MenuJC Concursos
Busca
Últimas Notícias | | Empregos | Sociedade | youtube jc | WEBSTORIES

Cesta básica pode sofrer reajuste RECORDE com aprovação da Reforma Tributária

Abras calcula que aprovação da Reforma Tributária pode gerar reajuste médio de 59,83% nos impostos da cesta básica e produtos de higiene; Veja detalhes

Consumidores em supermercado
Consumidores em supermercado - Agência Brasil
Jean Albuquerque

Jean Albuquerque

redacao@jcconcursos.com.br

Publicado em 03/07/2023, às 15h45

WhatsAppFacebookTwitterLinkedinGmailGoogle News

A cesta básica pode sofrer reajuste recorde caso o projeto da Reforma Tributária apresentado na semana seja aprovado. A Associação Brasileira de Supermercados (Abras) calcula que a medida pode gerar um aumento médio de 59,83% nos impostos que incidem sobre os alimentos e produtos de higiene. 

João Galassi, presidente da Abras, reuniu-se no último sábado (1°) com o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, na cidade de São Paulo, a fim de debater os efeitos da reforma no setor.

+ Fique longe de consumir ESSES alimentos classificados como cancerígenos

O que pode ficar mais caro?

Segundo as estimativas da Abras, caso a proposta de reforma tributária seja aprovada no Congresso Nacional, os estados da região Sul serão os mais impactados, com um aumento médio na tributação de 93,5%. 

Em seguida, estão as regiões Centro-Oeste e Sudeste, com um aumento previsto de 69,3% e 55,5%, respectivamente. Já para as regiões Norte e Nordeste, espera-se um acréscimo de 40,5% e 35,8% na tributação.

No levantamento realizado, foram considerados produtos essenciais, como arroz, feijão, carnes, ovos, legumes, entre outros. A Abras considerou a proposta de adotar uma redução de 50% na alíquota padrão do Imposto sobre Valor Agregado (IVA), que atualmente está em discussão, com uma alíquota prevista de 25%.

Encarecimento de produtos 

Anteriormente, um especialista consultado pela Agência Brasil já havia levantado a possibilidade de aumento nos preços dos produtos básicos. O texto refere-se à proposta de reforma tributária que tem como principal objetivo simplificar e unificar os impostos sobre o consumo.

Além disso, estabelecer o Fundo de Desenvolvimento Regional, com um montante de R$ 40 milhões, para financiar projetos em estados com menor orçamento. O relator do projeto, que será votado na Câmara dos Deputados nesta semana, é o deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB).

Ao final da reunião, o secretário extraordinário da Reforma Tributária, Bernard Appy, contestou os números apresentados pela Abras, afirmando que a carga tributária sobre a cesta básica deve permanecer no mesmo patamar que existe atualmente, mesmo com a reforma. 

Appy argumentou que o cálculo da associação "omite" informações e, portanto, "desinforma", pois não considera parte dos efeitos positivos que a reestruturação tributária pode trazer.

+ Acompanhe as principais informações sobre Sociedade e Brasil no JC Concursos

Siga o JC Concursos no Google NewsSociedadeBrasil

JC Concursos - Jornal dos Concursos. Imparcial, independente, completo.