MenuJC Concursos
Busca
Últimas Notícias | | Empregos | Sociedade | youtube jc | WEBSTORIES

Concurso DPDF: Defensoria Pública reserva 52% das vagas de concurso público para cotas

A Defensoria Pública do Distrito Federal (DPDF) quer maior parte das vagas do futuro concurso DPDF para candidatos negros, quilombolas, indígenas e pessoas com deficiência

Mulher preta com blusa branca, blazer cinza e braços cruzados
Mulher preta com blusa branca, blazer cinza e braços cruzados - Divulgação
Mylena Lira

Mylena Lira

redacao@jcconcursos.com.br

Publicado em 14/11/2023, às 23h57

WhatsAppFacebookTwitterLinkedinGmailGoogle News

A Defensoria Pública do Distrito Federal (DPDF) apresentou uma proposta de projeto de lei que sugere a reserva de 52% das vagas em seus concursos públicos para candidatos negros, quilombolas, indígenas e pessoas com deficiência. A iniciativa busca promover a inclusão desses grupos historicamente marginalizados na ocupação de cargos efetivos via concurso DPDF.

De acordo com a minuta enviada à Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) na última sexta-feira (10), a reserva seria distribuída da seguinte forma:

  • 30% para candidatos negros (pretos e pardos)
  • 20% para pessoas com deficiência
  • 2% para indígenas e quilombolas

Essa ação afirmativa visa assegurar oportunidades igualitárias nos processos seletivos. O defensor público-geral, Celestino Chupel, destaca a importância dessas ações afirmativas para proporcionar oportunidades de trabalho a grupos historicamente excluídos.

"Os avanços, embora alcancem certos grupos de modo mais direto, impactam e beneficiam a população como um todo, situando o conjunto das relações sociais em novo patamar civilizacional. Estamos felizes por fazer parte dessa transformação. Espero que a instituição se torne cada vez mais plural e inclusiva", afirmou.

+PGR quer prisão de Robinho por estupro; Daniel Alves será julgado na Espanha

Ampla concorrência x cotas

Os candidatos abrangidos por essa política concorrerão simultaneamente às vagas reservadas e às destinadas à ampla concorrência, com base na classificação obtida no concurso DPDF.

Além disso, o projeto inclui a criação de uma política de formação continuada para equidade étnico-racial e de gênero, com o conteúdo programático dos concursos prevendo a indicação de obras, preferencialmente escritas por autores negros, indígenas e/ou quilombolas, que abordem essas temáticas.

+Policial Militar de folga é obrigado a agir? Houve prevaricação da PM em SP?

Luta antirracista

Essa iniciativa da DPDF reforça seu compromisso com a promoção da igualdade e diversidade. Em novembro, a instituição promoveu o 2º seminário "Defensoria na Luta Antirracista", discutindo questões relacionadas ao racismo e ao acesso ao sistema de Justiça. No evento, a DPDF recebeu o Selo Esperança Garcia na categoria ouro, que reconhece boas práticas antirracistas nas defensorias públicas do Brasil.

Anteriormente, a instituição já havia anunciado a construção desta minuta durante a "Audiência Pública: Políticas Institucionais de Promoção da Equidade Étnico-Racial na Defensoria Pública do DF", realizada em setembro deste ano.

A audiência contou com a participação de representantes da sociedade civil organizada, movimentos sociais, instituições públicas e especialistas, reforçando o compromisso da DPDF com a construção de políticas inclusivas e antirracistas, segundo a instituição.

+++Acompanhe as principais notícias sobre Sociedade no JC Concursos.

Siga o JC Concursos no Google NewsSociedadeBrasil

JC Concursos - Jornal dos Concursos. Imparcial, independente, completo.