Tudo Sobre

Concurso MPOG

Prepare-se para concursos públicos em meio à crise

Especialistas enfatizam que os concurseiros devem manter a rotina de estudos mesmo com a suspensão temporária de concursos no Executivo e falam sobre as melhores áreas no momento



Camila Diodato
Publicado em 29/06/2016, às 11h41

A estabilidade empregatícia e os altos salários são almejados por milhares de brasileiros que prestam concursos públicos, mas a jornada é difícil e árdua. Para se tornar um funcionário público é necessário dedicar boa parte do tempo para estudar, e com bastante foco.
O problema é que, nas últimas semanas, muitas pessoas ficaram surpresas com o anúncio da suspensão dos concursos do âmbito federal e começaram a se questionar sobre o futuro dos concursos e a necessidade de continuar estudando em meio à atual crise. 
De acordo com o professor de direito constitucional e coordenador do Curso Focus, Daniel Sena, “geralmente em meio às crises, as pessoas costumam ficar desanimadas e acabam diminuindo os estudos. Considero essa uma excelente oportunidade para os mais determinados. Particularmente acredito que por mais que os concursos diminuam nesse momento, em algum momento eles retornarão e quando retornarem pegarão alguns desprevenidos e outros preparados. Continuar os estudos nesse momento fará toda diferença lá na frente”.
O coordenador do Projeto Persevere, Rodrigo Lélis, tem a mesma opinião sobre a preparação. “O aluno irá agradecer por ter escolhido continuar a estudar nesse período. Haverá muitas vagas depois e quem não parar é quem vai obter essas vagas, agora quem parou e voltou, esse ficará lá no final da fila, esperando alguns anos para obter a aprovação”, enfatizou.
A crise político-financeira no Brasil afetou temporariamente o setor dos concursos, pois o objetivo atual do governo é conter gastos. Entretanto, a máquina pública não pode parar, e alguns setores dependerão de novos profissionais constantemente, e uma hora ou outras as seleções serão publicadas. Fora isso, a suspensão anunciada pelo ministro interino do Planejamento, Dyogo Oliveira, refere-se apenas ao Poder Executivo. Ou seja, as outras áreas podem continuar a contratar servidores.
“A suspensão foi direcionada basicamente aos concursos do Poder Executivo da União contudo, as áreas estratégicas costumam ficar de fora destes cortes para contenção de despesas. Refiro-me às áreas de segurança pública e fiscais. Estas duas, especialmente, possuem um papel fundamental na criação de receita, logo, convém ao governo manter estes concursos. Além disso, os órgãos dos demais Poderes como do Judiciário, por terem autonomia financeira, devem manter sua previsão de concursos. Os concursos que já estavam autorizados ou mesmo previstos no orçamento também serão mantidos. E ainda tem os concursos estaduais e municipais que em razão da sua autonomia federativa poderão realizar os concursos que desejarem. Tenho plena convicção que não faltará concurso público para os que continuarem estudando”, explica Daniel Sena.
Para as pessoas que têm o intuito de ingressar o mais rápido na carreira pública, Rodrigo Lélis, também comenta que há outras possibilidades, como as dos âmbitos municipais e federais, além dos Poderes Judiciário e Legislativo.
Mas, apesar deste cenário, muitos concurseiros não se abalaram e veem tal situação apenas como uma oportunidade para estudar por mais tempo. A aluna do Projeto Persevere, Ludmilla Reis, de 31 anos, se prepara para os concursos da Procuradoria Geral do Estado do Rio de Janeiro (PGE/RJ) e do Tribunal Regional Federal (TRF). Ao ser perguntada se ficou inseguro com a atual situação do país, ela é enfática: “Pelo contrário, me sinto mais estimulada para conseguir a tão sonhada estabilidade financeira. Quanto mais tempo para se preparar melhor. Não me preocupo com os editais, quero me preparar bastante e ir para à prova confiante”.
Outro estudante do Projeto Persevere é o Marco Antônio Junior, de 24 anos, que se prepara para o processo seletivo da PGE/RJ. O jovem comenta que estuda todos os dias e fala sobre a importância de se preparar mesmo com a demora do edital. “Estudo é como um quebra-cabeça que o estudante deve ir montando gradativamente. Foco e perseverança é a chave da porta para a carreira pública. Portanto, antes do edital ser liberado, o estudante deve manter um gráfico crescente de estudo, e sem dúvida quando o concurso for lançado o candidato perseverante sairá na frente”, comenta.

