MenuJC Concursos
Busca
Notícias | | Aulas Grátis | Provas anteriores | Simulados | Empregos | Brasil

Bolsonaro veta nova Lei Aldir Blanc; autoridades políticas reagem à decisão

A Lei Aldir Blanc é voltada a trabalhadores da cultura. Aprovada pelo legislativo em março, projeto previa o repasse anual de R$ 3 bilhões para o setor

Pedro Miranda* | redacao@jcconcursos.com.br
Publicado em 05/05/2022, às 19h15

A Lei Aldir Blanc é voltada a trabalhadores da cultura
A Lei Aldir Blanc é voltada a trabalhadores da cultura - Agência Brasil
WhatsAppFacebookTwitterLinkedinGmail

O presidente Jair Bolsonaro vetou o projeto de lei que criava a Política Nacional Aldir Blanc de Fomento à Cultura. A lei, aprovada pelo legislativo em março, previa o repasse anual de R$ 3 bilhões do governo federal a estados e municípios para realizações de ações no setor. Autoridades políticas criticam à decisão do presidente.

A Lei Aldir Blanc é voltada a trabalhadores da cultura, entidades e pessoas físicas e jurídicas que prestam serviços artísticos e culturais — o que inclui o patrimônio cultural material e imaterial do país.

O programa aprovado pelo Congresso, estipulava que os governos estaduais e municipais deveriam repassar 80% dos recursos que recebem para apoiar ações do setor cultural por meio de editais, chamadas públicas, prêmios e compra de bens e serviços culturais.

No veto, o presidente alegou que o projeto é "inconstitucional e contraria ao interesse público". Entre as razões apresentadas pela Secretaria-Geral da Presidência da República, o Governo Federal informou que “o veto decorre da necessidade de salvaguardar as contas públicas, haja vista que o setor cultural já foi contemplado por outras ações de recuperação durante a pandemia".

Quanto às fontes de recursos que seriam utilizadas, a Secretaria-Geral informou que "ouvidas as pastas ministeriais competentes”, decidiu vetar dispositivos “por vício de inconstitucionalidade e contrariedade ao interesse público". Como motivo, o órgão citou especificamente as dotações consignadas na lei orçamentária anual e nos seus créditos adicionais; arrecadação bruta de concursos de prognósticos e de loterias.

+++Número de cadastros para votar nas Eleições 2022 bate recorde, diz TSE

Autoridades políticas criticam veto da Lei Aldir Blanc

O veto da Lei Aldir Blanc causou uma onda de críticas ao presidente Jair Bolsonaro nas redes sociais nesta quinta-feira (5). O pré-candidato a presidência pelo PDT, Ciro Gomes, chamou o atual presidente de "facínora" e enfatizou que o Congresso deve exercer seu poder de derrubar o veto.

A jornalista Vera Magalhães lembrou o aniversário de dois anos da morte do artista que nomeia a lei, o compositor Aldir Blanc, que coincidiu com o dia do veto do presidente na quarta (4). 

O ex-governador de São Paulo e pré-candidato presidencial pelo PSDB, João Doria, criticou publicamente a decisão, dizendo que o veto é o mesmo que negar a cultura brasileira.

O líder da oposição no Senado, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), destacou que Bolsonaro “odeia o povo brasileiro” e ressaltou que o presidente é “o verdadeiro vilão da história do nosso país”.

Há um mês, Bolsonaro também vetou outro projeto de lei relacionado ao setor de cultura, a Lei Paulo Gustavo, que propunha o repasse de 3,8 bilhões de reais como suporte ao setor cultural pelo impacto da pandemia de Covid-19.

*Estagiário sob supervisão do jornalista Jean Albuquerque

+++ Acompanhe as principais informações sobre Sociedade e Brasil no JC Concursos

Siga o JC Concursos no Google News e acompanhe nossos destaquesSociedadeBrasil

Comentários

Voltar ao topo

+Mais Lidas

JC Concursos, o seu Jornal dos Concursos de sempre. Imparcial, independente, completo.