MenuJC Concursos
Busca
Últimas Notícias | | Empregos | Sociedade | youtube jc | WEBSTORIES

Concurso Polícia Civil: conheça cargos de papiloscopista, perito, escrivão e investigador

Estuda para a área de segurança pública e tem interesse em concurso da Polícia Civil? Então, confira quais são as atribuições desses cargos

Agente da Polícia Civil do Rio de costas
Agente da Polícia Civil do Rio de costas - Divulgação
Mylena Lira

Mylena Lira

redacao@jcconcursos.com.br

Publicado em 15/06/2023, às 21h11

WhatsAppFacebookTwitterLinkedinGmailGoogle News

Se você é um candidato interessado em concurso da Polícia Civil e está buscando informações sobre as atribuições dos cargos de escrivão, investigador, perito criminal e papiloscopista, então chegou ao lugar certo. Compreender melhor as características de cada posição é importante para bater o martelo na escolha pela área da segurança pública.

Afinal, os sacrifícios e renúncias necessários durante o caminho de preparação para essa área tão disputada precisam valer a pena após a posse no cargo. Ao conhecer um pouco mais sobre as responsabilidades e funções que fazem parte da rotina dos profissionais que assumem esses cargos é possível analisar se é para você mesmo.

+Segurança Pública: Câmara discute criação de "polícia" socioeducativa; Veja função

Papiloscopista: o guardião das impressões digitais

Você já viu filmes ou séries em que chego um profissional com um pozinho e um pincel e começa a buscar por digitais no ambiente do crime? Esse é o papiloscopista. Esse profissional é responsável pela identificação humana por meio das impressões digitais.

Sua principal função é realizar a coleta, classificação, pesquisa e análise de impressões digitais em locais de crimes, documentos e objetos. Além disso, o Papiloscopista pode atuar na elaboração de retratos falados, reconhecimento facial, análise de tatuagens e cicatrizes, bem como na emissão de laudos periciais relacionados à sua área de atuação.

É um profissional essencial para a elucidação de crimes e identificação de pessoas e, inclusive, de cadáveres. O Papiloscopista pode lidar com cadáveres em determinadas situações, assim como com fragmentos encontrados em locais de crimes, além de perícia e coletas desses materiais – desenhos papilares de palmas das mãos, pontas dos dedos, plantas dos pés.

Entre as atividades diárias podem estar:

  • colher, classificar e comparar impressões digitais, palmares e plantares;
  • preparar, examinar e manter o arquivo datiloscópico, onomástico e monodactilar;
  • realizar a identificação civil e criminal, por meios convencionais ou eletrônicos, mediante o preenchimento de prontuários e planilhas, inclusive quanto aos caracteres qualitativos e cromáticos do indivíduo;
  • elaborar pareceres papiloscópicos, necropapiloscópicos e documentos científicos ou administrativos;
  • elaborar relatórios e prestar esclarecimentos sobre a identidade de pessoas, quando
    requisitados por autoridades;
  • realizar pareceres técnicos papiloscópicos e necropapiloscópicos, externos e laboratoriais;
  • realização de levantamentos papiloscópicos dos locais de crime;
  • reprodução da face humana através de computação gráfica; e
  • manter organizados e preservar os álbuns e arquivos.

Perito: a ciência em benefício da Justiça

O perito criminal é responsável por aplicar seus conhecimentos científicos e técnicos na análise e investigação de crimes. Sua atuação abrange diversas áreas, como balística, medicina legal, engenharia, química, entre outras especialidades. Portanto, é voltada a candidatos com formações variadas.

O trabalho do perito consiste, em síntese, em realizar exames, perícias e elaboração de laudos técnicos que subsidiem as investigações policiais e contribuam para a produção de provas periciais. Os peritos são fundamentais para a compreensão dos eventos ocorridos em um crime, fornecendo subsídios imprescindíveis para o trabalho investigativo.

Faz parte da rotina:

  • planejar, organizar, coordenar, supervisionar e executar atribuições relacionadas com perícias especializadas na área Criminalística;
  • realizar perícias de sistema de segurança veicular, de especificação e confronto de materiais, vistorias especiais de Engenharia Legal, de espectrografia do som de complementação e reconstituição;
  • realizar perícias criminais em locais de morte violenta, disparo de armas, acidente de tráfego com vítimas, arrombamento ou situações similares;
  • realizar perícias em locais de crimes contra o Patrimônio;
  • realizar perícias no campo da revelação latente de cunhagem a frio em metal, adulteração em veículos (chassi do motor), adulteração em máquinas, motores e aparelhos;
  • realizar perícias de arquivo, monopolizar pesquisa da identidade do criminoso, através dos fragmentos de impressões digitais deixadas no local do crime ou em objetos suspeitos;
  • desempenhar funções técnico-administrativas, administrativas e outras de natureza não policial, no âmbito da Polícia Civil e da Secretaria de Segurança Pública;
  • atender às requisições da Autoridade Policial.

+Carreira policial: veja os próximos concursos públicos previstos para 2023

Escrivão: o guardião da informação

O escrivão exerce um papel crucial na administração e condução dos procedimentos legais no âmbito da polícia civil. Ele é responsável pela redação e lavratura de termos, boletins de ocorrência, mandados de busca e apreensão, intimações, entre outros documentos oficiais.

Além disso, o escrivão auxilia na elaboração de inquéritos policiais, no registro de informações relevantes, no controle de prazos processuais e na organização de arquivos. Sua atuação garante a segurança e a eficiência dos processos administrativos e judiciais, mantendo a ordem e a legalidade dentro da instituição.

Investigador: o detetive da Polícia Civil

O investigador de polícia, muitas vezes chamado de agente de polícia, é o profissional responsável pela investigação criminal no âmbito da polícia civil. Sua função é realizar diligências, colher depoimentos, reunir evidências, realizar levantamentos, analisar informações, realizar prisões e atuar na prevenção e repressão de crimes.

O investigador é o braço executor das investigações, atuando diretamente em campo para reunir elementos que subsidiem o trabalho do delegado e do Ministério Público. Sua habilidade investigativa é fundamental para a elucidação de crimes. Compete a quem ocupa esse cargo, entre outras funções:

  • realizar diligências investigatórias e de policiamento preventivo especializado;
  • cumprir requisições escritas ou verbais atinentes ao trabalho de polícia judiciária, emanadas do Delegado de Polícia;
  • cumprir mandados;
  • escoltar presos;
  • realizar prisões, capturas de indivíduos e apreensões;
  • manter a segurança de locais onde se desenvolve a atividade policial civil;
  • atender ao público interno e externo, no desempenho da atividade policial;
  • intervir, a qualquer tempo, em ocorrências de natureza criminal;
  • conduzir viaturas policiais;
  • transportar pessoas e coisas vinculadas a ocorrências policiais;
  • conservar, manusear e empregar armas de fogo e equipamentos menos letais;

Novo concurso da PC SP em breve

O governo de São Paulo já autorizou a promoção de um novo concurso para a Polícia Civil de São Paulo, que deve ofertar 3.500 vagas de nível superior para os cargos de escrivão de polícia, investigador de polícia, delegado de polícia, médico legista e perito criminal. A previsão é a de que os editais sejam liberados em julho. Saiba mais detalhes aqui. Para saber quais sãos os concursos públicos abertos para a carreira policial, clique aqui.

+++Acompanhe as principais notícias sobre Sociedade no JC Concursos.

Siga o JC Concursos no Google NewsSociedadeBrasil

JC Concursos - Jornal dos Concursos. Imparcial, independente, completo.