletivo prevê: exames de saúde e investigação social para todos os cargos; teste de aptidão física e avaliação psicológica para delegado e agente; e análise de títulos para delegado. Todas as fases ocorrerão em Teresina.

 

De acordo com os editais, o concurso da Polícia Civil/PI terá validade de dois anos, prorrogável por mais dois, a critério da Secretaria de Administração do Estado do Piauí.

 

Concurso Polícia Civil/PI 2018: atribuições do agente de polícia civil

 

Proceder, mediante determinação da autoridade Policial, às diligências e às investigações policiais com o fim de coletar elementos para a elucidação de infrações penais ou administrativas para instrução dos respectivos procedimentos legais; efetuar prisão em flagrante ou mediante mandado (conduzir e escoltar presos); cumprir mandados expedidos pela autoridade policial ou judiciária competente; operar equipamentos de comunicação; executar outras determinações emanadas da autoridade Policial ou chefia competente; conduzir viaturas oficiais; desempenhar outras atividades de interesse do Órgão.

 

Atribuições do delegado no concurso da PC/Piauí

 

Cumprir e fazer cumprir, no âmbito de sua competência, as funções institucionais da polícia judiciária; lavrar termos circunstanciados, instaurar e presidir inquéritos policiais e outros procedimentos administrativos e fazer o indiciamento de forma fundamentada, dentro de sua circunscrição; promover diligências, solicitar informações, requisitar exames periciais e outros documentos necessários à instrução do inquérito policial ou de outros procedimentos; assegurar o sigilo necessário à elucidação do fato e às investigações a seu cargo; dar cumprimento a atos emanados da Justiça, na esfera de sua competência; praticar atos administrativos de natureza policial e dirigir a Delegacia de Polícia, determinando as diligências investigatórias, na forma que se dispuser em regulamento; zelar pelo efetivo cumprimento dos princípios e funções institucionais da Polícia Civil/PI; zelar pelo efetivo cumprimento dos direitos e garantias fundamentais; praticar outros atos inerentes às suas atribuições, nos termos do regulamento.

 

Concurso Polícia Civil/PI: atribuições gerais do perito

 

Praticar atos necessários aos procedimentos das Perícias Policiais Criminais, com a emissão dos respectivos laudos, quando requisitado pela autoridade Policial, pelo Ministério Público ou pelo Judiciário; executar as atividades de identificação humana, relevantes para os procedimentos pré-processuais judiciais, quando requisitado pela autoridade competente; ações administrativas dos órgãos de Perícia; realização de Perícias em locais de crime, laboratórios e em outros locais de atuação da Perícia Oficial de natureza criminal; outras atribuições previstas na lei, portarias, normatizações ou em regulamentos. Atividades de Perícia Oficial de natureza criminal a ser exercida na regional para onde prestaram concurso e podendo ser designados para deslocamentos temporários em missões para realizar perícias e outras atividades dentro de suas funções em outras regionais. Participar de programas e projetos na área de segurança pública. Cumprir as determinações superiores compatíveis com as suas obrigações e responsabilidades, assim como as disposições legais e regulamentares, horários normais e extraordinários da jornada de trabalho. Zelar pela conservação, utilização e funcionamento de aparelhos, instrumentos e utensílios empregados nos trabalhos. Direção de viaturas oficiais da Perícia oficial de natureza criminal e da Polícia Civil do Piauí.


Atualizado: 16/04/2018 - 09:14

Polícia Civil/MG: concurso abre inscrição para delegado

Destinada a bacharéis em direito, carreira conta com salário de R$ 11,4 mil. Prazo para registro de candidaturas no concurso da Polícia Civil de Minas Gerais (PC/MG) termina em 15 de maio

76 vagas

Por JCConcursos - Samuel Peressin

Foram abertas nesta segunda-feira (16) as inscrições do concurso para delegado da PC/MG (Polícia Civil de Minas Gerais). A seleção preencherá, ao todo, 76 vagas para atuação em delegacias regionais no interior do Estado.  

 

Destinada a profissionais com curso superior em direito, a carreira oferece remuneração inicial de R$ 11.475,57 e tem jornada semanal de 40 horas de trabalho. 

 

Será possível se inscrever no concurso de delegado da PC/MG até as 23h de 15 de maio, por meio do site da Fundação Mariana Resende Costa (Fumarc), no endereço: www.fumarc.com.br. O valor da taxa é de R$ 212. 

