FENALE prepara seu Congresso Eleitoral

O Congresso será realizado de 25 a 27 de novembro, em Vitória (ES).

Redação
Publicado em 16/10/2009, às 15h00

A Federação Nacional dos Servidores dos Poderes Legislativos Federal, Estaduais e do Distrito Federal – FENALE, presidida por João Moreira (MS) está preparando seu IX Congresso e XXIII Encontro, que se realizará de 25 a 27 de novembro de 2009, em Vitória, Espírito Santo.

           

A organização do evento está sendo realizada pelo Sindicato dos Servidores da Assembleia Legislativa e do tribunal de contas do Espírito Santo, presidido por Leandro Pereira Machado, que está unindo esforços à Mesa Diretora da Assembleia, que cedeu auditório e infraestrutura necessária para a realização do evento.

O encontro     

Desde a fundação da FENALE (cujo nome inicial era FENAL, mas houve mudança para não confundir com a federação que reúne os lotéricos), a entidade vem realizando encontros semestrais nas capitais brasileiras, levando assim sua mensagem em defesa dos servidores legislativos e dos servidores públicos em geral para todo o país.

           

O XXIII Encontro terá abertura solene na Assembleia Legislativa, onde também serão desenvolvidos os dois dias do Encontro, cujo tema será: “SERVIDOR DO LEGISLATIVO TEM COMPROMISSO COM O CIDADÃO, POR ISSO MERECE RESPEITO!”.

           

Ainda no primeiro dia haverá um seminário sobre o tema “Situação previdenciária dos servidores legislativos”, onde serão abordadas as emendas que reformaram a Previdência (Emendas 20 e 41 à constituição Federal) e os Fundos de Previdência.

           

No segundo dia, haverá o tradicional pinga-fogo, quando as entidades têm oportunidade de apresentar seus relatos referentes aos problemas e conquistas dos servidores em cada Legislativo, formando um diagnóstico da situação em todo o País. No mesmo dia será realizado o Planejamento Estratégico para a atuação da entidade na próxima gestão, com uma análise das lutas e ações empreendidas durante a atual administração (de 2006 a 2009) e a elaboração de um documento que norteará a próxima gestão (2009-2012).

Assembleia Geral Eleitoral    

O terceiro e último dia será instalado o IX Congresso. Na parte da manhã será realizada a reunião do Conselho de Representantes, quando será aprovada a “Carta de Vitória” e serão analisadas e votadas as tradicionais Moções de apoio a lutas da categoria.

           

À tarde, haverá a Assembleia Geral Eleitoral, quando serão eleitos e empossados os membros da Diretoria Executiva e do Conselho Fiscal para a Gestão 2009-2012.

Segundo João Moreira, presidente da FENALE, ele deixa a presidência da entidade com a certeza do dever cumprido, tendo certeza de que a FENALE deverá progredir ainda mais nos próximos anos, sendo hoje reconhecida por seus trabalhos na maioria das casas legislativas do País. E agradece toda a Diretoria e todo o Conselho Fiscal, pelo apoio recebido durante o mandato, tendo certeza que todo esse trabalho será coroado pela realização do Congresso, que deverá ter participação maciça das entidades filiadas.

Lutas  

Entre as ações que vêm sendo desenvolvidas pela Federação nos últimos anos, destacam-se as campanhas pela ética na política e pelo serviço público de qualidade, além da luta contra a terceirização no serviço público e em defesa do concurso público para todos os cargos, além de diversos documentos e publicações em defesa dos servidores públicos em geral, não esquecendo a defesa da paridade entre servidores ativos e inativos.

           

Todas essas campanhas têm sido inclusive objeto das últimas Cartas aprovadas nos congressos e encontros da FENALE, sempre destacando a defesa dos servidores e do serviço público de qualidade.

Para o secretário geral da FENALE, Gaspar Bissolotti Neto, que também é secretário geral da ASPAL – Associação dos Servidores Aposentados da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, o próximo Congresso será um dos eventos mais importantes da entidade desde sua fundação, em 1993, pois elegerá sua Diretoria para atuar justamente numa época em que estamos vivenciando grandes debates no setor associativo e sindical, com discussões em torno da cobrança da contribuição sindical, da atuação das centrais, das confederações e das próprias federações, além da perseguição que muitos meios de comunicação vêm fazendo com a classe dos servidores públicos em geral, “necessitando haver uma pronta resposta por meio de entidades como a nossa em defesa da categoria”.

Comentários

Mais Lidas