Entenda a situação


No dia 7 de junho, o ministro interino do Planejamento afirmou em coletiva de imprensa que a realização de concursos na esfera estadual permaneceria suspensa até 2017. Na ocasião, o ministro ainda explicou que o provimento de seleções em andamento e as autorizações contempladas não seriam afetadas.
Desta forma, as nomeações para processos seletivos como os doINSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) continuariam permanecidas. E os concursos para Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), Inca (Instituto Nacional do Câncer) e Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), autorizados em abril, também não seriam afetados.
APOSTILA CONCURSO MPOG - ANALISTA TÉCNICO-ADMINISTRATIVO
Outra informação contida em nota do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) é o seguinte: “O impedimento à realização de novos concursos não abrange, por força dos decretos 6.944/2009 e 8.326/2014, as carreiras de advogado da União, de procurador da Fazenda Nacional e de procurador federal, cujos atos são praticados pelo advogado-geral da União; a carreira de defensor público da União, cujos atos são praticados pelo defensor público-geral; a carreira de diplomata, cujos atos são praticados pelo ministro de Estado das Relações Exteriores; e a carreira de policial federal, cujos atos são praticados pelo diretor-geral do Departamento de Polícia Federal. Pelos mesmos atos normativos, a suspensão de concursos também não se aplica às universidades públicas federais que poderão contratar novos professores e substitutos dentro da reserva de cargos vagos existente para cada universidade”.

Ajustes fiscais anteriores


A suspensão de concursos em caráter temporário é uma prática que já chegou a ser adotada pelo Governo Federal em momentos de crise econômica, sem que representasse, efetivamente, congelamento de contratações, o que poderia comprometer o bom desempenho dos serviços públicos.
Em 2011, no dia 26 de abril, a então ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), Miriam Belchior, também realizou uma suspensão temporária na contratação de pessoal, com o objetivo de cumprir um corte orçamentário de R$ 50 bilhões, com o objetivo de combater a ameaça de inflação. Na ocasião, a pasta promoveu uma análise nos concursos que contavam com prazo de vencimento previsto para aquele ano, que teriam prioridade. A ministra ressaltou que a suspensão valeria somente para 2011 e não para os quatro anos de governo. Ao final do ano, o governo liberou 24.745 vagas somente no Poder Executivo.
Antes disso, em 2010, o governo também já havia realizado um bloqueio no orçamento federal, no valor de R$ 21,8 bilhões. No decorrer do ano, cortou mais R$ 10 bilhões em gastos no orçamento, mas, ainda no mesmo ano, liberou parte dos valores bloqueados.   

Opções de concursos abertos e previstos


Para quem acha que não tem concurso, saiba que está errado, pois, atualmente, há mais de 25.000 vagas abertas em todo o país e para diversos níveis de escolaridade. O destaque vai para a seleção do IBGE, que inscreve para 7.825 oportunidades temporárias para agente de pesquisa e mapeamento, agente de pesquisa por telefone e supervisor de pesquisas; organizado pela Fundação Cesgranrio, este processo seletivo recebe as inscrições até 19 de julho, confira mais informações aqui
Alguns dos outros concursos abertos são os dos órgãos a seguir: Câmara de Osasco/SP (138 vagas), Conselho Regional de Psicologia/SP (74), Prefeitura de Pontalinda/SP (57), Câmara de Nilópolis/RJ (161), Prefeitura de Rio Bonito/RJ (440), Prefeitura de Viçosa/MG (88), Prefeitura de Itabirito/MG (122), Conselho Regional de Administração/GO (287), Prefeitura de Maceió/AL (235), Universidade Federal do Ceará/CE (34), Prefeitura de Santa Rita/PB (161), Prefeitura de Teresina/PI (118), Tribunal de Contas do Estado do Paraná/PR (12) e Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina/SC (102). Confira a lista completa de concursos abertos no Brasil aqui.
No caso de previstos, a expectativa é de que milhares de ofertas sejam lançadas nos próximos meses. Entre as seleções mais aguardadas estão as da Agência Reguladora de Serviços Públicos de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp); Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual/SP (Iamspe); Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE/SP); Prefeitura de Belford Roxo/RJ; Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF 2); Tribunal de Contas do Estado do Alagoas (TCE/AL); Polícia Militar do Ceará (PM/CE); Secretaria de Finanças do Estado de Rondônia (Sefin); e Polícia Militar do Tocantins (PM/TO). Veja todos os concursos previstos aqui.

+ Resumo do Concurso MPOG

MPOG
Vagas: Não definido
Taxa de inscrição: Não definido
Cargos: Não definido
Áreas de Atuação: Não definido
Escolaridade: Não definido
Faixa de salário:
Organizadora: O próprio órgão
Estados com Vagas: AC, AL, AM, AP, BA, CE, DF, ES, GO, MA, MG, MS, MT, PA, PB, PE, PI, PR, RJ, RN, RO, RR, RS, SC, SE, SP, TO

+ Agenda do Concurso

29/06/2017 Divulgação do Resultado Adicionar no Google Agenda

Comentários

Mais Lidas