A dor do sucesso

Pessoas bem-sucedidas se preocupam mais com sua reputação, pois qualquer passo em falso pode colocar um império em risco. São invejadas, odiadas, amadas e admiradas concomitantemente, e pelas mesmas pessoas

Edison Andrades
Publicado em 10/11/2014, às 11h03

Creio que não exista pessoa, neste planeta, que não busque o sucesso. O que é natural. Mas uma pergunta que faço é: estamos preparados para a dor do sucesso? Pessoas bem-sucedidas, normalmente, carregam sobre si uma responsabilidade maior em relação aos não tão bem-sucedidos. Sabem que, por estarem em um lugar onde poucos habitam, não podem desapontar seus admiradores, e isso dá muito trabalho, certo?

O bem-sucedido precisa, em nome do sucesso, abrir mão de coisas simples, mas que lhe davam muito prazer, como, por exemplo, frequentar qualquer lugar com qualquer roupa. É bem provável que encontre, por lá, alguém que irá reparar nisso, o que poderá não ser salutar para sua campanha de sucesso.

Pessoas bem-sucedidas precisam andar com outros igualmente agraciados. Isso é bom para os negócios, pois, como dizem: “sucesso chama sucesso”. Trabalham mais que os outros, pois uma coisa é nunca chegar ao topo, outra é perder o que conquistou. E isso os motiva a se esforçarem mais, correrem mais, apertarem mais o tempo inclusive para as coisas que deveriam ter maior valor (família, amigos, saúde, descanso etc.) e, consequentemente, deixarem parte da vida passar.

Pessoas bem-sucedidas se preocupam mais com sua reputação, pois qualquer passo em falso pode colocar um império em risco. São invejadas, odiadas, amadas e admiradas concomitantemente, e pelas mesmas pessoas. No entanto precisam manter a “fama” e fazer melhor do que os outros, aliás é exatamente isso que todos esperam, portanto uma pessoa bem-sucedida não pode decepcionar jamais! Correto?

Não, amigos. Tudo que mencionei acima não possui relação alguma com pessoas bem-sucedidas. Trata-se justamente do contrário. Pessoas bem-sucedidas não precisam provar nada e muito menos se submeter aos caprichos dos que as cercam, pois o sucesso começa dentro da gente, e não fora. Algumas pessoas se embriagam com o que acham ser sucesso e ficam sem muito controle de seus próprios atos; passam a viver, basicamente, em função dos outros.

Mais ou menos como um bêbado que se torna o foco das atenções, mas que, no fundo, não consegue ficar sóbrio para seus verdadeiros valores, devido à necessidade de manter sempre sua performance para os demais a sua volta. Pessoas nesse estado realmente sentem dores, pois percebem que tudo que fazem possui um único objetivo: manter a fama.

E ser famoso não significa, necessariamente, ser bem-sucedido. Embora o inverso até possa ser verdadeiro. Toda vez que você estiver sentindo muitas dores mediante a vida que você leva, saiba que provavelmente está, de fato, distanciando-se do verdadeiro sucesso, pois esse não causa dores, mas é um bálsamo para aqueles que o alcançam. Sucesso para você!


Ah! E nunca se esqueça de incluir Deus em todos os seus planos.

Prof. Edison Andrades é escritor, palestrante e sócio da Reciclare Treinamento. www.facebook.com/professor.edison.andrades

Comentários

Mais Lidas