Inicial de R$ 24,8 mil

MP SP encerra hoje inscrições de concurso para promotor

Para concorrer a uma das 80 vagas do concurso do MP SP (Ministério Público de São Paulo) é necessário possuir formação superior em direito e três anos de prática jurídica

Fernando Cezar Alves
Publicado em 27/03/2019, às 09h44 - Atualizado em 25/04/2019, às 09h56

Chega ao fim nesta quinta-feira, dia 25 de abril, o prazo de inscrição do concurso para promotor do MP/SP (Ministério Público do Estado de São Paulo). A oferta é de 80 vagas iniciais, além daquelas que forem surgindo até a data de aplicação da prova preambular. 

Para concorrer ao cargo é necessário possuir formação de nível superior em direito, além de três anos de atividades jurídicas. A remuneração inicial da categoria é de R$ 24.818,71.

• CURSO PROMOTOR DE JUSTIÇA

As inscrições podem ser feitas na página eletrônica do órgão, que é www.mpsp.mp.br. A ficha cadastral estará disponível até as 21h. A taxa é de R$ 280.

Provas

A seleção contará com prova preambular, prova escrita e avaliação oral. A data de aplicação da primeira prova preambular já foi divulgada e será no dia 30 de junho de 2019.

A prova objetiva contará com 100 questões, sendo 15 de direito penal, 12 de direito processual penal, dez de direito civil, dez de direito processual civil, 12 de direito constitucional, seis de direito da infância e da juventude, quatro de direito comercial e empresarial, 14 de tutela de interesses difusos, coletivos e individuais homogêneos, quatro de direitos humanos, dez de direito administrativo e três de direito eleitoral.   

Para a segunda fase, composta de prova escrita, serão convocados os melhores colocados no exame objetivo, dentro de um limite de oito vezes o número de vagas oferecido no concurso. Também serão considerados os participantes empatados dentro deste limite.

A banca deve elaborar três versões da prova escrita, para sorteio de uma no momento do exame. A primeira contará com uma dissertação sobre direito penal, uma peça prática com ênfase em temas de direito processual penal e pelo menos uma questão sobre temas de tutela de interesses difusos, coletivos e individuais homogêneos.

Na segunda haverá uma dissertação sobre direto processual penal, uma peça prática com ênfase em temas de direito penal e pelo menos uma questão sobre tutela de interesses difusos, coletivos e individuais homogêneos.

A terceira versão contará com uma dissertação sobre temas de tutela de interesses difusos, coletivos e individuais homogêneos, uma peça prática com ênfase em direito processual penal e duas questões sobre direito penal.

Cada dissertação valerá três pontos. Já a peça prática valerá dois e cada questão, um ponto.

Serão convocados para a prova oral os melhore colocados na parte escrita dentro de um limite de duas vezes o número de vagas. Também serão considerados os participantes empatados dentro deste limite.
 

Mais Lidas