 

Sobre as provas do concurso da PC/MG 2018

 

concurso da Polícia Civil/MG envolverá sete etapas. Na primeira delas, em 17 de junho, na capital, os candidatos farão prova objetiva com 70 questões de múltipla escolha. 

 

Com duração de quatro horas e meia, o exame abordará conteúdos de criminologia, medicina legal, direitos humanos e conhecimentos em direito administrativo, civil, constitucional, penal e processual penal.  

 

As demais fases incluem: provas dissertativa e oral, em 12 de agosto e 2 de outubro, respectivamente, além de avaliação psicológica, exames biomédicos/biofísicos, análise de títulos e investigação social, em datas a serem definidas.

 

APOSTILAS CONCURSO PC/MG 2018 - DELEGADO SUBSTITUTO

 

De acordo com o edital, o concurso da PC/MG terá validade de dois anos, prorrogável por mais dois, a critério do órgão.

 

Atribuições do delegado no concurso da Polícia Civil de Minas Gerais 2018

 

a) Presidir a investigação criminal de acordo com seu livre convencimento técnico-jurídico, com isenção e imparcialidade; b) decidir sobre o indiciamento, desde que seja realizado por ato fundamentado, mediante análise técnico-jurídica do fato, que deverá indicar a autoria, materialidade e suas circunstâncias; c) requisitar a realização de exames periciais, informações, cadastros, documentos e dados, bem como colher provas e praticar os demais atos necessários à adequada apuração de infração penal e do ato infracional, observados os limites legais; d) decidir sobre a lavratura do auto de prisão em flagrante; e) representar à autoridade judiciária para a decretação de medidas cautelares reais e pessoais; f) presidir inquéritos policiais, a lavratura de autos de prisão em flagrante delito, de termos circunstanciados de ocorrência, de interrogatórios, de oitivas e demais atos e procedimentos de natureza investigativa, penal ou administrativa; g) formalizar o ato de indiciamento, fundamentando a partir dos elementos de fato e de direito existentes nos autos; h) promover o bem-estar geral, a garantia das liberdades públicas, o aprimoramento dos métodos e procedimentos policiais, a polícia comunitária e a mediação de conflitos; i) dirigir os serviços de trânsito e a identificação civil e criminal no âmbito do Estado.

 

Conteúdo programático parcial para a prova do concurso da Polícia Civil/MG 2018

 

Criminologia – 8.1 Criminologia como ciência empírica e interdisciplinar: conceito, objeto, método, sistema e funções da criminologia. 8.2 A escola liberal clássica do direito penal e a criminologia positivista. 8.3 A Moderna Criminologia científica: modelos teóricos explicativos do comportamento criminal. Biologia criminal, Psicologia Criminal e Sociologia Criminal. 8.4 Teoria Estrutural-Funcionalista do desvio e da anomia. 8.5 Teoria das Subculturas Criminais. 8.6 “Labeling Approach”. 8.7 Do “Labeling Approach” a uma criminologia crítica. 8.8 Sistema penal e reprodução da realidade social. 8.9 Cárcere e marginalidade social. 8.10 Modelo consensual de Justiça Criminal. Referência Bibliográfica: BARATTA, Alessandro. Criminologia Crítica e Crítica do Direito Penal. Introdução à sociologia do Direito Penal. Coleção Pensamento Criminológico. 3ª ed., Rio de Janeiro: Revan: Instituto Carioca de Criminologia. MOLINA, Antônio García-Pablos de e GOMES, Luiz Flávio. Criminologia. 6ª ed., reform. atual. e ampl., São Paulo: Revista dos Tribunais.

   
Ads

Estude para Delegado da Polícia Civil-MG

Cursos 100% focados no Edital, em PDF + Videoaulas. Baixe uma aula demonstrativa aqui!     
 

