Publicado: 22/03/2018 - 12:39 | Atualizado: 23/03/2018 - 16:39

PRF: diretor-geral volta a confirmar o novo concurso

Ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, pasta recém-criada pelo governo, confirmou a autorização de 500 vagas para o novo concurso da Polícia Rodoviária Federal (PRF)

Inicial de R$ 9,9 mil

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

O diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Renato Dias, reforçou a realização do novo concurso público para policiais rodoviários, no último dia 20 de março, durante Seminário de Segurança e Desenvolvimento do Jornal Folha de São Paulo. De acordo com ele, o órgão ainda está em tratativas com o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPGD) para a recomposição total do efetivo e também a ampliação do quadro, no sentido de chegar mais perto do número ideal de policiais apontado pelo Tribunal de Contas da União (TCU). “O anuncio do novo concurso para nossa instituição – para 500 vagas, divulgado recentemente pelo ministro extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann – é uma boa nova, pois sabemos que nossos policiais estão no limite da atuação, fazendo cada vez mais e dando resultados expressivos para a sociedade, comprovados pelos recordes sucessivos de apreensões em rodovias federais, além da diminuição do número de acidentes e mortes”, disse.

APOSTILA CONCURSO PRF 2018 - POLICIAL RODOVIÁRIO FEDERAL

CURSO CONCURSO PRF 2018 - POLICIAL RODOVIÁRIO FEDERAL 


O diretor-geral da PRF já havia confirmado, no início do mês, por meio de resposta a questionamentos em sua conta em uma rede social, que o edital da nova seleção deve ser publicado ainda neste semestre, ou seja, até julho. Para isto, o órgão aguarda apenas a formalização, por meio de publicação em diário oficial, da autorização do MPDG.

APOSTILA CONCURSO PRF 2018 - POLICIAL RODOVIÁRIO


De acordo com o ministro da Segurança, Raul Jungmann, o orçamento da recém-criada pasta para este ano será de R$ 2,7 bilhões e não haverá contingenciamento das verbas do órgão, conforme ficou decidido após reunião com o Ministério do Planejamento.
A liberação para o novo concurso da PRF está relacionada ao principal objetivo do novo ministério, criado por Medida Provisória em 27 de fevereiro. No entendimento do governo, a pasta será responsável por coordenar e promover o combate à criminalidade em parceria com os Estados.
Jungmann responderá pelo comando da Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal (que também teve concurso autorizado para 500 vagas), Força Nacional e pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), antes vinculados ao Ministério da Justiça.
 

Avanços no Ministério do Planejamento


Após oito meses parado, desde 1º de junho de 2017, o pedido de autorização do certame teve seis avanços internos no Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG), somente no último dia 21 de fevereiro. Na mesma data, o processo foi reaberto no gabinete do ministério, passando para o Departamento de Legislação e Provimento de Pessoas, voltando para o gabinete, de onde foi novamente para o Departamento de Legislação e Movimento de Pessoas, onde já teve sua análise concluída e deve avançar nos próximos dias. A solicitação é para o preenchimento de 2.778 vagas de policiais rodoviários.

Vale lembrar que, em decorrência da lei 13.371, sancionada pelo presidente Michel Temer em 2016, a partir de janeiro, a remuneração inicial da categoria passou a ser de R$ 9.931,57, já considerando o auxílio-alimentação de R$ 458.

Além disso, ainda de acordo com a lei, os servidores contarão com mais um reajuste, em janeiro de 2019, quando o salário passará a ser de R$ 10.357,88, também com o benefício.


O próprio diretor-geral da PRF, em declaração à imprensa, em dezembro, confirmou que a corporação pode entrar em colapso caso o concurso não seja realizado no decorrer de 2018. Segundo ele, a carência de pessoal, que atualmente é de 2.800 policiais, deve chegar a 4.800 até o final de 2018, e decorrência de aposentadorias, o que reforça a necessidade de nova seleção para recompor o efetivo, o quanto antes. Ele ressalta que estão previstas 2.053 aposentadorias no decorrer do ano.

Além de prejudicar as atividades operacionais, a falta de pessoal deve acarretar o fechamento de 124 postos no país, caso o concurso não seja realizado, prejudicando aproximadamente 400 municípios, com a suspensão de policiamento em 18 mil quilômetros de rodovias. Em compensação, o pedido de autorização está parado no MPDG onde, desde 1º de junho, passa por análise na Divisão de Concursos Públicos.  
De acordo com a Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais ( 
FenaPRF) o órgão tem pretensão de formar quatro novas turmas ainda em 2018. A PRF argumentou em seu pedido que nos últimos quatro anos uma grande quantidade de servidores se aposentou o que deixou uma lacuna de quase 3.000 postos e que isso tem prejudicado a segurança nas rodovias.
No mesmo memorando encaminhado ao Planejamento, foi sugerido que seja autorizado um concurso público sempre que o número de postos vagos exceder a 5% dos respectivos cargos ou com menor número, de acordo com a necessidade e critério do Ministério da Justiça.

Vale lembrar que, no sentido de agilizar o processo, a PRF já conta com uma minuta do edital pronta, elaborada desde o final de 2016, com o objetivo de permitir que o concurso possa ser iniciado imediatamente após a eventual autorização do MPDG.

Para concorrer ao cargo de policia rodoviário é necessário possuir curso de nível superior em qualquer área de formação, além de carteira de habilitação a partir da categoria “B”. A jornada de trabalho dos servidores é de 40 horas semanais.


Ads

Vagas na Polícia Rodoviária Federal

A PRF solicitou 2.778 vagas. Agora só falta a autorização do concurso. Antecipe seus estudos e garanta sua vaga com quem é especialista em aprovação. Passa na Central que você passa. Confira.

 

Atribuições do policial rodoviário


Cabe ao servidor da área desenvolver atividades de natureza policial, envolvendo fiscalização, patrulhamento e policiamento ostensivo, atendimento e socorro às vítimas de acidentes rodoviários e demais atribuições com a área operacional do Departamento de Polícia Rodoviária Federal.

Concurso anterior


O último concurso da PRF para o cargo de policial rodoviário ocorreu em 2013 e foi organizado pelo Cespe/UnB. Ao todo foram registrados 109.769 inscritos para a oferta de 1.000 vagas. A seleção contou com prova objetiva, exame discursivo, teste de capacidade física, avaliação de saúde, avaliação psicológica, investigação social e análise de títulos.

A parte objetiva contou com 120 itens, sendo 50 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos. Conhecimentos básicos contou com temas sobre língua portuguesa, matemática, noções de direito constitucional, ética no serviço público e noções de informática. Já em conhecimentos específicos, noções de direito administrativo, noções de direito penal, noções de direito processual penal, legislação especial, direitos humanos e cidadania, legislação relativa ao DPRF e física aplicada à perícia de acidentes rodoviários.

Vídeos PRF

Quanto custa se tornar um servidor público?


Mais Lidas

Mais Recentes

Atualizado: 23/03/2018 - 07:02

Concurso PC/SP: saiu edital com 250 vagas de delegado

Cargo requer nível superior em direito e CNH categoria "B". Inscrições para o concurso da Polícia Civil abrem em 4 de abril

 Salário de R$ 9,5 mil

Por JCConcursos - Da Redação

Saiu, no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (23), o edital do concurso para delegado da Polícia Civil/SP (PC/SP). Foram abertas 250 vagas, sendo 13 reservadas a pessoas com deficiência. 

 

Com salário inicial de R$ 9.507,77, a carreira exige diploma de curso superior em direito, além de Carteira Nacional de Habilitação (CNH) categoria "B" ou superior e comprovação de, no mínimo, dois anos de atividade jurídica ou de efetivo exercício em cargo de natureza policial civil.

APOSTILA CONCURSO PC/SP 2018 - DELEGADO
CURSO CONCURSO PC/SP - AGENTE / INVESTIGADOR E ESCRIVÃO 
APOSTILA CONCURSO PC/SP 2018 - DIVERSOS CARGOS

CURSOS CONCURSO PC/SP -  DELEGADO / AGENTE/ ESCRIVÃO/ PERITOCRIMINAL/ INVESTIGADOR

 

As inscrições poderão ser realizadas entre 4 de abril e 2 de maio, por meio do site da Fundação Vunesp (www.vunesp.com.br), organizadora do processo seletivo. O valor da taxa é de R$ 84,81 e o boleto poderá ser pago até o dia 3 de maio.

 

Sobre as provas do concurso da Polícia Civil de São Paulo 2018

 

Primeira etapa da seleção, a prova objetiva trará 100 questões de múltipla escolha e será aplicada em 27 de maio. Os candidatos do concurso da Polícia Civil/SP também serão submetidos a provas escrita, oral e de títulos, em datas a serem definidas. 

 

O conteúdo programático inclui informática, legislação especial, medicina legal e conhecimentos em direito penal, processual penal, constitucional, direitos humanos, administrativo e civil.

 

De acordo com o edital, o concurso da Polícia Civil de São Paulo para delegado terá validade de dois anos, prorrogável por mais dois, a critério do órgão. 

 

Atribuições do delegado no concurso da Polícia Civil/SP 2018

 

Exercer atos inerentes à gestão dessa atividade; presidir os atos de polícia judiciária e a apuração das infrações penais, praticar atos de polícia administrativa e exercer policiamento preventivo especializado, presidir a investigação criminal e as ações a ela relacionadas, dentre as quais aquelas previstas no Código de Processo Penal e na legislação extravagante; portar arma e atuar com possibilidade de exposição a situações de risco; mediar conflitos.

 


Ads

Comece sua carreira na Polícia Civil

A Central vai ajudar você a passar no concurso da Polícia Civil de São Paulo. Aproveite os descontos especiais. Passa na Central que você passa. Confira.


   

 

Conteúdo programático parcial para o concurso de delegado da Polícia Civil/SP 2018

 

Informática - MS-Windows 7: conceito de pastas, diretórios, arquivos e atalhos, área de trabalho, área de transferência, manipulação de arquivos e pastas, uso dos menus, programas e aplicativos, interação com o conjunto de aplicativos MS-Office 2010. MS-Word 2010: estrutura básica dos documentos, edição e formatação de textos, cabeçalhos, parágrafos, fontes, colunas, marcadores simbólicos e numéricos, tabelas, impressão, controle de quebras e numeração de páginas, legendas, índices, inserção de objetos, campos predefinidos, caixas de texto. MS-Excel 2010: estrutura básica das planilhas, conceitos de células, linhas, colunas, pastas e gráficos, elaboração de tabelas e gráficos, uso de fórmulas, funções e macros, impressão, inserção de objetos, campos predefinidos, controle de quebras e numeração de páginas, obtenção de dados externos, classificação de dados. MS-PowerPoint 2010: estrutura básica das apresentações, conceitos de slides, anotações, régua, guias, cabeçalhos e rodapés, noções de edição e formatação de apresentações, inserção de objetos, numeração de páginas, botões de ação, animação e transição entre slides. Correio Eletrônico: uso de correio eletrônico, preparo e envio de mensagens, anexação de arquivos. Internet: navegação na Internet, principais navegadores, conceitos de URL, links, sites, busca e impressão de páginas.

 

Medicina legal - Medicina Legal: conceito; da necessidade e da utilidade da Medicina Legal nos diversos ramos do Direito. Perícia e perito: conceitos; da necessidade da perícia no Direito; da atuação do perito nos diversos ramos do Direito; da manifestação dos peritos; documentos médico-legais. Traumatologia médico-legal. Toxicologia médico-legal. Asfixiologia médico-legal. Tanatologia médico-legal. Lei sobre Transplante e Doação de Órgãos (Lei 9.434/97). Sexologia médico-legal: dos crimes contra a dignidade sexual; do abortamento e do infanticídio. Psicologia e Psicopatologia médico-legais. Identidade e identificação: identificação policial ou judicial e identificação antropológica, incluindo-se a genética. Infortunística.

 

Legislação especial -  Decreto-lei 3.688/1941 (Lei das Contravenções Penais). Lei 1.521/1951 (Crimes Contra a Economia Popular). Lei 2.889/1956 (Genocídio). Lei 4.737/1965 (Crimes Eleitorais). Lei 4.898/1965 (Lei de Abuso de Autoridade). Lei 6.766/1979 (Lei de Parcelamento do Solo Urbano). Lei 7.210/1984 (Lei de Execução Penal). Lei 7.492/1986 (Crimes contra o Sistema Financeiro Nacional). Lei 7.716/1989 (Preconceito racial). Lei 7.960/1989 (Prisão Temporária). Lei 8.069/1990 (Estatuto da Criança e do Adolescente). Lei 8.072/1990 (Lei dos Crimes Hediondos). Lei 8.078/1990 (Código de Defesa do Consumidor). Lei 8.137/1990 (Crimes Contra a Ordem Tributária). Lei 8.176/1991 (Crimes Contra a Ordem Econômica). Lei 8.666/1993 (Lei de Licitações). Lei 8.906/1994 (Estatuto da OAB). Lei 9.029/1995 (Práticas discriminatórias relativas à gravidez no trabalho). Lei 9.099/1995 (Juizados Especiais Cíveis e Criminais). Lei 9.279/1996 (Lei da propriedade industrial). Lei 9.296/1996 (Lei de Interceptação Telefônica). Lei 9.434/1997 (Lei do Transplante de Órgãos). Lei 9.455/1997 (Tortura). Lei 9.503/1997 (Código de Trânsito Brasileiro). Lei 9.605/1998 (Lei do Meio Ambiente). Lei 9.609/1998 (Lei do Software). Lei 9.610/1998 (Lei sobre Direitos Autorais). Lei 9.613/1998 (Lavagem de Capitais). Lei 9.807/1999 (Programa de Proteção à Testemunha). Lei 10.671/2003 (Estatuto de Defesa do Torcedor). Lei 10.741/2003 (Estatuto do Idoso). Lei 10.826/2003 (Estatuto do Desarmamento). Lei 11.101/2005 (Lei de Recuperação de Empresas e Falência). Lei 11.105/2005 (Lei de Biossegurança). Lei 11.340/2006 (Lei Maria da Penha). Lei 11.343/2006 (Lei Antidrogas). Lei 12.037/2009 (Identificação Criminal do Civilmente Identificado). Lei 12.288/2010 (Estatuto da Igualdade Racial). Lei 12.830/2013 (Investigação Criminal Conduzida pelo Delegado). Lei 12.850/2013 (Lei de Combate às Organizações Criminosas). Lei 12.852/2013 (Estatuto da Juventude). Lei 12.984/2014 (Lei discriminação de portadores de HIV). Lei 13.146/2015 (Estatuto da Pessoa com Deficiência. Lei 13.257/2016 (Políticas Públicas para a Primeira Infância). Lei 13.260/2016 (Lei Antiterrorismo). Lei 13.445/2017 (Lei de Migração).

