Inscrições abertas para estágio e trainee na Cielo

Universitários matriculados no penúltimo ou último ano do curso e profissionais recém-formados (entre 2015 e 2017) têm até 8 de novembro para se candidatar

Samuel Peressin e Douglas Terenciano
Publicado em 24/10/2017, às 10h05

A Cielo está com inscrições abertas para 66 vagas em seus programas de estágio e trainee de 2018. Os interessados podem se candidatar até 8 de novembro, por meio do site www.cielo.com.br/carreiras.

Serão selecionados universitários e recém-formados para trabalhar na sede da empresa, instalada no bairro de Alphaville, em Barueri/SP. Os contratados iniciarão as atividades em 15 de janeiro de 2018.

O processo seletivo inclui triagem de currículos e testes on-line (de inglês e raciocínio lógico), além de avaliações e dinâmicas presenciais que pretendem mensurar a afinidade do candidato com a cultura da organização.

A empresa busca jovens que demonstrem proatividade, agilidade para acompanhar as transformações do mercado, perfil digital com conhecimento em negócios, afinidade com novas tecnologias e foco em resultados.

Estrutura dos programas


O Programa de Trainee Cielo tem duração de um ano e está na sua nona edição. São ofertadas vagas para profissionais com graduação entre dezembro de 2015 e 2017, nas áreas de administração de empresas, análise de sistemas, ciências da computação, comunicação social, economia, engenharia de software, engenharias, matemática, relações internacionais, sistemas de informação, entre outras.

No caso do Programa de Estágio Cielo, as oportunidades são destinadas a universitários que, em 2018, estejam matriculados no penúltimo ou último ano da faculdade. Os contratos podem alcançar até dois anos, com possibilidade de efetivação.

De acordo com a empresa, os estagiários terão bolsa-auxílio compatível com o mercado, assistência médica e odontológica, auxílio-refeição, fretado e vale-transporte, seguro de vida e horários de trabalho flexíveis. Além destes benefícios, os trainees contam com estacionamento e previdência privada.

Comentários

Mais Lidas