81% preferem trabalhar com o que gosta e ganhar menos

A Pesquisa ainda permitiu que os 1.435 respondentes descrevessem qual a profissão dos seus sonhos.

Douglas Terenciano
Publicado em 14/01/2015, às 15h53

De acordo com pesquisa da Catho, empresa de recrutamento on-line de profissionais, estar feliz com a carreira e amar o que faz é mais importante do que ter um bom salário em outra profissão que não se identifique.

Questionados se preferem ganhar bem mesmo que não façam o que realmente gostam ou trabalhar com o que gostam mesmo que ganhem menos, o resultado foi surpreendente. A grande maioria (81,1%) diz preferir a primeira opção e dão mais valor a fazer o que gosta em relação ao salário.

“As pessoas estão buscando mais qualidade de vida e mais tempo com a família. Tanto homens como mulheres preferem ter um trabalho que o realize mesmo que tenha um salário menor nesse emprego”, comenta Luís Testa, head de pesquisa e estratégia da Catho.

Emprego dos sonhos

Para entender o que o brasileiro pensa sobre o “emprego dos sonhos”, a consultoria levantou dados que mostram as características que mais valorizam na vida profissional.

Para 43,4% dos participantes, a qualidade de vida é o termo que melhor define o “emprego dos sonhos”. Já para 13,2% e 12,9%, horário flexível e autonomia nas decisões, respectivamente, são as principais características.

“Fazer algo que realmente se consiga entregar um resultado que satisfaça a empresa e, principalmente, a si próprio e fazer a diferença, são características que acabam refletindo na realização do trabalho ou o emprego dos sonhos”, conclui Testa.

A Pesquisa ainda permitiu que os 1.435 respondentes descrevessem qual a profissão dos seus sonhos. Ser empreendedor foi uma das respostas mais citadas. Entre as principais áreas de atuação, o ramo de alimentação, encabeçado por dono de estabelecimento e engenheiro de alimento, além de engenharia de maneira geral, foram as preferidas dos brasileiros.

Comentários

Mais Lidas