Servidores podem enviar atestados médicos por aplicativo

Inicialmente, essa medida é válida apenas para servidores do governo federal e terá início na próxima segunda-feira (21)

Redação
Publicado em 16/09/2020, às 10h54 - Atualizado às 15h33

None
Marcelo Casal Jr/Agência Brasil

Na próxima segunda-feira (21), estará disponível a função Atestado Web, no aplicativo Sigepe, que permite o envio do atestado de saúde de forma prática, ágil e sem deslocamento de servidores. A princípio, a funcionalidade é exclusiva apenas para servidores e inativos do governo federal, ou seja, do Executivo. A informação foi divulgada, nesta quarta-feira (16), pelo Ministério da Economia.

Pelo aplicativo será feita a análise do documento e o registro pelas unidades do Subsistema Integrado de Atenção à Saúde do Servidor (Siass).

O servidor também poderá consultar todos os atestados enviados a partir do app, bem como a evolução da situação até os registros nos demais sistemas de administração de pessoas. “Com a inclusão de mais uma nova funcionalidade no Sigepe Mobile, o Ministério da Economia busca facilitar a interação e a troca de informações entre os servidores e os órgãos da administração pública”, explica a pasta.

Para utilizar a ferramenta de forma segura, o aplicativo Sigepe Mobile deverá ser instalado ou atualizado somente a partir do link enviado aos participantes do projeto piloto. Ao entrar no menu, o servidor deverá clicar em “Minha Saúde” >> “Atestado”, preencher alguns dados, anexar a foto e fazer o envio do documento.

Na primeira fase, somente as unidades de saúde do Ministério da Saúde em Brasília, da Universidade de Brasília (UnB) e do Instituto Federal de São Paulo (IFSP) terão acesso à função Atestado Web e atuarão como unidades Siass pilotos. Juntas, elas respondem por mais de 21 mil servidores.

A estimativa de economia indireta à União, com a automatização do registro do atestado e otimização da força de trabalho nos órgãos, é de aproximadamente R$ 27 milhões por ano. A previsão do Ministério da Economia levou em consideração o valor médio do tempo que o servidor gasta para se deslocar até uma unidade de saúde e apresentar o atestado médico dentro do seu horário de trabalho, que gira em torno de 1 hora e 30 minutos, e também o valor médio do tempo que o agente público leva para receber, digitalizar e cadastrar um atestado no sistema.

De acordo com o Ministério da Economia, em 2019, houveram 361,5 mil afastamentos para tratamento da própria saúde de mais de 135,9 mil agentes públicos. Foram, em média, 2,7 afastamentos por servidor, sendo que a média é de 9,6 dias cada um.

*trechos com reprodução da Agência Brasil

Comentários

Mais Lidas