Mercado de trabalho pós-pandemia será diferente, diz especialista

Profissionais liberais ou não estão tendo que se adaptar a novos comuns, para assim, conseguir manter o emprego e, ainda, ser competitivo

Douglas Terenciano | douglas@jcconcursos.com.br
Publicado em 28/05/2020, às 14h37 - Atualizado às 15h09

Mercado de trabalho
Divulgação

Com a instabilidade econômica gerada pela crise na sáude, muitos profissionais brasileiros se questionam sobre como será o mercado de trabalho após a pandemia de Covid-19, já que cedo ou tarde as atividades serão retomadas. Com isso, profissionais liberais ou não estão tendo que se adaptar a novos comuns, para assim, conseguir manter o emprego e, ainda, ser competitivo.

Segundo o CEO da Heach, Elcio Paulo Teixeira, as mudanças vieram para ficar e o quanto antes o profissional fizer os ajustes, menos será o impacto na sua carreira. Aliás, como toda crise, há oportunidades maiores para os profissionais que saírem na frente.

Pensando nisso, Elcio listou algumas profissões que serão impactadas pela pandemia e explica como o profissional terá de atuar para sobreviver no mercado de trabalho pós Covid-19.

  • Profissionais da saúde - Os profissionais da saúde terão de trabalhar com telemedicina e utilizar recursos tecnológicos remotos para diagnosticar e monitorar pacientes que não precisam ir até o hospital.
  • Professores - Será necessário ter total domínio tecnológico e atuação forte nas redes sociais, blogs e canais de informações como Youtube e Podcasts.
  • Advogados - Os advogados precisarão dominar o uso de aplicativos de reunião e ferramentas tecnológicas para petição, acordos, e rotinas legais que deverão ser cada vez mais utilizadas nas instâncias jurídicas.
  • Arquitetos - Terá de haver uma preocupação muito maior com o ecologicamente correto, mas sobretudo com projetos que promovam a biossegurança doméstica e urbana, que será mandatória para qualquer projeto.
  • Biocientistas - A biociência e farmácia terão investimentos, nunca visto antes, para estudos de novas medicações dentro de projetos que envolverão verdadeiras "garimpagens" pelo mundo, tornando esses profissionais muito mais itinerantes e atuante dentro de grupos colaborativos com maior presença dos governos.
  • Artistas em geral - Como haverá uma tendência maior a se evitar aglomerações, esses profissionais deverão utilizar plataformas eletrônicas para expor suas criações para os usuários, o que exigirá maior qualificação tecnológica e muita interação com e-commerce.
  • Vendedores - Será fundamental ter domínio de ferramentas de comunicação e e-commerce se tornará essencial no pós Covid-19, pois uma parte considerável dos atendimentos se dará na modalidade à distância, mais com atendimento personalizado.
  • Personal trainers e academias - As aulas on-line irão crescer muito, tanto as coletivas, quanto os atendimentos pessoais. O uso de ferramentas de monitoramento físico será muito maior, o que obrigará ao professor de educação física ter um acervo de ferramentas que permitam sua atuação remota e o monitoramento de cada aluno, indo desde o consumo e queima de calorias, até horas de sono e progresso físico alcançado.
  • Motoristas de aplicativos - Deverão ser treinados com biossegurança e higienização de veículo, o que será essencial dentro da nova rotina, gerando segurança para o passageiro e para o próprio motorista
  • Chefs de cozinha - Haverá uma transformação grande no mundo gourmet que deverá associar além da beleza e sabor, um foco muito maior na saúde, com o incremento do uso de produtos que fortaleçam o sistema imunológico e promovam saúde, obrigando a muitos profissionais em se desenvolverem dentro do ramo da "comida saudável".
  • Profissionais de limpeza - Não bastará mais limpar, mas a eficácia da limpeza invisível se tornará essencial com a implementação do uso de produtos e equipamentos que promovam uma maior eficiência na eliminação de bactérias e germes, o que exigirá mais qualificação profissional desse segmento.
  • Marketing e comunicadores - Esses profissionais que atuam muitas vezes na criação de peças para o uso e manipulação presencial do cliente terá que se qualificar, pois quem não trabalhar com marketing digital e remoto terá poucas oportunidades de carreira. A meta é falar com a pessoa que está em casa, e não mais no escritório ou na loja.

Para finalizar, o especialista afirma que trabalhar em casa deverá ser parte da rotina de grande maioria das pessoas. Com isso, montar uma estrutura adequada de iluminação e ergonomia, estação de trabalho com computador, Wifi de qualidade, celular e sobretudo um mindset que permita organização e rotina bem definidas será mandatório e será um divisor de águas na aumento ou redução da empregabilidade da maioria dos empregados.

empregos

Comentários

Mais Lidas