 

Confira o conteúdo programático completo para o concurso da Polícia Civil de São Paulo

 

Quase 3 mil vagas na Polícia Civil de São Paulo

 

Ao todo, o concurso da Polícia Civil/SP vai preencher 2.750 vagas, autorizadas pelo governador Geraldo Alckimin em 2 de novembro. Do total de oportunidades, 1.100 são para cargos com exigência de ensino médio e 1.650 para carreiras com necessidade de nível superior, com remunerações iniciais de até R$ 9.507,77. Os demais editais serão publicados nos próximos dias.

 

Investigador e escrivão - provas no mesmo dia

 

Já está certo que para as carreiras de investigador e escrivão as provas deverão ser aplicadas no mesmo dia, conforme oficializado pela resolução SSP-118, publicada em diário oficial em 9 de novembro. O documento especifica que, nos concursos, as provas dissertativas, quando ocorrerem, deverão valer 100 pontos, com um mínimo de 50 para a aprovação, devendo ser considerado o conhecimento e a utilização da língua portuguesa.

 

A resolução também diz que “quando houver abertura simultânea de concursos para as carreiras de investigador e de escrivão de polícia, as respectivas provas escritas serão realizadas na mesma data e horário”.

 

Ensino médio

 

No caso de ensino médio, as vagas autorizadas para os novos concursos da PC/SP serão para os cargos de agente de telecomunicações (com 300 vagas), agente de polícia (400), papiloscopista policial (200) e auxiliar de papiloscopista, também com 200.

 

Para os cargos de agente policial e auxiliar de papiloscopista, a remuneração inicial é de R$ 3.428,38, incluindo o salário de R$ 2.793,60 e o adicional de insalubridade de R$ 634,78. Para papiloscopista e agente de telecomunicações, iniciais de R$ 4.086,56, incluindo salário de R$ 3.451,78 e os R$ 634,78 de insalubridade.

 

A diferença salarial entre os cargos de agente policial e auxiliar de papiloscopista para os papiloscopistas e agente de telecomunicações se deve à lei complementar 1.249, de 3 de junho de 2014, que alterou de ensino fundamental para médio a exigência de ingresso para os cargos de agente, atendente de necrotério e auxiliar de papiloscopista, sem compatível alteração salarial.

 

 

Nível superior

 

Em caso de nível superior, a autorização é para os cargos de investigador de polícia (600 vagas), escrivão (800) e delegado (250). A remuneração inicial para os cargos de investigador e escrivão é de R$ 4.194,76, já considerando o complemento, enquanto para delegado é de R$ 10.142,55, também considerando o adicional de insalubridade.   Veja também: o que fazem o escrivão e o investigador de polícia     

 

Ações judiciais

 

A necessidade de pessoal é reconhecida, inclusive pela própria Secretaria de Segurança Pública (SSP/SP) que, em 2013, divulgou uma resolução especificando o número mínimo de servidores necessários em cada delegacia. Três anos depois, em 2016, sem conseguir cumprir a própria determinação, a medida foi revogada, o que vem ocasionando medidas judiciais contra o governo.   Das diversas ações que estão sendo encaminhadas para o Ministério Público do Estado de São Paulo (MP/SP), uma primeira decisão deu parecer contra o governo, em maio. De acordo com a juíza Juliana Maria Finatti, a segurança é um direito constitucional do cidadão e um dever do estado.  Segundo seu parecer, o governo deverá garantir à delegacia de Águas de Lindóia um mínimo de 22 policiais. Na sentença, a juíza ressalta que “certo é que a resolução foi revogada. No entanto, a obrigação do estado não advém apenas de um ato normativo, mas da Constituição Federal, que institui a segurança pública como um direito fundamental do estado”. 


Na decisão, rebateu argumentos do Estado, alegando que o pedido de reforço de policiais por parte do Ministério Público feria o princípio constitucional da divisão de poderes. “Nem se diga que haja ingerência indevida do judiciário em assunto exclusivo do Poder Executivo, pois isso não se dá neste caso, onde se determina a implementação de políticas públicas para assegurar direitos fundamentais do cidadão, como a segurança”, disse.   Com a decisão, o governo deve reservar para Águas de Lindóia, nas próximas nomeações, sete investigadores, cinco escrivães, quatro agentes, um auxiliar e três carcereiros, sob pena diária de R$ 1.000 em caso de descumprimento.   Outros casos estão ocorrendo no estado. No final de junho, o juiz Wander Pereira Rossette Júnior, da Vara da Fazenda Pública de Piracicaba, no interior paulista, determinou que o governo providencie, dentro de um prazo de seis meses, a nomeação de 100 policiais, em decisão também obtida pelo Ministério Público, que investigou o déficit de servidores. 

As regiões de Leme e Jales, no interior, também já conseguiram liminares, obrigando o estado a contratar servidores, e diversos outros municípios contam com ações em andamento, incluindo São José do Rio Preto, Dracena, Ilha Solteira, Itapura, Lindóia e Jacareí.      Mesmo confirmando a realização de estudos, já em andamento, para os novos concursos, a SSP/SP ressalta que “o estado deve obedecer aos limites impostos pela Lei de Responsabilidade Fiscal e, para toda contratação, deve ser observado seu impacto financeiro”.    

 

Reestruturação na Polícia Civil/SP

 

Vale lembrar que  tramita na Alesp o projeto de lei complementar 37/2016, do deputado Campos Machado (PTB) que visa instituir a lei orgânica da polícia do Estado de São Paulo. Um dos objetivos da proposta é reestruturar o quadro de servidores da Polícia Civil/SP, com  a criação de uma nova carreira, de agente de polícia que, caso aprovado o projeto, substituirá as atuais funções de agente policial, auxiliar de papiloscopista, atendente de telecomunicações, fotógrafo técnico pericial, desenhista técnico pericial, atendente de necrotério e auxiliar de necropsia.    Veja mais informações sobre o projeto de lei clicando aqui.   A proposta, que tramita em regime ordinário, está na Comissão de Constituição, Justiça e Redação, desde 8 de setembro, onde recebeu, em 4 de abril, parecer do relator, deputado Marcos Zerbini (PSDB), contrário  à aprovação da proposta. 

Para ser votada em plenário, também deverá ser votada, ainda, pelas Comissões de Segurança Pública e Assuntos Penitenciários; e de Finanças, Orçamento e Planejamento.   

 

Dicas para ser aprovado no concurso da Polícia Civil/SP*

 

Em primeiro lugar, deve ouvir o seu coração. Se ele disser que é esse concurso que deve prestar, preste-o, sem medo de ser feliz. Mas para isso, alguns requisitos são obrigatórios:   

1) Estudar o edital, pois nele constam informações importantíssimas que regulamentam o seu concurso. Lembre-se que vigora o princípio da legalidade do edital - é a lei das leis;   

2) Procurar um curso preparatório, pois todos sabemos a dificuldade que os candidatos enfrentam quando se deparam com textos técnicos de lei. No curso, principalmente presencial, os professores lhes passarão todas as dicas para a obtenção do sucesso, bem como estarão lhes apoiando em tudo que for necessário;   

3) Resolver muitas questões, pois somente assim conseguirá perceber o perfil da banca examinadora.   

Apenas a título de ilustração, falo aos meus alunos o seguinte: imaginem que vocês tenham apenas 30 dias para estudar. Façam um teste de resolver apenas 20 questões por dia. Com isso, ao final do mês, terá resolvido 600 questões. Agindo assim, percebam e imaginem o que vocês são capazes de fazer em seis meses!    Outro ponto: não se esqueçam que não podem estudar somente as matérias que lhes agradam, devem estudar todas as matérias que constam no edital. A exemplo do direito penal,percebemos que a banca examinadora, Vunesp, que elabora os concursos da Polícia Civil em São Paulo, gosta de pedir os crimes contra a administração pública, a exemplo de Peculato, Concussão, Excesso de Exação, Prevaricação, Corrupção Passiva, dentre outros. A organizadora também costuma pedir recentes alterações, portanto, você deve estar sempre atualizado. O estudo não é difícil, basta ter um pouco de força de vontade e muita disciplina. Com vontade, disciplina, foco e determinação, tudo isso somado às dicas passadas pelos professores no curso preparatório, o seu sucesso será garantido, é apenas questão de tempo.    Salienta-se que o erro do candidato é estudar apenas quando tem edital aberto. Isso não pode acontecer. O estudo é para sempre.Deve estudar e angariar conhecimento, porque quando sair o edital, terá tempo de fazer apenas uma revisão num curto espaço de tempo. Não entrem no clima de discursos políticos, tais como: "não vai abrir concurso"ou"vai abrir concurso" etc. Estude, porque é a melhor coisa que pode fazer por você. Invista no conhecimento, até mesmo porque é a única coisa de real valor que carrega consigo. Para ficar mais fácil o vosso estudo,verifique uma pessoa de sucesso que muito admira e espelhe-se nela; procure descobrir o que ela fez para obter sucesso e chegar lá–licitamente, é claro! Tenho certeza que isso lhes fará muito bem.    Não se preocupe o que vai acontecer quando passar, pense em acontecimentos maravilhosos e você trabalhando com sentimento de humanidade e justiça,rumo a um mundo melhor. Digo-lhes uma coisa: não há sensação melhor do que você comemorar a vitória que você mesmo trabalhou para consegui-la,pois o mérito é todo seu, de mais ninguém. A Polícia Civil/SP possui,além dos Distritos da Capital que investigam os crimes ocorridos no âmbito das suas respectivas circunscrições, as especializadas, tais como: Da Mulher, DEAM - Delegacia de Explosivos e Armas e Munições, Do Consumidor, Grupo Especial COPE, Grupo Especial TIGRE, NUCIBER - Grupode Combate aos Cibercrimes, Proteção ao Meio Ambiente, SICRIDE - Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas,Lavagem de Dinheiro, GARRA -Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos, Divisão de Narcóticos,Corregedoria, dentre outras. Afirmo-lhesque possui diversos lugares bastante atraentes para trabalhar com satisfação pessoal.    Por isso, queridos concurseiros, persistam com heroísmo, não apenas para encontrar uma nova verdade, mas também para ter coragem de agir de acordo com essa visão. Corram atrás dos seus sonhos, vocês são merecedores. Sejam heróis e iniciem já os vossos estudos. A maioria das pessoas sabe que heróis matam dragões, salvam donzelas etc., e sua jornada consiste sempre num final feliz. O vosso final será muito feliz também, basta ter um projeto de vida e começar a grande e gratificante jornada. Não pensem que as suas jornadas não são importantes, comemorem e agradeçam cada passo, porque, afinal, vocês foram os autores. Sejam autores de suas próprias histórias e sintam o seu gostinho. Desapeguem do que não lhes faz bem e iniciem AGORA.   

*Rodrigo Castello, professor de direito penal e processo penal na Central de Concursos  

 

Continuar lendo

Atualizado: 22/03/2018 - 12:39

PRF: diretor-geral volta a confirmar o novo concurso

Ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, pasta recém-criada pelo governo, confirmou a autorização de 500 vagas para o novo concurso da Polícia Rodoviária Federal (PRF)

Inicial de R$ 9,9 mil

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

O diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Renato Dias, reforçou a realização do novo concurso público para policiais rodoviários, no último dia 20 de março, durante Seminário de Segurança e Desenvolvimento do Jornal Folha de São Paulo. De acordo com ele, o órgão ainda está em tratativas com o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPGD) para a recomposição total do efetivo e também a ampliação do quadro, no sentido de chegar mais perto do número ideal de policiais apontado pelo Tribunal de Contas da União (TCU). “O anuncio do novo concurso para nossa instituição – para 500 vagas, divulgado recentemente pelo ministro extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann – é uma boa nova, pois sabemos que nossos policiais estão no limite da atuação, fazendo cada vez mais e dando resultados expressivos para a sociedade, comprovados pelos recordes sucessivos de apreensões em rodovias federais, além da diminuição do número de acidentes e mortes”, disse.

APOSTILA CONCURSO PRF 2018 - POLICIAL RODOVIÁRIO FEDERAL

CURSO CONCURSO PRF 2018 - POLICIAL RODOVIÁRIO FEDERAL 


O diretor-geral da PRF já havia confirmado, no início do mês, por meio de resposta a questionamentos em sua conta em uma rede social, que o edital da nova seleção deve ser publicado ainda neste semestre, ou seja, até julho. Para isto, o órgão aguarda apenas a formalização, por meio de publicação em diário oficial, da autorização do MPDG.

APOSTILA CONCURSO PRF 2018 - POLICIAL RODOVIÁRIO


De acordo com o ministro da Segurança, Raul Jungmann, o orçamento da recém-criada pasta para este ano será de R$ 2,7 bilhões e não haverá contingenciamento das verbas do órgão, conforme ficou decidido após reunião com o Ministério do Planejamento.
A liberação para o novo concurso da PRF está relacionada ao principal objetivo do novo ministério, criado por Medida Provisória em 27 de fevereiro. No entendimento do governo, a pasta será responsável por coordenar e promover o combate à criminalidade em parceria com os Estados.
Jungmann responderá pelo comando da Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal (que também teve concurso autorizado para 500 vagas), Força Nacional e pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), antes vinculados ao Ministério da Justiça.
 

Avanços no Ministério do Planejamento


Após oito meses parado, desde 1º de junho de 2017, o pedido de autorização do certame teve seis avanços internos no Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG), somente no último dia 21 de fevereiro. Na mesma data, o processo foi reaberto no gabinete do ministério, passando para o Departamento de Legislação e Provimento de Pessoas, voltando para o gabinete, de onde foi novamente para o Departamento de Legislação e Movimento de Pessoas, onde já teve sua análise concluída e deve avançar nos próximos dias. A solicitação é para o preenchimento de 2.778 vagas de policiais rodoviários.

Vale lembrar que, em decorrência da lei 13.371, sancionada pelo presidente Michel Temer em 2016, a partir de janeiro, a remuneração inicial da categoria passou a ser de R$ 9.931,57, já considerando o auxílio-alimentação de R$ 458.

