MenuJC Concursos
Busca
Últimas Notícias | | Empregos | Sociedade | youtube jc | WEBSTORIES

Bolsa Família: Governo libera pagamento retroativo de R$ 278 milhões

Veja quem tem direito a receber quantia adicional do programa Bolsa Família neste mês de outubro e como consultar se a liberação foi feita

Mulher segura cartão do novo Bolsa Família e notas de cem reais
Mulher segura cartão do novo Bolsa Família e notas de cem reais - Divulgação
Mylena Lira

Mylena Lira

redacao@jcconcursos.com.br

Publicado em 26/10/2023, às 19h20

WhatsAppFacebookTwitterLinkedinGmailGoogle News

Uma novidade do programa Bolsa Família em outubro é que o governo federal liberou o pagamento de 700 mil parcelas retroativas, resultando em cerca de R$ 278 milhões a mais repassados às famílias beneficiadas.

O valor é referente às parcelas que estavam bloqueadas e, agora, foram desbloqueadas. Portanto, só quem enfrentava essa situação vai ser contemplado com a quantia adicional liberada neste mês.

A boa notícia é que não será necessário mais ir a uma agência para sacar os valores acumulados que estavam bloqueados. Eles serão creditados automaticamente na conta bancária onde o beneficiário já recebe a ajuda financeira mensalmente. As famílias conseguem visualizar a informação da liberação do valor por meio dos aplicativos do Bolsa Família e Caixa Tem.

Pagamento do Bolsa Família de outubro

Os pagamentos de outubro tiveram início em 18 de outubro para os beneficiários com Número de Identificação Social (NIS) final 1. Os repasses são feitos de escalonada e seguem até o dia 31, quando recebem os beneficiários com NIS final zero. Veja as datas de pagamento:

  • NIS final 1: 18/10
  • NIS final 2: 19/10
  • NIS final 3: 20/10
  • NIS final 4: 23/10
  • NIS final 5: 24/10
  • NIS final 6: 25/10
  • NIS final 7: 26/10
  • NIS final 8: 27/10
  • NIS final 9: 30/10
  • NIS final 0: 31/10

+Taxação dos super-ricos é aprovada, mas Câmara afrouxa tributação

Novidade: Benefício Nutriz

Também em outubro, foi dado início ao pagamento de seis parcelas extras de R$ 50 para auxiliar nos primeiros meses de vida de um bebê. O objetivo é conferir maior proteção social e qualidade nutricional para as mães (ou responsáveis) e para os bebês de até seis meses.

O responsável familiar terá direito ao benefício mesmo se a criança não estiver em aleitamento materno, como forma de garantir qualquer outro tipo de alimentação ao bebê.

O novo adicional soma R$ 14 milhões neste mês para atender as famílias de mais de 287 mil nutrizes. Para o recebimento, a família deve atualizar os dados no Cadastro Único informando o nascimento de mais um integrante.

Como sacar o benefício

Nos dois programas, os beneficiários podem movimentar os valores pelo aplicativo CAIXA Tem, não sendo necessário ir até uma agência para realizar o saque. Além disso, os beneficiários também podem utilizar o cartão para realizar compras nos estabelecimentos comerciais por meio da função de débito e efetuar saques nos:

  • terminais de autoatendimento
  • casas lotéricas
  • correspondentes CAIXA Aqui
  • agências da CAIXA

Esta facilidade visa proporcionar o acesso aos recursos de maneira conveniente e segura. As famílias que recebem o benefício pelo aplicativo CAIXA Tem, em conta Poupança Social Digital, poderão continuar movimentando os recursos pelo app, proporcionando praticidade e segurança na gestão do dinheiro.

+Aposentado que ainda trabalha será isento de recolher FGTS, aprova Senado

Como receber o auxílio mensal?

É preciso fazer registro no Cadastro Único para receber o Bolsa Família. O primeiro cadastro deve ser feito presencialmente apenas, mas dá para fazer o pré-cadastro no aplicativo. Depois, o interessado precisa comparecer, em até 120 dias, ao CRAS ou a um dos postos de atendimento do CadÚnico para complementar os dados, munido dos seguintes documentos:

  • CPF (Cadastro de Pessoa Física) ou Título de Eleitor de todos os membros da família maiores de 18 anos
  • Certidão de Nascimento ou RG (Registro Geral) de todos os membros da família
  • Comprovante de residência, que pode ser uma conta de luz, água, gás ou telefone, desde que esteja em nome de alguém da família e seja recente (com no máximo três meses de emissão)
  • Carteira de Trabalho ou contracheque, se houver algum membro da família que trabalhe com carteira assinada
  • Comprovante de renda dos demais membros da família, como aposentadoria, pensão, benefício de prestação continuada, entre outros

Além desses documentos, é importante que a família esteja atenta às informações que serão prestadas durante o cadastramento, pois elas serão utilizadas para a seleção e o acesso aos programas sociais do governo. Por isso, é fundamental que todas as informações fornecidas sejam verdadeiras e atualizadas.

+++Acompanhe as principais notícias sobre Sociedade no JC Concursos.

Siga o JC Concursos no Google NewsSociedadeBrasil

JC Concursos - Jornal dos Concursos. Imparcial, independente, completo.