MenuJC Concursos
Busca
Últimas Notícias | | Empregos | Sociedade | youtube jc | WEBSTORIES

Alerta da ONU: Faixa de Gaza pode estar se tornando um 'cemitério de crianças'

Número de mortos em Gaza, de acordo com autoridades de saúde, ultrapassou 10 mil pessoas, maiora de crianças e mulheres. Ajuda recebida é insuficiente para a população civil de Gaza

Autoridades da ONU afirmam que essa ajuda é insuficiente para a população civil de Gaza
Autoridades da ONU afirmam que essa ajuda é insuficiente para a população civil de Gaza - Divulgação/JC Concursos
Pedro Miranda

Pedro Miranda

redacao@jcconcursos.com.br

Publicado em 06/11/2023, às 20h04

WhatsAppFacebookTwitterLinkedinGmailGoogle News

Nesta segunda-feira (6), o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, fez um apelo em relação ao conflito entre Israel e os militantes palestinos do Hamas. Ele enfatizou a importância da proteção dos civis e expressou sua preocupação de que a Faixa de Gaza esteja se tornando um "cemitério de crianças".

Guterres instou a busca de uma solução para pôr fim à destruição em curso e solicitou um cessar-fogo humanitário imediato. O conflito se intensificou após um ataque em 7 de outubro, no qual integrantes do Hamas assassinaram 1,4 mil pessoas em Israel e mantiveram mais de 240 reféns.

Em resposta, Israel realizou ataques aéreos, impôs um cerco à região e lançou uma incursão por terra. O número de mortos em Gaza, de acordo com autoridades de saúde palestinas, ultrapassou 10 mil pessoas. Guterres enfatizou que violações claras da lei humanitária internacional estão ocorrendo e pediu US$ 1,2 bilhão em assistência humanitária da ONU para atender às necessidades de 2,7 milhões de pessoas na Faixa de Gaza e na Cisjordânia.

Autoridades da ONU afirmam que essa ajuda é insuficiente para a população civil de Gaza

O secretário-geral destacou que as operações israelenses e os bombardeios têm afetado civis, hospitais, campos de refugiados, locais religiosos e instalações da ONU, incluindo abrigos. Ele também mencionou que o Hamas e outros militantes usam civis como escudos humanos e lançam foguetes indiscriminadamente em direção a Israel.

Além disso, Guterres informou que 89 funcionários da agência de refugiados palestinos da ONU morreram em Gaza durante o conflito, representando o maior número de mortes de membros da organização em sua história.

Embora caminhões com ajuda humanitária tenham conseguido entrar em Gaza pelo posto fronteiriço de Rafah, que não é controlado por Israel, as autoridades da ONU afirmam que essa ajuda é insuficiente para a população civil de Gaza, que sofre com a destruição causada pelos ataques aéreos e abriga mais de um milhão de pessoas desabrigadas.

Guterres concluiu que a passagem de Rafah por si só não tem a capacidade necessária para processar caminhões de ajuda humanitária em escala adequada. Ele observou que, nas últimas duas semanas, um pouco mais de 400 veículos entraram em Gaza, em comparação com os 500 veículos no dia anterior ao início do conflito, excluindo fretes de combustível.

+ Acompanhe as principais informações sobre Sociedade e Brasil no JC Concursos

Siga o JC Concursos no Google NewsSociedadeBrasil

JC Concursos - Jornal dos Concursos. Imparcial, independente, completo.