Reclamar resolve alguma coisa?

“Se você anda triste porque tem uma pedra em seu sapato, a última coisa que precisa é de aconselhamento. Falar da pedra no sapato não fará o seu pé parar de doer”

Daniel Sena
Publicado em 27/04/2016, às 15h10

A prova do INSS está chegando e, com isso, a tensão vai aumentando. É como se uma sensação de desespero começasse a pairar na mente de todos que estão concorrendo às vagas desse concurso.
Sob esse sentimento, na última semana, um aluno me procurou aqui em Cascavel/PR para conversar sobre a sua nota no último simulado. Ele estava decepcionado com seu desempenho porque não estava conseguindo obter bons resultados. Aproveitou para pedir minha opinião, pois estava com vontade de não ir para a prova e, ainda por cima, estava pensando em parar de fazer o curso. 
Como lhe dei atenção, emendou várias considerações sobre sua vida pessoal que estavam o atrapalhando nesse momento, como a falta de dinheiro, a falta de credibilidade que recebia da sua família, a falta de tempo para o estudo, coisas que só aprofundavam o seu medo de não passar nesse concurso.
Percebi que quanto mais ele reclamava, mas se afundava naquela situação que o impedia de estudar, pois sua cabeça estava cheia de coisas que o faziam se sentir desmotivado e sem esperança para continuar lutando por esse objetivo. 
Olhei bem para os seus olhos e me lembrei de um artigo que escrevi há algum tempo e, inclusive, já publiquei aqui, chamado Pedra no Sapato. Nessa publicação eu citei um pensamento que carrego comigo até hoje e que tem me ajudado a resolver os problemas para poder caminhar melhor: “Se você anda triste porque tem uma pedra em seu sapato, a última coisa que precisa é de aconselhamento. O que você tem que fazer é simplesmente tirar a pedra do sapato. Falar da pedra no sapato não fará o seu pé parar de doer”.
Quando ouvi isso pela primeira vez fez muito sentido para mim e, certamente, fará sentido para você. Todos temos algum tipo de pedra no sapato. Algo que nos atrapalha, que nos incomoda que nos tira a vontade de lutar pelos nossos objetivos e de vencer. São problemas familiares, às vezes de saúde, ou mesmo problemas financeiros. Tem também aquele amor não correspondido e a frustração por não ter encontrado a realização profissional. Qualquer que seja o seu problema, qualquer que seja a sua pedra no sapato, ela continuará lá se você não tirá-la da sua vida. Reclamar não vai resolver nenhum problema!
A atitude de reclamar da vida e dos problemas só os fortalece em nossos pensamentos. Quanto mais reclamamos, mais força damos para eles. Se reclamar fosse eficiente, praticamente nenhum problema duraria em nossa vida. 
Ao longo da minha existência tenho buscado desenvolver um sentimento de gratidão pelas coisas que conquisto e isso tem me fortalecido para enfrentar cada desafio. Quando minha mente se alimenta da gratidão, é mais fácil enxergar a saída para cada problema que enfrento. Eles não deixarão de existir. Faz parte da nossa natureza humana. É inevitável que ao longo de uma caminhada, pelo menos uma pedrinha entre no nosso sapato. Mas aí você precisa ter uma atitude importante: pare e tire a pedra do seu sapato. Se você continuar caminhando com ela ali, o seu pé começará a doer e chegará um momento onde haverá um machucado. Quando você não resolve seus problemas eles se transformam em machucados capazes de nos fazer uma dor ainda maior. 
Se tem algo hoje que o impede de caminhar em direção ao seu objetivo, pare e resolva. Não fique com essa interferência gritando em sua mente. Se não resolver, despertará dentro de você um forte desejo de reclamar do problema, e quanto mais você reclamar, mais ele ganhará força. Ou seja, reclamar não resolve nada, o que resolve é encarar de frente.
Mas, Daniel, e se o problema não tem solução? Ora, se não tem solução, então você não tem um problema. Pare de perder tempo com ele. Aceite e siga em frente. E se tiver solução, você não terá um problema também. Dedique-se na construção da solução que tudo dará certo.
Diante de tudo isso fica muito claro para mim que os problemas são criados por nós mesmos. Se reclamarmos não resolveremos nada. Se o encararmos de frente deixaremos de ter problemas, ou porque resolvemos, ou porque aceitamos. Simples assim...
Diante destas palavras, deixo aqui uma pergunta para você pensar nos próximos dias: como você acha que a sua atitude de reclamar vai te ajudar a resolver seus problemas? 
Pense nisso!
Daniel Sena, coordenador do Focus Concursos, professor de direito constitucional e especialista em concursos públicos. Facebook: /ProfDanielSena. Twitter: @ProfDanielSena. YouTube: ProfDanielSena.

Comentários

Mais Lidas