Como o aumento da Selic pode afetar o meu FGTS e a poupança? O JC Concursos explica

Com a Selic chegando aos 9,25% ao ano, ela afeta o cálculo de rendimentos do FGTS e poupança. Entenda como isso acontece

Victor Meira - victor@jcconcursos.com.br
Publicado em 09/12/2021, às 13h45

Saiba como a Selic pode afetar o FGTS e a poupança
Saiba como a Selic pode afetar o FGTS e a poupança - Marcelo Casal Jr./Agência Brasil

Na última quarta-feira (08), o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC ou Bacen) aumentou mais uma vez a taxa básica de juros, conhecida como Selic. Diante do aumento constante da inflação, o Copom decidiu aumentar 7,75% para 9,25% ao ano. Como essa notícia afeta o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e a poupança? O JC Concursos irá te explicar como essa operação pode mudar o rendimento do seu dinheiro.

Vamos iniciar apresentando o conceito de Taxa Referencial (TR). Essa taxa é um indexador utilizado pelo Bacen para corrigir as aplicações da caderneta de poupança, das prestações dos empréstimos do Sistema Financeiro da Habitação e do FGTS

A TR é calculada pelo BC a partir dos juros das Letras do Tesouro Nacional (LTN), que variam conforme a Selic. Deste modo, quanto maior for a Selic maior será a Taxa Referencial. 

FGTS

O FGTS tem uma correção no saldo de TR mais 3%. Portanto, em um cálculo simples, a correção tende a subir a quase 4%. 

O diretor executivo de Estudos e Pesquisas Econômicas da Associação Nacional de Executivos (Anefac), Miguel José Ribeiro de Oliveira, reforça que a estimativa do mercado financeiro é que a TR fique em torno de 0,05%. 

Ele utiliza julho de 2017, mês em que a Selic operava em 9,25% ao ano, como referência para calcular a nova TR. Na época, a Taxa Referencial chegou ao patamar de 0,0623%.

Contudo, Oliveira explica que só é possível conhecer a nova TR quando o Banco Central divulgar o cálculo mensal dela TR referente a dezembro.

Poupança

Assim como o FGTS é alterado com um aumento na taxa básica de juros, a poupança também sofre algumas modificações, principalmente quando a Selic ultrapassa os 8,5%.

Segundo a legislação, quando a taxa Selic for igual ou inferior a 8,5% ao ano, a remuneração dos depósitos de poupança é composta pela TR mais 70% da taxa Selic mensalizada. Por outro lado, quando ela fica acima de 8,5%, a poupança rende TR mais 0,5% ao mês.

Quando a taxa básica de juros atinge um patamar alto, a tendência é de que os consumidores aumentem os seus aportes para um fundo de renda fixa, dentre elas a poupança. Uma vez que estes fundos possuem um risco mais baixo e com juros mais altos atingem rendimentos maiores. 

Segundo a Anefac, a poupança ganha em rendimentos dos fundos de renda fixa, principalmente nas aplicações de baixo valor, porque há cobrança de taxas de administração mais altas. Nos investimentos em poupança, não há cobrança de taxa de administração.

“Assim, a caderneta de poupança vai continuar sendo uma excelente opção de investimento, principalmente sobre os fundos cujas taxas de administração sejam superiores a 1% ao ano”, explica a Anefac.

Com essa alteração do cálculo da poupança, ela tem um rendimento maior. Em uma simulação feita pela Anefac, uma aplicação no valor de R$ 10 mil pelo prazo de 12 meses, o investidor acumula rendimento de R$ 680, totalizando R$ 10.680 ao final desse período.

*com informações da Agência Brasil e Anefac

+++Acompanhe as principais informações sobre benefícios sociais no JC Concursos

Comentários

Mais Lidas