Exame é aplicado neste fim de semana para 4,5 mil

Nas duas datas, o horário de início do exame é às 13h30. Os locais de prova estão disponíveis no site do Inep.

Redação
Publicado em 04/12/2009, às 15h21

Neste sábado (5) e no próximo domingo (6) será realizado o tão esperado processo seletivo do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para mais de mais de 4,5 milhões de candidatos – exatamente 4.576.126 pessoas. A prova, que seria aplicada, a princípio, nos dias 3 e 4 de outubro, fora adiada diante de constatação de quebra do sigilo.

Os inscritos encontrarão pela frente avaliação composta de 180 questões, distribuídas em quatro provas, cada uma delas contendo 45 questões objetivas de múltipla escolha.

No dia 5 de dezembro, das 13h às 17h30, serão aplicadas as provas de ciências da natureza e de ciências humanas. No dia seguinte, das 13h às 18h30, serão realizados os exames de linguagens e códigos, redação e matemática. A redação deverá ser estruturada no estilo dissertativo-argumentativo, a partir de um tema de natureza social, científica, cultural ou política.

Para os candidatos que ainda não têm conhecimento de seu local de prova, estão disponíveis no site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), do Ministério da Educação (MEC), os endereços de aplicação da prova. O aluno deve informar o nome completo e CPF para fazer a consulta pelo site (www.enem.inep.gov.br).

Greve

Os funcionários doInep aprovaram na última terça-feira (1) um indicativo de greve para a sexta-feira, 4, véspera da prova do Enem.

Procurada pela nossa redação, a assessoria de imprensa da instituição não detalhou a data de início da greve, mas confirmou que existe uma movimentação entre os servidores em torno de reivindicações para a carreira. Entretanto, ressaltou que a mobilização não afetará a execução das provas do Enem neste fim de semana.

Edição tumultuada

Como já dito, as datas iniciais de realização do Enem seriam 3 e 4 de outubro, mas a constatação de fraude levou o Ministério da Educação (MEC) a adiar o exame.

O esquema foi trazido à tona pelo jornal “O Estado de São Paulo”, que revelou que a equipe do veículo fora procurada por um homem que disse, ao telefone, ter as duas provas que seriam aplicadas no mês de outubro. Ele propôs entregá-las em troca do valor de R$ 500 mil.

A comprovação da fraude se baseou em elementos repassados ao ministro Fernando Haddad pela reportagem, via telefone e e-mail. As questões originais estavam guardadas em um cofre, que fora aberto para confirmar a informação.

De acordo com o “Estadão”, o encontro no qual a reportagem da empresa teve acesso a trechos da prova aconteceu  na noite do dia 30 de setembro, na zona oeste de São Paulo.

Luana Almeida

Veja também:

USP/SP: Poli inscreve para vestibular gratuito

ENEM: Inep divulga endereços dos locais de avaliação

Comentários

Mais Lidas