Concurso AFT 2021 Previsto

Orgão: MTE - Ministério do Trabalho e Emprego
Nº vagas: 1524
Taxa de inscrição: Não definido
Cargos: Auditor Fiscal
Áreas de Atuação: Fiscal
Escolaridade: Ensino Superior
Faixa de salário: De R$ 21029,00

Publicado em 19/11/2020, às 11h44 - Atualizado às 14h30


O concurso AFT 2021 (Auditor Fiscal do Trabalho)  aguarda aval por parte do Ministério da Economia para preenchimento de nada menos do que 1.524 vagas. Para concorrer é necessário possuir formação superior em qualquer área de formação, com remuneração inicial de R$ 21.029,09

Concurso AFT 2021: saiba mais sobre a seleção 

Um novo concurso AFT 2021 (Auditor Fiscal do Trabalho) está cada vez mais próximo de se concretizar. Na última quinta-feira, 18 de novembro, o processo de solicitação autorizativa contou com nada menos do que oito movimentações internas no Ministério da Economia. A seleção ainda depende de aval por parte da pasta, para o preenchimento de nada menos do que 1.524 vagas para a carreira, que exige formação de nível superior em qualquer área de formação, com remuneração inicial de R$ 21.029,09.

Sem novo concurso para o cargo de 2013, o certame vem sendo bastante cobrado por sindicatos de classe, em decorrência da constante defasagem de servidores. 

A nova solicitação é bastante superior à anterior, de 2018, quando o hoje extinto Ministério do Trabalho requisitou aval ao Ministério da Economia para 2.873 vagas, sendo 1.309 vaga a carreira de auditor do trabalho

Concurso AFT 2021: veja dicas de preparação emocional


Notícias do concurso AFT 2021

Provas MTE - Ministério do Trabalho e Emprego

Nenhuma prova encontrada

Sobre MTE - Ministério do Trabalho e Emprego

O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), órgão da administração federal direta, tem como área de competência os seguintes assuntos: política e diretrizes para a geração de emprego e renda e de apoio ao trabalhador; política e diretrizes para a modernização das relações do trabalho; fiscalização do trabalho, inclusive do trabalho portuário, bem como aplicação das sanções previstas em normas legais ou coletivas; política salarial; formação e desenvolvimento profissional; segurança e saúde no trabalho; política de imigração; e cooperativismo e associativismo urbanos.


Comentários

Mais Lidas