Tudo Sobre

Concurso Profissões e Cursos

Engenharia Física

Curso visa formar profissionais multiespecialistas.



Redação
Publicado em 02/05/2008, às 13h28

A Engenharia Física é um ramo da engenharia sem uma área de atuação definida. A idéia dessa carreira é formar profissionais multiespecialistas, versáteis o suficiente para resolver problemas por meio de uma abordagem interdisciplinar.

Para tanto, a formação do Engenheiro Físico tem uma ênfase muito maior em disciplinas básicas, como matemática e, principalmente, física, do que ocorre em outras engenharias.

“No mundo, esse Engenheiro é um profissional atuante no domínio da engenharia e da tecnologia física, particularmente em áreas de grande impacto tecnológico. O Engenheiro Físico formado pela Universidade Federal de São Carlos - Ufscar [primeiro curso no país] é preparado e conscientizado para ser um profissional generalista”, afirma Fernando Manuel Araújo-Moreira (foto), chefe do Departamento de Física dessa instituição.

Segundo ele, o formado nessa área possui sólida base científica e técnica nas diferentes áreas da ciência (Física, Química, Matemática), está apto à pesquisa, ao desenvolvimento e apoio tecnológico; é capaz de introduzir e desenvolver novos processos e produtos, localizar e solucionar problemas.

“Ele está preparado para levar em conta, nas soluções dos problemas, os seus aspectos políticos, econômicos, sociais, culturais e ambientais. Sua atuação exige criatividade, flexibilidade, iniciativa, autonomia, rigor científico, espírito crítico, visão ética e humanista, preparo para o trabalho em equipe, habilidade em comunicação oral e escrita”, enfatiza Moreira.

Onde atua

O Engenheiro Físico formado pode atuar em praticamente qualquer empresa, desde aquelas que atuam no setor financeiro, caso dos bancos, até empresas ligadas à biotecnologia (usinas de álcool, por exemplo.

“De maneira geral, o Engenheiro Físico pode atuar em projetos de desenvolvimento, onde não somente o know-how seja importante, mas onde o know-why seja determinante. Ele encontra campo de trabalho em empresas de praticamente todos os grandes setores da economia”, afirma Moreira.

Perfil

Para o chefe do Departamento de Física da Ufscar, “o curso de Engenharia Física é direcionado especialmente aquele alunos com uma forte aptidão para ciências e matemática, e que desejem aplicar esses assuntos básicos na investigação e na resolução de problemas tecnológicos, ou seja, que desejem ser engenheiros”.

“Nesse segmento, o profissional deixa de lado a histórica divisão entre as disciplinas para atacar o problema proposto por meio do uso de uma estratégia multidisciplinar, fazendo proveito da sua formação de multiespecialista”, diz.

Curso

O currículo do curso de Engenharia Física é bem diversificado e abrange várias áreas do conhecimento. Além de disciplinas tradicionais de todas as engenharias, os alunos estudam Mecânica dos Sólidos, Mecânica dos Fluidos e Programação de Computadores, entre outros assuntos.

Embora o primeiro curso no Brasil só tenha sido criado em 1999 (turma que iniciou em 200 e formou-se em 2004) pela Universidade Federal de São Carlos, a modalidade já existe a várias décadas em universidades estrangeiras, entre elas Stanford, Cornell e Berkeley (EUA), Moscou (Rússia) e Grenoble (França). O primeiro curso começou a funcionar na Universidade de Oklahoma (EUA), em 1924.

“A idéia de implantar um curso pioneiro de Engenharia Física no Brasil surgiu durante o meu pós-doutorado nos EUA. Lá, entre 1995 e 1998, trabalhei em um projeto da Força Aérea Americana na região metropolitana de Washington DC (University of Maryland/College Park). Foi quando descobri essa carreira pela qual fiquei fascinado, e, ao retornar ao Brasil, em 1998, propus a sua criação na Ufscar. Assim, fui o idealizador e proponente do primeiro curso de Engenharia Física no país e o presidente da comissão de implantação do mesmo”, conta Moreira.

“A criação do curso está trazendo enormes benefícios para o nosso Departamento de Física e para a própria Ufscar. Mas, sem dúvida, o beneficiário final será o próprio Brasil, pois estamos formando Engenheiros altamente capacitados e atualizados, capazes de enfrentar o enorme desafio científico e tecnológico que, com toda certeza, nos depara o novo milênio”, enfatiza o educador.

Segundo explica o idealizador do primeiro curso no país, nenhuma outra modalidade de engenharia oferece uma base tão forte nas ciências matemáticas e físicas. O curso é caracterizado por uma sólida preparação técnica e científica nas diferentes áreas da física, sendo complementado por uma intensiva atividade laboratorial e um amplo contato com indústrias.

“O profissional é capacitado a trabalhar em áreas como desenvolvimento, instrumentação, criogenia, e ciências dos materiais”, conta Moreira.

Mercado de trabalho

Para o educador, a baixa atuação brasileira em trabalhos relacionados à Pesquisa e Desenvolvimento destaca a importância da continuidade de políticas de formação de Engenheiros e cientistas para atuarem no segmento de Ciência e Tecnologia. Segundo Moreira, o Engenheiro Físico deverá ser um agente transformador de ciência em tecnologia, contribuindo para a inovação tecnológica nacional.

“No mercado de trabalho, sobram vagas para profissionais bem formados. Na área de Engenharia não é diferente, principalmente na Engenharia Física. Os formados pela Ufscar têm tido um enorme sucesso. Em seleção recente realizada pelo Citibank, onde se inscreveram mais de 80 mil candidatos - Engenheiros de todo o Brasil –, foram selecionados cinco desses candidatos. Dois deles são Engenheiros Físicos formados pela Ufscar”, relata.

“Outro caso que pode citar é de uma empresa de RH. Procuraram-me dizendo que precisavam contratar para uma nova usina de álcool no Paraná. Tinham quatro vagas para Engenheiros Físicos e não tinha nenhum disponível”, diz.

Pontos positivos

e negativos

Moreira destaca, entre os pontos positivos da carreira, a excelência da formação profissional do Engenheiro Físico, multi e interdisciplinar. Por outro lado, lamenta o desconhecimento que ainda existe no mercado em relação a esta nova carreira.

“Muitos ainda pensam que Físico é Engenheiro. E não é. O Físico não pode trabalhar como Engenheiro. Já o Engenheiro Físico pode trabalhar como Físico. Basicamente, o profissional de Engenharia Física agrega o melhor da física e da engenharia. O Físico tem uma boa base de física e matemática, é treinado para lidar com o desconhecido, com pesquisa. Já o Engenheiro é dotado de capacidade para inovar, gerenciar e administrar e, obviamente, tem um senso de aplicação. Põe a mão na massa”, esclarece.

Remuneração

Por ser uma carreira ainda muito recente no país, é difícil estabelecer uma média salarial do setor. Segundo o profissional da Ufscar, “estagiários de Engenharia Física que desempenham atividades em empresas de primeiro nível recebem aproximadamente R$ 4 mil mensais, incluindo benefícios”.

Rogerio Jovaneli/SP

+ Resumo do Concurso Profissões e Cursos

Profissões e Cursos
Vagas: Não definido
Taxa de inscrição: Não definido
Cargos: Não definido
Áreas de Atuação: Não definido
Escolaridade: Ensino Fundamental, Ensino Médio, Ensino Técnico, Ensino Superior
Faixa de salário:
Organizadora: O próprio órgão

+ Agenda do Concurso

02/05/2009 Divulgação do Resultado Adicionar no Google Agenda

Comentários

Mais Lidas