Simplesmente Natal

Artigo do professor Edison Andrades

Edison Andrades
Publicado em 22/12/2014, às 11h45

“Então é Natal. E o que você fez?”. Esse é um questionamento lançado como trecho da canção Happy Xmas (War is Over) de John Lennon, de 1971, ao qual, até hoje, ainda não conseguimos responder.

O fato é que vejo, a cada dia, coisas de valor perderem seu valor. Famílias perdendo sua convivência, trabalhos perdendo seu sentido, sonhos suas forças e a vida sua natureza. “Mas então é Natal!”. Podemos esquecer tudo e, quiçá após o carnaval, votarmos a pensar naquilo que nos mantém vivos ou até sobreviventes.

A cada dia, percebo coisas substituindo seres; dinheiro tomando o lugar do amor, vaidade sobrepujando solidariedade; manifestações sem consciência! E tudo isso por Poder. “Mas então é Natal!”. E ano que vem, repetiremos tudo isso, pois teremos natal também no próximo ano, não é mesmo?

Pensei muito a fim de trazer uma reflexão nessa época tão importante para o mundo, para os negócios do comércio, enfim, tão importante para os nossos corações. Descobri que isso tudo, infelizmente, habita mais fora de nós do que intrinsecamente. Somos movidos por festas sem sentido, alegrias sem motivos, presentes sem dinheiro e esperança sem planejamento. Acreditamos num ano melhor, mas não conseguimos, por vezes, refletir sobre onde erramos no ano que se finda.

Seguiremos para 2015 sem balancearmos nossas relações mal resolvidas, nossos negócios malsucedidos e tampouco nossas tarefas mal desempenhadas em 2014? Dessa forma, será alta a probabilidade de errarmos exatamente nos mesmos pontos. Pontos os quais se arrastam, errôneos, há décadas em nossas vidas. E, até hoje, ainda somos capazes de acreditar que o mundo conspira contra nós, sem percebermos que nossas atitudes são o ponto chave de nosso sucesso. “Mas então é Natal!”.

Proponho que paremos de pensar apenas no que faremos na ceia, na viagem, na folga, no almoço e em tantas coisas demasiadamente importantes, com certeza, no dia 25. E que tal realizarmos um pequeno inventário do que temos no estoque de nossas vidas e que podemos contabilizar positivamente? Talvez precisemos apenas completar algumas lacunas ao invés de criarmos, utopicamente, outras.

O Natal simboliza nascimento: de boas novas, de novos projetos, de novas formas de amar, de novos investimentos, de novas ideias, mas principalmente da mudança, pois é sempre necessário “mudar a lente”. Olhar diferente para o que sempre foi ou será igual.

Penso que o Natal deveria ser todos os dias, já que, ao nascer o sol diariamente, nascemos nós também, mas sei que as datas nos fortalecem. Então que seja dia vinte e cinco de dezembro o dia em que faremos nascer um beijo mais apimentado na pessoa amada, um abraço mais apertado no amigo fiel, uma disposição e presteza a mais em nosso trabalho, uma administração mais elaborada em nossas finanças pessoais, uma visita a mais àqueles que são indispensáveis em nossas vidas, uma ação social a mais para os que necessitam de tão pouco. Uma atitude a mais na direção de nossa felicidade! Para que, no próximo natal, possamos responder à canção de John enumerando o quanto realizamos. Simplesmente porque o Natal começa bem antes do dia vinte e cinco, começa quando acordamos em Cristo Jesus.

Prof. Edison Andrades é escritor, palestrante e sócio da Reciclare Treinamento. www.facebook.com/professor.edison.andrades

Comentários

Mais Lidas