Para sempre ou só por um momento?

Faço-me essa pergunta há anos todas as vezes que tenho a minha frente dois caminhos a seguir, duas possibilidades e uma escolha.

Ivan
Publicado em 27/02/2015, às 17h25

Daniel Sena

Faço-me essa pergunta há anos todas as vezes que tenho a minha frente dois caminhos a seguir, duas possibilidades e uma escolha. Tenho certeza que você também já se encontrou em situação semelhante, mas não tenho ideia se você fez as melhores escolhas, isso só você pode saber. Eu sei das minhas e sou muito feliz com o resultado que alcancei até agora. Para isso, todas as vezes que tive que tomar decisões importantes, eu sempre pensava em que tipo de consequência eu gostaria de experimentar.

Para sempre ou só por um momento? Essa é a pergunta que me norteia. O que eu quero com essa escolha? Algo para sempre ou algo por um momento? Quero felicidade para sempre ou só por um momento? Quero prazer para sempre ou só por um momento? Quero estar em paz para sempre ou só por um momento? Cada pergunta enfrenta a mesma coisa: as consequências das nossas escolhas.

Conheço pessoas que nunca pensam nas consequências das suas atitudes e depois se arrependem amargamente por anos. Também conheço pessoas que preferem viver o prazer do agora sem se preocupar em nada com o futuro. Apenas agem por impulso, sem medir as consequências das suas atitudes; não planejam, não investem em coisas mais valiosas; são imediatistas, consumistas.

Quem opta por construir uma vida mais repleta de realização, não pode viver os momentos dissociados de uma expectativa futura. Exatamente porque os prazeres momentâneos não satisfazem todos os anseios humanos. Por mais prazeroso que seja cada momento, precisamos muito mais do que momentos para sermos plenos e felizes com nossas escolhas. Deve ser por isso que alguns trocaram o Carnaval pelos estudos. Quem conseguiu fazer isso, fez com essa perspectiva de trocar o momento pelo para sempre.

Na verdade, não trocamos, adiamos o consumo. Quando deixo de fazer algo que me dá prazer hoje para estudar para um concurso, o que estou fazendo é adiando esse prazer para outro momento. Eu escolho adiar para curtir mais. Eu escolho adiar porque sei que será melhor depois que minha vida profissional e financeira estiver resolvida.

Vi vários posts após o Carnaval nas redes sociais com o seguinte comentário: “voltando à realidade”. É exatamente isso que ocorre com quem não está com a parte mais importante da vida resolvida. Ele saiu, dançou, curtiu, bebeu e alimentou a ilusão de que sua vida estava uma maravilha. Quando volta, está todo endividado, perdeu a namorada e a realidade é bem diferente da alegria que ele viveu naqueles dias. E não estou aqui para falar mal do Carnaval, até porque eu o adoro! Adoro sair, adoro beber, adoro curtir minha vida, mas antes de fazer isso eu já havia feito outra escolha.

Lá atrás, quando eu decidi estudar para concurso, fiz uma escolha. Adiei o prazer de pular o Carnaval para poder estudar, pois sabia que a maioria dos meus concorrentes não seria tão forte assim. Hoje, quando chega o Carnaval, eu posso pular à vontade, tenho dinheiro para viajar para onde quiser e aproveitar o Carnaval muito melhor do que aproveitaria na época dos meus estudos. Eu adiei o meu consumo para consumir melhor. Essa é a ideia que quero compartilhar com você agora.

Quando você opta por algo que é para sempre em detrimento de algo que é só o momento, você se depara com a oportunidade maravilhosa de viver o prazer do momento para sempre! Esta mensagem tem dois destinatários: os que só curtem os momentos e os que buscam curtir para sempre.

Para quem gosta de aproveitar o momento e deseja passar em um concurso, sugiro que você inverta essa lógica sob pena de não alcançar a aprovação que tanto deseja. A maioria dos alunos que vem em meu curso não consegue entender a lógica que nos leva à aprovação. Eles querem viver a vida do mesmo jeito que viviam e ainda desejam passar em concurso. Sinto informar, mas o jogo não funciona assim! As suas renúncias dizem muito mais sobre você do que as suas escolhas e se não estiver disposto a renunciar o que não contribui para a realização dos seus sonhos, eles jamais serão realizados.

Para quem já fez essa opção, adiando a realização para quando estiver em uma condição melhor, parabéns! Você está no caminho certo! Todas as pessoas que conheço e que passaram em bons concursos fizeram exatamente isso e estão muito felizes com a escolha que fizeram – isso inclui eu. E o mais interessante é que todos que já passaram por esse caminho e viveram essa realidade de adiamento do consumo aproveitam muito mais a vida, com mais qualidade e alegria.

Eu, particularmente, prefiro me espelhar em quem já chegou onde desejo do que naqueles que ainda estão na busca pela realização. Logo, procuro sempre seguir o caminho que eles percorreram, pois sei que se alguém chegou, eu também poderei chegar. Quem quer passar em concurso precisa pensar nisso. Quem quer passar em concurso precisa entender que o para sempre que o cargo público representa só será alcançado se você abrir mão dos momentos que não te levam até ele. Simples assim! Caso contrário, sua vida será repleta de momentos, sempre incompletos, sempre pendentes de algo a mais. Uma vida plena é aquela em que os momentos são para sempre.

E aí? O que você vai querer? Ser realizado para sempre ou só por um momento?

Daniel Sena é diretor do AlfaCon São Paulo, professor de direito constitucional e especialista em concursos públicos. Twitter:@ProfDanielSena. Facebook: /Profdanielsena.

Comentários

Mais Lidas