Tudo Sobre

Concurso Profissões e Cursos

ENGENHARIA CARTOGRÁFICA

Campo de trabalho é o que não falta...



Redação
Publicado em 29/01/2007, às 11h03

Extremamente promissor. É dessa forma que podemos classificar o mercado para quem atua em Engenharia Cartográfica. Nos últimos tempos, a profissão cresceu bastante, tanto que os velhos mapas de papel estão cada vez mais relegados ao passado. Hoje, há uma exigência maior de que os profissionais da área tenham curiosidade e interesse em aprender novas tecnologias, uma vez que elas estão cada vez mais presentes no trabalho do Engenheiro Cartográfico, possibilitando que estes obtenham informações mais detalhadas e precisas como, por exemplo, a localização exata de um ponto através das coordenadas de satélite.

Falando um pouco mais sobre a profissão, essa carreira é voltada à construção de mapas. Basicamente, o profissional desse setor é responsável pelo planejamento, organização, projeto, orientação, direção e fiscalização das diversas modalidades de levantamento, do processamento e análise dos dados coletados, bem como da visualização e reprodução de informações geográficas. É o responsável pelas medições que formam um banco de dados para todo tipo de planejamento e projetos dentro da Engenharia.

“Hoje, a atividade mais exercida é a de mapeamento, ou seja, a elaboração de base cartográfica, fundamental no planejamento, elaboração e execução de qualquer projeto de Engenharia, bem como a de cadastro técnico multifinalitário [visa à identificação das divisas de um imóvel, juntamente com os proprietários, para a sua amarração à rede geodésica brasileira, garantindo assim a exata localização das divisas da propriedade, bem como a vinculação dos dados técnicos ao registro imobiliário, proporcionando total embasamento técnico à garantia do direito de propriedade]”, aponta Paulo de Oliveira de Camargo, coordenador do curso de Engenharia Cartográfica da Unesp – Campus de Presidente Prudente/SP, que completa: “o Cadastro de Imóveis Rurais – Sistema Público de Registro de Terras – exige o mapeamento das propriedades rurais, utilizando-se de técnicas topográficas e geodésicas (teodolito, estação total, GPS), bem como, memorial descritivo do limite da propriedade vinculado ao Sistema Geodésico Brasileiro, entre outros documentos.

Atualmente, é a área que tem absorvido grande número de profissionais no mercado de trabalho”. Segundo o educador da Unesp de Presidente Prudente, o profissional pode atuar, também, na área de Geoprocessamento, na elaboração e manutenção de banco de dados geográficos e no setor de Planejamento Municipal (Plano Diretor – Estatuto da Cidade), em atividades relacionadas à Cartografia. “Além de trabalhar com mapeamento e cadastro, alguns profissionais têm atuado como autônomos, outros trabalham em empresas de vendas de equipamentos e serviços, e tem Engenheiros Cartográficos atuando em empresas de consultoria”, acrescenta.

MERCADO

Segundo o coordenador da Unesp, por conta da Lei 10.267/01, de georreferenciamento de imóveis (Cadastro de Imóveis Rurais – Sistema Público de Registro de Terras), empresas de pequeno porte, prestadoras de serviços topográficos e geodésicos têm contratado Engenheiros Cartógrafos. “Se considerarmos a dinâmica do planeta, com a conseqüente modificação do espaço físico, gerar produtos cartográficos e mais, manter estes produtos atualizados, é uma tarefa que não acaba nunca”, ressalta.

Rogerio Jovaneli
Reportagem/SP

+ Resumo do Concurso Profissões e Cursos

Profissões e Cursos
Vagas: Não definido
Taxa de inscrição: Não definido
Cargos: Não definido
Áreas de Atuação: Não definido
Escolaridade: Ensino Médio
Faixa de salário:
Estados com Vagas: AC, AL, AM, AP, BA, CE, DF, ES, GO, MA, MG, MS, MT, PA, PB, PE, PI, PR, RJ, RN, RO, RR, RS, SC, SE, SP, TO

+ Agenda do Concurso

29/01/2008 Divulgação do Resultado Adicionar no Google Agenda

Comentários

Mais Lidas