Tribunal Regional Federal (SP e MS)

Concurso TRF 3: seleção pode ser autorizada nesta quinta (18)

Novo concurso TRF 3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) já foi anunciado pela presidente do órgão, desembargadora Therezinha Cazerta. Expectativa de vagas para níveis médio e superior, com iniciais de até R$ 11,8 mil

Fernando Cezar Alves
Publicado em 18/07/2019, às 12h00

Sede do Tribunal Regional da 3ª Região
Divulgação

O aguardado concurso TRF 3 (Tribunal Regional Federal da 3ª região) para o ano de 2019, que engloba os estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, pode ser autorizado nesta quinta-feira, 18 de julho. Acontece que a presidente do órgão, desembargadora Therezinha Cazerta, publicou, em diário oficial, convocação especial para uma sessão extraordinária administrativa, às 14 horas, para autorização do certame.  

Em 28 de junho, a desembargadora já havia confirmado que o certame continua em estudos, mas "as contenções orçamentárias dificultam sua realização, pois o custo respectivo é da ordem de R$ 8 milhões", quando questionada pelo desembargador Mairan Maia. A presidente explicou que o total arrecadado com as inscrições já não é mais suficiente para cubrir os custos, como ocorria antigamente. De qualquer forma, ressaltou que a seleção continua em estudos e se faz necessária, de forma que deve se concretizar assim que superadas as dificuldades de ordem financeira.  Ao que tudo indica, uma solução foi encontrada e a seleção já poderá ter início.

O concurso TRF 3 já havia sido anunciado pela presidente do órgão em novembro, durante apresentação com o ministro do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, quando disse que o projeto de reestruturação da primeira instância da Justiça Federal fará com que o órgão efetivamente necessite realizar  novo concursopara reposição de seu quadro de pessoal. "Temos uma carência grande de servidores, sem possiblidade de novas nomeações", disse. 

• CURSO TÉCNICO E ANALISTA JUDICIÁRIO

Antes disso, em abril do mesmo ano, a coordenadora da Comissão de Acessibilidade e Inclusão do órgão, juíza Luciana Ortiz Tavares Costa Zanoni, antecipou que já estavam sendo feitos estudos preliminares, durante reunião com a diretoria do Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal do Estado de São Paulo (Sintrajud). 

Na ocasião, a juíza confirmou que o problema de déficit de pessoal se agravou em decorrência do aumento do número de aposentadorias, provocada pelas preocupações dos servidores com a Reforma da Previdência e com os efeitos da Emenda Constitucional 95/2016, que congelou os orçamentos dos órgãos públicos por 20 anos. “Ainda que façamos economia em outras áreas, não podemos nomear servidores, salvo nos casos autorizados”, lembrou a juíza, mencionando as limitações impostas pela EC 95. “Ficamos de mãos amarradas. Assim como servidores, faltam juízes”, disse.

O órgão confirma que conta com autorização do Conselho Federal de Justiça (CFJ) para o preenchimento de 69 vagas, no sentido de repor aposentadorias de servidores. Mas ainda não está copnfirmado as oportunidades serão para juízes ou para técnicos e analistas.

A intenção é de que os preparativos para a seleção sejam iniciados o quanto antes, uma vez que a validade da última grande seleção, iniciada em 2013, encerrou em 25 de abril de 2018. Depois disso, o órgão realizou outro concurso, em 2015, somente para algumas áreas específicas de técnicos e analistas.

Com isto, embora os cargos e vagas do novo concurso ainda não estejam confirmadas, a tendência é de que sejam aproximadamente para as mesmas opções do concurso TRF 3ª de 2013, para as carreiras de técnico e analista judiciário, destinadas, respectivamente, a quem possui níveis médio e superior. As três principais áreas, que tendem a ser oferecidas na próxima seleção, são as de técnico judiciário na área administrativa, que pede apenas ensino médio; analista judiciário na área administrativa, para quem possui formação de nível superior em qualquer área; e analista judiciário na área judiciária, para quem possui formação em direito.

As remunerações iniciais atualmente são de R$ 8.475,36 para os técnicos e R$ 13.339,30 para analistas, já considerando o auxílio-alimentação de R$ 884 por mês.

Saiba como foi o  último concurso TRF 3

No concurso do TRF 3ª de 2013 foram oferecidas 260 vagas, sendo 125 para analistas e 135 para técnicos. Do total, 195 foram para a região metropolitana de São Paulo, 50 para o interior e 15 para o Mato Grosso do Sul. A banca organizadora, na ocasião, foi a Fundação Carlos Chagas.

No caso de técnicos, a seleção foi para as áreas administrativa, administrativa – segurança e transporte,  telecomunicações e eletricidade, contabilidade, enfermagem, informática e segurança do trabalho.

Para os analistas, áreas judiciária, judiciária oficial de justiça avaliador federal, arquivologia, biblioteconomia, contador, engenharia civil, engenharia mecânica, informática, informática – banco de dados, informática –infraestrutura, medicina – cardiologia, medicina – ortopedia,  medicina – psiquiatria, psicologia do trabalho e serviço social.

Prova anterior TRF 3

Para auxiliar nos estudos, o JC Concursos liberou as provas anteriores do órgão, além dos gabaritos para consulta das questões aplicadas para os cargos de técnico e analista. É importante avaliar se a organizadora será a mesma para o novo concurso TRF 3 SP e MS, direcionando a preparação para o estilo da banca.

Acompanhe os detalhes do concurso TRF3 2019.

Comentários

Mais Lidas