Tudo Sobre

Concurso Prefeitura Votuporanga

Votuporanga/SP abre concurso para controlador interno

A Prefeitura Municipal de Votuporanga, no interior paulista, vai receber inscrições para controlador interno até o dia 3 de março. Salário de R$ 5,3 mil



Renan Abbade
Publicado em 03/02/2016, às 12h17

No interior do Estado de São Paulo, a Prefeitura de Votuporanga divulgou o edital do concurso público que vai preencher duas vagas no cargo de controlador interno.

A carreira requer ensino superior completo e Carteira Nacional de Habilitação (CNH) A/B. Com jornada de trabalho de 40 horas semanais, o salário é de R$ 5.379,42.

Inscrições no concurso


As participações no concurso da Prefeitura de Votuporanga deverão ser garantidas até o dia 3 de março pelo endereço eletrônico da Fundação de Apoio à Pesquisa e Extensão de São José do Rio PretoFaperp (www.concursosfaperp.com.br), organizadora do processo seletivo.

O valor da taxa de inscrição é de R$ 120.

Etapas do concurso


O concurso da Prefeitura de Votuporanga envolverá prova objetiva, prova discursiva, prova oral, prova de títulos e avaliação psicológica.

Com quatro horas de duração, a avaliação objetiva está marcada para o dia 13 de março, em locais e horários a serem disponibilizados a partir de 9 de março no site das inscrições.

Os exames trarão 80 questões, sendo 15 de língua portuguesa, 15 de raciocínio lógico/matemática, 10 de conhecimentos gerais e atualidades, 10 de noções de informática e 30 de conhecimentos específicos.

Na mesma data, mas em período distinto, será aplicada a prova discursiva.

Atribuições do controlador interno


Avaliar o cumprimento das metas físicas e financeiras dos planos orçamentários, bem como a eficiência de seus resultados; comprovar a legalidade da gestão orçamentária, financeira e patrimonial; comprovar a legalidade dos repasses a entidades do terceiro setor, avaliando a eficácia e a eficiência dos resultados alcançados; exercer o controle das operações de crédito, avais e garantias, bem como dos direitos e haveres do município; em conjunto com autoridades da administração financeira do município, assinar o relatório de gestão fiscal; atestar a regularidade da tomada de contas dos ordenadores de despesa, recebedores, tesoureiros, pagadores ou assemelhados; coordenar as atividades relacionadas com o sistema de controle interno da prefeitura, promovendo a integração operacional, orientando a elaborando dos atos normativos sobre os procedimentos de controle; apoiar o controle externo no exercício de sua missão institucional, supervisionado e auxiliando as unidades executoras no relacionamento com o Tribunal de Contas do Estado, quanto ao encaminhamento de documentos e informações, atendimento às equipes técnicas, recebimento de diligências, elaboração de respostas, tramitação dos processos e apresentação dos recursos; assessorar a administração nos aspectos relacionados com o controle interno e externo e quanto à legalidade dos atos de gestão, emitindo relatórios e pareceres sobre os mesmos; interpretar e pronunciar-se sobre a legislação concernente à execução orçamentária, financeira e patrimonial; medir e avaliar a eficiência, eficácia e efetividade dos procedimentos de controle interno, através das atividades de auditoria interna a serem realizadas, mediante metodologia e programação próprias, nos diversos sistemas administrativos da prefeitura, expedindo relatórios com recomendações para o aprimoramento dos controles; avaliar o cumprimento dos programas, objetivos e metas espalhadas no plano plurianual, nas lei de diretrizes orçamentárias e no orçamento, inclusive quanto a ações descentralizadas executadas à conta de recursos oriundos dos orçamentos fiscais e investimentos; exercer o acompanhamento sobre a observância dos limites constitucionais, da lei de responsabilidade fiscal e os estabelecidos nos demais instrumentos legais; estabelecer mecanismos voltados a comprovar a legalidade e a legitimidade dos atos de gestão e avaliar os resultados, quanto à eficácia, eficiência e economicidade na gestão orçamentária, financeira, patrimonial e operacional da prefeitura, bem como, na aplicação de recursos públicos por entidades de direito privado; exercer o controle das operações de crédito, avais e garantias, bem como dos direitos e haveres do ente; supervisionar as medidas adotadas pelos poderes, para o retorno da despesa total com pessoal ao respectivo limite, caso necessário, nos termos dos artigos 22 e 23 da lei de responsabilidade fiscal; tomar as providências, conforme o disposto no art. 31 da lei de responsabilidade fiscal, para recondução dos montantes das dívidas consolidada e mobiliária aos respectivos limites; aferir a destinação dos recursos obtidos com a alienação de ativos, tendo em vista as restrições constitucionais e as da lei de responsabilidade fiscal; acompanhar a divulgação dos instrumentos de transparência da gestão fiscal nos termos da lei de responsabilidade fiscal, em especial quanto ao relatório resumido da execução orçamentária e ao relatório de gestão fiscal, aferindo a consistência das informações constantes de tais documentos; participar do processo de planejamento e acompanhar a elaboração do plano plurianual, da lei de diretrizes orçamentárias e lei orçamentária; manifestar-se, acerca da regularidade e legalidade de processo licitatório, sua dispensa ou inexigibilidade e sobre o cumprimento e/ou legalidade de atos, contratos e outros instrumentos congêneres; propor a melhoria ou implantação de sistema de processamento eletrônico de dados em todas as atividades de administração pública, com o objetivo de aprimorar os controles internos, agilizar as rotinas e melhorar o nível das informações; instituir e manter sistema de informações para o exercício das atividades finalísticas do sistema de controle interno; verificar os atos de admissão de pessoal, aposentadoria, reforma, revisão de proventos e pensão para posterior registro no Tribunal de Contas; manifestar através de relatórios, auditorias, inspeções, pareceres e outros pronunciamentos voltados a identificar a sanar as possíveis irregularidades; alertar formalmente a autoridade administrativa competente para que instaure imediatamente a tomada de contas, sob pena de responsabilidade solidária, as ações destinadas a apurar os atos ou fatos, inquinados de ilegais, ilegítimos ou antieconômicos que resultem em prejuízo ao erário, praticados por agentes públicos, ou quando não forem prestadas as contas ou, ainda, quando ocorrer desfalque, desvio de dinheiro, bens ou valores públicos; revisar e emitir parecer sobre os processos de tomadas de contas especiais instaurados pela prefeitura, determinadas pelo Tribunal de Contas do Estado; representar ao TCE, sob pena de responsabilidade solidária, sobre as irregularidades e ilegalidades identificadas e as medidas adotadas; emitir parecer conclusivo sobre as contas anuais prestadas pela administração; realizar outras atividade de manutenção e aperfeiçoamento do sistema de controle interno.

+ Resumo do Concurso Prefeitura Votuporanga

Prefeitura Votuporanga
Vagas: 2
Taxa de inscrição: R$ 120
Cargos: Controlador Interno
Áreas de Atuação: Administrativa, Auditoria
Escolaridade: Ensino Superior
Faixa de salário: Até R$ 5379,42
Organizadora: Faperp
Estados com Vagas: SP
Cidades: Votuporanga - SP

+ Agenda do Concurso

29/01/2016 Abertura das inscrições Adicionar no Google Agenda
03/03/2016 Encerramento das inscrições Adicionar no Google Agenda
09/03/2016 Prova Adicionar no Google Agenda
13/03/2016 Prova Adicionar no Google Agenda
13/03/2017 Divulgação do Resultado Adicionar no Google Agenda

Comentários

Mais Lidas