Concurso PRF: 1º colocado conta como conseguiu aprovação

Confira o depoimento que Matheus Araújo, aprovado em primeiro lugar no concurso da PRF (Polícia Rodoviária Federal) de 2013, concedeu à equipe do Estratégia Concursos

Publieditorial

JC Concursos - Publieditorial - Informe o Erro
Publicado: 26/11/2018 - 12:52 | Atualizado: 07/12/2018 - 16:06

Ser aprovado no concurso dos seus "sonhos" e ainda receber a notícia, na frente de seus familiares, que você foi o primeiro colocado em todas as fases. É difícil até imaginar qual sentimento Matheus Araújo viveu ao passar por essa situação. Deve ter sido uma mistura de sentimentos, pensamentos e emoções!

Formado em Odontologia e cursando a faculdade de Direito, a grande conquista de Matheus não veio do dia para noite. Foram 10 anos se dedicando ao estudo para concursos. Uma caminhada marcada por aprovações, decepções, erros e acertos, mas no final, o que realmente importa, é cruzar a linha de chegada, olhar para trás e ver que todo o esforço valeu a pena. Sempre vale!

Confira o depoimento que Matheus Araújo, aprovado em primeiro lugar no concurso da PRF (Polícia Rodoviária Federal) de 2013, concedeu à equipe do Estratégia Concursos:


Estratégia Concursos: Parabéns pela aprovação no concurso da PRF, após tantas fases e longos meses, Matheus! Qual a sua área de formação superior? Conte-nos um pouco da sua história antes do concurso da PRF de 2013.

Matheus Araújo: Obrigado! Realmente foram longos meses!
Sou formado em Odontologia desde 2003 e estava cursando o 5º período de Direito quando tranquei o curso para estudar para o concurso da PRF de 2013.

Estou na vida de concurseiro desde 2003 e de lá pra cá, graças a Deus, consegui ser aprovado em diversos concursos. Mas desde que comecei, meu desejo sempre foi ser PRF!


Qual foi seu tempo de preparação focado no concurso da PRF? Você estava se preparando totalmente para o concurso da PRF ou já havia feito outros na área policial?

Apenas quando saiu o edital de abertura foi que eu realmente foquei nos estudos para o concurso da PRF 2013. Isso não significa que eu comecei do zero. Como disse, desde 2003 presto concurso para diversas áreas, o que significa que eu já possuía algum conhecimento acumulado.

Em 2009 prestei concurso para Escrivão PF e para PRF. Fui convocado para os exames médicos, psicotécnico e teste de aptidão física de Escrivão PF, o que tirou um pouco meu foco dos estudos para a PRF à época.

Resultado: fui eliminado no TAF (natação) de Escrivão PF e eliminado em Física na prova da PRF, pois o edital de 2009 exigia pontuação mínima por matéria.
 

E em relação à banca CESPE, quais concursos já havia feito?

Já fiz diversos concursos elaborados pelo CESPE, o que me fez ganhar um pouco de experiência na resolução de suas questões. Apesar de algumas falhas e das críticas feitas por alguns à banca, considero-a uma das melhores organizadoras de concursos que temos no país.


Como era seu planejamento e sua rotina de estudos antes e depois do edital? Qual foi a média de horas de estudo por dia? Quantas matérias você estudava por dia?

Sempre tive o péssimo hábito de esperar sair o edital para iniciar os estudos. Não recomendo isso, pois não há tempo suficiente para estudar todo o conteúdo programático. O conhecimento acumulado em outros concursos me ajudou muito nesse aspecto.

Após o edital eu estudava em média 3,5 horas por dia por causa do trabalho. Quando estava de férias a média subia para 9 horas diárias.
Sempre preferi estudar apenas uma matéria por dia.
 

Após o edital você conciliava trabalho e estudo ou só estudava?

Sobrava tempo para atividades físicas, sabemos que o TAF da PRF não é nada fácil, qual a sua dica para quem está iniciando a sua preparação?
Tive que conciliar trabalho e estudo. Uma coisa que sempre fiz e que me ajudou muito foi reservar minhas férias do trabalho para períodos próximos às provas dos concursos.

No que diz respeito à preparação física, eu intercalava as atividades físicas entre as horas de estudo. Quem não tiver o hábito de praticar exercícios físicos deve iniciar a preparação para o TAF antes de sair o edital. Não que seja impossível de se conseguir os índices após o lançamento do edital, mas deixar para iniciar os treinos muito tarde fará com que seu corpo seja muito exigido num curto espaço de tempo, o que aumentará o risco de lesões que poderão eliminá-lo do concurso.
Que materiais você usou em sua preparação para o concurso? Aulas presenciais, telepresenciais, livros, cursos PDF, videoaulas?

