Novos conceitos antigos

A preocupação do século não é o retorno das coisas antigas, mas o retorno dos pensamentos ultrapassados. Enquanto resistimos a essa avalanche de novas tendências, tornamo-nos profissionais estagnados e nostálgicos, achando que o bom se foi há décadas

Edison Andrades
Publicado em 01/09/2014, às 10h07

Falamos e estudamos as tais gerações “’boomers, X, Y, Z...”, e sabemos que todas estão presentes e atuantes no mundo de hoje. Independentemente da idade que você tiver, saiba que não pode se alienar aos avanços que giram ao redor de sua vida, sejam eles tecnológicos, científicos e inclusive de ordem comportamental.

O fato é que as pessoas mais velhas tendem a resistir a tais novidades, criando uma espécie de aversão a tudo que vem dos mais jovens. Inútil! Pois, resistindo ou não, o novo vence por vir da maioria. Num segundo momento, a tendência é se alienar a tudo. Como se isso fosse possível. Adultos, por vezes, repudiam o mundo dos jovens e o criticam. Acham as músicas ruins, as roupas ridículas, enfim, “nada presta”. Como se nunca tivessem usado um corte de cabelo “pigmaleão”, blazer com ombreiras e calça cintura alta, ao som de “Abba”. Na realidade, o que há é uma resistência ao novo, como se este nunca se tornasse obsoleto.

A preocupação do século não é o retorno das coisas antigas, mas o retorno dos pensamentos ultrapassados. Enquanto resistimos a essa avalanche de novas tendências, tornamo-nos profissionais estagnados e nostálgicos, achando que o bom se foi há décadas. Com isso, não evoluímos nem tampouco nos tornamos competitivos.

Alguns profissionais pararam no tempo e não percebem que as ferramentas modernas vêm apenas para facilitar o acesso a novos conhecimentos. Lembrando que tudo que há pode ser usado como benção ou maldição. A escolha é sua! Concordo que ferramentas que usam as redes como plataforma são, infelizmente, banalizadas e deturpadas por mentes medíocres e vazias. Mas essas mesmas ferramentas são usadas como fonte de pesquisa, compartilhamento de informações valiosas e investigação policial.

Os jovens vão envelhecer e, provavelmente, vão criticar seus filhos que o farão com seus netos e assim consecutivamente. Mas por que essa cadeia não pode parar em você? Comece a se interessar por aquilo que desconhece, isso ativa os neurônios e lhe tornará alguém com conhecimento de causa, até para criticar. Procure criticar aquilo que conhece, é uma postura mais inteligente. Estamos num fogo cruzado, mas certos de que só há uma chance de alcançarmos o êxito em nossa vida pessoal e profissional: adaptando-nos.

Ah! E nunca se esqueça de incluir Deus em todos os seus planos.

Prof. Edison Andrades é escritor, palestrante e sócio da Reciclare Treinamento.
www.facebook.com/professor.edison.andrades

Comentários

Mais Lidas