MenuJC Concursos
Busca
Últimas Notícias | | Empregos | Sociedade | youtube jc | WEBSTORIES

Apoio de Lula foi decisivo para reeleição de Pacheco no Senado; Entenda

Por 49 votos contra 32, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) saiu vitorioso nesta quarta-feira (1º) para mais dois anos a frente da presidência do Senado Federal

Rodrigo Pacheco (PSD-MG) é reeleito para presidência do Senado
Rodrigo Pacheco (PSD-MG) é reeleito para presidência do Senado - Agência Senado
Jean Albuquerque

Jean Albuquerque

redacao@jcconcursos.com.br

Publicado em 01/02/2023, às 19h36

WhatsAppFacebookTwitterLinkedinGmailGoogle News

Por 49 votos contra 32, o presidente do Senado Federal,Rodrigo Pacheco (PSD-MG) saiu vitorioso nesta quarta-feira (1º) para mais dois anos a frente da presidência do Casa. Pacheco derrotou o ex-ministro de Bolsonaro Rogério Marinho (PL-RN). 

O apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi decisivo para a vitória, além de ser uma demostração de força após um mês no comando do Executivo Nacional. Durante a disputa, o terceiro candidato, Eduardo Girão (Podemos-CE), renunciou para favorecer Marinho minutos pouco tempo antes da eleição. 

De acordo com publicação do jornal Folha de S. Paulo, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), líder do governo no Congresso Nacional, telefonou para o Lula e depois passou o telefone para Pacheco, que estava do seu lado. Na ligação, o presidente petista parabenizou o senador mineiro, e ressaltou a disposição em trabalhar juntos. 

+ ICMS: contribuintes terão novo crédito disponível em SP. Montante acumula R$ 570 milhões

Veja esforço do governo para vitória

Para conseguir a vitória e afastar a ameaça bolsonarista do Senado, o presidente contou com o apoio de partidos alinhados com Lula e conseguiu evitar traições com as negociações de espaço em comissões, na Mesa Diretora e nos cargos de segundo e terceiro escalão do governo. 

Para evitar a derrota de Pacheco, o governo montou uma mesa de negociação para os ministros discutirem suas demandas. Como coordenador de campanha do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (União-AP) foi criticado entre os colegas por passar pelo plenário minutos antes da votação e cumprimentar senadores com carinho.

Pacheco teve o apoio do PSD, além dos partidos MDB, PT, PSB, PDT e Rede. O bolsonarista Rogério Marinho formou uma coligação com PL, PP e Republicanos. Ele também ganhou a votação entre os integrantes do PSDB.

Momentos antes de dar início a votação, Pacheco chegou a discursar sobre os seus feitos a frente da presidência do Senado. Ele afirmou que não cederia a práticas de "chantagem". Disse ainda que garantiu a independência do Senado em relação aos demais poderes, opondo-se à ideia da Casa permitir ataques ao Judiciário.  

+++ Acompanhe as principais informações sobre Sociedade e Brasil no JC Concursos

Siga o JC Concursos no Google NewsSociedadeBrasil

JC Concursos - Jornal dos Concursos. Imparcial, independente, completo.