Medicina legal – 6.1 Perícias e Peritos. 6.1.1 Documentos médico-legais. 6.1.2 Quesitos oficiais. 6.1.3 Perícias médicas. 6.1.4 Ética médica e pericial. 6.1.5 Legislação sobre perícias médico-legais. 6.2 Antropologia Médico-legal. 6.2.1 Identidade e identificação. 6.2.2 Identificação judiciária. 6.3 Traumatologia Médico-legal. 6.3.1 Lesões corporais sob o ponto de vista jurídico. 6.3.2 Energias de Ordem Mecânica. 6.3.3 Energias de Ordem Química, cáusticos e venenos, embriaguez, toxicomanias. 6.3.4 Energias de Ordem Física: Efeitos da temperatura, eletricidade, pressão atmosférica, radiações, luz e som. 6.3.5 Energias de Ordem Físico-Química: Asfixias em geral. Asfixias em espécie: por gases irrespiráveis, por monóxido de carbono, por sufocação direta, por sufocação indireta, por afogamento, por enforcamento, por estrangulamento, por esganadura, por soterramento e por confinamento. 6.3.6 Energias de Ordem Biodinâmica e Mistas. 6.4 Tanatologia Médico-legal. 6.4.1 Tanatognose e cronotanatognose. 6.4.2 Fenômenos cadavéricos. 6.4.3 Necropsia, necroscopia. 6.4.4 Exumação. 6.4.5 "Causa mortis". 6.4.6 Morte natural e morte violenta. 6.4.7 Direitos sobre o cadáver. 6.5 Sexologia Médico-legal. 6.5.1 Crimes contra a dignidade sexual e provas periciais. 6.5.2 Gravidez, parto, puerpério, aborto, infanticídio. 6.5.3 Reprodução assistida. 6.5.4 Transtornos da sexualidade e da identidade sexual. 6.6 Psicopatologia Médico-legal. 6.6.1 Imputabilidade penal e capacidade civil. 6.6.2 Limite e modificadores da responsabilidade penal e capacidade civil. 6.6.3 Repercussões médico-legais dos distúrbios psíquicos. 6.6.4 Simulação, dissimulação e supersimulação. 6.7 Embriaguez alcoólica. 6.7.1 Alcoolismo. 6.7.2 Aspectos jurídicos. 6.8 Toxicofilias. Referência Bibliográfica: FRANÇA, Genival Veloso. Medicina Legal. 11ª ed., Rio de Janeiro: Guanabara Koogan Ltda, 2017.

 

Confira o conteúdo programático completo do concurso para delegado da PC/MG 2018

 

APOSTILAS CONCURSO PC/MG 2018 - DELEGADO

Atualizado: 16/04/2018 - 09:05

Concurso PM/DF: último dia de inscrição para 2.000 vagas

Prazo para postos de soldado combatente no concurso da PM/DF termina às 22h desta segunda-feira (16). Candidaturas para especialistas músicos e corneteiros foram recebidas até 26 de março

Nível superior

Por JCConcursos - Samuel Peressin

Após ser prorrogado, o prazo de inscrições para 2.000 vagas de soldado combatente no concurso da PM/DF (Polícia Militar do Distrito Federal) termina às 22h desta segunda-feira (16). 

 

Para os postos de especialistas músicos (6) e especialistas corneteiros (18) envolvidos no processo seletivo, o período para registro de candidaturas terminou em 26 de março.

 

Do total de oportunidades para soldado combatente, 500 são para admissão imediata (427 homens e 73 mulheres) e 1.500 para cadastro reserva (1.280 homens e 220 mulheres), conforme retificação divulgada em 28 de fevereiro. 

 

Antes da mudança, o número de vagas imediatas para concorrentes dos sexos masculino e feminino era de 450 e 50, enquanto para cadastro reserva o quantitativo correspondia a 1.350 e 150, respectivamente. 

 

Com relação aos postos para especialistas músicos, eles estão distribuídos entre as seguintes especialidades: clarineta/clarones (1), saxofone (1), trompa (1), trompete (1), trombone tenor/trombone baixo (1) e tuba (1).

 

Para participar do concurso da PM/DF 2018 é necessário possuir curso superior em qualquer área, idade entre 18 e 30 anos e altura mínima de 1,60m (sexo feminino) e 1,65m (sexo masculino). 

 

Durante o curso de formação, a remuneração é de R$ 4.969,22. Após o ingresso, o salário sobe para R$ 6.095,41. Os valores informados já consideram o auxílio-alimentação mensal de R$ 850.  

 

Como se inscrever no concurso da PM/DF 2018

 

O processo seletivo é organizado pelo Instituto Americano de Desenvolvimento (Iades), que recebe inscrições por meio do site www.iades.com.br. O valor da taxa é de R$ 88.