Além disso, ainda de acordo com a lei, os servidores contarão com mais um reajuste, em janeiro de 2019, quando o salário passará a ser de R$ 10.357,88, também com o benefício.


O próprio diretor-geral da PRF, em declaração à imprensa, em dezembro, confirmou que a corporação pode entrar em colapso caso o concurso não seja realizado no decorrer de 2018. Segundo ele, a carência de pessoal, que atualmente é de 2.800 policiais, deve chegar a 4.800 até o final de 2018, e decorrência de aposentadorias, o que reforça a necessidade de nova seleção para recompor o efetivo, o quanto antes. Ele ressalta que estão previstas 2.053 aposentadorias no decorrer do ano.

Além de prejudicar as atividades operacionais, a falta de pessoal deve acarretar o fechamento de 124 postos no país, caso o concurso não seja realizado, prejudicando aproximadamente 400 municípios, com a suspensão de policiamento em 18 mil quilômetros de rodovias. Em compensação, o pedido de autorização está parado no MPDG onde, desde 1º de junho, passa por análise na Divisão de Concursos Públicos.  
De acordo com a Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais ( 
FenaPRF) o órgão tem pretensão de formar quatro novas turmas ainda em 2018. A PRF argumentou em seu pedido que nos últimos quatro anos uma grande quantidade de servidores se aposentou o que deixou uma lacuna de quase 3.000 postos e que isso tem prejudicado a segurança nas rodovias.
No mesmo memorando encaminhado ao Planejamento, foi sugerido que seja autorizado um concurso público sempre que o número de postos vagos exceder a 5% dos respectivos cargos ou com menor número, de acordo com a necessidade e critério do Ministério da Justiça.

Vale lembrar que, no sentido de agilizar o processo, a PRF já conta com uma minuta do edital pronta, elaborada desde o final de 2016, com o objetivo de permitir que o concurso possa ser iniciado imediatamente após a eventual autorização do MPDG.

Para concorrer ao cargo de policia rodoviário é necessário possuir curso de nível superior em qualquer área de formação, além de carteira de habilitação a partir da categoria “B”. A jornada de trabalho dos servidores é de 40 horas semanais.


Ads

Vagas na Polícia Rodoviária Federal

A PRF solicitou 2.778 vagas. Agora só falta a autorização do concurso. Antecipe seus estudos e garanta sua vaga com quem é especialista em aprovação. Passa na Central que você passa. Confira.

 

Atribuições do policial rodoviário


Cabe ao servidor da área desenvolver atividades de natureza policial, envolvendo fiscalização, patrulhamento e policiamento ostensivo, atendimento e socorro às vítimas de acidentes rodoviários e demais atribuições com a área operacional do Departamento de Polícia Rodoviária Federal.

Concurso anterior


O último concurso da PRF para o cargo de policial rodoviário ocorreu em 2013 e foi organizado pelo Cespe/UnB. Ao todo foram registrados 109.769 inscritos para a oferta de 1.000 vagas. A seleção contou com prova objetiva, exame discursivo, teste de capacidade física, avaliação de saúde, avaliação psicológica, investigação social e análise de títulos.

A parte objetiva contou com 120 itens, sendo 50 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos. Conhecimentos básicos contou com temas sobre língua portuguesa, matemática, noções de direito constitucional, ética no serviço público e noções de informática. Já em conhecimentos específicos, noções de direito administrativo, noções de direito penal, noções de direito processual penal, legislação especial, direitos humanos e cidadania, legislação relativa ao DPRF e física aplicada à perícia de acidentes rodoviários.
Continuar lendo

Atualizado: 22/03/2018 - 11:24

Polícia Civil/PI: assinado contrato com a banca

O concurso da Polícia Civil contará com 190 vagas para os cargos de delegado, agente de polícia civil, escrivão e perito

Edital em breve

Por JCConcursos - Camila Diodato e Fernando Cezar Alves

A Polícia Civil do Piauí (PC/PI) confirmou, por meio de publicação em diário oficial, na última terça-feira, 20 de março, a assinatura do contrato com a banca organizadora do seu novo concurso público, que será o Núcleo de Concursos e Promoção de Eventos (Nucepe). Com isto, a  seleção, autorizada pelo governador Wellington Dias, em 3 de julho do ano passado, pode ter início a partir dos próximos dias

O concurso contará com um total de 190 vagas, sendo 20 para o cargo de delegado, 120 para agente de polícia civil, dez para escrivão e 40 para perito. Todas as carreiras se destinam aos profissionais com formação superior completa

  A comissão do certame, formada em 15 de março, é presidida pela delegada Adriana Maria Xavier Fontes Máximo e conta, ainda, com o delegado Higgo Martins Moura; o presidente interino da Nucepe, Francisco Felipe da Silva Filho; o representante da OAB, Milton Gustavo Vasconcelos Barbosa; o representante do sindicato dos delegados de polícia Guilherme Fortes Mendes Ferraz; o representante do sindicato dos peritos, Raimundo Jorge de Andrade Junior; e o representante do sindicato dos policiais civis, Francisco Wilson Gomes Leal.   A comissão também conta com os delegados Adriana Maria Xavier Fontes Máximo, Higgo Martins Moura e Armandino Pinto de Moura, responsáveis pela fiscalização do processo de contratação da empresa organizadora do certame.   O governador disse que "a segurança é nossa prioridade. Mesmo com grandes dificuldades, autorizei concurso para PM, Bombeiros e agentes penitenciários. Já chamamos quase mil policiais e agora a atenção à Polícia Civil. É um momento em que tomamos uma decisão em prol da segurança do povo do Piauí”.   O delegado-geral Riedel Batista afirmou que há uma grande probabilidade de serem lançados quatro editais, um para cada função.  

Sobre o último concurso da Polícia Civil/PI

  Foi em 2014 que o órgão publicou edital com 40 ofertas, sendo 20 para delegado e 20 para escrivão de polícia. Na ocasião, o Núcleo de Concursos e Promoção de Eventos da Universidade Estadual do Piauí (Nucepe/Uespi) teve a tarefa de organizar o processo seletivo.   A triagem constou de provas objetivas com 60 questões para escrivão (20 de língua portuguesa, dez de noções de lógica, dez de noções de informática, dez de conhecimentos gerais e dez de noções de direito) e 80 perguntas para delegado (15 de língua portuguesa, cinco de noções de informática, 12 de direito penal, 12 de direito processual penal, dez de direito constitucional, dez de direito administrativo, oito de direito civil, quatro de legislação especial e quatro de legislação aplicada). Posteriormente, houve exames de saúde, testes de aptidão física, avaliação psicológica e investigação social.
Continuar lendo

Atualizado: 21/03/2018 - 12:15

Polícia Civil/RN: banca em breve para 157 vagas

Comissão do concurso já está formada desde o final de 2016. Expectativa de edital para quem possui nível superior. Iniciais de até R$ 15,2 mil

Delegado, escrivão e agente

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

A realização do aguardado novo concurso público da  Polícia Civil do Rio Grande do Norte (PC/RN) depende apenas da confirmação da banca organizadora, que deve ser anunciada em breve, para que a publicação do edital de abertura de inscrições possa ser publicado ainda no primeiro semestre. 

Ao todo deverão ser oferecidas 157 oportunidades, sendo 29 para a carreira de delegado de polícia, 17 para escrivão e 111 para agente.

Para os três cargos é necessário possuir formação de nível superior. Para escrivão e agente poderão participar interessados com formação em qualquer área e para delegado, formados em direito. A remuneração inicial do delegado chega a R$ 15.288, já considerando benefícios. Para os outros dois cargos, o inicial é de R$ 3.755, todos com jornada de trabalho de 40 horas semanais.

Seleção anterior

O último concurso da PC/RN ocorreu em 2008, quando foram oferecidas 438 vagas, sendo 107 para o cargo de escrivão, 263 para agente e 68para delegado.

A banca organizadora foi o Cebrasp.

Os participantes foram submetidos a provas objetivas  e dissertativas, avaliação física, exceto para escrivão, prova prática, exame psicotécnico e curso de formação profissional. 

Continuar lendo

Atualizado: 20/03/2018 - 09:36

Concurso PM/DF: últimos dias do prazo para especialista

Inscrições para vagas de especialistas músicos (6 chances) e corneteiros (18) terminam em 26 de março. Concurso da PM/DF também preencherá 2.000 postos de soldado combatente, cujo período para registro de candidaturas vai até 4 de abril

Nível superior

Por JCConcursos - Samuel Peressin

Seguem abertas até 26 de março as inscrições do concurso da PM/DF (Polícia Militar do Distrito Federal) para vagas de especialistas músicos (6 postos) e especialistas corneteiros (18). No caso das 2.000 chances para soldado combatente, o prazo para registro de candidaturas vai até 4 de abril.

 

Do total de oportunidades para soldado combatente, 500 são para admissão imediata (427 homens e 73 mulheres) e 1.500 para cadastro reserva (1.280 homens e 220 mulheres), conforme retificação divulgada em 28 de fevereiro. 

 

Antes da mudança, o número de vagas imediatas para concorrentes dos sexos masculino e feminino era de 450 e 50, enquanto para cadastro reserva o quantitativo correspondia a 1.350 e 150, respectivamente. 

 

Com relação aos postos para especialistas músicos, eles estão distribuídos entre as seguintes especialidades: clarineta/clarones (1), saxofone (1), trompa (1), trompete (1), trombone tenor/trombone baixo (1) e tuba (1).

 

Para participar do concurso da PM/DF 2018 é necessário possuir curso superior em qualquer área, idade entre 18 e 30 anos e altura mínima de 1,60m (sexo feminino) e 1,65m (sexo masculino). 

 

Durante o curso de formação, a remuneração é de R$ 4.969,22. Após o ingresso, o salário sobe para R$ 6.095,41. Os valores informados já consideram o auxílio-alimentação mensal de R$ 850.  

 

Como se inscrever no concurso da PM/DF 2018

 

O processo seletivo é organizado pelo Instituto Americano de Desenvolvimento (Iades), que recebe inscrições por meio do site www.iades.com.br. O valor da taxa é de R$ 88.

 

APOSTILAS CONCURSO PM/DF 2018 - SOLDADO

CURSO CONCURSO PM/DF 2018 - SOLDADO

 

Sobre as provas do concurso da PM/DF 2018

 

Na primeira fase, o concurso da PM/DF terá provas objetiva e discursiva, com aplicação prevista para 29 de abril (músicos e corneteiros) e 20 de maio (combatentes).

 

O conteúdo programático engloba língua portuguesa, língua inglesa, matemática/raciocínio lógico, atualidades, legislação aplicável à Polícia Militar do Distrito Federal, criminologia e conhecimentos específicos.

 

Nas demais etapas, os candidatos serão submetidos a testes de aptidão física, exames biométricos, avaliações médica/psicológica e sindicância da vida pregressa/investigação social, além de prova prática instrumental e análise de títulos apenas para especialistas músicos e corneteiros.  

 

De acordo com o edital, o concurso da PM/DF terá validade de dois anos, prorrogável por mais dois, a critério da corporação. 

 

Atribuições do soldado combatente no concurso da PM/DF 2018

 

Executar o policiamento ostensivo; atender ocorrências policiais; desempenhar a atividade policial militar visando à preservação da ordem pública; promover a segurança pública por meio de atividades preventivas e repressivas imediatas nos diversos tipos, modalidades, processos e circunstâncias de policiamento previstos, no lugar, forma e tempo em que for designado; auxiliar os Oficiais, Subtenentes e Sargentos no cumprimento das atividades típicas da Polícia Militar do Distrito Federal; auxiliar a execução das operações e ações de natureza policial militar ou de interesse de segurança pública; redigir boletins e ocorrências policiais; realizar as atividades de inteligência policial, quando designado; conduzir veículos automotores em serviços, executar ações e operações policiais militares; realizar manutenção de primeiro escalão no armamento, equipamentos e viaturas; executar tarefas da graduação superior, quando necessário para o serviço policial; e zelar pelo fiel cumprimento da hierarquia e disciplina militar.

 

Concurso PM/DF: conteúdo programático parcial para soldado combatente

 

Língua portuguesa – 1 Compreensão e interpretação de textos de gêneros variados. 2 Reconhecimento de tipos e gêneros textuais. 3 Domínio da ortografia oficial. 3.1 Emprego das letras. 3.2 Emprego da acentuação gráfica. 4 Domínio dos mecanismos de coesão textual. 4.1 Emprego de elementos de referenciação, substituição e repetição, de conectores e outros elementos de sequenciação textual. 4.2 Emprego/correlação de tempos e modos verbais. 5 Domínio da estrutura morfossintática do período. 5.1 Relações de coordenação entre orações e entre termos da oração. 5.2 Relações de subordinação entre orações e entre termos da oração. 5.3 Emprego dos sinais de pontuação. 5.4 Concordância verbal e nominal. 5.5 Emprego do sinal indicativo de crase. 5.6 Colocação dos pronomes átonos. 6 Reescritura de frases e parágrafos do texto. 6.1 Substituição de palavras ou de trechos de texto. 6.2 Retextualização de diferentes gêneros e níveis de formalidade. 7 Correspondência oficial. 7.1 Adequação da linguagem ao tipo de documento. 7.2 Adequação do formato do texto ao gênero.

 

APOSTILA CONCURSO PM/DF 2018 - SOLDADO

 

Língua inglesa – 1 Compreensão de textos escritos em língua inglesa. 2 Itens gramaticais relevantes para compreensão dos conteúdos semânticos.

 

Matemática e raciocínio lógico – 1 Compreensão de estruturas lógicas. 2 Lógica de argumentação: analogias, inferências, deduções e conclusões. 3 Diagramas lógicos. 4 Princípios de contagem e probabilidade. 5 Arranjos, permutações e combinações. 6 Proporcionalidade e regra de três. 7 Sistema de medidas (áreas e volumes).

 

Atualidades – 1 Realidade étnica, social, histórica, geográfica, cultura, política e econômica do Distrito Federal e da Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal - RIDE.

