Primeira fase OAB: não passei, o que fazer?

Hoje, é comum que se façam três, cinco, dez e até mais provas até ocorrer a aprovação no Exame de Ordem

Redação
Publicado em 16/06/2010, às 11h30

Por Wander Garcia*

Atualmente, é mais fácil ser reprovado do que ser aprovado no Exame de Ordem. É uma questão de estatística, e você sabe disso.


No tempo em que eu fiz o exame, a grande maioria dos estudantes era aprovada já na primeira prova. Na minha turma, por exemplo, todos foram aprovados.


Mas as coisas mudaram. E mudaram muito. Hoje, é comum que se façam três, cinco, dez e até mais provas até ocorrer a aprovação.  


Trabalho com a OAB há mais de dez anos. Tenho livros sobre o exame, sou professor e coordenador de grandes cursos preparatórios, e posso afirmar com tranquilidade que, hoje, a prova é mais difícil do que era antes.


Basta pegar as provas de dez anos atrás e as provas atuais para verificar a grande diferença entre os dois exames.


As provas atuais vão muito mais a fundo nos textos legais cobrados e andam cada vez mais antenadas com a jurisprudência dos tribunais superiores. O nível de raciocínio exigido e de conteúdo que deve ser guardado também aumentou muito.


Então, fique sabendo que o que aconteceu com você não deve afetar sua auto-estima, nem deve lhe deixar paralisado e com raiva do Exame de Ordem.


O momento agora é de aprender com alguns erros cometidos, fazer um balanço geral e proceder a ajustes nos seus estudos, pois não tenho dúvida de que você chegará lá!


É com esse espírito de otimismo, e olhando para frente, que quero lhe fazer algumas perguntas, sobre como foi sua preparação. Vamos a elas:


No seu estudo, além da doutrina, você leu o texto das leis mais importantes para o exame?


No seu estudo você leu os informativos de jurisprudência dos Tribunais superiores dos últimos 12 meses?


No seu estudo você treinou por todas as questões Cespe que apareceram nos exames da OAB e também por questões Cespe de outros exames?


No seu estudo você manteve a mesma linha de estudo, fazendo e cumprindo cronogramas, sem ficar mudando de tipo de estudo toda hora?


Se você respondeu sim a todas as perguntas acima e foi reprovado, de duas, uma: ou aconteceu uma tremenda falta de sorte, que certamente não se repetirá, ou o nível de concentração empregado não foi adequado, de modo que recomendo que você continue firme nos estudos e procure se concentrar mais ao estudar.


Agora, se você não respondeu sim a todas as perguntas acima, recomendo que você reveja o mais rápido possível sua forma de estudar e adote os estudos mencionados, pois eles farão toda a diferença para a sua aprovação.

Quero também lembrá-lo de que tudo o que você estudou não está perdido. Você tem, hoje, maior conhecimento acumulado. E esse conhecimento certamente será útil para a continuidade de sua preparação.


Passar na OAB é uma grande caminhada. Você já andou muitos quilômetros e, a partir de agora, continuará nessa caminhada, mas com uma diferença: com as novas ferramentas de estudo, você terá passos mais largos, maior velocidade e maior orientação para o percurso e, fortalecido, você certamente chegará ao seu objetivo final, que é a aprovação no Exame de Ordem.


Eu tenho certeza disso e confio em você!


*Wander Garcia é autor, professor e coordenador de cursos de preparação para o Exame de Ordem há mais de dez anos, tendo ministrado e coordenado cursos na Rede LFG, no Damásio e no Êxito/Proordem. É coordenador e um dos autores da Coleção Como Passar na OAB!, que tem livros de preparação para a 1ª e 2ª fase do Exame de Ordem, pela Editora Foco. É também advogado, procurador do Município de São Paulo e Mestre e Doutor em Direito pela PUC/SP.

Veja também:

DPU/AP: estudantes podem se inscrever até amanhã (17)

OAB/Exame de Ordem 141: divulgado o gabarito oficial da primeira fase

Comentários

Mais Lidas