 

APOSTILAS CONCURSO PM/DF 2018 - SOLDADO

CURSO CONCURSO PM/DF 2018 - SOLDADO

 

Sobre as provas do concurso da PM/DF 2018

 

Na primeira fase, o concurso da PM/DF terá provas objetiva e discursiva, com aplicação prevista para 29 de abril para músicos e corneteiros. Para soldados combatentes, a data será divulgada pela banca a partir de 10 de maio. 

 

O conteúdo programático engloba língua portuguesa, língua inglesa, matemática/raciocínio lógico, atualidades, legislação aplicável à Polícia Militar do Distrito Federal, criminologia e conhecimentos específicos.

 

Nas demais etapas, os candidatos serão submetidos a testes de aptidão física, exames biométricos, avaliações médica/psicológica e sindicância da vida pregressa/investigação social, além de prova prática instrumental e análise de títulos apenas para especialistas músicos e corneteiros.  

 

De acordo com o edital, o concurso da PM/DF terá validade de dois anos, prorrogável por mais dois, a critério da corporação. 

 

Atribuições do soldado combatente no concurso da PM/DF 2018

 

Executar o policiamento ostensivo; atender ocorrências policiais; desempenhar a atividade policial militar visando à preservação da ordem pública; promover a segurança pública por meio de atividades preventivas e repressivas imediatas nos diversos tipos, modalidades, processos e circunstâncias de policiamento previstos, no lugar, forma e tempo em que for designado; auxiliar os Oficiais, Subtenentes e Sargentos no cumprimento das atividades típicas da Polícia Militar do Distrito Federal; auxiliar a execução das operações e ações de natureza policial militar ou de interesse de segurança pública; redigir boletins e ocorrências policiais; realizar as atividades de inteligência policial, quando designado; conduzir veículos automotores em serviços, executar ações e operações policiais militares; realizar manutenção de primeiro escalão no armamento, equipamentos e viaturas; executar tarefas da graduação superior, quando necessário para o serviço policial; e zelar pelo fiel cumprimento da hierarquia e disciplina militar.

 

Concurso PM/DF: conteúdo programático parcial para soldado combatente

 

Língua portuguesa – 1 Compreensão e interpretação de textos de gêneros variados. 2 Reconhecimento de tipos e gêneros textuais. 3 Domínio da ortografia oficial. 3.1 Emprego das letras. 3.2 Emprego da acentuação gráfica. 4 Domínio dos mecanismos de coesão textual. 4.1 Emprego de elementos de referenciação, substituição e repetição, de conectores e outros elementos de sequenciação textual. 4.2 Emprego/correlação de tempos e modos verbais. 5 Domínio da estrutura morfossintática do período. 5.1 Relações de coordenação entre orações e entre termos da oração. 5.2 Relações de subordinação entre orações e entre termos da oração. 5.3 Emprego dos sinais de pontuação. 5.4 Concordância verbal e nominal. 5.5 Emprego do sinal indicativo de crase. 5.6 Colocação dos pronomes átonos. 6 Reescritura de frases e parágrafos do texto. 6.1 Substituição de palavras ou de trechos de texto. 6.2 Retextualização de diferentes gêneros e níveis de formalidade. 7 Correspondência oficial. 7.1 Adequação da linguagem ao tipo de documento. 7.2 Adequação do formato do texto ao gênero.

 

APOSTILA CONCURSO PM/DF 2018 - SOLDADO

 

Língua inglesa – 1 Compreensão de textos escritos em língua inglesa. 2 Itens gramaticais relevantes para compreensão dos conteúdos semânticos.

 

Matemática e raciocínio lógico – 1 Compreensão de estruturas lógicas. 2 Lógica de argumentação: analogias, inferências, deduções e conclusões. 3 Diagramas lógicos. 4 Princípios de contagem e probabilidade. 5 Arranjos, permutações e combinações. 6 Proporcionalidade e regra de três. 7 Sistema de medidas (áreas e volumes).

 

Atualidades – 1 Realidade étnica, social, histórica, geográfica, cultura, política e econômica do Distrito Federal e da Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal - RIDE.

