Como o candidato deve se portar na prova oral?

O maior problema talvez consista no esquecimento de que a prova oral corresponde, em algum grau, a uma entrevista de emprego

Redação
Publicado em 17/10/2012, às 11h54

Guilherme Madeira Dezem
A temida prova oral acaba por derrubar muitos bons candidatos por conta de alguns detalhes que, quando esquecidos, são fatais. O maior problema talvez consista no esquecimento de que a prova oral corresponde, em algum grau, a uma entrevista de emprego. Assim, a orientação básica é: não faça na prova oral o que não faria em uma entrevista de emprego.
Antes de mais nada, é preciso deixar claro que todos os exemplos mencionados neste texto são reais. Comecemos, então, pelos trajes. Para os homens, recomenda-se o uso de ternos sóbrios, de cores tradicionais. Assim, recomenda-se o uso de terno azul escuro ou preto, com camisa branca e gravata azul. É altamente desaconselhável o uso de ternos de cores incomuns, como roxo, azul claro, e combinações diferentes, de camisa preta com gravata amarela ou algo equivalente, por exemplo. Seja sóbrio.
Para as mulheres, recomenda-se especial atenção. Aqui, vale sempre a regra de que menos é mais. Dessa forma, deve a mulher lembrar-se de que a prova oral não é o dia de seu casamento. Assim, o uso de maquiagem só é permitido se esta for leve e discreta. O cabelo também deve obedecer a mesma regra: não deve ser o mesmo cabelo que ela usaria em seu baile de formatura. Lembre-se: trata-se de uma entrevista de emprego.
Quanto à roupa, deve-se tomar cuidado com decotes (altamente desaconselháveis) e com o comprimento da saia. Saias curtas são reprováveis, pois além de passarem imagem de inadequação para o cargo, também causam desconforto na candidata (imagine se tiver de ficar puxando a saia para baixo durante a realização do exame...).
Passada a questão do traje, vamos à questão da postura em si. Deve-se tomar cautela com o uso da linguagem, mantendo-se no padrão culto da norma, mas sem exageros. Vale dizer: não deve o candidato usar linguajar ultrapassado e arcaico. É importante lembrar que o estilo rococó ou parnasiano só cai bem em poesias, e olhe lá.
Por outro lado, não se deve resvalar para o outro extremo. Assim, a utilização de gírias certamente não é recomendável durante a prova. Expressões como “tipo assim” são totalmente reprováveis.
O candidato também deve manter postura serena durante as respostas. O candidato não é regente de uma orquestra, de modo que suas mãos devem estar sobre a mesa ou sobre o seu próprio colo. É evidente que o candidato não deve parecer um robô, entretanto, para não correr o risco do uso exagerado das mãos, melhor mantê-las sob controle.
Para que tudo saia como o esperado e desejado, é importante que o candidato treine em casa. Isso permitirá que avalie com rigor sua própria apresentação.
Guilherme Madeira Dezem é juiz de direito em São Paulo, professor universitário no Complexo Educacional Damásio de Jesus (CEDJ), mestre e doutorando pela Universidade de São Paulo (USP) e autor do blog professormadeira.com. Twitter: @madeiradez.

Comentários

Mais Lidas