Os materiais utilizados por mim para o concurso da PRF de 2013 foram basicamente cursos em PDF do Estratégia Concursos e algumas vídeoaulas do EuVouPassar.
 

• Veja também: publicado edital da PRF com 500 vagas


Você sempre estudava no mesmo local (casa, biblioteca, etc.) ou alternava? Estudava os PDF impressos ou no próprio computador?

Sempre preferi estudar em casa, no quarto, longe de qualquer distração. Para esse concurso da PRF, resolvi investir em um bom tablet (com tela de 10”, tamanho que considero ideal para estudar), o que me possibilitou estudar os PDFs sem precisar imprimi-los.

Em um concurso com tantas matérias, qual a dica que você daria para quem vai se preparar para os próximos certames da PRF conseguir memorizar tanta informação?

Existem matérias básicas que sempre estão presentes nos editais da PRF, tais como Português, Direito Constitucional, Direito Administrativo, Direito Penal e Processual Penal, Legislação Especial e Legislação de Trânsito. Estudá-las com antecedência garantirá um tempo extra que poderá ser utilizado para estudar matérias que porventura surjam como novidade quando do lançamento do edital.

Quais foram os principais erros e acertos em sua preparação?

Acredito que meu principal erro foi ter ido para a prova sem ter estudado nada da disciplina de Física. Em um concurso concorrido como o da PRF, qualquer ponto pode fazer a diferença entre estar dentro ou fora das vagas. Graças a Deus consegui compensar nas outras matérias o fato de ter deixado as questões de Física em branco.

No que diz respeito aos acertos, a escolha de um material bastante objetivo como foi o do Estratégia Concursos foi determinante para minha aprovação. As dicas passadas pelos professores sobre as questões elaboradas pelo CESPE refletiram exatamente o que foi cobrado na prova.


Qual foi a sua impressão do curso de formação profissional – CFP que você acabou de concluir, o que você espera da PRF na prática, no cotidiano do Policial Rodoviário, quais o aprendizado do CFP que você levaria?

O que posso dizer é que fiquei impressionado com o profissionalismo da PRF. Os instrutores são extremamente capacitados e a Academia Nacional da Polícia Rodoviária Federal possui uma estrutura que proporciona uma qualidade de ensino espetacular.

Outra grata surpresa que tive no CFP foi ver a quantidade de atribuições que a PRF possui e a constante modernização pela qual a instituição vem passando. Só quem passa pelo curso consegue entender o significado do lema “Orgulho de pertencer”.

Qual foi a sensação que você teve após saber que ficou em primeiro lugar após tantas fases e muito estudo, em um concurso de tão alto nível como é o da PRF?

Foram diversas fases que me proporcionaram diversas sensações. Após o gabarito preliminar, sabia que estaria aprovado, mas não esperava estar tão bem colocado. Obter a maior pontuação na prova objetiva foi algo surpreendente!

Depois vieram os exames médicos, o psicotécnico, o TAF. Cada etapa uma comemoração, uma vitória.

Por fim o CFP. Foram três longos meses de pura dedicação, longe da família e amigos… Pra mim foi difícil.

E então veio o resultado final do concurso, que saiu pouco antes da cerimônia de formatura. Receber a notícia do primeiro lugar junto aos colegas de curso e familiares presentes foi sensacional!


Quais seriam suas dicas, além das que você já mencionou, para quem vai prestar o próximo concurso para PRF? Deixe uma mensagem para quem irá lutar por uma vaga no próximo concurso.

Muito estudo e preparação física. São dicas óbvias, mas não se pode fugir disso. Além disso, não podemos desistir dos nossos sonhos. Se não der para passar, tente de novo. Vale a pena!
 

Publieditorial do Estratégia Concursos

Sobre PRF

A Polícia Rodoviário Federal está presente em todo o território nacional. Conta com uma unidade administrativa central, a sede nacional, em Brasília, e unidades administrativas regionais, com 22 superintendências nos Estados de GO, MT, MS, MG, RJ, SP, ES, PR, SC, RS, BA, PE, AL, PB, RN, CE, PI, MA, PA, SE, RO e TO, além de cinco distritos, em DF, AC, AM, AP e RR. Também é formada por 150 subunidades administrativas, denominadas delegacias, e 413 unidades operacionais (Uops), totalizando 550 pontos de atendimento. Cabe ao serviço da PRF garantir segurança com cidadania nas rodovias federais e nas áreas de interesse da União. Além disso, tem por objetivo ser reconhecida pela sociedade brasileira por sua excelência e efetividade no trabalho policial e pela indução de políticas públicas de segurança e cidadania.

Mais Lidas

Mais Recentes

Shopping