 

Legislação aplicável a Polícia Militar do Distrito Federal – 1 Lei Orgânica do Distrito Federal, de 8/6/1993. 1.1 Título II - Da Organização do Distrito Federal. 1.1.1 Capítulo I - Das Disposições Gerais. 1.1.2 Da Administração Pública: Seção I - Das Disposições Gerais, Seção II - Dos Serviços Públicos. 1.1.2 Capítulo VI – Dos Servidores Públicos. 1.2 Título III - Da Organização dos Poderes. 1.2.1 Capítulo V – Da Segurança Pública. 2 Lei nº 6.450/1977 (dispõe sobre a organização básica da Polícia Militar do Distrito Federal e dá outras providências). 3 Lei nº 7.289/1984 (aprova o Estatuto dos Policiais Militares da Polícia Militar do Distrito Federal e dá outras providências). 4 Lei nº 12.086/2009 (dispõe sobre os militares da Polícia Militar do Distrito Federal e do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal e dá outras providências). 5 Decreto nº 88.777/1983 (aprova o regulamento para as policias militares e corpos de bombeiros militares (R-200)). 6 Decreto nº 7.165/2010 (regulamenta o inciso I do art. 48 da Lei nº 6.450/1977, que dispõe sobre a organização básica da Polícia Militar do Distrito Federal).

 

Criminologia – 1 Criminologia. 1.1 Conceito. 1.2 Métodos: empirismo e interdisciplinaridade. 1.3 Objetos da criminologia: delito, delinquente, vítima, controle social. 2 Funções da criminologia. 2.1 Criminologia e política criminal. 3 Modelos teóricos da criminologia. 3.1 Teorias sociológicas. 3.2 Prevenção da infração penal no Estado democrático de direito. 3.3 Prevenção primária. 3.4 Prevenção secundária. 3.5 Prevenção terciária. 3.6 Modelos de reação ao crime.

 

Confira o conteúdo programático completo do concurso da PM/DF 2018

 

Continuar lendo

Atualizado: 19/03/2018 - 14:52

São Bernardo do Campo/SP: sai distribuição das 782 vagas

Oportunidades serão para diversos cargos, em todos os níveis de escolaridade, com destaque para 325 vagas de professores de educação básica. Iniciais de até R$ 9.348,71

Banca já está definida

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

Após confirmar, na última semana, a realização do seu novo concurso público, a Prefeitura de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, já confirmou a distribuição das 782 vagas que serão oferecidas no certame pelos cargos, com respectivas remunerações. A seleção contará com oportunidades para 12 secretarias municipais, com opções em vários níveis de escolaridade, incluindo áreas de educação, serviços urbanos e para a Guarda Civil Metropolitana (GCM). As remunerações iniciais devem variar de R$ 1.675,86 a R$ 9.348,71.


O primeiro passo para a liberação do edital ocorreu em 14 de março, quando, durante cerimônia no Salão Nobre do Paço Municipal, foi assinado o contrato com a banca organizadora do certame, que será a Fundação Vunesp, escolhida por meio de dispensa de licitação. De acordo com informações da assessoria de imprensa da prefeitura, a publicação do documento está prevista para ocorrer entre 30 a 60 dias, entre os meses de abril e maio. “Esta é uma decisão pensada e calculada e reflete o momento de estabilidade que conseguimos obter após o forte ajuste financeiro que implementamos desde o ano passado. Queremos preencher esta lacuna enorme de servidores técnicos que se aposentaram ou que deixaram a administração e que causou um processo de deterioração dos serviços”, declarou o prefeito Orlando Morando.   

Outro ponto já confirmado é que a maior parte das vagas será para cargos na área de educação, incluindo 325 vagas para o cargo de professor de educação básica, 50 para diretor de escola, 35 para coordenador pedagógico e dez para professor de educação especial.


Para a Guarda Civil Metropolitana serão oferecidas 100 oportunidades, mas ainda será confirmado quantas serão para homens e quantas para mulheres.


As demais oportunidades serão para as secretarias de Administração, Desenvolvimento Social, Finanças, Gestão Ambiental, Habitação, Obras, Planejamento Urbano, Serviços Urbanos e Transportes.


Segundo declaração do secretário de administração e modernização administrativa, Pedro Pinheiro, além da reposição de cargos técnicos e complemento em secretarias estratégicas, a seleção também contará com uma oferta de 100 vagas para o cargo de oficial administrativo, cargo que deverá contar com oportunidades para todas as pastas da administração municipal.


Outra novidade do concurso é a oferta para as carreiras de agentes de controladoria, analista tributário e analista de transportes. Para estas funções esta será a primeira vez que a prefeitura realiza concurso. Até então, o preenchimento era feito por meio de contratação de funcionários comissionados.

 

Veja cargos, vagas e salários

A distribuição completa de vagas por cargos é a seguinte: agente contábil (5 vagas, com inicial de R$ 4.586,94), agente de controladoria I (2, R$ 4.586,64), agente de tesouraria I (3, R$ 4.586,94), analista de transportes (3, R$ 3.837,96), analista tributário financeiro I (1, R$ 7.687,20), arquiteto (10, R$ 7.867,20), assistente jurídico (1, R$ 5.434,17), assistente social (1, R$ 5.045,63), auxiliar de serviços de agrimensura (1, R$ 2.732,83), contato I (3, R$ 7.687,20), coordenador pedagógico (35, R$ 5.245,85), desenhista (1, R$ 4.967,61), diretor de escola (50, R$ 5.464,36), engenheiro (11, R$ 7.687,20), fiscal de cadastro tributário (5, R$ 4.586,94), fiscal I (62, R$ 4.586,94), fisioterapeuta I (1, R$ 3.784,28), fonoaudiólogo (1, R$ 5.045,63), geólogo (1, R$ 5.783,97), guarda civil metropolitano 3ª classe (100, R$ 1.675,86), oficial administrativo I (100, R$ 1.675,86), orientador pedagógico (5, R$ 5.486,36), procurador (9, R$ 9.348,71), professor de educação especial – audiocomunicação (1, R$ 3.014,40), professora de educação especial – deficiência mental (8, R$ 3.014,40), professor de educação especial – deficiência visual (1, R$ 3.014,40), professor de educação básica (300, R$ 2.710,52), professor de educação básica 2 – artes (10, R$ 2.873,15), professor de educação básica 2 – educação artística (15, R$ 2.873,15), psicólogo (9, R$ 5.783,97), psicólogo (1, R$ 5.045,63), técnico em agrimensura (9, R$ 6.355,02), técnico em licitações (13, R$ 4.206,41), técnico em meio ambiente (3, R$ 4.586,94) e terapeuta ocupacional (1, R$ 3.784,28).   

 

 

 

Continuar lendo

Atualizado: 14/03/2018 - 15:40

PC/SE define banca para concurso de delegado

Seleção contará com dez vagas imediatas, para o cargo, que pede formação de nível superior em direito, com remuneração inicial de R$ 11,5 mil

 Edital em breve

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

A Polícia Civil do Estado de Sergipe (PC/SE) confirmou, nesta quarta-feira, 14 de março, o nome da banca organizadora do seu novo concurso público para o cargo de delegado. A escolhida é o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe).  Com isto, a assinatura do contrato pode ocorrer já nos próximos dias, para que o edital de abertura de inscrições possa ser publicado até abril.


A oferta será de dez vagas e para concorrer é necessário possuir formação de nível superior em direito, com remuneração inicial de R$ 11.500.
O último concurso para o cargo ocorreu em 2005, quando foram oferecidas 61 vagas. A banca organizadora foi o Cespe/unB.


A seleção contou com provas objetivas compostas de 120 itens, sendo 50 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos. Além disso, os participantes foram submetidos a provas discursivas, contando com petição inicial, parecer ou dissertação abordando tema sobre direito penal ou processual penal. O concurso também contou com exames psicológicos, avaliação oral, sobre direitos penal ou processual penal e análise de títulos, antes do curso de formação profissional.


Na prova objetiva, a parte de conhecimentos básicos contou com temas de língua portuguesa. Já em conhecimentos específicos, direito administrativo, direito constitucional, direito penal, direito processual penal, legislação especial e conteúdo de medicina legal.

 

Continuar lendo

Atualizado: 14/03/2018 - 11:01

PC/ES: definida banca para 173 vagas

Do total de oportunidades, 20 são para quem possui ensino médio e 153 para nível superior, com iniciais de até R$ 4,8 mil.

Edital em breve

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

A Polícia Civil do Espírito Santo (PC/ES) confirmou, por meio de publicação em diário oficial, nesta quarta-feira, 14 de março, o nome da banca organizadora do seu novo concurso público, autorizado pelo governador  Paulo Hartung em 31 de janeiro. A empresa escolhida é o Instituto Acesso de Ensino, Pesquisa, Avaliação e Seleção e Emprego. Com isto, a expectativa é de que a assinatura do contrato ocorra nos próximos dias, para que o edital de abertura de inscrições possa ser publicado até o início de abril, tendo em vista que a previsão inicial era contatar a banca e já publicar o documento em fevereiro.    Ao todo serão oferecidas 173 vagas, sendo 20 para cargos com exigência de ensino médio e 153 para nível superior, com remunerações iniciais de até R$ 4.860,80.    

Ensino Médio

As 20 vagas destinadas para portadores de ensino médio serão para o cargo de auxiliar de perícia médico legal, que conta com remuneração inicial de R$ 3.449,60.    

Nível Superior

Já as oportunidades de nível superior serão para os cargos de escrivão de polícia (20 vagas),l perito oficial criminal (50), psicólogo (4), médico legista (15), investigador de polícia (60) e assistente social (4), todos com inicial de R$ 4.860,80.     

Concurso Anterior

O último concurso do órgão ocorreu em 2013, quando foram oferecidas 113 vagas, em diversos cargos de níveis médio e superior. As opções foram para delegado, escrivão, legistas auxiliar de perícia e peritos criminal, criminal especial, em telecomunicações, perito papiloscópico e perito em fotografia criminal.   A banca organizadora, na ocasião, foi o Cespe/UnB.   No caso de auxiliar técnico de perícia, a seleção contou com 120 questões, sendo 50 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos, além de prova discursiva, testes de aptidão física, avaliação psicológica e investigação social e criminal.    Para perito e legista também foram 50 questões de conhecimentos básicos e 70 de específicos, além de prova discursiva, teste de aptidão física, exames psicopatológicos, análise de títulos e investigação social.   Para escrivão, 50 de conhecimentos básicos e 70 específicos, prova discursiva, teste de aptidão física, exames psicopatológicos, prova prática de digitação, análise de títulos e investigação social.       Para todos os cargos, a parte de conhecimentos básicos versou sobre língua portuguesa, noções de informática e raciocínio lógico
Continuar lendo

Atualizado: 12/03/2018 - 14:19

Concurso Polícia Civil/BA: prova ocorre em 22 de abril

Estão em disputa no concurso da PC/BA 880 postos para investigador, 82 para delegado e 38 para escrivão, com salários de até R$ 11,3 mil

1.000 vagas

Por JCConcursos - Samuel Peressin

Depois de encerrar, em 9 de março, as inscrições do concurso com oferta de 1.000 vagas para contratação imediata, a Polícia Civil da Bahia (PC/BA) trabalha agora para a aplicação da prova objetiva, prevista para 22 de abril, de acordo com o edital.

Do total de oportunidades em disputa, 880 são para o cargo de investigador (remuneração de R$ 3.915,85), 82 para delegado (R$11.389,96) e 38 para escrivão (R$ 3.915,85). 

Os candidatos a delegado devem possuir curso superior em direito. No caso dos cargos de investigador e escrivão, são admitidos profissionais com graduação em qualquer área.

Para todas as carreiras, os vencimentos informados consideram o regime de trabalho de 40 horas semanais e já incluem o salário-base e a gratificação de atividade.

As inscrições para o concurso da PC/BA são recebidas por meio do site da Vunesp (www.vunesp.com.br), banca que organiza a seleção. As taxas custam R$ 140 para investigador e escrivão e R$ 160 para delegado.  

 

Sobre as provas do concurso da Polícia Civil da Bahia 2018
 

O processo seletivo envolverá sete fases. Na primeira e segunda, os inscritos no concurso da PC/BA farão provas objetiva (100 perguntas de conhecimentos gerais e específicos) e discursiva. A aplicação ocorrerá em Salvador. O conteúdo programático pode ser conferido ao longo da matéria.

APOSTILAS ONLINE E IMPRESSA PC/BA - ESCRIVÃO  E INVESTIGADOR DE POLÍCIA

Nas demais etapas, os candidatos passarão por exame biomédico, em 21 e 22 de julho; teste físico, em 9 de setembro; avaliação psicotécnica, em 21 de outubro; análise de títulos, em 20 de janeiro de 2019; e investigação social e de conduta pessoal.

O resultado final está previsto para ser divulgado em 8 de março de 2019. Segundo o
edital, o concurso terá validade de um ano, prorrogável por mais um, a critério da Polícia Civil do Estado da Bahia

Reserva de vagas no concurso da PC/BA 2018
 

O concurso da Polícia Civil da Bahia reserva a candidatos negros 25 postos no cargo de delegado, 264 no de investigador e 11 no de escrivão, conforme a lei estadual 13.182/2014.   APOSTILAS PC/BA - DELEGADO/ INVESTIGADOR E ESCRIVÃO
A participantes inscritos como pessoa com deficiência, o número de vagas corresponde a quatro para delegado, 44 para investigador e duas para escrivão, de acordo com a lei estadual 12.209/2011. 
 

Atribuições do investigador no concurso da PC/BA 2018
 

Proceder à investigação criminal e ao exercício de Polícia Judiciária, exceto quando relacionadas à matéria sob jurisdição militar; participar do planejamento, coordenação, supervisão e fiscalização das atividades operacionais e administrativas do setor sob sua direção; participar de levantamento de local de crime e interagir na execução de atividade investigativa; zelar pela incolumidade de preso; cumprir diligências, mandados e outras determinações de autoridades policiais e/ou judiciárias competentes, sendo responsável pela produção de dados, informações e conhecimentos; participar de estudos, projetos e pesquisas de natureza técnica ou especializada sobre ciências criminais, inteligência policial e estatísticas de crimes; efetuar prisões e busca pessoal, para fins de apuração de infração penal; participar de programas e operações de prevenção, repressão, controle da criminalidade, reconstituição e de ações de inteligência policial; executar tarefas de fiscalização de estabelecimentos de hospedagem, diversões públicas, teatros, cinemas, esportes e produtos controlados pela Polícia Civil, sendo-lhe assegurado o livre acesso aos locais fiscalizados; adotar providências sobre qualquer ocorrência policial de que tiver conhecimento, dando ciência imediata à autoridade competente; elaborar os relatórios de investigação criminal, conforme expedição de ordem de serviço; executar as ações necessárias para segurança das investigações; executar em trabalho de equipe operações de resgate de reféns; exercer assessoramento especializado e superior no âmbito da estrutura da Polícia Civil do Estado da Bahia; participar de estudos e pesquisas de natureza técnico-científica ou especializada sobre administração policial; alimentar e pesquisar, nos arquivos físicos e eletrônicos, dados sobre a identificação de pessoas; dirigir viatura em missão de natureza policial; coordenar e supervisionar a investigação criminal e a atividade de polícia judiciária, exceto quando relacionada à matéria sob jurisdição militar, e desde que no exercício da função de coordenação do setor de investigação.
 