 

Legislação aplicável a Polícia Militar do Distrito Federal – 1 Lei Orgânica do Distrito Federal, de 8/6/1993. 1.1 Título II - Da Organização do Distrito Federal. 1.1.1 Capítulo I - Das Disposições Gerais. 1.1.2 Da Administração Pública: Seção I - Das Disposições Gerais, Seção II - Dos Serviços Públicos. 1.1.2 Capítulo VI – Dos Servidores Públicos. 1.2 Título III - Da Organização dos Poderes. 1.2.1 Capítulo V – Da Segurança Pública. 2 Lei nº 6.450/1977 (dispõe sobre a organização básica da Polícia Militar do Distrito Federal e dá outras providências). 3 Lei nº 7.289/1984 (aprova o Estatuto dos Policiais Militares da Polícia Militar do Distrito Federal e dá outras providências). 4 Lei nº 12.086/2009 (dispõe sobre os militares da Polícia Militar do Distrito Federal e do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal e dá outras providências). 5 Decreto nº 88.777/1983 (aprova o regulamento para as policias militares e corpos de bombeiros militares (R-200)). 6 Decreto nº 7.165/2010 (regulamenta o inciso I do art. 48 da Lei nº 6.450/1977, que dispõe sobre a organização básica da Polícia Militar do Distrito Federal).

 

Criminologia – 1 Criminologia. 1.1 Conceito. 1.2 Métodos: empirismo e interdisciplinaridade. 1.3 Objetos da criminologia: delito, delinquente, vítima, controle social. 2 Funções da criminologia. 2.1 Criminologia e política criminal. 3 Modelos teóricos da criminologia. 3.1 Teorias sociológicas. 3.2 Prevenção da infração penal no Estado democrático de direito. 3.3 Prevenção primária. 3.4 Prevenção secundária. 3.5 Prevenção terciária. 3.6 Modelos de reação ao crime.

 

Confira o conteúdo programático completo do concurso da PM/DF 2018

 

Atualizado: 13/04/2018 - 09:33

PM e Bombeiros/MS abrem concursos com 614 vagas

As chances nos concursos da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do Mato Grosso do Sul são para candidatos de níveis médio e superior. As remunerações iniciais chegam a R$ 7 mil

Para soldado e oficial

Por JCConcursos - Patricia Lavezzo

No Estado do Mato Grosso do Sul, a Polícia Militar (PM/MS) e o Corpo de Bombeiros abriram nesta sexta-feira (13) as inscrições dos quatro editais de concurso público que, juntos, somam 614 vagas. Do total de ofertas, 536 são reservadas aos homens e 78 às mulheres.

 

A Polícia Militar/MS conta com 438 vagas, sendo 50 destinadas ao curso de formação de oficiais e 388 para o curso de formação de soldados. Já os Bombeiros/MS reúnem 176 ofertas, sendo 153 reservadas ao curso de formação de soldados e 23 para o curso de formação de oficiais.

 

Interessados em concorrer a uma das vagas de soldado devem possuir ensino médio completo, enquanto que o posto de oficial requer nível superior em direito. Ambas as funções ainda exigem carteira de habilitação na categoria “B”, idade entre 18 e 30 anos e altura mínima de 1,60m para as mulheres e 1,65m para os homens.

APOSTILA CONCURSO PM/MS 2018 - SOLDADOS E OFICIAIS

A remuneração inicial oferecida pela PM e Bombeiros/MS é de R$ 3.352,53 para o cargo de soldado e R$ 7.089,13 para aspirante-à-oficial.

 

 

Como participar do concurso da PM e Bombeiros/MS 2018

 

 

As inscrições serão recebidas até as 16h do dia 25 de junho. A ficha cadastral está disponível no endereço eletrônico da Fundação de Apoio à Pesquisa, ao Ensino e à Cultura de Mato Grosso do Sul - Fapems (www.fapems.org.br).

 

Será cobrada uma taxa de participação do concurso da PM e Bombeiros/MS, nos valores de R$ 127,60 para soldado e R$ 204,16 para oficiais. O pagamento do boleto bancário deverá ser efetuado até a data limite do prazo, observado o horário de funcionamento do banco.

 

 

Provas do concurso da PM e Bombeiros/MS 2018

 

 

A primeira etapa a ser disputada pelos candidatos será a prova escrita objetiva, de caráter eliminatório e classificatório. Ela será composta questões de múltipla escolha que versarão sobre as disciplinas de língua portuguesa, matemática, raciocínio lógico, conhecimentos gerais, noções de informática, direito penal, direito processual penal, direito constitucional, direito administrativo, direitos humanos, direito penal militar, direito processual penal militar, direito civil, medicina legal e/ou legislação específica.

