Órgão tem déficit de dez mil funcionários

Presidente da Associação Nacional dos Servidores da Previdência e Seguridade Social (Anasps), Paulo César de Souza, aponta a urgência de novos concursos. Seleção com 2.500 vagas será autorizada em breve.

Redação
Publicado em 21/09/2010, às 14h40

Recentemente, a assessoria de imprensa do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), órgão vinculado ao Ministério da Previdência Social (MPS), confirmou que foi enviada à pasta do Planejamento solicitação para que o instituto promova novo concurso com 2.500 vagas e não com apenas duas mil oportunidades, como havia sido noticiado anteriormente pela Previdência.

O quantitativo de vagas, no entanto, é insuficiente, segundo o presidente da Associação Nacional dos Servidores da Previdência e Seguridade Social (Anasps), Paulo César de Souza. “Deveriam ser autorizadas, ao menos, cinco mil novas vagas”.

Souza ressalta que, atualmente, o INSS conta com um déficit de dez mil servidores, ocasionado por aposentadorias, falecimentos e exonerações. Ele aponta ainda a importância de novas contratações para atender ao projeto de expansão do órgão, que vem revitalizando agências já em funcionamento e inaugurando outras unidades em todo o Brasil. “Precisamos fazer novos concursos com urgência para todas as categorias profissionais. Já fizemos esta solicitação ao Ministério da Previdência”, afirma.

De acordo com o presidente da Anasps, a necessidade de pessoal é verificada em todo o país, mas o Estado de São Paulo é o que apresenta a maior deficiência. “São Paulo representa 40% da arrecadação do INSS, mas isto não significa que o Acre tenha uma situação mais confortável”, pondera Souza.

Solicitação –  O pedido de concurso para 2.500 vagas no INSS já foi encaminhado ao Ministério do Planejamento. A expectativa é que o ministro que comanda a pasta, Paulo Bernardo, dê o aval para a abertura da nova seleção em breve. Após a autorização, o instituto deverá iniciar as atividades para realização do processo seletivo, além de definir a empresa organizadora.

Não há como prever, porém, quando o edital será publicado. O presidente da Anasps afirmou que, em conversa com o ministro da Previdência, Carlos Eduardo Gabas, ficou garantido que esta seleção ocorrerá em breve. “O período eleitoral atrapalha um pouco, mas o concurso sairá”.

As 2.500 vagas solicitadas serão para as carreiras de técnico e analista do Seguro Social. Segundo informou a assessoria do INSS, haverá duas mil ofertas para técnico e 500 para analista.

A função de técnico exige dos interessados nível médio, enquanto o cargo de analista é voltado a profissionais com graduação superior completa. Para analista, o instituto costuma disponibilizar oportunidades em diversas áreas de atuação e também para formados em qualquer curso.

As remunerações iniciais, segundo a assessoria de imprensa do Ministério da Previdência, são de R$ 4.667,65 para analista e de R$ 2.676,44 para técnico.

Seleção anterior – No início de 2008, o INSS abriu concurso que visava preencher duas mil vagas nos quatro cantos do Brasil, das quais 1.400 eram para técnico e 600 para analista. Os salários iniciais oferecidos na época eram de R$ 1.989,87 para técnico e de R$ 2.243,78 para analista.

Organizado pelo Cespe/UnB, o concurso cobrou taxas de R$ 47 (técnico) e R$ 56 (analista). Os participantes enfrentaram avaliação objetiva composta por 150 questões de conhecimentos básicos, complementares e específicos.

Peritos temporários – Para cumprir decisão da 19ª Vara Cível Federal de São Paulo, expedida com o objetivo de diminuir os atrasos nas perícias médicas realizadas por conta da greve dos peritos médicos previdenciários, o INSS vem realizando o credenciamento de médicos para contratação temporária.

O presidente da Anasps analisa que o movimento grevista trouxe perdas para o órgão, já que a contratação de temporários se caracteriza como um retrocesso. “É um retrocesso muito grande. Os temporários não têm compromisso com o instituto. A associação espera que o governo reveja esta posição e mantenha os concursos para perito”.

A última seleção para perito ocorreu no início deste ano e disponibilizou 500 vagas. Recentemente, um projeto de lei que prevê a implementação de outros 500 cargos de perito na Previdência foi aprovado pela Câmara dos Deputados e deverá seguir para a análise do Senado em breve. Se aprovado, o PL será encaminhado para a sanção do presidente da República. 

Talita Fusco/SP

Veja também:

CEETEPS: órgão abrirá concurso para professor ainda em 2010

DETRAN/RN: seleção oferecerá 285 oportunidades

Comentários

Mais Lidas