Concurso Polícia Civil da Bahia: atribuições do escrivão
 

Lavrar os atos de inquéritos policiais, termos circunstanciados de ocorrência e outros procedimentos legais, contribuindo na gestão de dados, informações e conhecimentos; expedir, mediante requerimento de interessado e despacho da autoridade policial, certidões e translados; zelar pela guarda de papéis, documentos, procedimentos, armas e munições sob sua responsabilidade e de objetos e instrumentos apreendidos vinculados aos inquéritos policiais, termos circunstanciados e outros procedimentos legais; ter a guarda e responsabilidade, mantendo atualizada a escrituração em livros e/ou banco de dados; emitir guia de recolhimento, quando legalmente autorizado e determinado por autoridade policial; preencher planilhas de controle de inquéritos, processos e boletins; acompanhar a autoridade policial, quando necessário ao exercício funcional; prestar assessoramento especializado e superior no âmbito da estrutura da Polícia Civil do Estado da Bahia; expedir guias para exames periciais; escrever, subscrever e lavrar atos e termos e demais peças de procedimentos penais ou administrativos.
 

Atribuições do delegado no concurso da PC/Bahia 2018
 

Instaurar e presidir inquéritos policiais, formalizar o termo circunstanciado de ocorrência e outros procedimentos legais, instrumentos e atos oficiais, no âmbito de sua competência; exercer as atribuições previstas na legislação processual penal da competência da autoridade policial; planejar, dirigir, supervisionar e fiscalizar as atividades de investigação dos servidores policiais civis; planejar, dirigir, supervisionar, fiscalizar e avaliar as atividades operacionais e administrativas do órgão ou unidade policial sob sua direção; no curso de procedimentos, compete-lhe: expedir ordens de serviço, intimações e requisitar condução coercitiva, em caso de descumprimento injustificado; comparecer ao local de crime e requisitar a realização de exames periciais necessários para o esclarecimento do fato; representar pela instauração de incidente de sanidade mental do indiciado; representar à autoridade judiciária pela decretação de medidas cautelares, reais ou pessoais, ou ainda, quaisquer modalidades de prisões provisórias e pela concessão de mandados de busca e apreensão; solicitar, fundamentadamente, informações e documentos a entidades públicas e privadas; requisitar serviços e técnicos especializados de órgãos públicos, de concessionárias e permissionárias de serviço público, para esclarecimento de questões que possam subsidiar a apuração de infrações penais; dirigir e supervisionar operacionalmente, com exclusividade, a atividade de investigação criminal e o exercício da polícia judiciária, exceto quando relacionadas à matéria sob jurisdição militar; assegurar, no âmbito de sua competência, a unidade da investigação policial, bem como a eficácia dos princípios institucionais da Polícia Civil; adotar medidas necessárias ou participar de programas e operações, com vistas à prevenção, repressão e controle da criminalidade; proceder a estudos, levantamentos e análises de ocorrências policiais e criminais, visando à criação e ao desenvolvimento de programas, métodos, técnicas e rotinas do trabalho policial; participar de estudos e pesquisas de natureza técnica ou especializada sobre administração policial; prestar assessoramento em assuntos relacionados com a segurança pública e com a administração policial; zelar pela incolumidade dos presos.
 

O que vai cair na prova do concurso da PC/BA
 

O conteúdo programático de conhecimentos gerais para todos os cargos envolvidos no processo seletivo engloba as seguintes disciplinas:
  Língua portuguesa – 1 Compreensão e interpretação de textos de gêneros variados. 2 Reconhecimento de tipos e gêneros textuais. 3 Domínio da ortografia oficial. 3.1 Emprego das letras. 3.2 Emprego da acentuação gráfica. 4 Domínio dos mecanismos de coesão textual. 4.1 Emprego de elementos de referenciação, substituição e repetição, de conectores e outros elementos de sequenciação textual. 4.2 Emprego/correlação de tempos e modos verbais. 5 Domínio da estrutura morfossintática do período. 5.1 Relações de coordenação entre orações e entre termos da oração. 5.2 Relações de subordinação entre orações e entre termos da oração. 5.3 Emprego dos sinais de pontuação. 5.4 Concordância verbal e nominal. 5.5 Emprego do sinal indicativo de crase. 5.6 Colocação dos pronomes átonos. 6 Reescritura de frases e parágrafos do texto. 6.1 Substituição de palavras ou de trechos de texto. 6.2 Retextualização de diferentes gêneros e níveis de formalidade. 7 Correspondência oficial (conforme Manual de Redação da Presidência da República). 7.1 Adequação da linguagem ao tipo de documento. 7.2 Adequação do formato do texto ao gênero.   Informática – 1 Noções de sistema operacional (ambientes Linux e Windows. 2 Edição de textos, planilhas e apresentações (ambientes Microsoft Office e BrOffice). 3 Redes de computadores. 3.1 Conceitos básicos, ferramentas, aplicativos e procedimentos de Internet e intranet. 3.2 Programas de navegação (Microsoft Internet Explorer, Mozilla Firefox, Google Chrome). 3.3 Programas de correio eletrônico (Outlook Express, Mozilla Thunderbird). 3.4 Sítios de busca e pesquisa na Internet. 3.5 Grupos de discussão. 3.6 Redes sociais. 3.7 Computação na nuvem (cloudcomputing). 4 Conceitos de organização e de gerenciamento de informações, arquivos, pastas e programas. 5 Segurança da informação. 5.1 Procedimentos de segurança. 5.2 Noções de vírus, worms e pragas virtuais. 5.3 Aplicativos para segurança (antivírus, firewall, anti-spyware etc.). 5.4 Procedimentos de backup. 5.5 Armazenamento de dados na nuvem (cloudstorage).   Raciocínio lógico – 1 Estruturas lógicas. 2 Lógica de argumentação: analogias, inferências, deduções e conclusões. 3 Lógica sentencial (ou proposicional). 3.1 Proposições simples e compostas. 3.2 Tabelas-verdade. 3.3 Equivalências. 3.4 Leis de De Morgan. 3.5 Diagramas lógicos.4 Lógica de primeira ordem. 5 Princípios de contagem e probabilidade. 6 Operações com conjuntos. 7 Raciocínio lógico envolvendo problemas aritméticos, geométricos e matriciais.   Atualidades – 1 Tópicos relevantes e atuais de diversas áreas, tais como segurança, transportes, política, economia, sociedade, educação, saúde, cultura, tecnologia, energia, relações internacionais, desenvolvimento sustentável e ecologia, suas inter-relações e suas vinculações históricas.   Promoção da igualdade racial e de gênero – 1 Constituição da República Federativa do Brasil (art. 1º, 3º, 4º e 5º). 2 Constituição do Estado da Bahia (Cap. XXIII “Do Negro”). 3 Lei federal nº 12.288/2010 (Estatuto da Igualdade Racial). 4 Lei federal nº 7.716/1989, alterada pela Lei federal nº 9.459/1997 (Tipificação dos crimes resultantes de preconceito de raça ou de cor). 5 Decreto federal nº 65.810/1969 (Convenção internacional sobre a eliminação de todas as formas de discriminação racial). 6 Decreto federal nº 4.377/2002 (Convenção sobre eliminação de todas as formas de discriminação contra a mulher). 7 Lei federal nº 11.340/2006 (Lei Maria da Penha). 8 Código Penal Brasileiro (art. 140). 9 Lei federal nº 7.437/1985. 10 Lei estadual nº 10.549/2006 (Cria a Secretaria de Promoção da Igualdade Racial); alterada pela Lei estadual nº 12.212/2011. 11 Lei federal nº 10.678/2003 (Cria a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República).   Medicina legal – 1 Perícia médico-legal: perícias médico-legais, perícia, peritos. 2 Documentos legais: conteúdo e importância. 3 Traumatologia forense. 3.1 Energia de ordem física. 3.2 Energia de ordem mecânica. 3.3 Lesões corporais: leve, grave e gravíssima e seguida de morte. 4 Tanatologia forense: causas jurídica da morte, diagnóstico de realidade da morte. 5 Sexologia forense. 6 Imputabilidade penal.   Noções de administração – 1. Noções de administração. 1.1 Abordagens clássica, burocrática e sistêmica da administração. 1.2 Evolução da administração pública no Brasil após 1930. 1.3 Reformas administrativas. 2 Noções de Administração Pública. 2.1 Princípios Constitucionais da Administração Pública. 2.2 Princípios Explícitos e Implícitos. 2.3 Ética na Administração Pública. 2.4 Administração Pública. Organização administrativa. Centralização. Descentralização. Desconcentração. 2.5 Órgãos Públicos. Administração Indireta. Autarquias. Fundações Públicas. Empresas Públicas e Sociedades de Economia Mista. 3 A nova gestão pública. 4 Processo administrativo. 4.1 Funções da administração: planejamento, organização, direção e controle. 4.2 Estrutura organizacional. 4.3 Cultura organizacional. 5. Gestão de pessoas. 5.1 Equilíbrio organizacional. 5.2 Objetivos, desafios e características da gestão de pessoas. 5.3 Comportamento organizacional: relações indivíduo/organização, motivação, liderança, desempenho. 6 Gestão da qualidade e modelo de excelência gerencial. 6.1 Principais teóricos e suas contribuições para a gestão da qualidade. 6.2 Ciclo PDCA. 6.3 Ferramentas de gestão da qualidade. 6.4 Modelo do gespublica. 7 Noções de gestão de processos: técnicas de mapeamento, análise e melhoria de processos. 8 Legislação administrativa. 8.1 Administração direta, indireta e fundacional. 8.2 Atos administrativos. 9 Noções de licitação pública: fases, modalidades, dispensa e inexigibilidade. 10 Noções de administração de recursos materiais. 11 Ética no serviço público: comportamento profissional, atitudes no serviço, organização do trabalho, prioridade em serviço. 12 Administração financeira e orçamentária. 12.1 Orçamento público. 12.2 Princípios orçamentários. 12.3 Diretrizes orçamentárias. 12.4 Sistema Integrado de Planejamento, Contabilidade e Finanças: FIPLAN. 12.5 Receita pública: categorias, fontes, estágios e dívida ativa. 12.6 Despesa pública: categorias e estágios. 12.7 Suprimento defundos. 12.8 Restos a pagar. 12.9 Despesas de exercícios anteriores. 12.10 Conta única do Tesouro.   Leis específicas – 1. Lei estadual nº 6.677, de 26 de setembro de 1994 (Estatuto do Servidor Público Civil do Estado da Bahia, das Autarquias e das Fundações Públicas Estaduais). 2. Lei estadual nº 9.433, de 01 de março de 2005 (Dispõe sobre as licitações e contratos administrativos pertinentes a obras, serviços, compras, alienações e locações no âmbito dos Poderes do Estado da Bahia e dá outras providências). 3. Lei estadual nº 12.209, de 20 de abril de 2011 (Dispõe sobre o processo administrativo, no âmbito da Administração direta e das entidades da Administração indireta, regidas pelo regime de direito público, do Estado da Bahia, e dá outras providências). 4. Lei estadual nº 11.370, de 04 de fevereiro de 2009 (Lei Orgânica da Polícia Civil do Estado da Bahia) e alterações.   Confira o conteúdo programático de conhecimentos específicos para a prova do concurso da PC/BA 2018 
Continuar lendo

Atualizado: 08/03/2018 - 10:43

Depen: portaria abre caminho para novos concursos

Oportunidades do concurso do Departamento Penitenciário Nacional serão para os cargos de agente, técnico e especialista. Níveis médio, técnico e superior

Pedido de 1.580 vagas

Por JCConcursos - Camila Diodato

Boa notícia para quem pretende ingressar no Departamento Penitenciário Nacional (Depen). Acontece que o secretário executivo interno do Ministério de Segurança Pública, Carlos Alberto dos Santos Cruz, divulgou, por meio de publicação em diário oficial, nesta quinta-feira, 8 de março, a portaria 4/2018, que delega competências ao diretor-geral do Depen, incluindo procedimentos necessários às atividades de recursos humanos, bem como “assinar documentos e baixar atos relativos a provimento e vacância de cargos efetivos, bem como à realização de concurso público para provimento do quadro de pessoal do Depen”. Com isto, o órgão passa a ter maior autonomia para a realização de seus certames.


Vale lembrar que o Depen conta com um pedido de novo concurso para o preenchimento de 1.580 vagas tramitando no Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG) desde 15 de fevereiro.


Do total de oportunidades do pedido, 1.440 são para o cargo de agente federal de execução penal. Neste caso, para concorrer é necessário possuir ensino médio e carteira de habilitação a partir da categoria “B”. A remuneração inicial é de R$ 6.030, incluindo gratificação de desempenho e auxílio-alimentação de R$ 458. Para os servidores veteranos, a remuneração chega a R$ 10.202,50.


O pedido também inclui 36 vagas para o cargo de técnico federal de apoio à execução penal, que pede formação de nível médio ou médico técnico, com inicial de R$ 4.120,28.


Por fim, as 104 vagas restantes são para o cargo de especialista federal em assistência à execução penal, para quem possui formação de nível superior em áreas específicas. O inicial, neste caso, é de R$ 5.865,70.

