MenuJC Concursos
Busca
Últimas Notícias | | Empregos | Sociedade | youtube jc | WEBSTORIES

Rio de Janeiro PROÍBE celulares nas escolas. Veja publicação no Diário Oficial!

A prefeitura do Rio de Janeiro proíbe o uso de celulares e dispositivos tecnológicos durante as aulas da rede municipal. Saiba mais sobre essa medida e seu impacto no ambiente de aprendizado

Placa de celular proibido
Placa de celular proibido - Freepik
Victor Meira

Victor Meira

victor@jcconcursos.com.br

Publicado em 07/08/2023, às 11h51

WhatsAppFacebookTwitterLinkedinGmailGoogle News

Uma nova medida está em vigor nas escolas da rede municipal do Rio de Janeiro: a proibição do uso de celulares e dispositivos tecnológicos durante as aulas. O decreto que oficializa essa decisão foi publicado no Diário Oficial nesta segunda-feira (7), marcando uma mudança significativa no ambiente de aprendizado das instituições de ensino.

Confira um trecho da proibição de celulares no DO:

Trecho do Diário Oficial

+Boletim Focus: após redução da Selic, mercado prevê mais quedas nos juros e inflação estável

Segundo o decreto, não apenas celulares, mas também outros dispositivos tecnológicos, como tablets, estão proibidos de serem utilizados dentro das salas de aula, bem como em atividades individuais ou em grupo fora delas. A medida visa criar um ambiente mais focado e propício ao aprendizado, minimizando distrações e promovendo a interação entre os alunos.

Embora a proibição esteja em vigor, há exceções para o uso de celulares em sala de aula. Os estudantes poderão recorrer a seus aparelhos se o professor autorizar, mas somente para fins pedagógicos. Além disso, alunos com deficiência ou problemas de saúde que necessitem dos dispositivos tecnológicos para monitoramento ou auxílio estão liberados para utilizá-los sem restrições.

+Confira sete produtos que ficaram mais baratos no supermercado, segundo o Dieese

A decisão da prefeitura do Rio de Janeiro está alinhada com o Relatório Global de Monitoramento da Educação 2023 da Unesco, que destaca os potenciais impactos negativos do tempo excessivo de exposição a telas. A Unesco alerta para possíveis consequências como piora do bem-estar, falta de curiosidade, autodisciplina e estabilidade emocional, e até mesmo o desenvolvimento de quadros de depressão e ansiedade em crianças.

"É como se o aluno saísse de sala toda vez que vê uma notificação. Não tem como prestar atenção e aprender de forma plena assim. Além disso, a escola é lugar de socialização e ficar no celular atrapalha a convivência social", comentou o secretário de educação do Rio de Janeiro, Renan Ferreirinha, sobre a decisão. 

+++Acompanhe as principais informações sobre Sociedade e Brasil no JC Concursos

Siga o JC Concursos no Google NewsSociedadeBrasil

JC Concursos - Jornal dos Concursos. Imparcial, independente, completo.