Saúde é essencial para passar em concursos

Confira dicas de alimentação e atividades físicas para evitar possíveis transtornos antes e durante a prova.

Redação
Publicado em 03/07/2009, às 15h14

Com o enorme crescimento da procura, por parte dos candidatos, pelas carreiras públicas, a concorrência em concursos vem aumentando a cada dia. Para se ter uma ideia, a seleção para o Ministério da Fazenda, ocorrida neste ano, recebeu mais de 573 mil inscritos disputando 2 mil vagas. Já o processo seletivo para 1.771 oportunidades na Sabesp também foi outro que obteve destaque, contando com 194 mil participantes.

Diante desse quadro, muitas pessoas têm largado seus empregos ou até nunca exercido uma profissão, somente para reservar grande parte do dia aos estudos específicos para concursos.


É o caso de Ricardo Gimenez, que visando uma vaga em seleções na área jurídica, deixou de lado a procura por uma oportunidade no mercado de trabalho comum para reservar aproximadamente 14h por dia na preparação para as próximas seleções.

“Para me manter focado nos estudos e no objetivo final que é um emprego com bom salário, abri mão dos fins-de-semana e de diversos convites para festas e badalações”, explica o concurseiro.

Porém, para se ter uma rotina de estudos saudável e eficiente, o candidato deve estar atento a diversos fatores, como, por exemplo, a alimentação, a saúde física e mental e, principalmente, o lazer. É o que alerta a consultora empresarial Daniela Zanuncini, que atende clientes em preparação para concursos desde 1998.

Para ela, estabelecer uma rotina personalizada, isto é, que se adapte ao modo de aprender de cada um, é essencial. “De nada adianta estudar 12h por dia e só ter rendimento em 2h”, afirma.

De acordo com Zanuncini, as dificuldades de memorização, o cansaço, a distração e as dores de cabeça constantes são os primeiros sinais de que o estudo está se tornando ineficaz.

Já na hora da prova, um dos principais problemas que podem atrapalhar é o famoso “branco”, em que o candidato simplesmente esquece tudo o que sabe. “Isso se deve usualmente à falta de oxigenação cerebral e a falta de gerenciamento da ansiedade”, comenta a consultora.

Daniela relembra um caso em que o concurseiro, às vésperas de suas provas, sofria um processo alérgico em seu organismo. Segundo a consultora, o problema foi sanado após algumas consultas com ela, quando foi gerenciado o estresse e a ansiedade.

Outros fatores que exercem influencia negativa na hora do exame, na opinião de Zanuncini, são a alimentação inadequada e o mal estar físico, causado principalmente pelo excesso de tensão e auto-cobrança.

A concurseira Eliane, formada em Direito desde 2003, conta a sua triste experiência durante uma avaliação. “Estava tão tensa no momento da prova que comecei a sentir fortes dores de barriga, o que me tirou totalmente a concentração e as chances de ser aprovada naquele concurso.”

Alimentação ideal

A nutricionista Renatta Santana Santos explica que para o candidato se manter tranquilo e com energia, durante a prova, é muito importante se alimentar bem anteriormente, preferindo pratos saudáveis e de fácil digestão.

De acordo com a nutricionista, os alimentos antioxidantes auxiliam no processo de memorização de informações, pois ajudam as células a se regenerar e eliminar os radicais livres, substâncias tóxicas ao organismo.

Esses produtos podem ser encontrados em cenouras, mamões, abóboras (vitamina A), sardinha, salmão, atum (ômega 3), alimentos de coloração verde-escura (ferro), alimentos de coloração arroxeada, além de alimentos que possuam fósforo e magnésio.

Renatta ainda afirma que antes da prova é interessante consumir um doce, de preferência sem muita gordura e sem exageros. “O objetivo é elevar o açúcar no sangue e manter o candidato alerta.”

E ainda dá outra dica: “Evite tomar altas doses de café e chá mate, pois ambos possuem cafeína, uma substância estimulante que promove excitação, podendo atrapalhar o desempenho durante a prova”.

Saúde do corpo

O exercício físico regular, como muitos sabem, é conhecido por promover diversos benefícios à saúde, prevenindo até mesmo o risco de doenças.

No entanto, o que pouca gente conhece, é que o exercício também melhora a função cognitiva das pessoas, como diz um estudo publicado pela Revista Brasileira de Medicina do Esporte (2006).

Segundo o artigo, indivíduos fisicamente ativos possuem maior velocidade de raciocínio e capacidade de memória, o que pode contribuir para um bom desempenho em concursos, por exemplo.

O professor de educação física, Cauê Teixeira, recomenda a prática de exercícios na maioria ou em todos os dias da semana. “Devido a outros compromissos do cotidiano, muitas pessoas não disponibilizam de tempo para se exercitar diariamente. Nestes casos, praticar atividades físicas com uma frequência de três vezes na semana, em dias alternados, é uma boa opção.”

Teixeira também lembra que a manutenção de uma boa postura sentado, evitando o aparecimento de dores nas costas, é outro aspecto interessante relacionado ao exercício que pode auxiliar positivamente no desempenho do candidato na hora da prova. “Geralmente, um exame de concurso pode durar até 4 horas. A manutenção de uma mesma postura durante longos períodos pode trazer certo desconforto físico, o que prejudica a capacidade de concentração.”

Para evitar esse problema, o professor indica um bom programa de exercícios para fortalecimento muscular e flexibilidade.

“Seguindo essas dicas o candidato só precisará se preocupar em resolver os testes, estando livre de quaisquer desconfortos”, termina.

Raoni La Scala

Comentários

Mais Lidas