 

Saiba mais sobre o cargo de agente


Conhecido anteriormente como agente penitenciário federal, a função de agente federal de execução penal teve sua nomenclatura alterada com a lei 13.327/2016. Quem ocupa o posto tem o dever de fazer o exercício das atividades de atendimento, vigilância, custódia, guarda, escolta, assistência e orientação de pessoas recolhidas aos estabelecimentos penais e de internamento federais, integrantes da estrutura do Departamento Penitenciário Nacional do Ministério da Justiça e Cidadania, e das atividades de natureza técnica, administrativa e de apoio a elas relacionadas  

Último concurso do Depen

  Em 2014, o Departamento Penitenciário Nacional lançou edital com 258 vagas e cadastro reserva de pessoal. As oportunidades foram distribuídas entre as carreiras de agente, técnico e especialista.   A lotação ocorreu na sede (localizada em Brasília/DF) ou em uma das cinco penitenciárias federais situadas nas cidades de Brasília/DF, Campo Grande/MS, Catanduvas/PR, Mossoró/RN e Porto Velho/RO.   Sob a organização do Cespe/UnB, a triagem constou de provas objetivas, testes discursivos, aptidão física, avaliação psicológica, exame médico e investigação social.   Os exames objetivos apresentaram 120 questões sobre conhecimentos básicos (língua portuguesa, atualidades, noções de ética no serviço público, noções de direitos humanos e participação social), complementares e específicos. Já os testes discursivos foram compostos por um texto dissertativo de até 30 linhas acerca de tema baseado em conhecimentos básicos de atualidades.   As provas foram realizadas em todas as capitais brasileiras, mais o Distrito Federal e as cidades de Catanduvas/PR e de Mossoró/RN.
Continuar lendo

Atualizado: 07/03/2018 - 11:37

Polícia Civil/RR: ratificada contratação da banca

De acordo com a delegada geral da PC/RR, Edinéia Chagas, contratação de aprovados deve ser prioridade para 2018. Oportunidades serão distribuídas por diversos cargos e salários chegam a R$ 18 mil. Edital nos próximos dias

Para 330 vagas

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

A Polícia Civil de Roraima (PC/RR) divulgou, no último dia 6 de março, por meio de publicação em diário oficial, a ratificação da banca organizadora do seu novo concurso público, que será a Fundação Vunesp. A expectativa é de que a publicação do edital ocorra nos próximos dias, ainda em março.  No final do ano, em entrevista para a Rádio Folha 1020, em 3 de dezembro, a delegada titular da Delegacia Geral da corporação, Edinéia Chagas, reforçou que a realização concurso deve ser uma das prioridades para 2018. “Hoje em dia são 66 delegados, com um quantitativo geral de 400 agentes, quando o ideal pela lei é de mil agentes. O quantitativo de delegados da Polícia Civil hoje em dia é pequeno, todos direcionados a atividade operacional. Por isso o concurso é necessário. O crime aumentou em Roraima e a Polícia Civil não cresceu”, disse. “Nossa meta é torná-la mais eficaz com o aumento do efetivo no ano que vem”, disse.   Segundo ela, também existe o interesse de elaborar um projeto de lei para criar o corpo técnico da Polícia Civil, também para preenchimento por meio de concurso. “Eu preciso de dois estatísticos, um administrador, um contador. Preciso de psicólogo e assistente social para melhor atender a vítima vulnerável a partir das delegacias. Como esse corpo técnico ainda não foi criado, hoje a gente percebe o quanto é necessário”, disse.  
A seleção será para o preenchimento de 330 vagas, para todos os cargos da carreira policial, distribuídas regionalmente. Também já está certo que a segunda fase do certame, o curso de formação profissional, será realizado na Academia de Política Integrada (API).   A expectativa inicial, segundo o secretário de Segurança Pública do estado, delegado Francisco Araújo, era de aproximadamente 400 vagas, incluindo 40 para delegados, 150 para escrivães, 100 para agentes, 20 para peritos, 20 odontologistas e também oportunidades para os cargos de auxiliar de necropsia, auxiliar de papiloscopista e perito papiloscopista.   Para os cargos de auxiliar de necropsia e auxiliar de papiloscopista é exigido ensino médio, com remuneração inicial de R$ 2.647,03. Para as demais carreiras, com necessidade de nível superior, o inicial é de R$ 3.970,56, exceto para delegado, com inicial de R$ 18.387.      

Último concurso

  A última seleção da PC/RR ocorreu em 2003, quando foram oferecidas 930 vagas, sendo 25 para médico-legista, cinco para odonto-legista, 30 para perito criminal, 20 para auxiliar de necropsia, 20 para perito criminal, 100 para escrivão, 400 para a gente de polícia, 200 para agente carcerário, 30 para perito papiloscopista e 100 para delegado.   A banca organizadora foi o Cespe/UnB.             
Continuar lendo

Atualizado: 07/03/2018 - 11:10

PM/ES: iniciada licitação para soldados e oficiais

Seleção contará com 310 postos, sendo 290 para cargos com exigência de ensino médio e 20 para quem possui formação de nível superior.

Iniciais até R$ 6,9 mil

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves


Polícia Militar do Estado  (PM/ES) divulgou, nesta quarta-feira, 7 de março, o edital de licitação para a escolha da banca organizadora do seu novo concurso público para soldados e oficiais.  A seleção é aguardada desde 9 de novembro, quando autorizada pelo governador Paulo Hartung, para o preenchimento de 310 vagas, sendo 290 para cargos com exigência de ensino médio e 20 para quem possui graduação de nível superior, com remunerações iniciais de até R$ 6.971,84.   Porém, o novo documento consta apenas com 290 postos, não incluindo as 20 de nível superior para a área de saúde. De acordo com a publicação, a escolha da banca será por meio de chamamento público, com entrega de propostas até o próximo dia 20 de março. Somente após a contratação da empresa poderá ser definida a data de publicação do edital de abertura de inscrições.
Além da escolaridade, para concorrer aos cargos será necessário possuir idade de 18 a 28 anos, contando até o primeiro dia de inscrição, altura mínima de 1,65m para homens e 1,60m para mulheres e carteira de habilitação a partir da categoria “B”. A expectativa é de que o concurso seja realizado no decorrer do primeiro semestre de 2018.

A comissão do concurso para soldados, formada em 18 de dezembro, é presidida por Vinicius Xavier Teixeira e conta, ainda, com os seguintes membros: cel.Altiere de Carlo da Silva Machado, maj. Alexandre Moreto da Silva; cel. Félix Gomes Martins, ten.cor. Rodrigo Nascimento Ribeiro Alves e maj Alexandre Loureiro de Souza.

As vagas da área de saúde também, que não constam na licitação, também possuem comissão formada, também presidida por Vinicius Xavier Teixeira, contando, ainda, com o cel Altiere de Carlo da Silva Machado, ten. cel. Adriano Guetti Franco e maj. Alexandre Moreto da Silva. 
 
   

Ensino Médio

Das 290 vagas destinadas a quem possui ensino médio, 250 são para a carreira de soldado. Neste caso, os aprovados serão submetidos ao Curso de Formação de Soldados (CFSd), com duração aproximada de dois anos e carga horária mínima de 1.800 horas-aula. Durante este período, o aluno soldado receberá R$ 1.162,19. Após ser promovido a soldado passará a receber R$ 2.646,12, podendo chegar a R$ 3.052,06, caso concorra às escalas de serviço extra.
Ainda para ensino médio haverá dez vagas para soldado músico, sendo cinco para clarineta, uma para trompa, duas para trombone, uma para tuba e uma para percussão, . Os interessados deverão passar por uma prova de conhecimentos específicos, além de prova prática de música, aplicada por banca designada pelo comandante geral. Durante o curso de formação, também com duração de dois anos e 1.800 horas aula, receberão R$ 1.162,19, passando para R$ 2.646,12 após ser aprovado, com possibilidade de chegar a R$ 3.052,06, em caso de escalas de serviço extra.
Também serão oferecidas 30 vagas para o curso de formação de oficiais combatentes, ainda destinado para quem possui ensino médio. A duração do curso é de três anos, com uma carga horária de 3.700 horas/aula. A remuneração é de R$ 2.461,10 no primeiro ano, chegando a R$ 3.281,48 no terceiro. Após a formação, o aspirante a oficial chega a ganhar R$ 6.396,56.  
     

Nível Superior

Para fim, para nível superior, a seleção terá 20 vagas para o curso de adaptação de oficiais de saúde. Os interessados devem possuir registro no conselho de medicina, certificado de conclusão de residência médica na especialidade pretendida ou título de especialista emitido pela Associação Médica Brasileira (AMB). Neste caso, além de provas específica, haverá curso de adaptação, com mínimo de três meses de duração em regime integral e dedicação exclusiva. O inicial é de R$ 6.971,84.
Continuar lendo

Atualizado: 06/03/2018 - 14:33

PMs: PL que institui nível superior segue em análise

Proposta, que tramita na Câmara dos Deputados, determina nível superior para ingresso como praças e formação em direito para oficiais

Praça e oficial

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

Segue em análise, na Câmara dos Deputados, o projeto de lei 482/2015,que tem por finalidade padronizar as condições para que sejam realizados os concursos públicos das Polícias Militares de todos os estados. A proposta aguarda parecer do relator, na Comissão de Constituição, Justiça e Redação da casa, deputado Cabo Sabino (PR/CE). Somente após seu parecer, a proposta poderá ser votada pela comissão.

De acordo com a proposta, caso aprovada, será necessário possuir curso de nível superior para ingresso na carreira de praça, curso de nível superior em direito para a carreira de oficial do quadro de oficiais da corporação e superior em áreas específicas para o quadro de oficiais especialistas.

O projeto possui caráter conclusivo e, caso aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça, já poderá seguir para votação no plenário da casa.

Na Comissão de Trabalho, onde já foi aprovada, o deputado Cabo Sabino (PR/CE) incluiu uma emenda ao projeto, incluindo o limite de 35 anos para ingresso na corporação.

De acordo com o projeto, passam a ser as seguintes exigências para participar dos concursos de ingresso: ser brasileiro, estar quite com as obrigações militares e eleitorais, não registrar antecedentes criminais, estar em gozo dos direitos políticos, ser aprovado em concurso público, ter   procedimento social irrepreensível, idoneidade moral, apurados através de investigação; ter capacitação física e psicológica compatíveis com o cargo, verificados através de exames de aptidão; ser aprovado em exame de saúde e exame toxicológico com larga janela de detecção; e comprovar, quanto ao grau de escolaridade; a conclusão de bacharelado em direito, para ingresso na carreira de oficial do quadro de oficiais policiais militares; curso de graduação superior nas áreas de interesse conforme regulamentação própria de cada instituição policial miliar, para praças que ingressarem na carreira de oficial do quadro de oficiais especialistas; e curso de graduação superior em qualquer área para ingresso na carreira de praça da Polícia Militar.

Prepare-se para o concurso da Polícia Militar

VIDEOAULA PARA POLÍCIA MILITAR PROVA ANTERIOR DA POLÍCIA MILITAR

Na justificativa, a proposta diz que   “pela sua missão, também constitucional, de polícia ostensiva e de preservação da ordem pública, necessita de candidatos ao ingresso na instituição que possuam atributos diferenciados dos demais agentes públicos, tais como higidez física, apurados em testes físicos e de saúde (...). Com a evolução da própria sociedade há também que haver preocupação no avanço intelectual do pretendente ao ingresso na Polícia Militar, preparando assim a instituição, cada vez mais, para prestar melhor serviço ao cidadão. Neste sentido, há necessidade de que o futuro policial militar tenha frequentado o mundo acadêmico, por isso a importância da exigência do candidato ao ingresso de possuir curso superior devidamente comprovado e reconhecido e, especialmente ao oficialato, a exigência do bacharelado em direito”.

O texto ressalta que vários estados já adotam estas exigências, como Goiás, Minas Gerais, Santa Catarina, Piauí e Rio Grande do Sul, além do Distrito Federal e estabelece um prazo de três anos, após  aprovação do projeto, para adequação, por parte dos estados.

Continuar lendo

Atualizado: 06/03/2018 - 11:04

PM e Bombeiros/MS: governador reforça concursos

Seleções serão para soldados e oficiais, com oportunidades para quem possui ensino médio e nível superior

Editais nos próximos dias

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

O governador do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja reforçou,  na última segunda-feira, 6 de março, que os editais  dos novos concursos públicos 2018 que serão realizados pela Polícia Militar (PM/MS) e Corpo de Bombeiros serão publicados já nos próximos dias. A confirmação ocorreu durante cerimônia de formatura de novos cabos da corporação. No final de fevereiro, em entrevista à Rádio Blink 102 FM, o governador já havia anunciado que a liberação ocorrerá em março.   Ao todo serão oferecidas 650 vagas, sendo 450 para a PM e 200 para bombeiros, com opções para níveis médio e superior.  Para a liberação, o órgão ainda precisa apenas definir o nome da banca organizadora do certame. As remunerações iniciais ainda serão confirmadas
No caso da PM, do total de oportunidades, 388 serão para soldados, 50 para o curso de formação de oficiais e 12 para o quadro de oficiais da saúde.

Já no caso do Corpo de Bombeiros, 153 postos serão para soldados, 23 para o curso de formação de oficiais, 12 para o quadro de oficiais de saúde e 12 para o quadro de oficiais especialistas.
No caso da PM/MS, a comissão do concurso é presidida pelo servidor Paulo Victor dos Santos Oliveira e contará, ainda, com o cel. QOPM Edmilson Lopes da Cunha, como vice-presidente, além dos demais membros: Daniele de Araújo Ruiz, Cel. QOPM Renato Tolentino Alves, Isadora Rocha dos Santos, Maria Lucélia Pereira Lima e Tenente Cel. QOPM Paulo Ribeiro dos Santos.
Para o Corpo de Bombeiros, a comissão também é presidida por Paulo Victor dos Santos Oliveira. Como vice-presidente tem o Cel.QOBM Sérgio Carlos Barbosa, contando, ainda, com os demais participantes: Maj. QOBM Carla Rouledo Moretti Leite, Leonia Inês da Cruz Pavão, Cel. QOBM Luiz Antônio de Melo, Maria Lucélia Pereira Lima e Solanir Faria Brito Correa.  

 

Exigências

Nos dois casos, para concorrer a soldados será exigido ensino médio, enquanto para oficiais combatentes a necessidade é de formação de nível superior em direito. Para oficiais especialistas, a necessidade é de nível superior em áreas específicas, enquanto para oficiais médicos, superior na respectiva área.
Além disso, para todos os cargos, para soldados, os interessados devem possuir, até a data de encerramento das inscrições, idade de 18 a 30 anos, sendo considerado como limite até 30 anos, 11 meses e 29 dias. Para oficiais de saúde e especialistas, o limite é de 34 anos, também considerando como limite 34 anos, 11 meses e 29 dias.
Para quem já pertence à corporação, tanto PM quanto Bombeiros, não serão exigidas idades mínima ou máxima, mas deverão possuir, no máximo, 20 anos de efetivo na corporação até o último dia de inscrições.