 

A avaliação será realizada no município de Campo Grande/MS em data, horário e locais a serem divulgados por edital específico, a ser publicado no site da Fapems em momento oportuno.

 

O concurso da PM e Bombeiros/MS 2018 ainda constará das seguintes fases, todas eliminatórias: exame de aptidão mental (avaliação psicotécnica); exame de saúde; exame de capacidade física; e investigação social. 

Atualizado: 10/04/2018 - 15:50

SJC/SC reabre inscrições de concurso com 190 ofertas

As chances no processo seletivo da Secretária de Estado da Justiça e Cidadania do Estado de Santa Catarina (SJC/SC) são para o cargo de agente penitenciário

Nível superior

Por JCConcursos - Patricia Lavezzo

A Secretária de Estado da Justiça e Cidadania do Estado de Santa Catarina (SJC/SC) reabriu as inscrições de seu edital de processo seletivo simplificado. A seleção visa à contratação temporária de 190 profissionais para o cargo de agente penitenciário, sendo 109 vagas reservadas às mulheres e 81 aos homens. 

 

As ofertas estão distribuídas entre as seguintes unidades: Colônia Agrícola Penal de Palhoça; Penitenciária de Florianópolis; Presídio Feminino de Chapecó; Complexo Penitenciário de Chapecó; Unidades Prisionais de Blumenau; e Presídio Regional de Joinville.  

 

Interessados devem possuir diploma de curso superior em qualquer área emitido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC), além de carteira de habilitação na categoria “B” ou superior. O salário inicial é de R$ 3.729,81 para carga horária semanal de 40 horas. Como benefício, o órgão ainda oferece auxílio-alimentação no valor diário de R$ 12 por dia útil.

 

 

Processo seletivo da SJC/SC 2018

 

 

inscrição deverá ser realizada até o dia 23 de abril, através do endereço eletrônico www.sjc.sc.gov.br. Após preencher a ficha cadastral, o candidato deverá entregar a documentação comprobatória pessoalmente ou por procuração em um dos endereços indicados no edital, que encontra-se anexado à notícia. Não serão cobradas taxas de participação. 

 

processo seletivo da SJC/SC será constituído de quatro etapas: exame curricular; teste de avaliação física; investigação social; e exame toxicológico. 

 

 

Atribuições do cargo da SJC/SC

 

 

Agente penitenciário - participar das propostas para definir a individualização da pena e tratamento objetivando a adaptação do preso e a reinserção social; atuar como agente garantidor dos direitos individuais do preso em suas ações; receber e orientar presos quanto às normas disciplinares, divulgando os direitos, deveres e obrigações conforme normativas legais; levar ao conhecimento do superior imediato os casos graves de indisciplina dos presos; revistar presos e instalações; prestar assistência aos presos e internados encaminhando-os para atendimento nos diversos setores sempre que se fizer necessário; verificar as condições de segurança comportamental e estrutural, comunicando as alterações à chefia imediata; acompanhar e fiscalizar a movimentação de presos ou internados no interior da unidade; acompanhar presos em deslocamentos diversos em acordo com as determinações legais; zelar pela segurança e custódia dos presos durante as escoltas e permanência fora das unidades prisionais; efetuar a conferência periódica dos presos ou internados de acordo com as normas de cada unidade; observar o comportamento dos presos ou internados em suas atividades individuais e coletivas; não permitir o contato de presos ou internos com pessoas não autorizadas; revistar toda pessoa previamente autorizada que pretenda adentrar ao estabelecimento penal; verificar e conferir os materiais e as instalações do posto, zelando pelos mesmos; entre outras.

Atualizado: 10/04/2018 - 14:41

PC/MT: concurso em pauta para 1.200 vagas

Do total de vagas prevista no concurso PC/MT 2018, 600 são para o cargo de escrivão e 600 para investigador, ambos com exigência de nível superior em qualquer área, com iniciais de R$ 5,3 mil

Edital previsto para março

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

A Polícia Civil do Mato Grosso (PC/MT) pretende realizar um novo concurso público ainda no primeiro semestre de 2018. De acordo com informações do secretário de estado de Segurança Pública do estado, Gustavo Garcia, em declarações à imprensa, a intenção é publicar o edital até março. Porém, para isto ainda depende de autorização formal do governador Pedro Taques, bem como da definição da banca organizadora.

