Tudo Sobre

Concurso MEC

MP dos professores temporários tranca pauta do Senado

A MP versa sobre a contratação temporária, em caráter emergencial, de professores para as instituições federais de ensino em expansão. Caso não seja votada ainda hoje, ela perde a validade e um novo texto precisará ser enviado ao Congresso



Redação
Publicado em 14/06/2011, às 14h15

A MP 525/11 tranca a pauta do Senado Federal nesta terça-feira, 14. Ela trata da contratação temporária, em caráter emergencial, de professores para as instituições federais de ensino em expansão. Caso não seja votada ainda hoje, ela perde a validade e um novo texto precisará ser encaminhado pelo governo ao Congresso, como aconteceu na última semana com a MP 520/10 . Esta MP altera a legislação anterior que prevê esse tipo de contratação apenas em casos de excepcional interesse público.

A medida também permite a contratação temporária de professor substituto em casos de licenças e de afastamentos previstos em regulamentos e de nomeações de docentes que venham o ocupar cargos de direção de reitor, vice-reitor, pró-reitor e diretor de campus, como já acontece na maioria dos Estados e municípios. A legislação anterior só previa a contratação em casos de exoneração, demissão, falecimento, aposentadoria, afastamento para capacitação e afastamento ou licença de concessão obrigatória.

Sobe também de 10% para 20% o índice de professores que podem ser contratados pelos institutos federais, incluindo os afastamentos para capacitação e todas as situações de substituição previstas. Porém, os contratos devem ter duração máxima de um ano, podendo ser prorrogados por igual período.

Segundo dados do Ministério da Educação, o Reuni tem demanda de 15.575 docentes de nível superior.

Saiba mais – Quando uma MP tem seu período de validade próximo do fim, ela passa a “trancar” a pauta da casa onde estiver tramitando. Isso significa que nenhum outro projeto poderá ser votado antes dela.

MP 520/10 – Após não ter sido aprovada no Senado em tempo hábil, o Ministério da Educação (MEC) deverá elaborar um projeto de lei junto com o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) para a criação da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares. Esta empresa ficará responsável pela prestação de serviços gratuitos de assistência médico-hospitalar e laboratorial para a população, prestação de assistência às instituições federais de ensino superior, e pela contratação, via CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), de profissionais para os hospitais universitários.

Aline Viana

Com informações da Agência Senado

Veja também:

Banco do Brasil (SP)/ São Paulo terá concurso para escriturário em 2012

PM (SP)/ Corporação aguarda autorização para concurso

+ Resumo do Concurso MEC

MEC - Ministério da Educação
Vagas: Não definido
Taxa de inscrição: Não definido
Cargos: Não definido
Áreas de Atuação: Educação
Escolaridade: Ensino Superior
Faixa de salário:
Organizadora: O próprio órgão

+ Agenda do Concurso

13/06/2012 Divulgação do Resultado Adicionar no Google Agenda

Comentários

Mais Lidas