 

Seleção

  Para as duas corporações, o concurso contará com seis fases. Na primeira os participantes serão submetidos a provas de conhecimentos, enquanto na segunda haverá exame de aptidão mental – psicotécnico. Na terceira, exames de saúde. Na quarta, avaliação de capacidade física. Na quinta, investigação social e na sexta, análise de títulos para oficiais de saúde e especialistas.   
Continuar lendo

Atualizado: 05/03/2018 - 14:21

Carreira policial: concursos devem abrir 16 mil vagas

Diversos cargos de níveis médio e superior devem fazer parte dos concursos da PRF, Polícia Rodoviária, Polícias Civis e Polícias Militares. Salários de até R$ 22,1 mil

Em todo o país

Por JCConcursos - Da Redação/SP

Não há dúvidas de que os concursos para carreiras policiais estão entre os mais visados do funcionalismo público, seja pela estabilidade, os altos salários que oferecem ou até mesmo pela rotina das funções, que, apesar de “perigosa” para alguns, costuma agradar bastante quem sonha em ingressar no quadro de servidores de uma das polícias.
Fora todos esses atrativos, as carreiras policiais estão em alta também por conta do bom momento pelo qual estão passando, com processos de valorização e reajustes salariais, além de previsões bem seguras de editais nos próximos meses.
A mais recente novidade surgiu na última semana, quando o ministro da nova pasta de segurança pública, Raul Jungmann, anunciou, em uma entrevista coletiva, que a Polícia Federal (PF) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) já possuem autorizações para abrir 1.000 vagas, sendo 500 para cada corporação. 
Segundo Jungmann, as seleções vêm com o objetivo de dobrar o contingente de policiais federais em postos de fronteira, além de reforçar o combate aos crimes de corrupção, principais fatores que desencadearam a criação do novo Ministério de Segurança Pública.
Em paralelo, diversos órgãos estaduais também já se movimentam para lançar novos editais. Ao todo, eles devem preencher 15.932 vagas de níveis médio e superior.
Confira a relação completa de órgãos policiais que pretender abrir novos concursos em 2018:

Concurso PRF

A expectativa é de que, na PRF, as oportunidades sejam todas para a função de policial rodoviário, que admite formação de nível superior em qualquer área e, atualmente, oferece salário de R$ 9,9 mil – um reajuste programado para janeiro de 2019 o aumentará para R$ 10,3 mil. Saiba mais sobre o concurso.

Concurso PF

Já na PF, as ofertas devem ser divididas entre as carreiras de agente policial, perito médico, todos com exigência de nível superior (para agente, em qualquer área; para perito, em áreas específicas; e, para, delegado, em direito). Os vencimentos, neste caso, são de R$ 12,4 mil para agente e de R$ 23,1 mil para delegado - em janeiro de 2019, eles serão elevados para R$ 12,9 mil e R$ 24,1 mil, respectivamente. Saiba mais sobre o concurso.

Concurso Polícia Civil/SP


O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, autorizou concurso com 2.750 vagas para a Polícia Civil, sendo 1.100 para cargos com exigência de ensino médio e 1.650 para carreiras com necessidade de nível superior. Remunerações chegam a R$ 10.142,55. Saiba mais detalhes aqui.

Concurso Polícia Civil/MG


Já foi autorizado um processo seletivo para o preenchimento de 119 chances no cargo de escrivão de polícia. Exigência de ensino superior completo em qualquer área e salário de R$ 4.098,43 para jornadas de 40 horas semanais. O próximo passo é a constituição da comissão organizadora. Saiba mais detalhes aqui.

Concurso Polícia Civil/DF


É grande a expectativa para que seja realizada a seleção da Polícia Civil do Distrito Federal com 2.100 postos distribuídos em diversos cargos, ainda não revelados. Saiba mais detalhes aqui.

Concurso Polícia Civil/GO


O governador Marconi Perillo autorizou concurso para o preenchimento de 650 oportunidades. Um total de 100 ofertas será para a carreira de delegado e o restante distribuído entre as funções de agente e escrivão. Para concorrer será necessário possuir formação superior completa. Saiba mais detalhes aqui.

Concurso Polícia Militar/MS


Foi formada a comissão do concurso da PM do Mato Grosso do Sul com 500 oportunidades. Todas as chances serão para o cargo de soldado, que necessita de ensino médio. Saiba mais detalhes aqui.

Concurso Polícia Civil/RN


No decorrer das próximas semanas deve ser definida a banca organizadora do concurso da Polícia Civil do Rio Grande do Norte. A seleção terá 157 ofertas, sendo 29 para a carreira de delegado de polícia, 17 para escrivão e 111 para agente. Todos os empregos são para quem possui curso superior. Saiba mais detalhes aqui.

Concurso Polícia Civil/AM


Deve ser publicado até dezembro o edital do concurso da Polícia Civil do Amazonas, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública. Ao todo, serão abertos 2.394 postos em diversos cargos. Saiba mais detalhes aqui.

Concurso Polícia Militar/AM


Também no Amazonas, a Polícia Militar se prepara para realizar seleção para o preenchimento de 5.865 vagas. As chances serão para as colocações de soldado (ensino médio) e oficial (médio ou superior, de acordo com a especialidade). Saiba mais detalhes aqui.

Concurso Polícia Civil/PA


O próximo concurso público da Polícia Civil do Pará visará a selecionar 11 profissionais nos cargos de técnico em gestão pública - assistente social (9), técnico em gestão pública - contador (1) e técnico em gestão de informática - engenharia de sistemas (1). Todas as funções são de nível superior e apresentam inicial de R$ 2.727,54. No momento, o órgão está em fase de licitação para escolha da organizadora. Saiba mais detalhes aqui.

Concurso Polícia Civil/RR


Está previsto para ser lançado nos próximos dias o edital da Polícia Civil de Roraima com 330 vagas. Todas as oportunidades serão para a carreira de policial e estarão distribuídas de forma regionalizada. Saiba mais detalhes aqui.

Concurso Polícia Civil/PR


O edital com 776 oportunidades da Polícia Civil do Paraná deve ficar para 2018. Todas as vagas destinam-se ao emprego de investigador de polícia, que exige curso superior em qualquer área de atuação. Saiba mais detalhes aqui.

Concurso Polícia Militar/ES


O governador do Espírito Santo (PM/ES), Paulo Hartung, autorizou concurso para a Polícia Militar com o intuito de preencher 310 chances, sendo 290 para nível médio e 20 para formação superior. As ofertas são para as carreiras de soldado e oficial, cujos salários chegam a R$ 6.971,84. Saiba mais detalhes aqui.

CURSOS SEGURANÇA PÚBLICA
Continuar lendo

Atualizado: 05/03/2018 - 11:36

PC/MG: autorizado concurso para 119 vagas

Para concorrer ao cargo é necessário possuir formação de nível superior em qualquer área, com remuneração inicial de R$ 4 mil

Escrivão de polícia

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

A Polícia Civil de Minas Gerais (PC/MG) confirmou que recebeu, no último dia 2 de março, da Câmara de Orçamento e Finanças (COF), autorização para realizar seu novo concurso público para o cargo de escrivão de polícia. Ao todo serão oferecidas 119 vagas e para concorrer é necessário possuir formação de nível superior em qualquer área. A remuneração inicial da categoria é de R$ 4.098,43, para jornada de 40 horas semanais. Além disso, os aprovados contarão com benefícios, como auxílio-alimentação. A expectativa é de que o edital de abertura de inscrições seja publicado ainda no primeiro semestre.

De acordo com publicação oficial da corporação, os trâmites necessários para a publicação devem ser iniciados o mais breve possível. De acordo com o chefe da Polícia Civil, delegado-geral João Octacílio Silva Neto, “este é um ganho não só para a instituição como também para a sociedade mineira. Estamos tendo grandes avanços na PC/MG, inclusive na ampliação em nosso quadro de pessoal. Sabemos das dificuldades financeiras do estado, mas o governo de Minas está efetivamente investindo na segurança pública”, disse.


Atribuições

Cabe ao servidor do cargo prestar serviços em condições adversas de segurança, com risco de vida, cumprindo horários normais e irregulares, sujeitos a plantões noturnos e chamados a qualquer hora do dia, para realizar diligências policiais   

Seleção Anterior

O último concurso para o cargo ocorreu em 2011, quando foram oferecidas 205 vagas.  A banca organizadora foi a Fundação Mariana Resende Costa (Fumarc).

A seleção foi composta de provas objetivas, prova de digitação, avaliação psicológica, exames biomédicos e biofísicos, investigação social e curso de formação policial.

A parte objetiva contou com 60 questões, sendo dez de língua portuguesa, cinco de direito humanos, dez de noções de direito, cinco de noções básicas  de medicina legal, dez de história, dez de geografia e dez de noções de informática.     
Continuar lendo

Atualizado: 01/03/2018 - 13:21

Assembleia/GO: novo concurso sai ainda este mês

Previsão é de que o concurso Alego tenha 57 oportunidades imediatas distribuídas em carreiras de diversos níveis de escolaridade

Para vários cargos

Por JCConcursos - Camila Diodato e Fernando Cezar Alves

A Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) reafirmou, na última quarta-feira, 28 de fevereiro, compromisso com o Ministério Público do Estado (MP/GO) de que publicará o edital do seu novo concurso público até o próximo dia 31 de março. Além disso, o novo acordo amplia a oferta de vagas no certame, de 47 para 57 oportunidades. Inicialmente, o  Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o MP/GO havia sido assinado em 18 de outubro,  para a realização do certame  até 31 de março, data reforçada pelo novo acordo.



Mais detalhes sobre o concurso Alego


O acordo entre a Alego e o MP/GO foi feito por conta de um inquérito civil público em que foi constatado que o órgão tinha irregularidades com o excesso de servidores comissionados em detrimento dos efetivos.
Pelo TAC, o concurso da Assembleia Legislativa de Goiás teria 47 vagas, sendo duas para assistente social, uma para cirurgião-dentista, uma para comunicador social, duas para farmacêutico bioquímico, seis para médico, uma para eletricista de instalação, três para técnico em aparelhos e máquinas, três para técnico em laboratório e análises clínicas, 11 para polícia legislativa, cinco para auxiliar administrativo, oito para auxiliar de serviços de saúde e quatro para motorista. São chances para diversos níveis de escolaridade.

Agora foram incluídas mais dez vagas, sendo duas para analista legislativo - médico do trabalho, duas para analista legislativo - enfermeiro do trabalho, duas para analista legislativo - fisioterapeuta, duas para assistente legislativo - técnico em segurança do trabalho e duas para assistente legislativo - técnico em enfermagem do trabalho.
Outro detalhe presente no termo é que o concurso Alego deverá ter pelo menos 30% dos aprovados, dentro do número de vagas, nomeados em até 60 dias após a homologação do certame.

Último concurso da Assembleia Legislativa de Goiás


Em 2015, o órgão lançou seleção com 76 vagas distribuídas entre diversas carreiras com exigência de níveis médio e superior. A banca organizadora foi o Centro de Seleção da Universidade Federal de Goiás (UFG).
Candidatos com ensino médio estavam aptos para assistente administrativo (31), assistente de suporte em TI (4), operador técnico (1), programador de computador (5), técnico em gravação e som (1) e técnico em processamento de dados e telecomunicações (5).
Diploma de formação superior foi requisito para analistas de dados (4), redes e comunicação de dados (4) e de sistema (4); comunicador social (2), contador (1), pesquisador legislativo (6), programador visual (2), revisor taquígrafo (2) e taquígrafo (4).
A seleção aconteceu por meio de provas objetivas, redação, testes práticos e análise de títulos, de acordo com a função pretendida.
Continuar lendo

Atualizado: 01/03/2018 - 12:39

Polícia Civil/GO: formada comissão do concurso

A autorização do concurso para a Polícia Civil de Goiás contempla oportunidades para os cargos de delegado, agente e escrivão. Exigência de nível superior completo

650 vagas

Por JCConcursos - Camila Diodato e Fernando Cezar Alves

A Polícia Civil de Goiás divulgou, nesta quinta-feira, 1º de março, por meio de publicação em diário oficial, os nomes dos membros da comissão organizadora do seu novo concurso público, que contará com uma oferta de  650 oportunidades. No começo do mês,  o órgão já havia divulgado, por meio de uma postagem na rede social, que já foi definida a banca organizadora.
Na publicação feita no Instagram, a instituição estadual revelou que a empresa selecionada foi a UEG (Universidade Estadual de Goiás). O próximo passo será a assinatura do contrato de prestação de serviços para que finalmente seja publicado o edital.

A comissão, constituída nesta quinta-feira, é presidida pela superintendente de escola de governo Liliane Morais Batista de Sá, tendo como vice-presidente o delegado Gustavo Carlos Ferreira. A comissão conta, ainda, com o coordenador técnico João Francisco Alves; os delegados Eraldo José Augusto, Tatyane Gonçalves Cruvinel e Gustavo José Borges de Araujo; o escrivão Marcelo Aires Medeiros e os servidores da gerência de recrutamento e seleção do governo Dogmar Mendes Rocha de Souza e Daniel Soares Porto.
Vale lembrar que a autorização deste certame foi liberada no dia 31 de outubro do ano passado pelo governador de Goiás, Marconi Perillo, durante a solenidade de formatura de 400 policiais civis.
No aval concedido pelo governador consta que o concurso da Polícia Civil/GO 2018 terá 100 vagas para a carreira de delegado e 550 distribuídas entre as funções de agente e escrivão. 
Todos os cargos liberados são destinados a profissionais com ensino superior completo em diversas áreas de atuação - vale ressaltar que para delegado será exigido bacharelado em direito.

Atribuições dos cargos do concurso da Polícia Civil/GO 2018


Agente - Efetuar diligências a fim de prender criminosos; apreender objetos furtados e localizar pessoas; fazer investigações, realizar rondas noturnas e diurnas; policiar zonas impróprias para menores; dar plantão; seguir elementos suspeitos da prática de infração penal; fazer coletas de informações; prender infratores em flagrante ou em virtude de mandado da autoridade competente; conduzir pessoas à presença da autoridade de polícia judiciária, quando necessário ao esclarecimento de fatos delituosos; elaborar relatório das investigações realizadas; entre outras atividades.
Escrivão - Reduzir a termos ocorrências, declarações e depoimentos; expedir intimações, citações e notificações; redigir portarias, ofícios, mandados, termos, autos, ordens de serviço, editais, circulares, boletins, etc.; preencher guias para identificação, recolhimento e soltura de presos; protocolar ofícios, requerimentos e representações; catalogar e arquivar em pastas próprias todos os documentos relativos ao serviço; organizar os livros de cargas e descargas de remessa de autos, de conclusões de inquéritos e de ofícios, documentos e demais papeis dos cartórios policiais; entre outras atividades.
Delegado - instaurar e presidir, com exclusividade, inquéritos policiais, termos circunstanciados de ocorrência e outros procedimentos policiais legais para a apuração de infração penal ou ato infracional; exercer atribuições previstas na legislação processual penal de competência da autoridade policial; dirigir, coordenar, supervisionar e fiscalizar as atividades logísticas e finalísticas da unidade sob sua direção; determinar intimações e, em caso de não comparecimento injustificado, condução coercitiva; requisitar a realização de exames periciais e complementares, destinados a colher e resguardar indícios ou provas da ocorrência de infrações penais ou de quaisquer outros exames que julgar imprescindíveis à elucidação do fato investigado; entre outras atividades.

