Taxa de desemprego atinge 14,8 milhões de brasileiros, revela IBGE

A taxa de desemprego divulgada pelo IBGE ficou em 14,6% no trimestre móvel encerrado em maio de 2021. Veja os números

Douglas Terenciano | douglas@jcconcursos.com.br
Publicado em 30/07/2021, às 10h58 - Atualizado às 11h04

taxa de desemprego
Freepik

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta sexta-feira, 30, a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), apontando que a taxa de desemprego ficou em 14,6% no trimestre móvel encerrado em maio de 2021. Isso corresponde a 14,8 milhões de pessoas buscando um trabalho no país.

Ainda de acordo com o IBGE, essa taxa é a segunda maior da série histórica, iniciada em 2012 pelo órgão. A taxa de desemprego recorde (14,7%) foi registrada nos dois trimestres imediatamente anteriores, fechados em março e abril. Além disso, a renda média real do trabalhador foi de R$ 2.547 no trimestre encerrado em maio. O resultado representa queda de 3,2% em relação a igual período do ano anterior.

O Brasil tinha 14,795 milhões de desempregados no trimestre encerrado em maio. A população inativa somou 75,803 milhões de pessoas no período, sendo 628 mil a menos que no trimestre móvel anterior. Em relação ao mesmo período de 2020, a população inativa aumentou em 840 milhão de pessoas, com alta de 1,1%.

Com os empregos CLT em baixa, a taxa de informalidade foi de 40,0% no trimestre até em maio, o que equivale a 34,7 milhões de pessoas. No trimestre anterior, a taxa foi de 39,6%, com 34,0 milhões de informais. Este dado represanta os trabalhadores sem carteira assinada (setor privado ou trabalhadores domésticos), sem CNPJ (empregadores ou empregados por conta própria) ou trabalhadores sem remuneração.

E o Ministério da Economia?

Na última quinta, 29, o Ministério da Economia divulgou as Estatísticas Mensais do Emprego Formal, o Novo Caged. O Brasil gerou 309.114 postos de trabalho em junho deste ano, resultado de 1.601.001 admissões e de 1.291.887 desligamentos de empregos com carteira assinada. No acumulado de 2021, o saldo positivo é de 1.536.717 novos trabalhadores no mercado formal.

O estoque de empregos formais no país, que é a quantidade total de vínculos celetistas ativos, chegou a 40.899.685, em junho, o que representa uma variação de 0,76% em relação ao mês anterior.

empregos

Comentários

Mais Lidas