Previsão de 2.300 vagas para o INSS em 2013

Necessidade de novo concurso para o órgão é reforçada pela proposta de orçamento enviada ao Congresso. Autorização deve sair no final do ano

Redação
Publicado em 13/09/2012, às 13h41

Conforme consta no orçamento 2013 enviado pelo governo ao Congresso, existe a previsão de 2.300 vagas para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Ainda que esse contingente considere nomeações dos aprovados no concurso realizado no início de 2012 para os cargos de técnico do seguro social e perito médico, há ainda enorme espaço para aprovados em novos concursos. Isso porque da seleção de 2012, que contou com 1.875 vagas, já foram nomeados 1.650 aprovados. Foram 1.150 no mês de maio e outros 500 em julho. Há, ainda a expectativa de que pelo menos mais 100 ainda sejam nomeados em 2012;  o que elevaria o patamar de nomeações para 1.750. Isso quer dizer que ficariam faltando 125 nomeações. Ainda que se decida por convocar mais aprovados desse concurso, o número não deve exceder a margem de 500. Nesse sentido, vale o adendo de que para a posição de perito médico, a presidente Dilma Rousseff autorizou, em julho de 2011, o preenchimento de 500 vagas. No entanto, a seleção de 2012 só ofereceu 350. Portanto, é razoável supor que, em vistas de garantir celeridade na contratação de novos servidores, o INSS opte por convocar aprovados do concurso já realizado para compor o quadro de peritos do órgão.

Outro acerto entre INSS e Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) é de que não haverá concurso para o cargo de assistente social. Uma vez que a validade da última seleção, realizada em 2010, ainda está em vigor. Mas esse acerto, em face das diretrizes orçamentárias encaminhadas ao congresso, pode ser revisto.

Mais contas – Seguido esse raciocínio, sobrariam cerca de 1.800 vagas para serem preenchidas por concurso público. Conforme antecipado pelo JC&E com exclusividade em junho, o INSS espera por nova autorização para realização de concurso público no fim deste ano. Oficialmente, porém, as tratativas entre o Ministério da Previdência Social (MPS) e o MPOG ainda não foram iniciadas. Essas conversas, no entanto, devem ser conduzidas em paralelo com a tramitação do orçamento 2013 pelo Congresso. O texto precisa ser aprovado até o final do ano e com o calendário eleitoral atarefando muitos deputados e senadores, o prazo para aprovação fica mais estreito.

O que já é certo – Ainda que não haja uma discriminação específica na proposta encaminhada ao congresso, o cargo de analista, que não teve oferta no último concurso, deve ser o principal foco da nova seleção.

Reinaldo Matheus Glioche/SP

Comentários

Mais Lidas