Último concurso da Polícia Civil/GO


Em 2016, a Polícia Civil de Goiás lançou dois editais de concurso: um com 36 vagas para delegado e o outro 280 chances para agente e 220 para escrivão.
A banca organizadora, na ocasião, foi o Cespe/UnB e a triagem constou de provas objetivas, provas discursivas, avaliação médica, teste de aptidão física, exame psicotécnico, avaliação de vida pregressa e investigação social, curso de formação profissional, análise de títulos e/ou prova prática de digitação, dependendo da função.
Continuar lendo

Atualizado: 01/03/2018 - 11:37

Governo autoriza concursos de 1.000 vagas na PRF e PF

Novos concursos foram anunciados na última quarta-feira (28) em entrevista coletiva, pelo ministro de Segurança Pública, Raul Jungmann, Editais nos próximos meses

Iniciais de até R$ 23,1 mil

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

Ótima notícia para quem pretende ingressar na área de segurança pública federal. Em entrevista coletiva na última quarta-feira, 28 de fevereiro, o ministro da Segurança Pública, pasta recém-criada pelo governo, Raul Jungmann, confirmou a autorização de novos concursos públicos para a área, em um total de 1.000 vagas, sendo 500 para a Polícia Federal (PF) e 500 para a Polícia Rodoviária Federal (PRF), ambos para ocorrer ainda em 2018. “Considerando a necessidade e urgência de reforçar recursos humanos, especialmente na Polícia Federal e na Polícia Rodoviária Federal, estamos autorizados a realizar novos concursos 2018, com 500 novos agentes para a Polícia Federal e 500 novos agentes na Polícia Rodoviária Federal”, disse o ministro. “Entramos em contato com o ministro do Planejamento (Dyogo Oliveira) e ficou definido que teremos zero contingenciamento dos recursos do Ministério Extraordinário de Segurança Pública este ano”, disse. O próximo passo é a publicação em diário oficial, oficializando a autorização dos certames.
A liberação dos concursos está relacionada ao principal objetivo do novo ministério, criado por medida provisória na última terça (27). No entendimento do governo, a pasta será responsável por coordenar e promover o combate à criminalidade em parceria com os estados.  Jungmann responderá pelo comando da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Força Nacional e Pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), antes vinculado ao Ministério da Justiça.
De acordo com o ministro, o orçamento para 2018 será de R$ 2,7 bilhões, uma vez que não haverá contingenciamento das verbas do órgão, conforme decidido após reunião com o Ministério do Planejamento.  
CURSO CONCURSO PF 2018 - AGENTECURSO CONCURSO PF 2018 - DELEGADOCURSO CONCURSO PF 2018 - ESCRIVÃOCURSO CONCURSO PF 2018 - PERITO
Embora o ministro reconheça que o total de vagas não será suficiente para suprir as defasagens das corporações, ressalta que a realização dos concursos é imprescindível para garantir os serviços prestados. “Precisamos de muito mais, mas já é um bom início, já que, há anos, não tínhamos a possibilidade de contar com reforços tanto em uma quanto em outra”, disse.
Um dos objetivos, segundo Jungmann, é duplicar o contingente de policiais federais em postos de fronteira, além de reforçar o combate aos crimes de corrupção.
No caso da Polícia Rodoviária Federal, a expectativa é de que todas as 500 vagas sejam para o cargo de policial rodoviário, uma vez que já tramitava no Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPGD) pedido de autorização para 2.778 postos. 
APOSTILA CONCURSO PRF - POLICIAL RODOVIÁRIO FEDERALCURSO CONCURSO PRF - POLICIAL RODOVIÁRIO FEDERAL
Para concorrer ao cargo é necessário possuir formação de nível superior em qualquer área de formação, além de carteira de habilitação a partir da categoria “B”. A remuneração inicial do cargo é de R$ 9.931,57, já considerando o auxílio-alimentação de R$ 458. Além disso, em decorrência da lei 13.371, de 2016, os servidores contarão com novo reajuste em janeiro de 2019, quando o inicial passará a ser de R$ 10.357,88, também com o benefício.
Veja mais informações sobre este concurso clicando aqui.
No caso da Polícia Federal (PF),  a tendência é de que a nova seleção seja para os cargos de agente, delegado e perito. Porém a distribuição das 500 vagas pelos cargos ainda será confirmada. Também havia a intenção de oferecer postos para a carreira de escrivão. Porém, em 18 de janeiro, o então diretor-geral da PF, Fernando Segóvia, havia antecipado que o presidente Michel Temer havia garantido o aval para o certame. Porém, sem as oportunidades de escrivão.
CURSO CONCURSO PF 2018 - AGENTE
Para concorrer ao cargo de agente é necessário possuir nível superior em qualquer área. Para perito, nível superior em áreas específicas e para delegado, nível superior em direito. Para todos os cargos, os aprovados deverão possuir carteira de habilitação a partir da categoria “B”, quando da posse.
A remuneração inicial dos agentes é de R$ 12.441,26, já considerando o auxílio-alimentação de R$ 458. Além disso, a carreira contará com reajuste em janeiro de 2019, subindo para R$ 12.980,50.
Para perito e delegado, o inicial atualmente é de R$ 23.130,48, mas também contará com reajuste em janeiro de 2019, quando passará a ser de R$ 24.150,74.Para todos os cargos, a jornada de trabalho é de 40 horas semanais.
Saiba mais informações sobre este concurso, clicando aqui.
Normalmente, a lotação é feita preferencialmente nos postos de fronteira e nos estados do Acre, Amapá,  Amazonas, Mato Grosso , Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia e Roraima, permitindo a remoção de pessoal nestas localidades. Obedecidas estas condições, o preenchimento pode ser feito em todos os estados, de acordo com as necessidades
Continuar lendo

Atualizado: 01/03/2018 - 10:01

Concurso Brigada Militar/RS: último dia para inscrição

Com salário de R$ 11,6 mil, carreira de capitão é destinada aos quadros de Polícia Ostensiva e do Corpo de Bombeiros. Prazo termina às 18h desta quinta-feira (1)

250 vagas

Por JCConcursos - Samuel Peressin

A Brigada Militar do Rio Grande do Sul encerra às 18h desta quinta-feira (1) as inscrições para os dois editais do concurso destinado a preencher 250 vagas de capitão nos quadros de Polícia Ostensiva (200 postos) e do Corpo de Bombeiros (50). O salário inicial é de R$ 11.620,55.
Os candidatos devem possuir bacharelado em ciências jurídicas e sociais, idade máxima de 29 anos (até o último dia de inscrição), altura mínima de 1,60m (mulheres) e 1,65 (homens) e Carteira Nacional de Habilitação (CNH) categoria "B" ou superior, entre outros requisitos.
As inscrições para o concurso da Brigada Militar/RS e do Corpo de Bombeiros devem ser registradas por meio do site www.fundacaolasalle.org.br. O valor da taxa é de R$ 187,77.

Sobre as provas do concurso da Brigada Militar/RS e do Corpo de Bombeiros/RS


O concurso da Brigada Militar/RS e dos Bombeiros/RS envolverá cinco fases. Na primeira delas, os candidatos farão exame intelectual composto por provas objetiva e discursiva, ambas em 15 de abril, na capital, e análise de títulos, cujos documentos serão recebidos pela banca durante o período de inscrição
O conteúdo programático engloba língua portuguesa, legislação aplicada à função e conhecimentos em direito administrativo, civil, constitucional, da criança e do adolescente, internacional e direitos humanos, penal, processual penal, penal militar e processual penal militar. 
Nas demais etapas, haverá exame de saúde, teste físico, avaliação psicológica e prova oral, em datas a serem definidas. Os aprovados em todas as fases realizarão curso de formação com duração de até dois anos, nas academias de Polícia Militar e de Bombeiro Militar, em Porto Alegre.
Durante o treinamento, os alunos-oficiais receberão bolsa auxílio, indenização de fardamento e assistência à saúde, psicológica e odontológica.
O concurso da Brigada Militar e do Corpo de Bombeiros do Rio Grande do Sul terá validade de dois anos, prorrogável por mais dois, a critério da Secretaria de Segurança Pública, de acordo com os editais.

Concurso Brigada Militar/RS 2018: atribuições do capitão de Polícia Ostensiva


1. Exercer a polícia ostensiva e a preservação da ordem pública, através do planejamento, controle, supervisão, fiscalização, apoio e execução de ações e operações policiais; 2.1.2.2 Exercer a polícia ostensiva e a preservação da ordem pública, através do planejamento, controle, supervisão, fiscalização, apoio e execução dos mandamentos da Lei Federal nº 9.099, de 26 de setembro de 1995; 2.1.2.3 Exercer a gestão de recursos humanos, logísticos, financeiros e operacionais; 2.1.2.4 Ordenar despesa pública; 2.1.2.5 Exercer a gestão e execução das atividades docentes de ensino, instrução e treinamento nos cursos de formação, habilitação, especialização e de qualificação anual; 2.1.2.6 Exercer a Polícia Judiciária Militar através da presidência de Inquéritos Policiais Militares e de autos de prisão em flagrante delito de crime militar; 2.1.2.7 Exercer a apuração de infrações administrativas através da presidência de inquéritos técnicos, de sindicâncias e de procedimentos administrativos disciplinares; 2.1.2.8 Exercer a presidência de conselhos de justificação e de disciplina; 2.1.2.9 Exercer a magistratura militar na forma da legislação vigente; 2.1.2.10 Realizar a expedição, fiscalização e homologação de documentos públicos de sua competência; 2.1.2.11 Adotar as providências legais e administrativas quando da constatação de atos ilícitos ou de indícios de sua ocorrência;

Principais atribuições do capitão do Corpo de Bombeiros/RS


1. Desenvolver atividades administrativas em nível tático e operacional de Bombeiro Militar; 2.1.2.2 Exercer funções de assessoramento e de comando de companhias de Bombeiro Militar; 2.1.2.3 Exercer Funções de assessoramento e de comando de companhias de bombeiro militar, em espaço geográfico atribuído a um grupamento de bombeiros execução dos mandamentos da Lei Federal nº 9.099, de 26 de setembro de 1995; 2.1.2.4 Administrar recursos humanos, materiais e financeiros; 2.1.2.5 Administrar e coordenar atividades de emergência e de combate a incêndio; 2.1.2.6 Estabelecer parcerias com instituições afins e assessorar o comando em atividades operacionais e administrativas; 2.1.2.7 Exercer as atividades de Polícia Judiciária Militar no âmbito de sua competência; 2.1.2.8 Planejar, estudar, analisar, vistoriar, controlar, fiscalizar, aprovar, notificar e interditar atividades, equipamentos, projetos e planos de proteção e prevenção contra incêndios, Pânicos, Desastres e catástrofes em todas as edificações, instalações, veículos, embarcações e outras atividades que ponham em risco a vida, o meio ambiente e o patrimônio, aplicando a legislação específica, respeitada a competência de outros órgãos; 2.1.2.9 Realizar a investigação de incêndios e de sinistros, respeitadas as competências de outros órgãos; 2.1.2.10 Elaborar, emitir e homologar instruções resoluções relatórios, pareceres e normas técnicas para disciplinar a segurança, a proteção e a prevenção contra incêndios e sinistros e a proteção e defesa civil; 2.1.2.11 Credenciar, fiscalizar e regulamentar o funcionamento dos serviços civis auxiliares de bombeiros; 2.1.2.12 Credenciar e Fiscalizar as Escolas, as Empresas e os cursos de formação de bombeiros civis e aplicar as penalidades previstas em lei; 2.1.2.13 Credenciar e fiscalizar o funcionamento de campos de treinamento de combate a incêndios e fixar o currículo dos cursos de formação dos serviços civis auxiliares de bombeiros; 2.1.2.14 Orientar, coordenar e controlar, mediante supervisão diária das rotinas e tarefas, de modo a assegurar o atingimento das metas operacionais estabelecidas; 2.1.2.15 Estruturar, organizar o funcionamento dos serviços e rotinas de cada um dos subsistemas diretamente subordinados; 2.1.2.16 Executar as diretrizes fixadas pelo escalão imediatamente superior; 2.1.2.17 Orientar o desenvolvimento das políticas de gestão definidas para a aplicação nas atividades desenvolvidas, no âmbito de responsabilidades dos níveis organizacionais subordinados; entre outras atividades. 

Conteúdo programático de língua portuguesa para o concurso da Brigada Militar/RS 2018


Análise global do texto. Ortografia. Relações entre fonemas e grafias. Acentuação gráfica. Morfologia: estrutura e formação de palavras. Classes de palavras e seu emprego. Flexões: gênero, número e grau do substantivo e adjetivo. Sintaxe: processos de coordenação e subordinação. Equivalência e transformação de estruturas. Discurso direto e indireto. Concordância nominal e verbal. Regência verbal e nominal. Crase. Pontuação. Interpretação de textos: variedade de textos e adequação de linguagem. Estruturação do texto e dos parágrafos. Informações literais e inferências. Estruturação do texto: recursos de coesão. Significação contextual de palavras e expressões.Bibliografia Sugerida: BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2015. CEGALLA, Domingos Paschoal. Novíssima gramática da língua portuguesa - Novo acordo ortográfico. São Paulo: Nacional, 2009. NOUGUÉ, Carlos. Suma gramatical da língua portuguesa: Gramática geral e avançada. São Paulo: É Realizações, 2015. KOCH, I. Villaça; ELIAS, Vanda Maria. Ler e compreender: os sentidos do texto. São Paulo: Contexto, 2006.
Continuar lendo

Shopping