Tudo Sobre

Concurso Profissões e Cursos

Biblioteconomia

Conheça mais sobre está profissão.



Redação
Publicado em 17/11/2008, às 11h51

Muitos acreditam que a sua função seja simplesmente a de um organizador de livros em bibliotecas. Mas se engana quem pensa apenas isto. O Bibliotecário, também chamado de profissional da informação, vai muito além desta atividade. Seu principal papel é oferecer à sociedade o acesso à informação, desenvolvido por meio de técnicas e serviços que possam simplificar a busca e a recuperação de dados.


Segundo o professor e chefe do Departamento de Biblioteconomia e Documentação da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), Waldomiro Vergueiro, este serviço pode concretizar-se de diversas formas. “A mais tradicional é pela organização e atuação em bibliotecas de todos os tipos, que vai desde a seleção do material, aquisição, disposição e processamento do acervo, até o atendimento aos usuários e ao próprio serviço de organização e administração desse espaço. As formas mais avançadas dizem respeito à identificação, organização e fornecimento de informações que não estão disponíveis de forma física, ou seja, em livros, revistas ou outros tipos de publicações impressas, mas de forma digital”, explica Vergueiro.


Elenise Maria de Araújo, Bibliotecária há 17 anos, afirma que este profissional é capacitado para gerenciar e promover a disseminação de bancos e bases de dados constituídas de todo tipo de material bibliográfico, iconográfico, multimídia ou sites da internet e/ou sistemas automatizados.

Com o aumento e a variedade dos meios tecnológicos e as novas demandas das organizações e da sociedade, o Bibliotecário se caracteriza como um profissional que deve fazer o uso de tecnologias da informação, de modo que possa localizar a informação correta para o usuário no momento em que ele precisar dela.


Áreas de atuação


O Bibliotecário tem um universo amplo de atuação. No setor público, pode estar presente em bibliotecas públicas, escolares, universitárias, órgãos públicos, arquivos públicos, museus, centros de documentação, centros culturais etc. No privado, encontra oportunidades em bibliotecas universitárias, empresas ou indústrias e em outros segmentos econômicos. Também podem trabalhar como profissionais liberais, realizando consultorias ou prestando serviços. Enfim, “ele pode atuar em qualquer lugar que necessite de informação”, diz o professor.


Outro campo promissor para este profissional são as áreas ligadas à Tecnologia da Informação e ao ambiente de negócios. Segundo Elenise, com a explosão da internet, os Bibliotecários também podem atuar na construção de sistemas mais potentes baseados em websemântica e/ou associações de classe. “Este profissional deve estar presente em todos os setores produtivos, acadêmicos e científicos, pois ele trata e dissemina as informações de forma organizada e de acordo com as necessidades do setor”, esclarece a Bibliotecária.

Mercado de trabalho


De acordo com o professor da USP, o mercado está em crescimento. “Isto ocorre, principalmente, nos segmentos menos tradicionais, nos quais se exige uma postura mais agressiva dos profissionais”, explica Vergueiro.

Hoje é grande o número de informações disponíveis, principalmente nos meios online, devido a esta demanda, muitas empresas precisam destes profissionais capacitados e especialistas para fazer a intermediação e a filtragem das informações, deixando disponível apenas o que é útil.

Elenise é muito categórica ao afirmar que o mercado é promissor: “Essa é a profissão do futuro. Acreditem. A sociedade não sobrevive mais sem pessoas que organizem a informação no sentido de torná-la recuperável e útil a qualquer momento, para qualquer pessoa”.

Remuneração


Para quem deseja ingressar nesta área, vale saber que o Sindicato dos Bibliotecários estabelece pisos salariais que variam entre R$ 1.570 e R$ 1.720. Entretanto, segundo o professor Vergueiro, não existem limites para a remuneração máxima, pois tudo depende do bom desempenho do profissional.


No caso da USP, um Bibliotecário iniciante recebe em torno de R$ 1,2 mil, com possibilidade de ascensão e aumento de salário ao longo do tempo. Já o poder judiciário oferece duas vezes o salário inicial da USP, enquanto que, na iniciativa privada, os valores variam muito.


Perfil


Se você tem disposição para a prestação de serviços, gosta de lidar com pessoas e está disposto a ajudá-las na busca de informações, é pró-ativo, quer atuar com tecnologias da informação, deseja trabalhar em equipes multidisciplinares, possui conhecimentos de administração e organização e tem capacidade de negociação, pode considerar-se um excelente candidato preparado para ser um profissional da informação, mais precisamente um Bibliotecário.

“O Bibliotecário não pode mais organizar o acervo e ficar esperando que o usuário venha até ele em busca da informação. O profissional que deve ir até o usuário, vê-lo como alguém único, com necessidades especiais de informação”, diz Vergueiro.

Curso


Em São Paulo é possível encontrar o curso de Biblioteconomia na Universidade de São Paulo (USP), em São Paulo e Ribeirão Preto; na Universidade Estadual Paulista (UNESP), em Marília; na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar); na Universidade Integrada do Ipiranga, em São Paulo; na Faculdade Teresa d´Ávila, em Santo André e Lorena; na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC), em Campinas; e na Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP).


No caso da USP, o curso tem duração de quatro anos. Após o seu término, o estudante deverá entregar individualmente uma monografia ou um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). O estudante também deverá realizar estágio, pois é obrigatório para a conclusão do curso.

Quanto às disciplinas, elas podem ser chamadas como blocos temáticos ou áreas e são as seguintes:

• Geração e uso da informação: elas trabalham com as fontes de informação existentes, tanto impressas quanto eletrônicas e digitais, bem como o atendimento aos usuários;

• Administração de serviços de informação: disciplina relacionada à administração e organização de serviços da informação, enfocando aspectos teóricos como as principais teorias de administração e sua aplicação no ambiente de informação, e com aplicações práticas, consolidada em um projeto experimental;

• Análise Documentária: esta engloba disciplinas relacionadas com o tratamento da informação, enfocando a organização de tesauros, classificação, formas de representação ou descrição física dos diversos documentos etc.;

• Informática Documentária: em que o impacto das tecnologias de informação  é analisado e aplicado ao ambiente documentário; e

• Ação e Mediação Cultural: analisam o papel da informação na sociedade e sua relação com as manifestações culturais.
Segundo o professor Waldomiro, em geral, encontram-se estruturas similares nas outras universidades.

Dicas


O Bibliotecário tem muito a oferecer à sociedade. No entanto, sem atualização de seu conhecimento esse serviço pode tornar-se ineficaz. Por isso, não se acomode, é preciso manter-se atualizado, seja por meio da participação em congressos, simpósios, palestras ou cursos de aperfeiçoamento e até mesmo cursar uma pós-gradução (lato sensu ou stricto sensu). “O segredo é não estacionar, para não morrer profissionalmente”, finaliza Vergueiro. 


Patricia Magalhães/SP








+ Resumo do Concurso Profissões e Cursos

Profissões e Cursos
Vagas: Não definido
Taxa de inscrição: Não definido
Cargos: Não definido
Áreas de Atuação: Não definido
Escolaridade: Não definido
Faixa de salário:
Organizadora: O próprio órgão

+ Agenda do Concurso

17/11/2009 Divulgação do Resultado Adicionar no Google Agenda

Comentários

Mais Lidas