“Só professor não quer trabalhar na pandemia” critica líder do governo sobre concursados

Barros (Progressistas-PR) afirmou que defende a educação em serviço essencial e que elas devem reabrir mesmo com a pandemia de coronavírus

Redação
Publicado em 20/04/2021, às 13h37

None
Divulgação

O líder do governo federal na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros (Progressistas-PR), criticou os professores por “não querer trabalhar durante a pandemia”. O deputado paranaense reclamou das atitudes dos docentes em entrevista concedida ao canal de notícias CNN Brasil. 

“É absurdo a forma como estamos permitindo que os professores causem tantos danos às nossas crianças na continuidade da sua formação. O professor não quer se modernizar, não quer se atualizar. Já passou no concurso [público], está esperando se aposentar, não quer aprender mais nada”, declarou Barros.

O deputado ainda argumenta que em alguns estados, as aulas presenciais  já retornaram tanto em escola pública quanto em particulares. Deste modo, não há motivos suficientes para os professores não ministrarem suas aulas. 

“Infelizmente, o Brasil foi abduzido pelas corporações. Não tem nenhuma razão para o professor não dar aula. O profissional da saúde está indo trabalhar, o profissional de transporte está indo trabalhar, só o professor não quer trabalhar”, destaca o parlamentar. Barros complementa que o trabalho dos docentes pode ter alguma restrição devido ao coronavírus, mas aponta que servidores da educação devem e “precisam trabalhar”. 

O deputado dos Progressistas relata que 20% da capacidade do SGDC (Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicação), mecanismo que distribui a internet no país, foram reservadas para o consumo do setor público, mas indica que não tem demanda porque as diretoras de escola não pedem a conectividade porque tem medo de perderem o seu cargo para um profissional que tenha conhecimento técnico sobre internet.

“As escolas não pedem a conectividade, porque a diretora que está lá não entende de informática. Se ela pedir a conectividade, vai perder a direção para uma professora que tenha mais habilidade nessa área”, conclui Barros. 

O líder do governo na Câmara também afirmou que há um Projeto de Lei no Congresso para transformar a educação em serviço essencial. Assim, todas as escolas devem reabrir mesmo com a pandemia de covid-19 em curso.

Comentários

Mais Lidas