MenuJC Concursos
Busca
Últimas Notícias | | Empregos | Sociedade | youtube jc | WEBSTORIES

Dia Mundial do Autismo: quais são os graus e como evoluir no desenvolvimento?

Hoje é celebrado o Dia Mundial do Autismo. Embora não haja cura, os tratamentos indicados podem melhorar a qualidade de vida da pessoa afetada, ajudando-a a desenvolver habilidades

Criança com autismo corre e brinca com bexigas azuis
Criança com autismo corre e brinca com bexigas azuis - Divulgação
Mylena Lira

Mylena Lira

redacao@jcconcursos.com.br

Publicado em 02/04/2023, às 20h40

WhatsAppFacebookTwitterLinkedinGmailGoogle News

Neste domingo, 2 de abril, é celebrado o Dia Mundial do Autismo, um distúrbio neurológico que afeta a capacidade de comunicação, interação social e comportamento da pessoa afetada. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), em todo o mundo, cerca de 1 em cada 160 crianças tem transtorno do espectro autista (TEA).

Porém, nem todo autismo é igual. O Transtorno do Espectro Autista (TEA) engloba diferentes graus de autismo, desde o autismo clássico até formas mais leves. Os níveis são definidos de acordo com o grau de comprometimento da comunicação e interação social da pessoa afetada, além de padrões repetitivos e restritivos de comportamento.

Os níveis de autismo incluem:

  • Autismo Clássico: é o nível mais grave de autismo, onde a pessoa afetada apresenta dificuldades significativas na comunicação e interação social. Também pode haver um comportamento repetitivo e restritivo;
  • Síndrome de Asperger: é um nível mais leve de autismo, em que a pessoa afetada apresenta dificuldades de interação social e pode ter interesses restritos e comportamentos repetitivos. A comunicação verbal geralmente é preservada;
  • Transtorno Global do Desenvolvimento Não Especificado (PDD-NOS): é um nível de autismo mais leve, em que a pessoa afetada apresenta alguns sintomas do autismo, mas não preenche os critérios para o diagnóstico completo.

+ÓTIMA NOTÍCIA do governo sobre a conta de luz para o mês de Abril: bandeira verde

Tratamento para quem tem autismo

Neste Dia Mundial do Autismo é importante ressaltar que quanto mais cedo vier o diagnóstico e antes forem iniciados os tratamentos, melhor a pessoa com TEA irá se desenvolver. A psicóloga especialista em autismo e desenvolvimento infantil, Michele Procópio, ressalta que quanto mais a pessoa com autismo recebe estímulos, mais ela se desenvolve.

Os tratamentos para o autismo incluem terapia comportamental, terapia da fala, terapia ocupacional, e medicamentos. A terapia comportamental é o tratamento mais comum e eficaz para o autismo. Ela é projetada para ajudar a pessoa afetada a desenvolver habilidades sociais e de comunicação, além de reduzir comportamentos repetitivos e restritivos.

A terapia da fala é usada para ajudar a pessoa afetada a desenvolver habilidades de comunicação verbal e não-verbal. A terapia ocupacional é projetada para ajudar a pessoa afetada a desenvolver habilidades de vida diária, como se vestir e se alimentar de forma independente.

Muitas vezes, também se faz necessário entrar com tratamento medicamentoso. Os medicamentos são geralmente prescritos para tratar sintomas específicos do autismo, como ansiedade, agressividade, e hiperatividade. No entanto, os remédios devem ser usados com cuidado e sob supervisão médica adequada.

+Saque do FGTS está disponível para trabalhadores de mais duas cidades

Embora não haja cura para o autismo, os tratamentos indicados podem melhorar a qualidade de vida da pessoa afetada, ajudando-a a desenvolver habilidades sociais e de comunicação, bem como reduzindo comportamentos repetitivos e restritivos. O tratamento precoce é fundamental para maximizar os resultados positivos do tratamento.

+++Acompanhe as principais notícias sobre Sociedade no JC Concursos.

Siga o JC Concursos no Google NewsSociedadeBrasil

JC Concursos - Jornal dos Concursos. Imparcial, independente, completo.