Governo federal perde 24 mil servidores em 2019

Estudos apontam a possibilidade de congelamento de concursos federais até 2030, com o objetivo de diminuir pela metade o total de servidores da União

Fernando Cezar Alves | fernando@jcconcursos.com.br
Publicado em 04/12/2019, às 10h47 - Atualizado às 15h03

Secretário de gestão e Desempenho de Pessoal do Ministério da Economia, Wagner Lenhart
Divulgação ME

De acordo com levantamento divulgado pelo jornal O Globo, o governo chegará ao final de 2019 com o menor número de contratação de servidores públicos em 20 anos. Segundo os dados divulgados pelo jornal, com base em informações do Ministério da Economia, na última terça-feira, 3 de dezembro, até outubro foram contratados 9.784 servidores, condição que contrasta, em sentido oposto, com o aumento de pedidos de aposentadoria registrados no ano, em decorrência da reforma da previdência. Com isto, segundo o levantamento, o saldo anual registrou um total de 24.000 mil servidores a menos em 2019. Apenas nos primeiros meses de 2019, 33.848 servidores pediram o direito de aposentadorias

Os resultados são consequência da política de enxugamento do setor público orquestrado pelo ministro da economia, Paulo Guedes. De acordo com a publicação, a expectativa é de que o governo feche o ano com um total de, no máximo, 613 mil servidores, o que corresponde a um menor quantitativo de ingressos desde 2001. De acordo com o governo, a baixa reposição é importante para racionalizar gastos com pessoal. Porém, entidades ligadas aos servidores ressaltam que a medida compromete os serviços prestados à população.

Em 2018, o total de nomeados no governo federal foi de 13.360. Segundo o secretário de gestão e Desempenho de Pessoal do Ministério da Economia, Wagner Lenhart, o plano é apostar em digitalização de serviços, remanejamentos, reformulação de carreiras e terceirização, com a contratação de mais funcionários temporários, para conter o peso da folha nas contas públicas.

Recentemente, a Instituição Fiscal Independente (IFI), ligada ao Senado, projetou que o governo pode reduzir pela metade o total de servidores ativos, para 383 mil, se não repuser nenhum aposentado até 2030.

A maior quantidade de perda de pessoal em 2019 foi no INSS. Até o início de dezembro, o órgão perdeu 6.006 servidores, com apenas 3 contratações no ano. O total de baixas no INSS corresponde a 20% de todas as saídas no funcionalismo no ano. O quadro de servidores da autarquia caiu, em um ano, de 29 mil para 23 mil.

 

concursosconcursos df (distrito federal)concursos 2019provas anteriores

Comentários

Mais Lidas