A expectativa é de que o certame conte com uma oferta de 1.200 postos, sendo 600 para o cargo de escrivão e 600 para investigador. Para as duas carreiras, para ingressar é necessário possuir formação de nível superior em qualquer área, com remuneração inicial de R$ 5.310,83, com jornada de trabalho de 40 horas semanais. Para investigador também é necessário possuir carteira de habilitação nas categorias “C” ou “D”.


Atribuições

No caso de escrivão, as atividades estão relacionadas com o recolhimento e análise de dados de interesse da investigação policial, em assessoria e sob designação de autoridade policial, além de cumprir despachos e portarias registradas por escrito pela autoridade, bem como lavrar os seguintes atos procedimentais: certificar atos cartorários e expedir intimações e notificações.
Já ao investigador cabe proceder, na ausência de autoridade policial, os devidos encaminhamentos aos procedimentos policiais nas tarefas que não forem privativas de autoridade policial, realizar intimações e notificações, assessorar estudos para a execução de projetos de organização e reorganização na área policial, efetuar prisões em flagrante e arrecadar instrumentos relacionados à prática de infrações penais, de acordo com as disposições legais.


Último Concurso

O último concurso para estas carreiras ocorreu em 2013 e foi organizado pela Funcab e contou com duas fases. Na primeira os participantes foram submetidos a provas objetivas, prova de digitação para escrivão, exames de saúde, testes de aptidão física, avaliação psicológica e investigação social.  Na segunda, os candidatos foram submetidos a um curso de formação profissional.   A parte objetiva contou com 70 questões, sendo 15 de língua portuguesa, dez de conhecimentos gerais e 45 de conhecimentos específicos. Das dez de conhecimentos gerais foram duas de ética e filosofia, quatro de atualidades e quatro de história e geografia do Mato Grosso. Já das 45 de conhecimentos específicos, cinco de noções de informática, seis de noções de direito administrativo, seis de noções de direito constitucional, seis de organização e estatuto da Polícia Judiciária Civil/MT, dez de noções de direito processual penal e 12 de noções de direito penal.

Atualizado: 09/04/2018 - 12:14

Concurso PC/MS: publicada autorização para 170 vagas

Nova seleção foi autorizada pelo governador Reinaldo Azambuja, para os cargos de perito, papiloscopista, legista e agente. Edital em maio

Níveis médio e superior

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

Foi confirmada, por meio de publicação em diário oficial, nesta segunda-feira, 9 de abril, a autorização do governador  Reinaldo Azambuja  para a realização do novo concurso público da Polícia Civil do Mato Grosso do Sul (PC/MS). A seleção já havia sido anunciada na última sexta, dia 6, quando o governador assinou a autorização públicada nesta segunda, durante evento oficial, na governadoria, no qual também foi assinada a alteração na lei orgânica da corporação, referente a promoções nas carreiras.  Ao todo serão oferecidas 170 vagas, sendo 90 para cargos com exigência de ensino médio e 80 para nível superior, com remunerações iniciais de até R$ 9 mil. A expectativa é de que a publicação do edital ocorra em maio.


As oportunidades de ensino médio são para os cargos de papiloscopista e agente de polícia científica, respectivamente, com 40 e 50 vagas. No caso de nível superior serão 40 postos de médico legista e 40 de perito criminal.


De acordo com o secretário de Justiça e Segurança Pública, Antônio Carlos Videira, os novos profissionais deverão suprir, principalmente, as necessidades do interior do estado. “ O concurso vai contemplar importantes cidades do interior e atender um anseio de toda a Polícia Civil “, disse.


Com as mudanças na lei orgânica, os critérios de promoção, que constavam de pelo menos dois anos na classe e fazer cursos necessários, tendo disponibilidade de vagas, passaram a exigir cinco anos de classe, fazer cursos e, com isto, ser promovido automaticamente.

 

Seleção Anterior
O último concurso para Polícia Civil do estado ocorreu em 2017, quando foram oferecidas 210 vagas, sendo 100 para o cargo de investigador, 80 para escrivão e 30 para delegado.

 

 

Shopping