Trabalho é missão, não um mero ganha-pão

Quem inicia a carreira profissional enfrenta uma série de obstáculos devido à falta de experiência e de oportu

Redação
Publicado em 30/07/2007, às 11h57

* Por Anderson Marques e Andréia Andrade

Quem inicia a carreira profissional enfrenta uma série de obstáculos devido à falta de experiência e de oportunidades, mas além desses, existe outro ainda mais complicado de ser superado: a crença em conceitos ultrapassados. Um erro comum cometido por profissionais iniciantes é acreditar que ainda é possível ser um profissional mediano, sem experiência, sem especialização e mesmo assim obter sucesso no início da carreira.

Atualmente não basta ser advogado, arquiteto, fisioterapeuta, afinal, já existem milhares de profissionais experientes em cada uma dessas áreas. O que aumenta a chance do profissional em início de carreira é a especialização dentro da sua área de formação, mesmo que esse conhecimento profundo seja inicialmente teórico. Especialização, nesse caso, não se trata necessariamente de um curso, mas da dedicação para se tornar um especialista.

Advogado especializado em fusões e aquisições, arquiteto especializado em projetar praças de alimentação e fisioterapeuta especializado no atendimento doméstico a idosos são apenas alguns exemplos simples do perfil do profissional do futuro. Este profissional sabe que só obterá sucesso caso faça algo específico, importante e que ofereça um benefício claro ao seu cliente.

Grande parte dos profissionais ainda acha que as empresas procuram generalistas, mas é só pesquisar nos cadernos de empregos para constatar que as empresas contratam especialistas. Se estes especialistas ainda tiverem outras competências, ótimo, mas que primeiro eles sejam excelentes no que se propõem a fazer.

Outro erro comum que o jovem profissional comete é achar que ao restringir a sua área de atuação, ele reduzirá a quantidade de oportunidades profissionais, mas isso não passa de uma percepção equivocada. Sendo especialista ele buscará oportunidades com mais clareza e mais objetividade. Essa é a única mudança de fato.

Para superar os equívocos e desafios enfrentados no início da carreira, o jovem deve começar por uma honesta auto-análise, como ferramenta fundamental para garantir a escolha adequada do caminho a ser seguido. Não se trata de uma auto-análise profunda, mas referente ao reconhecimento dos pontos fortes, fracos, pessoais e profissionais. Relacione os pontos fortes com o trabalho que pretende realizar e utilize a criatividade para identificar oportunidades que ninguém identificou. Pode parecer simplista, mas não é.

No futuro esse jovem poderá trabalhar em uma profissão que ainda nem foi criada ou prestar um tipo de serviço que nem é oferecido hoje. Um profissional criativo deixa de ser pessimista quanto ao seu futuro e luta para encontrar oportunidades onde os outros só vêem portas fechadas.

Para isso é preciso:
1. Observar com atenção os acontecimentos e mudanças sociais;
2. Compreender a fundo a realidade dos futuros clientes;
3. Se especializar em algo que faça diferença frente outros profissionais da mesma área.

Há poucos anos ninguém pensava em trabalhar como webdesigner, mas hoje este cargo existe e remunera muito bem os profissionais de destaque. Não é uma decisão fácil apostar em um serviço ou emprego "estranho" ou extremamente especializado, mas ainda existe mercado para muitas profissões inusitadas.

O desejo de trabalhar de acordo com os seus valores pessoais é o que o levará à realização profissional. A motivação para construir, realizar, ajudar, enriquecer, enfim, o fator que nos tira da cama com disposição para trabalhar, independentemente de chefe, salário ou expediente, é o que separa os profissionais excelentes dos profissionais comuns. Diferente dos céticos que acreditam que um diploma na parede fará as oportunidades aparecerem sem esforço, o jovem profissional determinado precisa estabelecer a sua missão pessoal e trabalhar duro para realizá-la. Como em qualquer projeto, de vida ou profissional, o tempo e os resultados mostrarão quem fez a melhor escolha.

* Anderson Marques é graduado em marketing pela Universidade Mackenzie e pós-graduado em Gestão Empresarial pela FGV. Profissional especializado na identificação e exploração de oportunidades mercadológicas, atua como diretor da Fortuni Representações/Audácia e já prestou serviços para empresas como: Softcorp, Zap Trade, Ayra Design e Semeia Brasil, entre outras.

* Andréia Andrade é graduada pela Universidade Católica de Santos. Psicóloga especializada em inovação aplicada à educação atua na formação continuada de professores como capacitadora da equipe pedagógica do Gruhbas Projetos Educacionais.

Comentários

Mais Lidas