Dúvidas inúteis

Resolvi elencar algumas das principais dúvidas inúteis que recebo diariamente dos concurseiros de todo o Brasil e como você deve tratá-las se de alguma forma elas começarem a invadir os seus pensamentos

Daniel Sena
Publicado em 24/05/2017, às 11h18

Todos os dias recebo inúmeros e-mails e mensagens nas minhas redes sociais com preocupações inúteis que atravancam a caminhada dos concurseiros. O pior é que sem perceberem, essas ansiedades só ocupam a cabeça de quem precisa e depende do foco para obter um ótimo resultado. Nesse artigo, resolvi elencar algumas das principais dúvidas inúteis que recebo diariamente dos concurseiros de todo o Brasil e como você deve tratá-las se de alguma forma elas começarem a invadir os seus pensamentos.
1ª dúvida inútil: professor, quando sai o edital X?
Essa é a campeã de todas as perguntas que recebo diariamente. Basta uma notícia no jornal ou qualquer coisa parecida para chover mensagens perguntando sobre o lançamento do edital. Primeiro, eu preciso te dizer com todo amor e carinho, que não tenho ideia de quando o edital será lançado. Não tenho informação privilegiada e tudo que eu sei sobre o lançamento do edital eu descubro quando essa informação é anunciada pelo órgão, logo, todas as pessoas podem descobrir também. Segundo motivo pelo qual eu considero essa informação inútil, é porque ela acaba desiquilibrando seu estado emocional gerando ansiedade. Responda-me com sinceridade: você consegue estudar ao mesmo tempo em que está ansioso com alguma coisa? Eu não consigo e duvido que consiga também. A ansiedade nos rouba o foco e o que acontece? Você começa a ler o texto e, como diria minha mãe, “fica pensando na morte da bezerra”. Sem estar completamente focado no seu estudo é impossível ter um aprendizado eficiente. Agora, um dos motivos mais relevantes para considerar essa pergunta inútil é que ao ser publicado o edital você já precisará estar preparado. Ninguém consegue se preparar para um concurso decente em 60 dias. Qualquer preparação de qualidade exige tempo e dedicação com antecedência ao edital. Quando o edital é publicado ele precisa te encontrar preparado. Os 60 dias que se seguem servirão apenas para revisar o conteúdo e refinar o que você aprendeu ao longo da caminhada. Então, pare de ficar preocupado com a saída do edital porque ela não vai ajudar em nada na sua aprovação. 
2ª dúvida inútil: professor, quantas pessoas se inscreverão para esse concurso? Você acha que a concorrência será grande?
Queridos, eu não tenho ideia de quantas pessoas se inscreverão no concurso antes das inscrições acabarem e a banca publicar a quantidade de inscritos. Eu descubro essa informação exatamente ao mesmo tempo que todos os demais concurseiros. E para piorar, ela geralmente é publicada nos dias que antecedem a prova. Imagine o camarada que ficou esperando essa informação ser publicada todos os dias ao longo da sua preparação. Essa também é uma preocupação inútil pois interfere no seu estado emocional e rouba o seu foco. Vou além disso. A quantidade de inscritos não faz diferença para quem está preparado. Ela acaba sendo a melhor desculpa para quem vacilou na preparação. “Eu não passei porque tinham muitos concorrentes”. Meu amigo, nesse jogo, o único concorrente que você realmente precisa vencer é a si mesmo. Você precisa vencer sua preguiça, seu sono, sua falta de foco, sua capacidade de procrastinar e tudo o que sua própria mente produz e que sabota sua capacidade de arrebentar na prova. Lembre-se sempre disso a partir de hoje. Ao invés de perder tempo preocupado com a concorrência, ocupe-se com a sua preparação. Ela te possibilitará vencer todos os seus desafios.
3ª dúvida inútil: professor, e seu eu não passar nessa prova? Tenho medo de ser reprovado.
Essa é literalmente uma das preocupações mais inúteis que um concurseiro deve ter. Quem entra no jogo tem que saber que a possibilidade de reprovar é inerente a chance de ser aprovado. A regra é reprovar! Ter medo de ser reprovado é como ter medo de se molhar ao ficar sentado perto da piscina cheia de crianças brincando. Você vai se molhar, é inevitável. Se não quer se molhar nem vai lá. Se tem medo de reprovar nem se inscreva no concurso. Procura outra coisa para fazer da vida. Quando se decide estudar para concurso você precisa entender que a possibilidade de reprovação é real e ela te alcançará todas as vezes que você não estiver preparado o suficiente para aquela prova. Ao sentir medo, você ocupa sua mente com inúmeros sentimentos sabotadores. O seu corpo sente isso e age para confirmar o que você está pensando. Aí você reprova e toda sua teoria fica comprovada na prática. É por isso que muitas pessoas que reprovam acabam desistindo de estudar para concurso. Mas Daniel, o que eu devo fazer? Simples. Encare a reprovação como um feedback. Reprovação significa apenas que você errou algumas questões e não estava preparado totalmente para aquela prova. Corrija seus erros e siga em frente. Com o tempo, a sobreposição do conteúdo fará algo grandioso por você e o resultado chegará. Tenha certeza disso! Ninguém me contou, eu vivi isso. Reprovei mais de 70 vezes para conseguir ser aprovado 7 vezes e valeu muito a pena. Se tivesse sido aprovado apenas uma vez teria valido a pena. Então não tenha medo, apenas estude e acredite que quando o conteúdo estiver fixado na sua mente de forma suficiente você conseguirá obter o seu resultado. 
Existem muitas outras dúvidas como essas que também considero inútil, mas que não será possível abordá-las agora em razão do nosso espaço editorial. Mas pode ter certeza que elas estarão todas elencadas no meu livro que lançarei neste ano. 
Por hora, essas aqui já estão mais que suficientes para ajudá-lo rumo à aprovação. Para finalizar, deixo uma dica para você que se identificou com algumas dessas dúvidas inúteis. Todas as vezes que alguma questão como essas se apoderar do seu pensamento faça uma pequena pergunta a si mesmo: como essa pergunta pode me ajudar a ser aprovado no concurso? Responda-a com sinceridade. Se concluir que ela não te ajudará, substitua a dúvida inútil por outro pensamento que te ajudará, tipo memorizar os cargos privativos de brasileiros natos. E vamos que vamos rumo à aprovação!
Daniel Sena é advogado, professor de direito constitucional, palestrante e coach para concurso público. Site: www.danielsena.com.br

Comentários

Mais Lidas